The Flash 3×04: The New Rogues

55
2323

E não é que depois de quatro episódios, The Flash finalmente voltou ao padrão que havia utilizado em sua primeira temporada? Alegre, cheia de vida e bem diferente de Arrow, a série do Corredor Escarlate conquistou público e crítica por causa de episódios como The New Rogues, e após uma temporada e um retono inteiro centralizado em um clima menos alegre, Flash retornou ao status quo que tanto a beneficiou em seu ano de estreia. Rápida, cheia de humor e abordando com leveza um tema comum, este quarto capítulo não é apenas algo ótimo, mas demonstra que a equipe criativa ainda mantém uma noção bem delimitada de como criar bons momentos, sem o peso moral ou aspecto lúgubre de antes.

The New Rogues é o típico episódio que não acrescenta nada para a trama central da série. Com exceção da apresentação de um novo Harrison Wells, todo o tema ao redor dos novos vilões serviu apenas para termos Jessie Quick em ação, assim como a resolução da presença de Tom Cavanagh no elenco fixo da produção. Para ser mais exato, existiu todo um abraço caloroso a fórmula utilizada pelas revistas em quadrinhos dos anos 60-70, também conhecido como Era de Prata. São resoluções com pouca base científica e que retiram apenas o que importa de cada tema, o lado divertido. Pare muito para pensar a respeito e você terminará com várias dúvidas, mas quando encaramos uma adaptação que cria pessoas com superpoderes, o comprometimento com fatos científicos do mundo real não tem peso considerável na equação – e nem deveria.

The Flash --- The New Rogues
The Flash — The New Rogues

A constatação de que a série estava precisando de momentos como o de The New Rogues é a prova de que existia alguma coisa errada, muito errada em Flash. Barry estava sim precisando de uma infusão de leveza em seu sistema nervoso. E quem conseguiu trazer de volta um Flash mais “solto” foi Jessie, que também garantiu para Wally o momento mais relevante do personagem desde que ele foi atingido pela segunda explosão do acelerador de partículas. Vou ser honesto aqui e dizer que até agora Wally não fez muita coisa. O feito mais relevante do personagem foi em uma linha alternativa. Com a nova velocista da Terra 2 o que tivemos foram cenas que funcionam bem dentro da mitologia do Flash, especialmente para quem está acompanhando as revistas de Rebirth, apresentando um conforto maior em ver Barry recebendo ajuda e uma dinâmica menos engessada para o Wally.

Claro que a trama dos vilões poderia ter sido melhor abordada, especialmente por causa do retorno do Snart, antes e depois de ter se transformado no Capitão Frio. É sempre ótimo tê-lo de volta, mas o Mestre dos Espelhos e sua namorada não conseguiram, sozinhos, segurar as pontas de um episódio intitulado New Rogues. Para começar, a utilização dos poderes do Mirror Master não explorou todo o potencial do personagem, tão expressivo na nona arte. Quer tenha sido pela vestimenta menos escandalosa, ou pelo fato de terem usado os espelhos apenas como portais, minando a diversão de miragens, por exemplo, a impressão final é a de que ficou faltando alguma coisa para deixar um episódio que já estava bom, em algo excelente.

The New Rogues funciona muito bem isoladamente e mesmo que sua trama não tenha cooperado para o vilão recorrente da temporada, ou qualquer tipo de reverberação da intromissão do Flash na linha do tempo, trabalha positivamente lançando algumas pontas para os próximos episódios e nos lembrando de um período em que a grande preocupação da série era ver a ótima química entre os personagens transbordando pela tela, além de muita ação descompromissada e sem nenhuma conexão com a destruição do tempo, ou do multiverso. Obviamente a situação irá mudar e o aspecto menos esperançoso irá retornar, afinal, Caitlin já está notando as mudanças características de sua doppelganger da Terra 2, Nevasca, e bom, aparentemente ela não se lembrou do que aconteceu com Cisco e passará alguns episódios sofrendo calada.  No mais, até o romance entre Iris e Barry está caminhando muito bem, sem qualquer tipo de clichê costumeiro e abordando quão estranho é ver dois “irmãos” se beijando – a não ser que você assista Game of Thrones.

