American Horror Story: Roanoke 6×09: Chapter 9

83
3656

Como transgredir uma Final Girl em Chapter 9.

Eu imagino que o Brainstorm que criou a sexta temporada de American Horror Story tenha começado assim: Ryan Murphy já havia decidido que Roanoke seria o tema, mas uma das coisas que as discussões viviam trazendo à tona era o fato de que a lenda da colônia desaparecida era um assunto constante em programas documentais de canais como o Discovery Channel ou o History. Então, alguém sugeriu: “e se nós também fizéssemos o nosso próprio programa, que também seria transmitido num canal a cabo e teria a mesma dinâmica de depoimentos e dramatizações?”. Daí, a ideia progrediu para uma dinâmica de três atos: o programa, o outro programa baseado nos bastidores do primeiro e a realidade em si (no finale).

O sexto ano vai terminar na semana que vem e não só teve uma forma completamente esperta e inusitada de abordar a história de Roanoke, como também neutralizou as próprias diretrizes, abrindo mão de uma série de aspectos estilísticos que já eram parte de sua gênese. Ou seja, essa temporada foi um desafio metalinguístico dos mais incríveis e ainda passeou pelos conceitos de fama, vaidade e egocentrismo usando a força do horror em suas formas mais agressivas: o gore, o torture porn, o clima de sangue e vísceras que pode enganar o crítico mais desatento e fazê-lo pensar em superficialidade, quando na verdade Roanoke foi inteligência e diversão puras.

UnReal

American Horror Story: Roanoke --- Chapter 9
American Horror Story: Roanoke — Chapter 9

Ninguém questiona que o twist do sexto episódio foi uma das melhores coisas que a série fez em sua trajetória, mas se não podemos questionar a força da virada, podemos questionar sua “pureza”. Murphy quer nos convencer a todo custo que estamos diante da realidade dos fatos, quando na verdade, cada vez que o nível de violência sobe eu questiono mais ainda se seria possível que uma rede de TV transmitisse algo dessa natureza. Sabemos pelos palavrões censurados, pelas legendas que dão explicações, que Return To Roanoke está sendo transmitido. Mas, se realmente estiver, como American Horror Story vai explicar essa postura comercial? Existem muitas coisas envolvidas na ideia de exibir gente de verdade sendo eviscerada na TV e todas elas tornam a coisa praticamente impossível. Que família de uma vítima permitiria isso?

Pode haver um jeito, é claro. A promo do Season Finale mostra nossa Final Girl sendo tratada como uma “personagem” controversa da atual história americana e se o roteiro tornar Return To Roanoke um evento sem precedentes na televisão (e exibido sob um forte esquema de justificativas), podemos ser convencidos de que aquela violência toda poderia ser transmitida para todo o mundo. Sim, porque aqueles que dizem que a série “não está tão violenta assim como dizem na review” precisam me explicar o que seria a “violência extrema”. Aqueles intestinos sendo puxados para fora com Dylan ainda vivo vão ficar nos meus pesadelos para todo o sempre. Só de pensar eu chego a sentir um calafrio.

A dinâmica de found fottage também acabou servindo a convenientes propósitos. A maioria das câmeras é fixa, o que impede closes que acabem tornando as cenas impraticáveis para o FX. Além disso, mesmo as câmeras próximas não são manuseadas corretamente e as imagens podem escurecer ou sair de quadro em momentos estratégicos. Alguns podem considerar isso um problema. Eu acho esperto, elegante e absolutamente coerente com a estética desse ano. A perspectiva da cena da evisceração era da própria vítima e apesar de escuro e da tremulação, o impacto acabou sendo até maior, sobretudo porque muita luz ou muito foco poderiam retirar credibilidade da sequência.

The Final Girl

American Horror Story: Roanoke --- Chapter 9
American Horror Story: Roanoke — Chapter 9

Finalmente soubemos o que Taissa Farmiga veio fazer nessa temporada e achei a ideia dos amigos que vão atrás da casa muito coesa. Se esse momento invoca o gênero das “filmagens encontradas”, faz todo sentido que tenhamos um pouco de metalinguagem aí também. O mais recente (e ótimo) The Blair Witch tem exatamente a mesma premissa e a correlação aqui não é acidental. Roanoke lança mão dessas referências de modo calculado, como aconteceu em todos os outros anos, usando elementos clássicos de formas transgressoras. E a transgressão aqui reside na violência com a qual o roteiro “castiga” os “caçadores de likes”. Os três jovens deram uma dinâmica divertida para Chapter 9, que teve tensão do início ao fim.

