UnREAL 2×10: Friendly Fire [Season Finale]

A família disfuncional mais assustadora da TV americana

31
407

Famílias malucas e desestruturadas são um prato cheio para o mundo dos realities. Mas os Osbournes, os Kardashians, os Trumps e os Casayas não devem absolutamente nada à família UnReal, que é, com perdão pelo trocadilho infame, um carro completamente desgovernado, pra não dizer o mínimo.

O problema de estarmos tratando de uma família tão disfuncional é que a bagunça dos personagens começa a se propagar pela série e a transformar a própria UnREAL em uma loucura absurda.

A começar pela redenção instantânea de Jeremy, que claramente consegue ser um personagem chato e desinteressante independentemente de que lado da briga ele está. Contra Rachel é um cara violento, bêbado e abusador de mulheres; a favor de Rachel, ele se torna depressivo, cego, capacho e apagado. A transição repentina entre os dois estados, entre a vontade de destruir Everlasting e de salvá-la depois da informação que tem a ver apenas com Rachel (e que não faz sentido nenhum alguém inteligente como Coleman revelar, aumentando assim a chance de alguém ter pena da moça) também não ajuda nada e soa apenas como conveniência.

É claro que nenhum espectador de UnREAL é insano suficiente pra realmente querer ver Quinn e Rachel na cadeia – ou acreditar que isso pudesse acontecer -, mas me incomodou a forçada que a série deu pra tirá-las da confusão. Primeiramente, qualquer perícia identifica facilmente que os freios do carro foram cortados ou qualquer sabotagem do tipo, que é a única coisa que Jeremy pode ter feito. Segundamente, uma repórter está lá investigando pra descobrir os podres de Everlasting numa matéria chamada reality kills. Ela não teria como fazer isso sem algum editor de veículo saber, nenhuma jornalista acorda lokíssima e faz isso sem contar pra absolutamente ninguém. Aí alguém vai lá e sabota o carro dela. Qual é a chance de a repercussão disso ser zero?

Por último, o meu maior medo: não sei o que seria mais lamentável, a série simplesmente colocar mais dois cadáveres por conta do reality ou o fato de não ter havido revelação do estado das vítimas. Eu entendo que o objetivo de Sarah Gertrude Shapiro é vilanizar ao máximo esse tipo de show, mas daí a transformar as pessoas em serial killers começa a ficar chato – e fácil – demais, né? Agora, imagina se UnREAL põe em prática a maior cartilha dos novelões: Yael ou Coleman (provavelmente ele, que aliás, sofreu a desconstrução mais relâmpago e maravilhosa com a informação de que ele forjou seu documentário premiado) sobreviveu. Mas, é claro, ficou em coma. Ou com amnésia. E vai ficar na geladeira com essa bomba prestes a estourar no momento mais conveniente pra dar uma dorzinha de cabeça para as protagonistas. PAH! Sdds, Revenge.

Mais conveniente que tudo isso só mesmo Quinn entrando e falando “então, vamos confiscar todas as provas contra a gente e ainda por cima deletar todas as cópias e tirar da internet tudo o que você tiver armazenado na nuvem”. A Globo toda-poderosa aqui morrendo de dificuldade de bloquear os vídeos espelhados da sua programação do YouTube e uma emissora mequetrefe cujo carro-chefe durante 15 anos é The Bachelor consegue apagar para sempre da internet tudo o que bem quiser.

Pra não dizerem que estou mais mal amado do que todas as participantes de Everlasting, o final do reality em si eu achei redondinho e uma graça! Foi imprevisível até certo ponto, porque eu não esperava que Ruby fosse ressurgir àquela altura do campeonato, e, mesmo onde foi previsível, como o momento em que ela recusa o pedido de casamento, tudo foi fechado de maneira coerente e bonita de ver.

Ainda que tenha faltado um pouco de carisma, Darius foi um príncipe muito melhor do que Adam, que estava lá mais para ser galãzinho e Malhação do que para de fato deixar Everlasting interessante. E tanto ele como Ruby me conquistaram suficiente para eu torcer pelo final feliz que veio. Não estamos acostumados a ver a equipe do show fazendo algo de bom, então esse fim não deixa de ser um blindside.

E a melhor parte foi ver as duas sonsas se ferrando no final, porque nenhuma merecia vencer mesmo. Não foi por acaso que a série nos fez achá-las tão sem graça, tínhamos que saborear o momento em que ambas saem derrotadas e agora tudo faz sentido. Em termos de como as temporadas de Everlasting estão terminando, UnREAL até agora só fez bonito.

Infelizmente, não podemos dizer o mesmo sobre as questões que envolveram o elenco fixo da série em si. Tudo se desenrolou de uma forma forçada demais e a solução foi relativamente mais fácil do que deveria. Foi ótimo ver o grupo no olho do furacão e diante de uma ameaça tão forte, mas não se deve criar uma ameaça tão grande se não há um bom planejamento da forma como ela será superada. Além de tudo, Chet e Jeremy saem da temporada como heróis e pessoas para quem a série quer que torçamos, só que eu não sou obrigado. Preferiria os dois, especialmente Jeremy, no carro no lugar de Coleman e Yael.

