The Flash 2×20: Rupture

75
240

The Flash entrega um final incrível para um episódio frustrante.

É enorme a minha decepção com a metade da segunda temporada de The Flash. Rupture era para ser aquele episódio que entrega o último gancho para os três capítulos finais da série, algo que já estava sendo antecipado há algum tempo. Com muitas expectativas, o optado para esta semana foi mesclar a indecisão de Barry com o drama de Cisco e seu irmão. E infelizmente meu sentimento geral com o arco permanece o mesmo de duas reviews anteriores: frustração.

Tudo o que acompanhamos durante o episódio foi um desenvolvimento galgado em pura exposição de diálogos ineficazes contrabalanceados por uma trama pouco interessante. A série reuniu três figuras paternas para aconselhar Barry, mas o resultado, o desfecho final, não era segredo. A série do Flash, o Corredor Escarlate da DC Comics, precisa que seu herói tenha poderes, que ele corra mais rápido que uma bala, que ele seja o mais rápido homem vivo. “Aleijar” o personagem fisicamente não impõe qualquer tipo de risco, nós sabemos o que irá acontecer e mesmo que leve três, ou dois episódios, Barry irá recuperar os seus poderes. Então é mais rentável para o telespectador ter o herói da série aprendendo sentimentalmente o que é ser um líder, o que é ser o protagonista. Não é a ameaça do Zoom que precisa guiar a decisão do Barry Allen, ou a imagem de seus dois pais e mentor confabulando para dissuadi-lo ou convencê-lo. Não. É necessário que a compreensão venha através do senso de dever.

Rupture coloca Barry em um estado de reação. Ele não está tomando decisões, mas sim reagindo ao que está sendo apresentado por ele por outras pessoas. Novamente a abordagem de deixar o protagonista sem poderes não é novidade e deverá ocorrer outras vezes, mas existem maneiras de se lidar com este evento de forma mais organizada. A primeira é não direcionando o foco para outro assunto totalmente alheio a trama principal. Trazer o irmão do Cisco para uma participação, assim como sua contraparte da Terra-2, é uma ideia apropriada para começo de temporada, facilmente encaixável antes da viagem para a outra dimensão. Lidar com este assunto durante um momento essencial demonstra a consequência direta de escolhas criativas feitas pela equipe da série e que estão arrastando a trama principal, especialmente dos últimos três episódios.

Consistência de roteiro é o que Flash mais precisa. Na verdade, consistência do texto é uma deficiência de absolutamente todas as séries da DC CW. Ter Henry Allen ali é interessante, pois impõe uma quebra na dinâmica entre Barry, Joe e Harrison, mas não condiz com a real necessidade. Nós sabemos que de uma forma ou de outra o Barry irá entrar no novo acelerador, que ele vai participar da experiência e que sua velocidade retornará. Não existe surpresa. A falta do elemento faz com que a presença do pai sirva apenas para enrolar o telespectador enquanto a série desenha um caminho para garantir poderes para Jesse e Wally. Sabe o que realmente teria sido útil? Se Henry tivesse voltado enquanto o Barry decidia se “doava” ou não a sua velocidade para o Zoom. Este teria sido o momento adequado para ter um conjunto de pais agindo ao redor de uma decisão não acertada.

Também faltou um pouco mais de preparação para as tramas futuras. Durante vinte episódios, isso mesmo, vinte, a série trabalhou por caminhos misteriosos para criar antecipação em cima da transformação de Wally e Jesse Quick em suas contrapartes nos quadrinhos. Inseriram Wally em uma trama de corrida de carros, expuseram o seu desejo em se tornar um herói como o seu ídolo, Flash, e também fizeram o mesmo com Jesse, chegando ao ponto de injetá-la com a Velocidade 9 e mandá-la para a cidade em que sua personagem viveu na nona arte. Só que a maneira lenta, comedida e sutil, perde completamente o controle quando o roteiro força ambos os personagens a ficarem presos no laboratório enquanto o experimento que deu os poderes ao mundo meta-humano é recriado. Não é o desejo, não é a motivação, muito menos o ápice emocional ao infectarem Jesse com a droga que garante poderes. Nada disso. O que faz com que estes se tornem heróis (vai acontecer) é a mera casualidade, só que de uma forma forçada. Se é forçado, cai em um problema recorrente para a produção, onde temos a certeza de que os roteiristas trabalharão de acordo com o que eles quiserem, dispensando completamente o passado daquelas personagens. Pior ainda quando Henry diz que o nome de solteira da sua mãe é Garrick, expondo diretamente a identidade do homem da máscara de ferro. É algo muito simples, muito rápido, mas sem ápice emocional… Vazio. Cadê a recompensa?