A maior prova de que Ryan Murphy está muito atento ao que se estabeleceu como mitologia entre a série e os fãs é a maneira como ele mantém a personagem de Sarah Paulson viva até os momentos finais, como se nos provocasse com a ideia de que ela realmente “nunca morre”. Mas, não podemos esquecer que Roanoke quebrou todos os paradigmas do show e não haveria melhor temporada para quebrar mais esse. O roteiro, enfim, é tão maravilhoso, que Audrey (essa personagem que acabou se tornando uma das melhores da história de Sarah no programa) passa pelo diabo, resiste a tudo, dando realmente a impressão de que ela será a final girl.

Lee, no entanto, é a personagem que mais cresceu no decorrer dos eventos. Adina Porter ganhou um presentão e ficou com um papel que como Audrey mesmo diz “dá muitas camadas para se trabalhar”. Mesmo agora, tão perto do finale, vemos como Lee ainda é uma incógnita. Não sabemos se ela matou mesmo o marido consciente ou “possuída” pelo que lhe fez a  Bruxa da Floresta. Mas, se ela estivesse possuída, não se lembraria de tê-lo feito. Não sabemos se a coisa da “possessão” não passa apenas de um teatro, embora ela tenha mesmo comido o coração de porco que também já tinha “transformado” Thomasin na açougueira… A controvérsia persegue Lee desde que ela ainda era obra de Monet e nesse nono capítulo sua relevância só terminou de ser reiterada.

Então, na deliciosa cena final, Audrey vem do fundo do poço para se vingar de sua algoz (de novo elas, “Shelby” e Lee) e acaba sendo morta numa virada sensacional. Uma personagem de Sarah Paulson, enfim, morreu antes do fim. Mas, Murphy nunca deixa para trás suas bizarras tradições e lá está Paulson novamente, no último episódio, na pele da inesquecível Lana Banana. O mais maravilhoso, contudo, está na forma inteligente com a qual o programa subverte o sentido de uma Final Girl. Nos filmes regulares, ela é sempre aquela que sobrevive ao assassino. Aqui, ela é um dos assassinos. E a verdadeira “última garota”, a que realmente resistiu não só a um, como a vários criminosos, acaba morrendo quando tenta ela mesma, matá-los. Isso é planejar um roteiro, senhores… Dá gosto de ver.

Impecável até aqui, American Horror Story: Roanoke terá um Season Finale aguardadíssimo e ele pode, finalmente, configurar uma temporada que se encerrará como uma quase unanimidade, deixando a insuportável maldição de “Boa era Asylum” para trás.

> As séries favoritas do Fábio Porchat!

Roanotes: Acho que já está estabelecido que Wes Bentley, Finn Wittrock e Evan Peters não vieram esse ano para marcar passagem. Não atrapalharam, mas deram a vez para quem tinha personagens melhores.

Roanotes 2: O que nos leva a outra grande evidência sobre AHS e o único paradigma que ela não quebrou: quem manda nesse show são as mulheres.

Roanotes 3: Jacob Artist fez sua pontinha e junto com Darren Criss já é o segundo ator de Glee a ser convidado para ser assassinado. #GleeIMissYouSoMuch

Roanotes 4: De novo, Sarah transformou Audrey numa estrela desse ano. Incrível essa mulher, incrível.

Roanotes 5: O quão fantástico seria se o Season Finale fosse inteiro o programa de Lana Winters, com uma hora de confrontamentos entre ela e Lee? Roanoke terminaria GENIAL.

  • Walber Lima

    Acabei de ver o episódio e que alegria já tá aqui a review, bem, se a season finale não for beeem ruim, o que eu acho mt dificil, essa para mim vai ser a melhor temporada da série.