> Teorias Bizarras de Westworld

Easter eggs e outras informações

– Galeria de Vilões, ou Rogues, é o nome do time de antagonistas do Flash que ocasionalmente se juntam para dar trabalho para o Corredor Escarlate. Existem várias versões, com diversos membros, mas a mais conhecida é aquela composta por: Capitão Frio, Mestre dos Espelhos, Flautista, Mago do Tempo, Trapaceiro, Capitão Bumerangue, Pião, Abra Kadabra e Onda Térmica.

– Nos Novos 52, nome do reboot pós Flashpoint Paradox, a composição do time da Galeria de Vilões é: Patinadora Dourada (líder), Capitão Frio, Mago do Tempo, Onda Térmica, Trapaceiro e Mestre dos Espelhos.

– Mestre dos Espelhos já teve duas versões, assim como mostrado na série. A primeira, criada em 1985, atende pelo nome de Evan McCulloch, mencionado no episódio como o Mestre dos Espelhos da Terra-2. A primeira aparição de Evan foi em Animal Man #8, 1989. A segunda versão do vilão é mais recente. Criado para os Novos 52, Samuel Scudder foi introduzido em Flash Vol 4 #12 de 2012.

– Pião/Top não é uma mulher, mas sim um homem na nona arte. Roscoe Dillon (na série Rosalind) teve seu debut em The Flash #122 de 1961 e divide os mesmos poderes que sua contraparte live action.

– Foram mencionadas as Terras 17, 19 e Prime durante o episódio, além da Terra-1 e 2. Terra Prime é o nome da dimensão existente antes da Crise nas Infinitas Terras, um local onde super-heróis existem apenas na ficção. Seria o nosso mundo, o real. Depois de um tempo Terra Prime ficou conhecida como Terra-1, a Terra da série.

– Terra 17 – é uma realidade inóspita, fruto de guerras nucleares, ou como algumas versões apontam, resultado da droga Cortexin. Vale lembrar que durante os experimentos realizados no Grodd, na série, a droga foi mencionada. Graças a ela a Terra 17 é habitada por animais inteligentes e seres humanos escravos.  Essa versão mais recente é baseada na Terra criada para os Cavaleiros Atômicos e Khamandi (Earth AD – After Disaster/Depois do desastre).

– Terra 19 – próxima da revolução industrial, a Terra 19, lar do novo Harrison Wells, é um local de avanço cientifico em um mundo centralizado na Era pós-Vitoriana.

– Durante seu treinamento com Jessie, Barry menciona que ele está parecendo o Oliver. O Arqueiro Verde, durante o primeiro crossover entre as duas séries, propôs um rápido treinamento para o Corredor Escarlate.

  • Mari Martins

    Melhor EP da temporada! Ri do começo ao fim com as loucuras de Barry e Iris, com Wells escolhendo seus substitutos (e deles interagindo), com Cisco, como sempre. Muito divertido. E sem falar o quão bom é ver Snart novamente. <3

    • Flavio Batista

      Eu tbm. Fazia tempo q nao ria tanto em um episodio de Flash. Adorei!
      A escolha dos substitutos, a guerra pra escolher os apelidos dos viloes, New Harrison fazendo voz de Darth Vader… foi muita coisa engraçada!

    • Luana

      Também adorei, fazia tempo que não via um episódio do flash, leve e divertido.

    • Ver o Snart é sempre bom, estava pensando aqui como iam fazer com o lance do contrato do ator e até que o incorporaram de um jeito bacana.

  • Ronaldo

    Uma coisa que me incomoda as vezes em flash é que quase todos os vilões são meta humanos, o que custava o mestre dos espelhos e o mago do tempo usarem tecnologia para serem vilões. É quase como Smallville, com os transformados.

    • Mari Martins

      Isso é uma coisa que me incomoda tb, mas em Supergirl.
      Tipo, tb queria que em Flash vez outra tivesse um vilão pessoa normal, mas não acho que até agora isso seja um problema. Até acho que já teve em outras temporadas.
      Porém, em Supergirl, pior série de heróis, para mim, isso é um problema e que já tá beirando a chatisse. Ainda não vimos um vilão pessoa normal, só alien. Muito chata!