Quem também caiu bastante foi o vilão, Zoom. Não consigo entender qual a dificuldade em se trabalhar antagonistas em Flash. O amedrontador Zoom surgiu em um episódio incrível, com uma montagem de cena fenomenal e de dar medo. Contudo toda a trama do personagem se limitou a sua identidade secreta, não mais em suas ações. Todo o foco se movimentou em direção ao homem por trás da máscara e não para as atitudes do personagem. A fórmula de pedir que o telespectador procure por respostas junto aos personagens é ótima, ajuda bastante e é o núcleo de todo procedural. Só que a grande maioria das séries que se apoiam neste formato trabalha em uma hora toda a temática obrigatória, entregando a resposta antes dos minutos finais. The Flash transformou sua temporada inteira em um enorme procedural, uma investigação sem fim que nós precisávamos desenvolver ao lado de Barry, Caitlin e Cisco. Sem todos os elementos para atingir a resposta, sobrevivemos das migalhas deixadas pelo roteiro. Um código Morse, um pouco de informação sobre o passado, mas nada definitivo. Quero ser bem claro aqui, o problema não está no estilo adotado, mas sim na falta de ápice emocional em cima da reposta. Descobrimos a identidade do Zoom através de uma montagem fria. E agora estamos acompanhando um vilão superpoderoso que tem como plano central trazer meta-humanos de outra Terra para fazer o seu trabalho.

Mesmo que tenha falhado em várias instâncias a série acerta em cheio ao entregar um final totalmente chocante. É um tipo de desfecho que assusta o telespectador e cria um tipo de antecipação maior para o próximo episódio. Enquanto o vilão se transforma lentamente em um fraco reflexo do que ele já foi, a trama da série procura criar saídas para tudo o que levantou durante o seu segundo ano. Com pouquíssimo tempo disponível e mais uma barreira antes do embate final entre Barry e Hunter, resta saber se existirá uma recompensa para o final do arco, ou se iremos pela segunda vez, receber uma quase conclusão que só será totalmente respondida no ano 3.

Easter eggs e outras informações

– Não existe Fringe na Terra 2. Mas pela quantidade de oportunidades perdidas durante o arco das realidades alternativas, parece que nem mesmo na Terra 1, ou na vida real a série existe.

– O final do episódio banhou Wally e Jesse em energia negra resultante da explosão do acelerador de partículas. Bom, quem está acompanhando as reviews da série já sabe que ambos os personagens são, nos quadrinhos, velocistas com poderes iguais ao do Flash. Wally chegou a assumir o manto de Flash durante a morte do Barry Allen. E Jesse usa uma fórmula matemática para acessar a força da aceleração.

– Rupture é um vilão que existe nos quadrinhos. Só que a história do Cisco é um pouco diferente. O nosso ‘Vibe’ tem dois irmãos, Armando e Dante, mas quem assume o manto de Rupture é Armando e não Dante.

– A segunda transformação do Barry é bem similar a de Flashpoint Paradox. Só que nesta versão quem ajuda o Flash a recuperar seus poderes é o patriarca Wayne, que age como Batman após a morte do filho, Bruce.

– Vale dizer que o Flash já foi desintegrado na nona arte, em Crise das Infinitas Terras – Leitura obrigatória para quem é fã da DC Comics.

– Mais menções ao Harry Potter. Tem alguém na cúpula criativa da DC CW que está terminando a leitura agora.

– A montagem da cena em que o Zoom mata vários policiais ao mesmo tempo é incrível. Já tudo o que aconteceu na delegacia depois, além do seu diálogo com a Caitlin, não.