    O capítulo foi mt bom, com a presença dos 3 jovens querendo likes, é bem essa geração de hoje, e as conversas dele, os comentários deles até no final antes de morrer (“ele é uma pessoa boa, voluntário em um abrigo” )é tudo que eu gosto no modo de Ryan Murphy escrever, que só quem entende é quem o acompanha. Adorei ver a Taissa e o Jacob de Glee, talvez tenha sido a morte que mais sofri do show foi a dela 🙁

    Não gostei muito de transformar Lee como a assassina, me incomodou mt, até porque acho vão transformar ela como a responsável por tudo na série. Muito triste pela Audrey tmb, mas Henrique esquece que na temporada passada a Sarah já comecou morta, não sei porque repetir isso toda hora que ela não morre.

    Eu gostei da presença do Wes Bentley, dos atores que você citou ele foi o que mais apareceu e teve importância, gostei que ele voltou e mostrou a arrogância tipica, pq já foi do exercito

    Por fim, acredito que o finale será foda como foi de Asylum, esses finais calmos pós eventos são os melhores.

    • ♚ Lena

      Sobre os 3 jovens: Taíssa Farmiga foi empalada. Queria muito ver as caras dos fãs que vivem shippando tudo o que ela faz diante da cena kkk

    • henriquehaddefinir

      Walber, eu repito que ela nunca morre, porque ela nunca morre. A Sally “morreu” no episódio 1 de Hotel, mas a Sarah ficou em cena a temporada inteira. Fico besta que vocês insistam numa tecnicalidade que não elimina o FATO de que Sarah permanece “viva”, presencialmente, em todos os anos. E ela é a única.

      • Walber Lima

        Eu sei Henrique mas não foi dessa forma que você quis dizer na review, no sentido figurado da atriz está sempre na série, nisso com certeza e ela merece pq ela é foda mesmo, mas entendido o recado e tchau para esse assunto hehe

  • Juliano Guilherme

    Agora entendi Ryan dizendo que para contar a história da sexta temporada seriam necessário duas temporadas. Ninguém contava que estas duas temporadas estariam dentro da sexta! E que temporada meus amigos… que temporada!

    • ♚ Lena

      Será que a história de Lee continua na próxima temporada?

  • Emerson Souza

    Eu acho incrível como AHS usa as personagens da Sarah Paulson. Até agora ela já fez quatro personagens ( Billie Dean, Lana, Cordelia e Audrey) que são nacionalmente famosas (no universo da série). Isso prova que um personagem é mais que a cara de um ator. Não me surpreenderia nada se em alguma temporada futura dois personagens da Sarah, de diferentes temporadas, se encontrassem sem existir alguma espécie de estranhamento.

    • André

      Eu tiraria Billie Dean e colocaria Sally que foi bem mais importante

      • Emerson Souza

        Eu falo famosa no sentido de aparecer na televisão (no universo da série), Billie Dean tem um programa, os pessoas conhecem ela. Sally e as gêmeas não.

  • ♚ Lena

    Acho que um dos aspectos de todo o mistério que envolveu a divulgação de AHS: Roanoke que passou quase despercebido foi:

    Adina Porter passou a temporada toda como convidada, sendo que ela era a final girl. Ela apareceu em 8 dos 9 primeiros episódios, ou seja, seria mais regular do que muitos atores que apareceram em apenas 2 ou 3.

    Na falta de uma abertura que desse pistas sobre o que veríamos, os créditos finais nos deram uma pista GENIAL. Nós, tolinhos, caímos nesta brincadeira. Mais uma deste seriado PERFEITO!

    Com certeza, Lana deve questionar Lee sobre a outra filha dela. Qual será o mistério?

    • André

      AHS sempre fez isso. Só pensar na Angela Bassett que na terceira temporada como Marie Laveau era recorrente sendo que era uma personagem de peso enquanto Ramona e Desiree que eram secundárias ela estava como principal. Mesma coisa Moira em Murder House

  • Lucca

    Melhor temporada disparada, desisiti da serie em Coven e quando soube que o tema da 6° seria Roanoke eu meio q imediatamente voltei e me surprendi muito.

  • Ricardo

    Como a Lee estaria possuida para matar o marido se ela só comeu o coraçao agora?