      • Ronaldo

        Ahh eu tenho achado Supergirl superior as outras séries da DC atualmente, é verdade que a maioria dos vilões foram aliens mas teve humanos também: Maxwell Lord, a banshee prateada, o reactron, a curto circuito, homem-brinquedo e na season 2 já teve o metalo.

      • Supergirl já teve vilões humanos sim, Mari. Vários, inclusive. Já teve até vilão de episódio usando arma, por exemplo. Tá longe de ter só alienígenas. Agora me pergunto como alguém pode chorar por review de Arrow e considerar Supergirl a pior série de heróis. hahahahahahaha

        • Mari Martins

          Me pergunto o mesmo, só que ao contrário.

          Como o pessoal, não só você, que muitas vezes é hater de Arrow, uma série muito mais mundo real, pé no chão, critica ela, e acha Supergirl (muitas vezes boba e entediante) melhor. kkk

          Assisto quase todas as séries de heróis (Demolidor, Luke Cage, todas da CW, Gotham, etc) e não acho que para gostar das da Marvel tenho que querer as da CW iguais, como muitos comparam Arrow nas temps ruins com Demolidor. Ambas são boas como são.

          Agora uma que se mostrou pior do que esperei foi Supergirl. Muito adolescente (não tenho nada contra série ”teen” já que vejo ONCE), sem evolução. Sem frio na barriga, sei lá. Vejo pq amo série do gênero e tento ver se melhor, mas não gosto. Alguns eps são bons, outros não. Espero que invistam mais no Superman, que por sinal clou minha boca. Achava que seria uma negação, mas surpreendeu e fora o traje feio, tem mais a cara dos clássicos homens de aço dos filmes antigos. ;D

          • Não sei da onde tirou essa ideia de que eu sou hater de Arrow. Sou crítico de Arrow, é diferente. Como você pode falar que Supergirl é uma série adolescente, sendo que em Arrow, por quatro anos, acompanhamos o drama amoroso de Oliver e Felicity, ao melhor estilho malhação. Só uma informação – todas essas séries aí, Arrow, Flash, Supergirl, Legends of Tomorrow, são direcionadas para o mesmo público. Não tem nenhuma mais madura do que a outra. Supergirl, na verdade, ataca problemas mais pertinentes ao mundo real do que Arrow.

    • Flash tem uma galeria de vilões bem grande, mas a galera da série acha que porque o cara tem superpoderes, só vilões do mesmo calibre são bons. Snart mesmo foi um que só tinha uma arma, teve o Capitão Bumerangue, que desperdiçaram com aquele crossover com Arrow…

  • Sara

    Odiei o motivo criado para manter Harrison Wells na série. Ficou muito bobo. Ele é bacana, teve boa trajetória, mas já cumpriu sua jornada, pode ir embora. Os produtores não querem se livrar, aí mantem na série e ele enche a paciência. Tipo o Rumple de OUAT.

    Wally e Jesse = Desnecessário. Por que tem que virar casal? Neste caso, um quase casal. Gosto do Wally, mas acordei pro fato de que a presença dele é irrelevante.

    Mirror Master, lindo, importante e mais um que foi desperdiçado 🙁

    Este Star Lab é muito cheio. Ali deveria ficar só Barry, Cisco e Caitlin e de vez quando aparecer um convidado. Mas eles não sabem escrever cenas para Iris e Joe fora deste lugar, aí adicionam ele no SL e deixam eles no canto porque eles não são cientistas e por isso viram wallpaper falante.

    Aliás, tenho pena da Iris, sem plot próprio e jornalista que não investiga. Karen Page fez mais em 2 temporadas de Daredevil do que ela fará em dez tempoardas de The Flash. E Lois Lane foi mais reporter em 2 filmes do que Iris em 50 episódios.

    • Jamais, Sara. Não tem nem como comparar Rumpel e Wells, muito cedo sim para perdermos o Harrison. Desenvolvimento da Iris está ruim mesmo, mas acho exagero comparar ela com Karen Page, que tem uma série com só três personagens centrais, e com Lois Lane, que é co-protagonista e não coadjuvante.