  • Letícia Menezes

    Olá!
    Gostei do episódio, principalmente depois que o Barry finalmente tomou a decisão.
    Acho sim que faltou desenvolvimento no Barry na questão que ele pode continuar sendo a melhor versão dele mesmo sem poderes, o que ele obviamente não acredita. Devo dizer, quando Barry DISSOLVED, amei, claro que ele não morreu, mas amei a reação do povo lá, a cara do Wells foi ótima, da Iris. Aliás, finalmente ela aceitou os sentimentos para ele e acabou com um pouco da enrolação. Gostei da explosão que atingiu o Wally e a Jessy, já que vai precisar dos três pra derrotar o Zoom, já que o Barry não consegue sozinho (So much for the fastest man alive). Ainda não me conformo como o Barry entregou a velocidade pro Zoom, dava pra ter preparado uma trap ali de boa, não aceito mesmo, muita conveniencia.
    Até a próxima.

  • Jackson Douglas

    Dá uma impressão de que querem me enrolar com esse papinho furado do Zoom e da Caitlin. Tornaram o vilão amedrontador num personagem chato, ainda to esperando as maldades dele, no mínimo teria que matar todos do laboratório, perderam a mão.

  • Vitner Santos

    Nossa esse foi um dos episodios mais fodas e voce faz parecer que foi medíocre…

    • De bom só o final, mas não dá pra falar que foi bom só por causa de 5 minutos.

      • edujakel

        esse é o pessoal fã de TWD….rs

  • “My name is Barry Allen and I am not alive. To the outside world I am a pile of ash, but secretly with the help of speedforce I’m existing in a corner of reality. I tried to replicate the particle accelerator, but in doing so I opened up this show to new speedsters, and they are the only ones fast enough to stop Zoom.
    I am… The BLAST.”

    Melhor comentário que eu já li HAHAHAHAHAH

  • Gabriel

    Parabéns para o Cisco. Eu nem me lembrava que aquela máquina se chamava Vacuum. Sempre a chamei de Máquina. E uma Terra sem Fringe não pode ser um lugar bom para se viver.

    E o Cisco também está de parabéns pelas suas menções. Adorei a cena em que ele vai de Harry Potter para De Volta para o Futuro. Só senti falta dele soltar no final do episódio “You Maniacs! You blew it up! Ah, damn you! God damn you all to hell!”.

    Será que no próximo episódio terá corrente humana para tirar o Barry da Força de Aceleração?

  • Isaac Lopes

    Torço o nariz com Barry e Iris, os vejo como irmãos! Eles foram criados desde criança na mesma casa, tem como pai o mesmo homem e ninguém fala sobre isso!

    • Yara Regina

      Idem colega, de incesto já basta Game of Thrones pra mim. Não consigo engolir eles como um casal, sem contar que a paixão de Iris só agora parece forçada!

  • Yara Regina

    Nossa, assistimos o mesmo episódio? Depois de ler sua review nem sei se sou mais capaz de opinar… Vou fingir que não li e continuar achando o episódio fodástico!

    • Assistimos, mas eu não gostei e você sim. Não vi nada de incrível e só gostei do final, mas o saldo permaneceu negativo, na minha opinião. C’est la vie!

      • Thais

        As reviews desse site ultimamente só apresentam críticas as séries. Parecem que assistem ao episódio e pensam “o que aconteceu de ruim” dai vem e escrevem um texto apontando todos os defeitos. Pra quem ler só consegue ficar frustado, até esquece do bom andamento da série. Além do texto ficar enorme e cheio de críticas, pouco se fala do que realmente aconteceu no episódio.

        • Review é uma crítica, Thais.

          • Thais

            Só se for aqui nesse site, pq até então pensava que Review significava análise, explicar melhor cada detalhe e dar opiniões menos superficiais sobre o produto, dar informações técnicas e não menciona opinião pessoal.
            Além de fornecer até
            mesmo informações extras, etc.

          • Gabriel

            É assim em todo lugar.

            Review
            2.Write a critical appraisal of (a book, play, film, etc.) for publication in a newspaper or magazine.
            De http://www.oxforddictionaries.com/definition/english/review

          • Análise é sinônimo de crítica, Thais.

          • Thais

            E crítica não é só negativa. Seria bom você lembrar disso ao escrever seus textos. Ou não. Eu particularmente desisti de acompanhar as suas reviews, tem outros sites que são menos depreciativos, e que analisam melhor. Minha opinião.

          • Crítica não é só a negativa, mas também não é só a positiva. Se a sua opinião vale, a minha também. Certo? Quanto a você ter abandonado as minhas reviews porque elas não representam a mesma opinião que a sua, é a vida. Ninguém é obrigado a concordar, apenas respeitar.