    Posso estar enganado, mas quando a moca que trabalhava no set de filmagem morreu, disseram que o carro, ela e as filmagens so foram encontrados 3 meses depois. Mas nesse episodio, vemos que encontraram o carro e o corpo, e depois o corpo some

  • Samantha Pistor

    AHS é uma das séries que eu mais tenho prazer de assistir na vida.

    Acho que uma série é poderosa quando ela consegue um elenco fantástico até para papéis secundários: Wes Bentley, Cuba, Evan Peters, são todos atores de cinema e estão marcando presença. Podem ter sido papeis pequenos (no caso de Wes e Evan) mas foram interpretados por atores que fizeram a diferença, conferiam um charme para a série e a tornaram impecável do começo ao fim. Francis Conroy e Lady Gaga tiveram papeis ainda menores, mas a participação deu força e charme para a série, tornando-a maior do que qualquer outra.

    E sabemos que uma série tem força quando atores famosos topam papeis menores apenas pelo projeto, pela temporada ou pela qualidade. Palmas para AHS e para seu elenco.

    Finn… eu não o reconheci, o que mostra que o ator, que sempre foi mediano, evoluiu muito da primeira vez que apareceu para cá.

    Mas falando da série, que temporada… eu gelei o episódio inteiro, desviei o olhar em diversas cenas e fiquei tentando entender o fluxo de informações que a série me fornecia a cada minuto. Lee comendo o coração, Lee praticamente agindo como a açougueira, Lee matando todo mundo, Monet aparecendo, morrendo, Dylan vivo, Dylan perdendo os intestinos… parece que a série não nos quer deixar respirar. E isso é ótimo.

    E um adendo: Monet ao que tudo indica viveu na mente de Lee por 3 meses. Porque ela foi a primeira que pegou a câmera e saiu procurando pela confissão, certa de que a encontraria. Mais uma premissa (e metáfora) que se fecha no episódio,.

  • Allan

    Mas em Hotel o personagem da Sarah tinha morrido também. Não foi a primeira vez

    • henriquehaddefinir

      Mas ela não saiu, ficou até o final. Não foi como uma morte efetiva. Acabou sendo a primeira brincadeira que Ryan fez com isso. Todos perceberam isso.

    • Felipe Lyra

      Ela não morre durante a história, morre antes da linha temporal, sendo assim, já estava morta durante toda a história.

      • henriquehaddefinir

        Isso também. Bem lembrado, Felipe.

        • Daniel

          2016 foi tão ruim que até a Sarah morreu em AHS. Hahahaha

          • henriquehaddefinir

            HAHHAHAHAHAHA MELHOR COMENTARIO

      • vinland

        De qualquer forma estava morta não? Então morreu sim.

        • Felipe Lyra

          Não.

          • vinland

            Sim

          • Felipe Lyra

            Então, amigo, o que eu quis dizer foi que ela já estava morta. Seu assassinato apareceu só em flashback. Na linha temporal da história ela não morreu, Pq já estava morta.
            Mas morrer, morreu, só que não igual.

          • henriquehaddefinir

            Give up, Felipe. Rsrsrs.
            Morto, tá morto, morreu sim. Case closed.

  • henriquehaddefinir

    Antes que vários de vocês fiquem repetindo que “Sarah morre em Hotel”. Vamos lá, vou colar aqui o que disse lá embaixo, numa resposta.

    Fico besta que vocês insistam numa tecnicalidade que não elimina o FATO de que Sarah permanece “viva”, presencialmente, em todos os anos. E ela é a única. É a isso que me refiro. Roanoke será a primeira vez em que ela morre e o personagem que ela tem não reaparece em nenhuma circunstância.

    • vinland

      Nossa não acredito que vcs estão discutindo, se esse foi o primeiro ano em que a SP morre, ou se ela já morreu alguma vez, em uma temporada. Sério mesmo ??????

      • Daniel

        Ninguém discutiu nada. Só vi o pessoal conversando

        • vinland

          Discutindo. Conversando. Discutindo o assunto. Se a palavra discutindo só tem o significado ofensivo pra vc, consulte um dicionário.

          • Daniel

            “Nossa não acredito que vcs estão discutindo” se o significado que vc quis dar fosse conversando vc não estaria incrédulo nessa frase

          • vinland

            Pior ainda é estar errado e não admitir. Agora assim estamos Discutindo, da com a que vc se referiu.