Quinn e Rachel, por sua vez, saem unidas e empoderadas, e isso é ótimo, mas sabemos que no máximo no episódio 3×02 elas já estarão em pé de guerra novamente, o que também adoro. Fica a torcida para que ambas tenham dado de vez seu grito de independência dos homens, porque elas são melhores do que foram nesta season 2. Agora é esperar a próxima temporada e ver as presepadas que as duas ainda armarão. Everlasting em versão LGBT, necessário ou obrigatório? Dedos cruzados! Muito obrigado a todos os que acompanharam a cobertura e até o ano que vem!

  • Ray Kiefer

    AMEI ESSA REVIEW.

    Só costumo ler quando tô em dia, então, my bad. Gutinho, concordo com tudo que disse. Achei que houveram muitos pulos do gato, mas aceitei.
    A Ruby aparecendo foi uma felicidade enooorme pra mim, tava torcendo por aquilo!

    Everlasting LGBT? Será? Se for quero um príncipe bi, pq sim.

    • Um príncipe bi que tem 5 homens e 5 mulheres para escolher seria SENSACIONAL!!!! Quero Ray pra SR já!

  • Ray Kiefer

    AMEI ESSA REVIEW.

    Só costumo ler quando tô em dia, então, my bad. Gutinho, concordo com tudo que disse. Achei que houveram muitos pulos do gato, mas aceitei.
    A Ruby aparecendo foi uma felicidade enooorme pra mim, tava torcendo por aquilo!

    Everlasting LGBT? Será? Se for quero um príncipe bi, pq sim.

    • Um príncipe bi que tem 5 homens e 5 mulheres para escolher seria SENSACIONAL!!!! Quero Ray pra SR já!

  • Bruna Sgrillo

    Também achei a resolução do caso Coleman meio ruim, achei que iam descobrir um super podre dele e da Yael e abafar tudo, achei o acidente um desfecho bem preguiçoso. Porém amei ver Ruby de novo <3 E que venha a season 3!

  • Bruna Sgrillo

    Também achei a resolução do caso Coleman meio ruim, achei que iam descobrir um super podre dele e da Yael e abafar tudo, achei o acidente um desfecho bem preguiçoso. Porém amei ver Ruby de novo <3 E que venha a season 3!

  • Rafael

    Gostei da temporada 1, mas essa me pareceu bem tosca do início ao fim. Personagens mal trabalhados, situações sem nexo, resoluções forçadas, maldade / desumanidade extremamente exagerada, e por aí vai…

  • Rafael

    Gostei da temporada 1, mas essa me pareceu bem tosca do início ao fim. Personagens mal trabalhados, situações sem nexo, resoluções forçadas, maldade / desumanidade extremamente exagerada, e por aí vai…

  • Juliano Guilherme

    Um príncipe para o príncipe seria o máximo… kkkk

  • Juliano Guilherme

    Um príncipe para o príncipe seria o máximo… kkkk

  • PAH! Sdds, Revenge. ²
    Odiei esse esquema de mata mais um na série. Mas o final trouxe tantas surpresas que vou tentar ignorar o fato de ter outra pessoa morrendo por conta do reality. Prefiro alguém se cagando, sendo manipulado, fazendo a louca, desenvolvendo traumas do que morrendo. (Isso pode soar meio dark mas eu sou do bem)
    Ruby <3
    O season finale foi tão legal que até Jeremy e Chet foram suportaveis e já estão diminuindo a diferença do Jay de personagem mas chato da série.
    Também pensei no Everlasting em versão LGBT. É minha aposta para a inovação da série.
    Excelente trabalho com essa cobertura maravilhosa de Unreal, Guto!

  • PAH! Sdds, Revenge. ²
    Odiei esse esquema de mata mais um na série. Mas o final trouxe tantas surpresas que vou tentar ignorar o fato de ter outra pessoa morrendo por conta do reality. Prefiro alguém se cagando, sendo manipulado, fazendo a louca, desenvolvendo traumas do que morrendo. (Isso pode soar meio dark mas eu sou do bem)
    Ruby <3
    O season finale foi tão legal que até Jeremy e Chet foram suportaveis e já estão diminuindo a diferença do Jay de personagem mas chato da série.
    Também pensei no Everlasting em versão LGBT. É minha aposta para a inovação da série.
    Excelente trabalho com essa cobertura maravilhosa de Unreal, Guto!