          • Thais

            Mas não é eu que escrevo a review. E não é só eu que leio. A sua opinião vale sim, deve expor sim, mas é só isso? Vou ler uma review apenas pra saber se você gostou ou não do episódio? Ainda mais quando é só criticando a série. Se eu ler sua review vou desistir é da série.

          • Review é isso, Thais. É a opinião de quem escreveu em cima do episódio. É a análise feita com base na minha experiência assistindo o episódio. E apesar de não ter compromisso nenhum com informações extra, eu sempre faço questão de colocá-las em todos os meus textos.

            “Rupture coloca Barry em um estado de reação. Ele não está tomando decisões, mas sim reagindo ao que está sendo apresentado a ele por outras pessoas.” Isso não é minha opinião, isso é um fato dentro do episódio. Assim como várias outras informações ali dentro também são.

            Então é um pouco injusto você falar que estou preocupado só em pontuar o que eu gostei e o que eu não gostei. Não é só isso.

            Engraçado que eu não me lembro de ter lido comentários seus quando eu elogiei episódios que a maioria dos leitores disse não ter gostado. Você sente vontade de abandonar alguma série quando ela apresenta um episódio que você não gostou?

          • Thais

            Assisto e já assistir mais de 30 séries, nenhuma abandonei. Você não entendeu o que eu quis dizer. Eu vou abandonar a sua review pq a sua opinião não me interessa. Mas enfim, não comentava antes e nem comentarei mais, pode ficar tranquilo.

          • Boa sorte! Tem vários fã sites por aí, posso te indicar alguns.

          • Kin Jordan

            Análise com informações técnicas? Convenhamos que isso seria bem chato! O que entraria numa análise dessas? Nome do elenco? Roteiristas? Diretores? Atores convidados? locações? Esclarecimentos sobre como foi
            feita determinada cena? Isso tudo tem no IMDB. Sério que você prefere isso à opinião de alguém que conhece tão bem o universo e contexto os quais quais as séries da DC estão inseridas? Veja bem, ninguém é
            obrigado a concordar com a opinião de reviewer. Mas é inegável que as reviews ajudam a ter um novo ponto de vista, e que auxiliam numa melhor compreensão dos eventos. Essa review mesmo chamou a minha atenção para coisas que eu não havia reparado. E tudo é muito bem complementado pelos easter eggs e demais informações do episódio. Enfim, acho que você apenas se chateou por ter lido críticas negativas a um episódio que você gostou. Acontece, e em diversos sites, com diversas séries. É sempre difícil achar críticas unânimes sobre determinado episódio de qualquer série que seja. Voltando a Flash, já tiveram diversas reviews elogiosas à série, algumas que eu inclusive não concordei. Se você quer ler críticas que você concorda 100%, terá que procurar internet afora mesmo, boa sorte em sua jornada!

          • Yara Regina

            Kin… Saudades do American Idol já!!! Que bom saber que gosta do Flash tbm, não sabia que o meu comentário fosse render tanto. A treta foi lançada… kkkkkkkk

  • brunomonte

    Alguem, pelo amor de Deus, sabe pra onde o Zoom corre tanto? Será q ele tem dor de barriga, só pode

    • Kin Jordan

      Cara, eu me pergunto isso o tempo todo! Ele aparece, fala uma ou duas frases, faz uma ameaça e desaparece correndo! Será que fica dando voltas no mundo, kkkkkkkkkkk

      • carla machado

        Kin!! Aparece mais pra coversar conosco!

    • edujakel

      ele trabalha numa loja da Apple. é um Genius Apple.

  • Eduardo

    Gostei muito do episódio, foi até um alívio depois de alguns episódios não muito bons que teve nessa temporada. Em relação ao Jay Garrick, resta saber se na Terra 2 ele será o Henry Allen(que usa o nome Jay Garrick por algum motivo) ou será um irmão gêmeo dele. Digo isso pois tanta expectativa em relação ao rosto do homem da máscara de ferro só pode ser por um rosto bem conhecido.