          • Daniel

            Aff

          • vinland

            Sim aff mesmo. Repare também, Que o assunto ao qual está sendo discutido, vem logo depois que eu uso a palavra discutindo. Então para um bom intérprete, acho que já dá pra perceber qual a colocação que usei a palavra.

          • Daniel

            Zzzzzzzzzzz

          • vinland

            Zzzzzzzzzzzz

      • henriquehaddefinir

        Ai ai…

        • vinland

          Tão difícil assim aceitar pensamentos e opiniões diferentes da sua ? Ao que parece só vc que insiste com isso que ela nunca morre. De certo somos todos burros e vc inteligente.

          • henriquehaddefinir

            Aqui é argumentação versus contra-argumentação, mas vocês adoram usar a “não-aguenta-opinião-contrária” card. Dê sua opinião e aguente o tranco, oras.
            E olha que eu nem argumentei, só disse “ai ai”. Mas, essa ansiedade juvenil em querer se afirmar sempre… God bless.

          • vinland

            Obrigado por dizer que posso discordar, apenas isso que eu queria saber.

  • lucas

    A personagem da Sarah roubou a temporada de uma forma espetacular. Todas o cast feminino, na verdade. Ótima ideia ter colocado 3 mulheres como as sobreviventes finais (porém não definitivas). Mas a Audrey, especificamente, brilhou de uma forma que eu nunca poderia ter previsto quando assisti o episódio inicial do retorno a Roanoke. Nem passou pela minha cabeça que uma dondoca daqueles pudesse chegar tão longe e, pasme, conquistar o público com uma superficialidade que beira, intencionalmente, a caricatura.
    Confesso que a morte dela mexeu comigo que uma forma que tá me atormentando até agora. Sempre mexe com a gente quando um personagem morre assim, tão perto da salvação. A última vez que torci tanto por alguém assim em AHS foi com a própria Lana. Acho que a intenção de tal morte era causar esse efeito mesmo, não é?

  • lucas

    Eu só espero que o Ryan esteja ciente de que Lee não é nenhuma inocente. Muito menos merecedora de ter sobrevivido. Apesar de estar sendo ótimo ver a Adina ganhando o destaque que merece como atriz, a raiva que eu tenho da personagem dela impera.
    No fim das contas, a Shelby, que era vista como sonsa por todo o público, estava certa a respeito da cunhada. E apesar das mortes da Monet e dos fãs de Roanoke não terem sido, supostamente, intencionais, não se esqueçam que ela matou o marido e causou a morte do Dominic, ambos inocentes. Espero de coração que a Lana venha pra desmarcarar essa desgraçada.

  • Nathalia Muniz

    Também acho que a Lee matou o Mason consciente do que estava fazendo e por causa da filha, sobretudo. E desatenta como eu sou nem percebi ou já esqueci que vi o Finn Wittrock nessa season. O Evan apareceu pouco mas no papel do Rory tava lindo de morrer.

  • Nathalia Muniz

    Acabei de pesquisar no google e vi que o Finn fez o Jether Polk que a Lee matou e eu nunca iria reconhecer mesmo. Caracterização completa com até sotaque diferente né.

  • Marco A

    Ainda acho que Asylum é insuperável.

    • Daniel

      Só freak Show já a supera

      • André

        Freak Show supera Asylum? É uma piada?

        • Daniel

          Muito superior. Cada temporada foi focada num aspecto. Freak foi no drama, murder house suspense, Asylum terror, Coven pop, hotel noir, Roanoke gore porém todas com horror como essência

        • vinland

          Eu gosto de Freak Show. Claro que Asylun é muito melhor, mas não acho o 4 ano tão ruim como dizem.E admito que adoro Coven rsrsrs. Minha favorita depois de Asylun.

          • André

            Também curto Freak Show nâo achei mal,é que os episodios 6 e 7 dessa temporada sâo os piores da série mas curti os primeiros e a reta final

        • prefiro acreditar q foi piada mesmo kkkkkk

      • Marcos Bastos

        Freak Show é minha favorita ❤

        • Tbm é minha favorita… e será imbatível pelo visto.