  • Sara

    Completando o meu comentário anterior: Este EP04 foi meio aborrecido nas partes Westallen, parece que teve muito disso. Nunca fui Anti-Iris ou contra o casal, sempre a defendi, mas hoje penso que romance em “série de herói” tem que ser bem pouquinho pra ser muito bacana, tipo MAoS. E aos haters de plantão, só digo uma coisa: Fiquem calmos, porque Barry e Iris não vão durar. Isso é CW, ela não tem chance nesta emissora e quem tá ligado já sabe porquê 😛

    Ainda fico passada quando comentam isso de Barry e Iris “irmãos” em pleno 2016. Ainda vejo muito disso no tumblr e twitter. Gente não. Eles não são, nunca foram irmãos!!! Usem outra justificativa, “eles não tem química” funciona mais do que “isso é incesto”. Sempre imagino Barry crescendo na casa das super favs: Snow ou Spivot, e penso: será que também achariam que são tipo irmãos? *sorrindo feito Arlequina*

    Divagando um pouco mais e isso nada tem a ver com o post do SM: Acho muito curioso que ninguém usa essa de “eles são irmãos, isso é tipo incesto” quando se tratam de:
    Jace e Clary (Shadowhunters, Tv e livros) / Callie e Brandon(The Fosters)
    Jon e Dani (GoT, acho que são parentes e já tem shipadores)
    Luke e Leia(irmãos gêmeos que se beijaram nos anos 80, mas e dái? ainda conta e não vi textão a respeito, mas Barry e Iris já ganharam textão com ABNT sobre incesto hahaha).
    Shipavam Morgana e Arthur(Merlin BBC, e eles são irmãos!!!). Novela Velho Chico: Olivia e Miguel. Mudaram a novela para ‘desincestualizar’ (e antes de descobrirem que não eram irmãos, a TL shipava enlouquecidamente e os personagens só faltavam se agarrar e não vi incômodos).
    Acho interessante como as pessoas são seletivas. conclusão: Incesto pode, depende de quem é o personagem e o ator. Por que será que um incomoda e os outros não? Fandom é doideira.

    • Acho que a grande diferença é que em alguns destes exemplos que você deu, os irmãos não foram criados juntos. Existe repulsa quando são. Alguns dos exemplos que você citou nem irmãos são, então fica mais fácil aceitar – além de não terem crescido um ao lado do outro. Eu acho o relacionamento da Iris com o Barry algo normal, eles já eram bem crescidos quando foram morar juntos.

  • LUIS HEBER

    Mesmo quando The Flash não apresentava um bom episódio, havia alguma cena interessante que se destacava…esse foi totalmente irrelevante.

    A babaquice do beijo mostra que The Flash está indo ladeira abaixo como Arrow. Triste…mesmo sabendo que, normalmente, a qualidade das séries da CW duram no máximo 3 temporadas..

    E o recrutamento do novo HW foi totalmente ridículo…do início ao fim.

    • Mas é coisa do padrão de 22 episódios, Luis. Não tem como ter coisa importante em todo capítulo, e esse negócio de ficar entregando coisas relevantes nos últimos segundos me estressa mais do que não ter nada. Principalmente quando lembro que pelo terceiro ano consecutivo estamos encarando um vilão mascarado. ZZzzZz

      • LUIS HEBER

        Pode ser eu….talvez já esteja cansado do formato teen da série e quanto a isso não há absolutamente nada o que fazer. Mas lembro que no início, em função das expectativas que criei, a série sempre tinha algo interessante mesmo quando o episódio não funcionava totalmente.

        Provavelmente esses vilões xinglings e mascarados dos quais já esquecemos antes do próximo episódio começou a me incomodar de verdade e com isso não aprecio o resto.

        Como minhas expectativas agora estão bem mais realistas, depois da bombinha de São João que foi “The Flashpoint Paradox” dentro da série, devo curtir os próximos.

        Ao menos quando o episódio não agrada temos as suas reviews. :p

  • Alberto

    Sinto falta da exclusividade, tem muito The Flash pra pouco episódio, conheço um pouco dos quadrinhos e sei como é, mas na tela parece muito exagerado, é raio pra todo lado sinto falta da diversidade de inimigos. Sobre o romance só digo que parece que um tem 11 e outro tem 12 anos.