  • Andréia Viana

    Eu gostei do episódio, apesar de concordar que eles sempre fazem uns dramas, mesmo a gente já sabendo que Barry iria entrar naquela máquina, realmente o pai deveria ter aparecido quando tiveram aquela ideia besta de dar a velocidade pro Zoom, gostei do final, deu aquele susto.
    Muito forçado a Iris com aquela conversa dela, não convenceu esse amor dela agora, parece que ela só se conformou com o que disseram sobre o futuro dela ser com o Barry e não pq ela queria mesmo isso.
    Essa coisa da Caitlin ser a fraqueza do Zoom, não me cai bem, só de pensar que ele pode ser derrotado por causa dela e não num embate épico contra o Flash, parece bobo.
    Como não amar Cisco? ele é ótimo! rsrs

  • edujakel

    Faltou o melhor easter egg de todos, Cisco mandando um LEROY JENKINS!!!! ahahahahha Eu ri muito e ri mais um pouco nessa.

    Vai me dizer q nao pegou a referencia? @diegocraft:disqus

    Concordo com tudo que disse…estou meio afastado das reviews e comentarios gracas a minha cirurgia, mas desde que o Barry decidiu doar a velocidade tenho ficado incomodado. Foi justo no momento que ele se viu mais rapido que o Zoom…q ele podia combater o Zoom e resgatar o Wally, ele decide simplesmente doar a velocidade? como assim?
    E agora essa enrolacao toda?

    Sem contar que fazer do Zoom um vilao com alcance mundial, que dominou a Terra 2 inteira e agora quer dominar a Terra 1, esbarra no universo compartilhado. Esse é o momento pra ter crossovers entao, pois afeta todo mundo.

    E Cisco ja deveria ter comecado a treinar seus poderes. Se Reverb era tao poderoso, na ausencia dos poderes de Barry, Cisco deveria se sentir obrigado a assumir o posto, nao?

    • carla machado

      Espero que vc esteja bem, Edu

      • edujakel

        estou sim Carla, grato a preocupacao. colocar parafuso na coluna nao é nada simples, mas a recuperacao está boa. e agora ja posso ficar mais tempo sentado no PC…rs

    • Tava sumido mesmo, Edu.Flash gosta de cozinhar tramas. Imagino que se o Cisco não desenvolver nenhum poder ativo até o final da temporada, com certeza trabalharão a próxima em cima desse arco.
      Melhoras e valeu pelo comentário!

  • carla machado

    Episódio super chato.
    Mas não vejo a hora das novas transformações.
    Eu fico me perguntando como Caitlin vai ao banheiro…

  • Vitória Martins Souto

    Gostei do episódio, mas concordo com você, estão colocando muito sentimento do Jay com a Caitlin, isso estraga o vilão. Af

  • Gabrielle

    Também acho que estão enrolando demais. Faltam 3 episódios, sendo que o próximo será sobre trazer o Barry de volta, e só dois para derrotar um vilão tão “terrível” que não conseguiram derrotar em 20 episódios?
    Outra coisa, acho que se a matéria negra desintegrou o Barry, ela deveria ter no mínimo queimado um pouco o resto do pessoal, as roupas, etc, além de que ela passou por todo mundo que estava ali na sala mas só vai trazer poderes para o Wally e a Jesse que estavam mais longe, ou seja, que não pegaram uma onda de matéria negra tão “forte” quanto os outros?

    • Yara Regina

      Sobre a matéria negra pensei a mesma coisa, mas tem uma porta de vidro que os separava, se a porta segurou a matéria negra, palmas pra porta!

      • Gabrielle

        Pois é, vamos ver como vão explicar né… Ou nem vão e vai ficar por isso mesmo.

  • Gabriel

    “O final do episódio banhou Wally e Jesse em energia negra resultante da explosão do acelerador de partículas”. Eu achei que eles foram banhados pela energia emanada pelo Barry após ter sido desintegrado pelo acelerador de partículas. Seria uma forma da série deixar claro o motivo de seus poderes também serem relacionados à super-velocidade e não a outros quaisquer.

    • Verdade. Pode ter sido isso. Até porque a velocidade só foi garantida para aqueles que estavam sendo eletrocutados durante o momento da transformação. Vamos ver se o Harry explica certinho depois. Boa teoria.

    • Nelson Alexandre Renner Soares

      verdade, aquele monte de produtos quimicos que tava no corpo do barry deve ter ido junto com a energia negra

  • Junito Hartley

    Episodio palha, so prestou o final, serio que vao inventar mais velocista na serie? (emotion de olhos virados para cima).