      • What i want YOU GOT

        Freak show é incrível, muitas pessoas n entenderam o objetivo da temporada, o que é triste. Mas não é melhor que Asylum. Roanoke em outra mão, pode superar Asylum com chave de ouro dependendo do final… Pra mim já superou

      • henriquehaddefinir

        ISSO!!

  • André

    Gostei muito desse episódio principalmente porque a Audrey morreu. Até gostava dela mas entre as 3 ela era a mais esnobe entâo curti que ela se fudeu e já tava na hora da Sarah morrer na série. Torcia pra Monet mas como Angela sobreviveu em Freak Show e Hotel achei legal termos a Lee como nova final girl, a Adina Porter até me fez esquecer da mãe da Tara de True Blood antes eu automaticamente associava a atriz á Lettie Mae rs

  • Marcos Bastos

    Audrey 💔
    Achei que o único sobrevivente seria o motorista do Uber (qual o nome do ator? eu amei)

    Queria muito ver a bruxa da floresta real mais de perto.
    Também acho estranho que Return to Roanoke seja exibido com toda aquela violência, a não ser que tbm seja um programa, e tanto My Roanoke Nightmare quanto Return to Roanoke sejam encenações (a Shelby real não seria a verdadeira, nem o Matt, nem a Lee, seriam atores tbm).
    Mas vamos esperar o finale com a rainha Lana Winters ❤
    Adorei a Sophie (minha personagem favorita da Taissa).
    Como Lee matou o Mason? Como ela pendurou ele naquele lugar? Ela teve ajuda? Tava possuída? Acho estranho. Mas no final Monet e Shelby estavam certas em desconfiar dela.

    • Vine

      Eu acho que a Lee pode ter matado só mas a fastamaiada toda que armou aquele circo com o corpo. Que nem com o Rory, que foi parar na árvore e os Polks negaram terem sido os autores.

      • Marcos Bastos

        Verdade, eu não tinha pensado nisso

    • Wendell Donizeti

      Como já comentaram em alguma review dessa temporada é BEM provável que nenhum fantasma fosse mostrado de perto depois da virada, principalmente a bruxa da floresta que deve retornar em outra temporada e ainda não deve ter uma atriz escalada para vive-la.

      • Marcos Bastos

        Verdade, eu tinha me esquecido que ela foi confirmada como a suprema original. Vi boatos de que era a Alexandra Daddario, mas como Return to Roanoke ja acabou, e ela nao apareceu, acho que não era verdade.

  • Gabriel

    Essa foi a melhor temporada de todas, sem dúvidas. Eu não sou capaz de descrevê-lá, tirando que esse episódio acabou comigo. Desde a 2° temporada eu não me sentia tão focado em AHS. Finalmente Asylum, que era sim a melhor para mim, saiu de seu posto.

  • Ubirajara Júnior Do Carmo

    Só queria dizer que odeio a Lee da época que ela era mãe da Tara. Mas amei que ela ficou viva. Perfeito.

    • henriquehaddefinir

      hahhhahaah

  • The Blair Witch sempre foi meu filme de terror favorito e amei demais esse episódio. Está nos meus favoritos de AHS com toda certeza. Coisa linda.
    Amei a review.

  • Cleverson

    Essa temporada não tem como escolher um episódio perfeito, pois tudo foi perfeito. A proposta do horror, homenagem a Bruxa de Blair (sim, o novo é ótimo). Quase no fim do episódio 9 eu achei que a personagem de Sarah ia sobreviver, mas aquela virada foi fantástica. Esperando ansiosamente esse finale.

  • Junito Hartley

    Mesmo se o ultimo episodio for ruim essa temporada ja é a melhor da historia da serie, seguida de murder house e asylum. Essa temporada nao teve um episodio ruim!

  • Igor Fernando

    Espero que não caguem tudo no último episódio

  • Eduardo

    E o interessante será o final de Roanoke “repetir” o final de Asylum – Lana Winters confrontando uma “assassina”. Quem é a “final girl” da porra toda??? Kkkk
    E, gente, Sarah Paulson em Hotel está tão (morta)viva quanto Lady Gaga, Angela Bassett… e até mesmo as turistas suecas. É diferente do que houve com Queenie e os vampirinhos nas mãos de Ms. Basset. E de Audrey nesta season. Ponto. Vamos pensar na finale?