    • Acho que é normal, já são duas temporadas só com vilões velocistas. Quanto ao casal, acho que encararam bem a dinâmica de duas pessoas que foram criadas debaixo do mesmo teto. Eu também acharia estranho ter que beijar alguém que considera como pai o mesmo homem que eu considero como pai. hahahahaha

  • Wal

    Mas que episódio divertido! Ri do começo ao fim, e parte disso se deu por conta da escolha do substituto do Wells! é uma pena ver o Wells da Terra 2 indo embora {espero que ele apareça em algum momento para contracenar com o Wells 3.0} mas já amo o HW, por favor, que não repitam o plot do Wells escondendo algo do Barry. Por um Wells mais leve, e que dê nomes aos vilões para tirar a paz do Cisco! rs
    Posso creditar minha diversão também ao fato da atriz de Awkward participar como a Pião, cada vez que eu ouvia o Barry falar “awkward” me remetia a nostalgia da séria acompanhada na MTV.

    • Luana

      Acho que o plot do Wells escondendo algo do Barry será repetido, pelo menos é o que dá pra entender na promo no próximo episódio.

      • Kaike Reale

        Ouvi falar que na verdade esse novo Wells é um alienígena, por isso a fala dele de “Saudações terráqueos”. Ele vai ser o elo de ligação do crossover.

    • HAHAHAHAHA verdade, não tinha conectado a atriz a série awkward.

  • Wal

    Fiquei o episódio inteiro esperando falarem que o Snart estava vivo nesta linha do tempo.
    Papel de trouxa feito com sucesso.

    • Flavio Batista

      mas so falaram q ele tinha ido numa aventura… perdi alguma coisa? Ele morreu em q timeline?

      • Soldado

        Ele morreu em Legends of Tomorrow, durante essa “aventura”

    • Diego Vieira

      Mas ninguem do team flash sabe que ele morreu. Eles demonstram nao saber nada nem da Sarah que dirá do snart.

    • Ninguém sabe que ele morreu, já que foi “consumido” pela energia do tempo em Legends of Tomorrow.

  • Carcosa, the Yellow

    Embora não goste dos filmes da DC e das séries tbm, seria legal ver todos esses vilões da Galeria no filme solo do Flash.
    Os vilões da Galeria clássica. Não essa babaquice de novos 52.

    • Que maldade com os Novos 52.

      • Carcosa, the Yellow

        “Maldade”?
        Maió lixo. Li 5 edições de cada estória q saiu e pelo amor de Deus. Como é q conseguiu simplesmente foder com tudo q já foi criado antes? Desculpe meu francês. Sério. Mto ruim.
        Só não chega a ser pior q esse novo universo extendido do SW. Universo estendido do SW é oq eu cresci lendo nos livros, nas HQs e jogando os jogos. Ponto. Isso q é canône. Mané mudança é o cacete. Não sou eu q tenho q me contentar e “aceitar q dói menos”. Os outros é q tem q ir se foder. Desculpe meu francês de novo. Tô um pouco irritado com tanta discussão ao mesmo tempo aqui.

        • Novos 52 teve bons momentos durante os seus quase 5 anos de existência, inclusive com The Flash. Existiram pontos baixos sim, mas todo personagem já teve um período estranho, incluindo antes de Novos 52 – não é? E quanto ao universo de Star Wars, o que estão fazendo com o novo cânone não faz com que tudo o que existiu desapareça, vai continuar existindo, só não faz parte da nova linha. E convenhamos, a bagunça estava grande demais. Star Wars se perdeu no meio de tantos livros, histórias em quadrinhos, games, anexos… Para os filmes continuarem a existir, precisaram organizar a casa e a coisa mais inteligente foi limitar tudo. Mesmo assim, continua existindo, ninguém passou uma borracha, recolheu os livros e queimou. hahahahahaha

          • Carcosa, the Yellow

            Cara. Me desculpa, mas dos quadrinhos q já li, assim…. novos 52 não chega nem perto de alguns mais antigos principalmente dos anos 80 e início dos 2000.
            E sinceramente não consigo ver essa bagunça toda em SW. Simplesmente não consigo. Tenho tudo mto bem definido na minha cabeça. Algumas coisas eu tenho q pesquisar pq já me esqueci e o universo expandido do SW vai de 50 mil anos antes da batalha de Yavin até oq? 130 anos não é? Com o neto do Luke. Eu acompanhei isso tudo.
            O problema é criar algo, de novo, em algo q já existia e eu conhecia. Sacou? Isso q me irrita. A mudança. Tudo aquilo q eu conhecia muda. Do q adiantou todo esse tempo acompanhando as estórias? Pra depois mudar? Meio paia e egoísta não acha não?