    Outra coisa, o laboratorio Star labs por fora ainda ta com a faixada toda detonada, desde a explosao, e dentro todo perfeito, so curiosidade mesmo kkkkkk

  • Isac Marcos

    Pra mim o pior na série está sendo a quase invisibilidade de Wally e Jesse para “do nada” virarem sidekicks. Acho estranho o não desenvolvimento deles (não deve chegar a 1 minuto de cena quando aparecem) e em tão pouco tempo virarem coprotagonistas. Zoom mal usado em detrimento de uma paixão e Barry com crises existenciais (não sou tão rápido, não tenho mais poderes e agora, não posso arriscar novos desastres) completam a lista. Espero que os últimos 3 episódios saiam desse marasmo e que a série volte a ser a série que eu sempre aguardei para ver semana após semana!!!

  • Mariana Moraes

    O Henry voltou pra morrer nessa finale, chega a doer de tão óbvio.

    Quero muito Jesse Quick maravilhosa correndo por ai e salvando pessoas.

    • Nelson Alexandre Renner Soares

      Se o Mascarado for o Henry da tela 2 tudo bem ele ainda pode aparecer de vez em quando, só não pode matar o Joe ou o Wells

      • Nelson Alexandre Renner Soares

        terra

      • Leticia Barreto

        O Wells não pode morrer e nem ir embora .

  • Carlos

    Gosto muito dos seus textos Diego e o respeito muito, mas acho que você tá se equivocando. Elogiou absurdamente a primeira temporada de Supergirl, que embora eu assista e tenha muito carinho, tá muito longe de ser uma série de herói no mínimo boa. Fica muito atrás de Flash e Gotham.

    Achei o episódio bem interessante, e só não coloco entre os melhores da série por causa da história do vilão Rupture, que foi fraquinho. Concordo quando você diz que Zoom tá sendo desaproveitado, ainda mais porque ele tem capacidade pra nesse momento fazer qualquer coisa que queira. Por hora ele é imbatível e ficou a sensação de que isso não significa nada, já que todos agiram pelas suas costas. Ele simplesmente poderia ir até o laboratório e destruir tudo, e ninguém ali teria mais chance de fazer algo.

    Por outro lado, diante de uma temporada longa, cansativa(vale para todas séries com mais de 20 episódios), é compreensível que um vilão sofra transformações, até inúteis, a fim de esticar a história e guardar o final. Sempre sabemos que os produtores serão incapazes de tomar decisões de morte ou perda total de poderes com protagonistas. Talvez seja esse o grande encalço. Séries como GoT, Person of Interest e Fringe por exemplo, se diferenciam pela credibilidade, por não terem medo de matar quem quer que fosse e isso influenciar negativamente a audiência. Imagine Barry morrendo e Wally, como acontece de fato nos quadrinhos, assumindo a identidade do Flash e a história tendo prosseguimento, seria algo fantástico. Mas claro que isso não vai acontecer e sabemos os motivos. Apesar de tudo, considero Flash acima da média no quesito série de quadrinho e com uma temporada pelo menos à altura da anterior.

    • Ah! Mas você pegou no ponto certo, Carlos. Elogiei Supergirl sim, mas dentro da proposta da série. Ela nunca impôs um vilão como Zoom, nunca tratou assuntos complexos como o Multiverso. Ao contrário, Supergirl fez tudo de maneira bem simples e descompromissada. Dentro deste panorama, ela acertou. Flash foi ambiciosa, decidiu trabalhar realidades alternativas, vilões mascarados, viagem no tempo. A ambição permite que eu cobre muito mais de Flash do que de Supergirl. Por fim, o espaço de 20 episódios permite mesmo trabalhar o vilão e até mudar sua personalidade, mas The Flash separou 4 episódios de 20 para focar em Zoom. Fica mais difícil comprar mudanças bruscas assim.

      • Carlos

        Exato cara, não tiro sua razão. Porém veja, esse é o preço que se paga por uma série desse tipo passar na TV aberta, e na CW ainda mais. Não dá para exigir consistência mesmo ela propondo. A própria série ri de si mesma. Nem a DC leva fé, tanto que justificaram a não escolha do Grantin Gustin para o cinema porque não queriam misturar as coisas, algo que por exemplo não acontece com MAoS. Dentro do que Flash propõe ser e levando em consideração a TV que passa, o orçamento, elenco,exigências contratuais e tudo mais, ela cumpre bem seu papel e faz mais até do que pode.

