Jane the Virgin 3×01: Chapter Forty-Five [Season Premiere]

4
1198

Metalinguagem. Já cansei de falar sobre como Jane the Virgin aplica esse artifício narrativo com precisão ímpar. Mas não há como fugir dela quando o roteiro continua se reinventando a todo momento e utilizando a peça contextual de modo inteligente. Vai ter metalinguagem sim e se reclamar vai ter ainda mais! Na verdade, nem precisa, porque foi o que Jennie Snyder Urman e equipe fizeram. Se lembram da première da segunda temporada?  O gancho deixado pelo finale inaugural serviu para abrir o ano seguinte, com as resoluções das tramas e o início de novas. Assim como a passagem da primeira para segunda temporada, “JtV” (sim, criei uma abreviação! Haha) repete o prato, mas o sabor continua diferente a cada mordida. De todos os plots deixado em aberto, alguns tinha certeza de finais felizes e naqueles que desejava tal encerramento, infelizmente a prorrogação da situação permanece. Vamos a eles:

Jane, Michael e a assassina do açúcar de confeiteiro (aka Rose aka Sin Rostro aka Susanna Barnett aka …)

O grande gancho deixado em suspenso foi o destino de Michael. Se o policial ficaria ou não vivo. Até a publicidade da série girou em torno disso. Mas como boa “novela” que JtV é sabia que Michael não morreria por hora. E foi o que aconteceu. Só não contava com uma recuperação tão rápida com aquela!

O interessante foi ver como Jane, as Villanuevas e até a mãe de Michael reagiam a notícia e como isso impactou em cada um de modo diferente. Mama Cordero surtou bonito e atacou tudo e todos. Alba apelou para a religião e isso é característico dela. A dupla dinâmica Rogelio e Xo (falarei deles mais a frente) também estava lá para demonstrar apoio, até os “colegas” de farda estiveram lá. Mas Jane foi a que mais sofreu em tudo isso. Não pelo momento, de ver o marido ali entre este e o outro mundo, mas de ser a responsável pela vida de Michael dali em diante. A questão da cirurgia foi algo capcioso, afinal todas as consequências no final cairiam sobre ela. E o momento em que ela se declara para Michael no leito da incerteza, prevendo a vida dos dois (com 3 filhos) até a fase em que tudo se resumiria as questões frívolas da velhice foi um dos mais tocantes até agora na série.

jane-the-virgin-3x01-img1

E na metalinguagem nossa de cada episódio, acabamos descobrindo que Jane sempre teve uma queda por triângulos amorosos e que a “certeza” acaba se provando justamente o oposto. Na tentativa de sempre abarcar o mundo com as mãos, ela na verdade acaba com chances concretas de ficar com as mãos abanando. Felizmente a sorte (e as listas) acaba agindo a seu favor. O que nos leva ao segundo tópico…

Petra e Anezka ou A Balada de Ruth e Raquel (Miami Beach Remix)

Aqui que meu pesar sobre nossa querida (ex) vilã recai. Assim como Michael, esperava que Petra sairia triunfante da armadilha da gêmea má (sempre elas…) e conseguiria desmascarar o plano de Anezka e Magda, brincando com nossas expectativas. Infelizmente não foi dessa que teremos o prazer, teremos mais alguns episódios de sofrimento coletivo sobre o destino da amada personagem. E Rafael, como bom palerma que é, ainda não conseguiu perceber que tem algo errado nas atitudes de “Petra”. Mas se tratando dele, vai ser o último a descobrir…. Seria interessante ver o personagem quebrando esse conceito de ser alheio a tudo a sua volta…. Falando em quebrar conceitos…

Rogelio, Xo e o bebê que não deveria estar lá

Não esperava a reação de Rogelio a dizer que criava o filho de seu arqui-inimigo e nêmeses Esteban. Isso me pegou totalmente de surpresa. O que não me pegou de surpresa foi a trama absurda que ele se envolve para proteger a família de ser exposta (mais uma vez) na mídia. Trocar o xixi em troca da privacidade foi uma das coisas mais absurdas ever da lista de coisas absurdas ever que ele já fez. Quanto a Xo, seguindo seu preceito de não ter mais filhos, vai recorrer ao aborto. Mas algo me diz que Rogelio pode convencer a amada do contrário…

Mais um ciclo se fecha em Jane The Virgin. Antes foi o sequestro do pequeno Matelio e agora foi o destino de Michael na balança. A ligação entre ambos? Rose e sua predileção por Luisa e donuts cobertos de açúcar! E ela não deve ter chegado nem perto do ápice das loucuras que pode cometer, o submarino com destino desconhecido (aka cafofo subaquático da Síndrome de Estocolmo) está lá para não nos deixar mentir. JtV retorna com o mesmo humor sagaz e o mesmo drama tocante que já estamos habituados, aumentando ainda mais o nível. Que recomece os meses mais alegres das nossas grades televisivas…

PS 1: Jane dando aula de roteiro quando adolescente? Hilário!

PS 2: O que nos leva ao esquema de literatura de romance adotado pelo episódio;

PS 3: Anthony Mendez sendo citado nos créditos como o narrador: finalmente!

PS 4: Nunca, mas nunca use a desculpa da gripe;

PS 5: E os termos culinários com duplo sentido?

PS 6: #FreeRogelio #RogelioIsNotErikEstrada;

PS 7: Como bem-dito por Júlia Albuquerque dos grupos do ToP, incrível como Yael Grobglas consegue diferenciar Anezka de Petra. Anezka tem sotaque quando é ela, mas não tem sotaque quando finge ser a irmã.

  • Laís F.

    Minha queridinha voltou e nós fazendo sofrer pela Petra. #forçaPetra
    Rafael não consegue perceber a diferença entre as irmãs? Como eu posso torcer um personagem desse?
    Muita gente não acreditava na morte do Michael, mas acreditava que ele poderia ter alguma perda de memória (afinal, um dos maiores tropes de telenovela), foi muito legal que os escritores brincaram com isso quando ele acordou e fez a piada com a Jane.
    Eu espero que a Xo não mantêm a gravidez, e tão interessante esse assunto ser debatido na televisão, uma mulher decidida que saber o que não quer e o que quer.
    Rogelio sempre no absurdo que adoramos ele.

    • Lucas Fernandes

      É interessante mesmo a parte de Xo, e é legal ver isso sendo tratado, mas pelo histórico de Rogelio acho que ele tenta mais uma vez sobre esse assunto.

  • Paulo Sousa

    Lucas, acompanho o review de JtV desde a primeira temporada mas nunca comentei. Que série incrivel. Tão leve, perfeita pra assistir depois de um dia cansativo. Suas reviews sempre são ótimas e pontuais. Parabéns

    • Lucas Fernandes

      Obrigado Paulo! Realmente uma das séries mais inteligentes e divertidos no ar.