          • Mas Novos 52 teve, em alguns casos, 52 edições, você disse que só leu 5 de cada. Teve muita coisa boa sim, não foi só tragédia não. Star Wars estava sim muito bagunçado. Fora a linha cronológica dos games, ainda tínhamos os livros e histórias em quadrinhos, que já estavam ditando, por exemplo, todo o futuro da franquia. Em alguns casos, como o da família Skywalker, já estava tudo traçado por séculos após a batalha de Yavin. Não tem como continuar uma franquia com tanta coisa pré-estabelecida. Novamente, as histórias continuam existindo, só não fazem mais parte do cânon e não acho egoísmo, achei a solução mais inteligente. Imagina ter que ficar encaixando a história dos filmes em cima de decisões cimentadas de livros, games e histórias em quadrinhos?

          • Carcosa, the Yellow

            Além da mudança e mudar tudo q eu conhecia, é q não tinha conteúdo tbm. Sabe? Não tinha carga. Dramaticidade. Profundidade. Era só mais algumas estórias sem peso.
            Pra mim filme do SW, se quisesse continuar, q fizesse O Legado da Força. Bem mais denso, emocionante e dramático do q essa nova trilogia será.

  • Carcosa, the Yellow

    E essa Violett Beane é maió gostosinha. Q q isso. Quem assiste The Leftovers sabe do q eu tô falando.

  • Tenho uma opinião totalmente oposta a da review, “The New Rogues” passou longe de ser bom. Mestre dos Espelhos é um antagonista clássico do Flash, mas foi reduzido a mais um vilão da semana subaproveitado. Envergonhado por se relacionar com a Iris na frente do Joe!? Onde isso é legal? Esse plot bobo teve mais desenvolvimento do que um vilão cheio de potencial. Reparem que não estou reclamando do romance, e sim da forma que ele foi explorado. Flash continua sem conseguir balancear o vilão da semana com o antagonista da temporada, continua também desperdiçando o potencial de bons vilões, e até mesmo de seus coadjuvantes. A série nunca foi um primor, e nem estou cobrando que seja, pois não é essa sua proposta, mas as coisas funcionavam melhor na 1° temporada, e esse episódio 4×04 passou longe de levá-la de volta ao padrão da season 1.

    • João Paulo

      Concordo com tudo.
      A trama desse episódio foi digna de sitcom.

    • Mestre dos Espelhos é um antagonista clássico, concordo, mas é um personagem “pesado” para uma série limitada em recursos orçamentários. É uma pena, mas… Já o relacionamento entre a Iris e o Barry, achei sim muito legal terem lidado com o fato deles serem, no final, considerados como irmãos, sem excesso de dramas. É algo que precisava acontecer mais cedo ou mais tarde e saltei de alegria por terem feito de maneira leve. A forma que exploraram, confie em mim, foi a melhor já utilizada em uma série de super-heróis da DC CW desde sempre. Poderia ter sido bem pior. O padrão da primeira temporada mencionado por mim não é em qualidade, Nicolas, mas sim em clima, ambientação.

  • Diego Vieira

    Até pra mim que nao me incomodei e até gostei dos episódios 2 e 3 esse me incomodou um pouco. Os dramas desnecessários por exemplo, se tudo tivesse sofrido um reboot blz, mas nao. O Barry nao sofreu, ele sabe como ele contou para o Joe sobre a relação dele com a Iris. Foisó uma conversa e dai por diante estava tudo bem, até pq o proprio Joe demonstrou sempre ter percebido que o Barry gostava dela. A insegurança do Barry nao teve sentido e a estranheza do Joe menos ainda.

    Outra coisa que em incomodou é a incongruencia do Wells. Eles é o primeiro a brigar com o Barry por mexer com a linha do tempo e é o que sugere “ok, vamos roubar um wells de uma terra qualquer e pronto!” ou seja desde que nao seja a mesma timeline deles que eles estragam tudo bem?