        • Não. Levam fé e se levam a sério sim, Carlos. A decisão de não misturar série com Cinema não tem relação nenhuma com não se levar a sério e rir de si mesma. Dentro do que Flash se propôs a fazer ela está pecando muito na reta final. Não está cumprindo bem e isso não tem conexão nenhuma com o cinema. O filme do Flash só deve estrear daqui dois anos, não justifica. Se ela propõe consistência, nós podemos cobrar. É a tarefa deles entregar o que está sendo prometido. É o mínimo. Mais diferente ainda é o caso de MAoS, porque a série nasceu enquanto o universo dos filmes já estava consolidado.

          • Carlos

            A consistência que ela se propõe, está dentro dos parâmetros exigidos para uma série da CW. Mas cada um vê de uma forma. Tem gente que acha TWD a melhor série do mundo. A percepção é diferente. Tem gente odiando e largando Arrow, e outros que ainda a consideram a melhor série da DC na TV. Não seria diferente com Flash. Izombie, série da CW, adaptada da própria DC, teve na primeira temporada 13 episódios com uma proposta fixa e bem coerente da história de acordo com a quantidade de episódios. Na segunda temporada esticaram para 19 episódios. É uma mudança brutal, interferiu diretamente nos rumos da série. Tanto que o episódio 13 terminou claramente como uma season finale e daí tiverem que inventar histórias para dar conta. Isso aconteceu com a própria Supergirl na CBS, você acompanhou. Flash poderia ter menos episódios, e tudo que você disse sobre o desenrolar da trama não aconteceria. Esses pecados que você disse estão além do poder de decisão dos produtores. Impossível construir uma série desse tipo feita para durar cerca de 7, 8 meses e falar do vilão todo episódio, do plot principal todo episódio. Todas acabam enrolando e protelando respostas.

          • Mas se você sabe que tem 23 episódios para trabalhar e já o fez na temporada anterior, ainda dedicaria só 4 episódios de 20 para falar do vilão? Só quatro? É isso que eu falo.

          • Mayara

            Sem esquecer de mencionar que MAoS é outra franquia, outra produção, outro estúdio.
            É como eu sempre digo, não dá pra comparar pq um não tem nada a ver com o outro…
            É a mesma coisa que querer comparar Suits com The Good Wife, só por ambas serem jurídicas. Ou TWD com iZombie.

  • Douglas Santos de Arruda

    Esse é o terceiro episódio que leva do nada a lugar nenhum. O drama de perder a velocidade, de ser normal e de recuperar a velocidade é pura encheção de linguiça.

    E pelo que eu vi do trailer do próximo episódio, vai vir mais um “filler”.

    Deveriam focar mais na luta contra o Zoom, Por isso que seriados com mais de 20 episódios são cansativos.

    De qualquer maneira, estou curtindo muito os episódios (exceto os dois últimos). Enfim, não sou coerente mesmo. :p

  • LUIS HEBER

    Um episódio que brinca com Fringe, World of Warcraft, Harry Potter e Breaking Bad não tem como ser ruim…embora não foi bom. Valeu pelo final.

  • Mayara

    Essa história do acelerador, apesar de remeter aos quadrinhos, ainda me parece tão estúpida!!!! Se é tão fácil assim devolver os poderes para o Barry porque não fazer logo um exército de velocistas??? Ai gente. Sem comentários.

    E só digo que com a participação de mais vilões menores nos próximos eps, como a Black Siren e o Girder, a tendência é continuarmos deixando a narrativa central meio que segundo plano. Uma aposta desnecessária a essa altura do campeonato.

    O lado bom é que pelas sinopses dos próximos parece que quem irá achar o Barry será o Cisco vibrando. Isso sim seria bacana!
    Outra coisa interessante é que há rumores da participação da Vixen para impedir o Zoom juntamente com o Barry. Vamos ver.

  • Mari Martins

    Amo The Flash.
    Amo todos os personagens e atores.
    Amo como trama foi construída desde a 1a temporada.
    Claro que mesmo aquilo que gostamos tem seus altos e baixos. Esse episódio não posso dizer que foi ruim, mas esse vilão da Terra 2 foi chato. Algumas cenas são dispensáveis e chatinhas. Mas, no geral, deixou o gosto de quero mais.
    Destaco dois pontos fortes desse ep: a conversa entre Barry e Iris. E essa sumida dele mais efeitos do acelerador nos outros dois futuros velocistas.