    • André

      Mas a Ramona continuou viva de fato. Ela pode sair do Hotel a hora que quiser.
      A Condessa e a Sally morreram e vâo ficar presas la pra sempre.
      As sobreviventes de Hotel foram Alex,Ramona e a Iris

      • Eduardo

        Depende do que se considera “vivo” em Hotel. A “final girl” HUMANA dessa temporada é a filha de Alex (preguiça de lembrar o nome da menina), que envelheceu normalmente enquanto seus pais e o irmão viraram fantasmas. Mesmo Alex, Ramona e Iris estão “mortas-vivas” e “presas voluntariamente” no Cortez. Eu coloco Sally e as fantasmas no mesmo patamar (vivas no mundo do hotel), e acho que foi isso que o Henrique quis dizer sobre Audrey em Roanoke. Até chegar o capítulo 10, a personagem de Sarah Paulson morreu, e Lana Winters é outra história – não é o contexto de Sally e Billie Jean em ACS 5.

        • henriquehaddefinir

          Grande Eduardo, é isso aí mesmo.

  • dilds

    “Aqueles intestinos sendo puxados para fora com Dylan ainda vivo vão ficar nos meus pesadelos para todo o sempre. Só de pensar eu chego a sentir um calafrio.”

    Quando eu falo de extremo mesmo, eu falo sobre coisas como “Cannibal Holocaust”, ou “A Invasora”…alias Cannibal Holocaust nem vale citar, pq eh um filme que se vale de snuff MESMO (o que eu acho uma bosta).

    AHS tem gore, mas tem limites. Eles não tiveram a audácia de mostrar, de fato, a estaca perfurando o reto da Taissa e do amigo dela, só deixaram sugerido. Como a gente viu nesse episodio, a serie conhece bem o publico que tem.

    Eu não acho esses limites ruins de forma alguma, porem. Ruim eu acho a hipocrisia descabida que existe da própria FX com nudez hehe. Mas isso são outros quinhentos.

    • Jaime Guimarães

      Cannibal Holocaust tem “Snuff MESMO”? Onde? Você se refere aos animais?

      Ps: A Invasora <3

      • dilds

        Sim

        • Jaime Guimarães

          Concordo, a morte de animais é brutal em filmes do gênero. Infelizmente era muito usado na época. Mas em se tratando de violência “humana”, Holocausto Canibal é muito é besta(Tá, a cena da índia empalada é chocante – até você saber como foi feito). AHS é muito mais violenta, na minha opinião. A cena do empalamento do EP 9 realmente poderia ser mais gráfica.

      • Eduardo

        A invasora!!! Beatrice Dalle em seu estado normal!!!! Kkkk Murphy deveria chamá-la pra ACS7…

  • Rodrigo Tannuri

    Que temporada é essa, meus amigos?!?! Eu, particularmente, não curti a ideia da Lee ser a única sobrevivente. Espero que o Ryan não esqueça de puni-la na season finale. Se cada episódio é melhor que o anterior, o último será mítico! Aguardando ansiosamente 🙂

    • ♚ Lena

      Lee já não foi suficientemente punida? Perdeu emprego, marido, filhas, irmão, orelha… Sobreviveu duas vezes ao pesadelo! Ta-di-nha!

  • ana

    Gente,Dylan levou umas facadas dos Polk,foi pego pelos Outros,se ferrou mais ainda,e tava vivo ainda quando arrancaram suas tripas.
    Caralho

  • Fabi Alves

    mais uma review maravilhosa dessa temporada maravidaa

    • henriquehaddefinir

      Beijo, sua linda.

  • João Carlos

    Essa finale seria sensacional

  • Bruno

    No episódio 6 eu detestei a Audrey e no decorrer dos episódios foi me conquistando e após Lee confessar os assassinatos achei que ela seria a sobrevivente.

    Li em algum lugar que a Adina Porter não foi pré indicada pelos produtores pra concorrer ao Emmy e que o Wes Bentley e o Evan Peters foram! Como assim??? Alguém sabe se essa informação procede?