    Fora isso:

    -Relação do Barry com a Iris pode avançar que o publico ja ta acostumado e a serie ja aproximou vcs de forma natural, nao vai mais soar, na timeline que seja, forçado.
    -Kaitlin como nevasca = <3
    -Ficou meio obvio com o episódio passado que o Wally após descobrir que era um velocista na outra timeline que ele pode ir atras do Alchemy pra ter seus poderes de volta.

    • Diego, eu já tive amizade com o pai e mãe de alguns dos meus namorados, e nunca consegui dar um beijo na frente deles. Agora imagina você beijar a menina que gosta, na frente do pai dela, enquanto o considera como pai também? Uma coisa é a teoria, outra é a prática e em se tratando de uma série da CW, fizeram muito bem ao utilizar a comédia e o clima descontraído.

      Mas eles não roubaram um Wells, Diego, eles recrutaram, é bem diferente. O cara se voluntariou para ir para outra dimensão. É bem diferente de voltar no tempo e mudar a vida de várias pessoas sem que elas tenham a chance de opinar.

  • Tiago Lima

    Sobre o romance entre Barry e Iris estou achando um pouco algo forçado, principalmente porque antes a relação dos dois estavam mais para amigos do qualquer outra coisa, eles dificilmente tinham uma história juntos paralelamente no episódio, sempre envolvia outros personagens, e nós sabíamos que o Barry gostava da Iris, porque ele dizia, mas não via a Iris demonstrar esse mesmo sentimento. E agora que são um casal começaram a fazer tudo juntos e a Iris começou a agir como a apaixonada. E lembro da Jessie e Wally, que sempre teve um clima, sempre estavam juntos, tinham uma história paralela para o desenvolvimento da relação deles, até o beijo desse episódio, e acho que Barry e iris não teve o mesmo.

    • Mas desde a primeira temporada que a Iris sabe que o Barry gosta dela. Ele optou por não insistir porque ela estava com o Eddie na primeira temporada, sofrendo pela morte do Eddie na segunda e finalmente o aceitou como possível namorado antes do Barry voltar no tempo e criar Flashpoint. Então achei que demorou bastante até. Se formos comparar com Jessie e Wally, Barry e Iris (que inclusive estão casados no futuro de acordo com o jornal) tem muito mais motivo para estarem juntos. Sem esquecer que na primeira temporada quando o Barry viaja no tempo a primeira vez, ele revela a identidade secreta dele para a Iris e os dois se beijam.

  • Rodrigo Cardoso

    Barry e Iris <3 Esse episódio foi ótimo o/ E já contando os segundos pra ver a Nevasca.

    • Finalmente alguém que concorda comigo em relação ao Barry e a Iris. hahaha dá um abraço, Rodrigo.

      • Rodrigo Cardoso

        Claro! Novo casal do Pop.

  • Vitner Santos

    Pra quem queria mais comédia ta aí, apesar de achar a parte do Wells meio exagerada…

    • Mas de novo esse assunto de comédia? Você está confundido a palavra diversão com comédia, Vitner. Ninguém pediu que Flash se transformasse em Friends. =)

  • Steh

    Eu concordo com o casal Barry e Iris, mas não consigo parar de achar estranho eles dois se beijando 😂😂

  • Wagner Lutterbach

    Adoro as reviews, mas fico louco para chegar na parte dos easter eggs, pois fico sabendo de um monte de coisas e ainda vejo as pistas que não peguei durante o episódio. Hehe

    Obrigado e parabéns, Diego.

  • Leonardo dos Santos Silva

    Confuso o roteiro. na primeira temporada, Wells (Thawne) sempre deixou claro que não era pra se falar o que aconteceu quando o Barry viaja no tempo. Agora o Barry sai contando pra geral o que fez e o que mudou, fora toda essa citação “ah foi por conta do Flashpoint” porra não precisa ficar falando, todo mundo já sabe (me refiro a cena do Barry conversando com o Joe na delegacia a sós).

  • Maria José Tagarro

    Não acho tão estranho ver Barry e Íris se beijando, não os vejo como irmãos de fato. Mas entendo o incomodo do Joe. haha
    Amei rever o Capitão Frio <3
    Achei esse novo Harrison Wells muito alegrinho, sei lá, assim como o Wells mau humorado, desconfio…
    Killer Frost vem! <3