    • Leticia Barreto

      Concordo plenamente com você !

    • Gustavo Moraes

      Achei a mesma coisa, e espero que nos próximos eps fique melhor .

  • Fabiano

    O Barry Allen apesar de ser meio mongolão é bem representado se comparado as hqs, agora esse Wally West aí é ridículo. É quase uma versão masculina da Iris da primeira temporada. Tomara que ele não se torne o Kid Flash tão cedo.

  • Rafaelnds

    Esse negócio do Barry perder velocidade, ter a velocidade roubada, entregar a velocidade para um vilão está muito chato, já deu o que tinha que dar isso não acham? Nas Hqs isso acontece também? Gosto muito da série, mas já reparei que em todos os episódio eu fico totalmente desinteressado, dou vários pauses no vídeo, pego celular pra ver durante, ah e que não suporto também a Iris, agora está com amor de coitada, daquelas que foi largada e corre atrás de alguém que já havia se declarado mas que foi descartado. Tá ficando muito chato, espero que esses últimos episódios salvem a série do buraco que está caindo.

  • Fábio Santos

    Fringe não existe em local nenhum porque Peter Bishop nunca existiu.
    Jesse e Wally serão mais rápidos que o Barry também? Essa é minha maior dúvida no momento. kkkkkkkkkkk

    • Diego Vieira

      Todos sao mais rapidos que o “fastest man alive” kkk. Mas sério, pela forma como aconteceu a transformação, seria normal se eles forem mais rapidos que ele.

  • É bem óbvio que Barry se uniu/foi sugado/teletransportado ou qualquer coisa assim pela força da aceleração, e deve voltar até mais forte. Já o Wally “sem or”, tem o carisma de uma porta e nem sendo um velocista eu acho que isso irá mudar. A temporada foi ambiciosa e ingenuamente criei boas expectativas mas tem sido decepcionante, Zoom quase não aparece e tem atitudes totalmente sem nexo que geram conveniência ao roteiro, é sério que ele achou mesmo que o Barry veria ele tocar o terror em sua cidade e não tentaria recuperar sua velocidade? É mais bizarro porque ele conviveu com essas pessoas, e sabe como elas pensam, e ainda sim os deixou livres e tranquilos com seu laboratório.

  • Suliz

    Gostei do epi mas sinto que a trama deveria estar mais avançada sim. O ponto negativo foi justamente o final porque todos nós sabemos que Barry não vai morrer porque insinuar isso? Tô puta com isso, todo mundo ta fazendo isso!!
    Até gosto do Joe mas quis mto que Zoom matasse ele lá na delegacia ia ser loko!
    Se Barry precisar de ajudar no supervilão da temporada de novo vai perder meu respeito como superherói kkkkkk

    Diego, tô com medo de ler a review do Maos e pegar spoiler do filme, posso ou não?
    Outra coisa não peguei a dxa do Henry sobre quem é o homem da máscara de ferro…

    • Bel Ribeiro

      Tá tranquilo, tá favorável! (Você vai entender) Não teve nada de Guerra Civil em MAOS e também não tem na review.

    • Pode ler sem problema, Suliz. O crossover entre MAoS e Civil War é só na semana que vem, já que nos EUA o filme só estreou hoje. O Henry disse que o nome de solteira da mãe dele é Garrick.

  • Bel Ribeiro

    Sabe quando fazem uma festa surpresa pra você, mas você descobre antes? Aí tome praticar cara de surpresa pra quando a luz se acender? Então, vamos começar a praticar a cara de surpresa pra quando revelarem quem é o homem da máscara de ferro, né?

  • Camila

    Só eu não quero Wally e Jesse como velocistas?

  • Dani Salles

    O que achei meio fora de ordem foi a pequena participação de Barry como Flash no enterro da Laurel Lance, só que ele estava sem seus poderes…nós já víamos a entrada dele nessa cena em outros episódios de Arrow especulando quem havia morrido. Mas agora na ordem cronológica não bateu…erraram feio ou tô doida?

  • Julio C. Costa

    A menção a Harry Potter foi demais, e a desintegração foi muito boa tbm, Zoom matando geral tbm foi fera.
    Agora não sei o que esperar do próximo ep., o promo me lembrou além da imaginação…vamos ver.

  • Jaime Guimarães

    pensei que esse episódio tinha sido ruim…mas o 21…o 21 SIM é ruim.