  • Eu reclamei muito na primeira temporada, quando a morte da Mary foi resolvida de forma rápida e simples, mas aí veio a segunda temporada e mostrou que o maior problema que o grupo enfrentou foi justamente continuar encobrindo essa morte ao longo dos dias. Acho que sim, foi uma solução simples caportar o carro do Coleman, mas, não vimos resolução, só um cliffhanger de final de temporada pra dar aquela ansiedade. Tenho plena certeza que isso ainda vai dar um problema gigantesco, tanto a forma que foi feito, porca e inusitada pelo Jeremy, quanto as pontas soltas que os personagens deixaram pra trás. Tem muito pano ainda.

  • Eu reclamei muito na primeira temporada, quando a morte da Mary foi resolvida de forma rápida e simples, mas aí veio a segunda temporada e mostrou que o maior problema que o grupo enfrentou foi justamente continuar encobrindo essa morte ao longo dos dias. Acho que sim, foi uma solução simples caportar o carro do Coleman, mas, não vimos resolução, só um cliffhanger de final de temporada pra dar aquela ansiedade. Tenho plena certeza que isso ainda vai dar um problema gigantesco, tanto a forma que foi feito, porca e inusitada pelo Jeremy, quanto as pontas soltas que os personagens deixaram pra trás. Tem muito pano ainda.

  • Taígo

    O final foi bom, mas não foi o final que a temporada merecia. Praticamente transformaram o personagem Coleman em outro e a solução que do Jeremy para o problema foi bem óbvia, deu para adivinhar facilmente ao longo do episódio.Como o review também disse, qualquer perito pode descobrir que houve alguma sabotagem nos freios, foras o editor da Yael também saber sobre a matéria.
    Na temporada passada teve uma morte, nessa pode ter mais duas, isso vai virar um show de serial killers ?
    Nossa, um Everlesting LGBT seria tudo, eu não como o programa “mãe” The Bachelor com suas 20 temporadas e o the Bachalerotte com suas 12 ainda não pensaram nisso ( nunca assiste nenhum dos dois,botei no google).Até no Brasil, um país muito mais homofóbico, já teve algo parecido naquele programa lixo da Adriane Galsiteu.

  • Taígo

    O final foi bom, mas não foi o final que a temporada merecia. Praticamente transformaram o personagem Coleman em outro e a solução do Jeremy para o problema foi bem óbvia, deu para adivinhar facilmente ao longo do episódio que ele iria fazer algo assim.Como o review também disse, qualquer perito meia-boca pode descobrir que houve alguma sabotagem nos freios, foras o editor da Yael que com certeza também deve saber sobre a matéria.
    Na temporada passada teve uma morte, nessa pode ter mais duas, isso vai virar um show de serial killers ?
    Nossa, um Everlesting LGBT seria tudo de bom, eu não si como o programa “mãe” The Bachelor com suas 20 temporadas e o the Bachalerotte com suas 12 ainda não pensaram nisso ( nunca assisti nenhum dos dois,botei no google).Até no Brasil, um país muito mais homofóbico, já teve algo parecido naquele programa lixo apresentado pela Adriane Galisteu.

  • Aécio

    Não podia concordar mais com a review Guto, essa resolução da trama do Coleman e da Yael, em 2 minutos de cena, foi a coisa mais mal feita do mundo. Pra mim esse plot poderia ter começado lá pelo episódio 5 ou 6 e ser melhor desenvolvido, mas da forma como aconteceu foi tudo muito corrido e desesperador. E não sei o que foi pior, os ataques de bipolaridade do Jeremy (que devia ter sumido definitivamente da série – aliás qual o motivo pro Coleman ir ter buscado ele no bar, se nem se preocupou em levar ele no carro? Pois é…) ou os quatro encarando um assassinato como a tranquilidade, como se fosse um problema ao nível de uma unha encravada.

    Essa temporada pra mim foi bem irregular, e um pouco abaixo da primeira, mas não chega a ser ruim. Teve momentos excelentes (Quinn ensinando Madison a produzir tv e ela sugerindo convidar a vó doente da Chantal – como não amar?), mas não alcançou as expectativas. Muitas saídas de roteiro preguiçosas e mal feitas, mas nada que uma terceira temporada não resolva. Jeremy e Chet podem sair da série tranquilamente, e podem levar Jay junto. Já estou saturado dos ataques de bom mocismo dele. Amigo, sério que depois de anos trabalhando nesse reality você vai dar um ataque de consciência agora?

    Até a season 3!

  • Aécio

    Não podia concordar mais com a review Guto, essa resolução da trama do Coleman e da Yael, em 2 minutos de cena, foi a coisa mais mal feita do mundo. Pra mim esse plot poderia ter começado lá pelo episódio 5 ou 6 e ser melhor desenvolvido, mas da forma como aconteceu foi tudo muito corrido e desesperador. E não sei o que foi pior, os ataques de bipolaridade do Jeremy (que devia ter sumido definitivamente da série – aliás qual o motivo pro Coleman ir ter buscado ele no bar, se nem se preocupou em levar ele no carro? Pois é…) ou os quatro encarando um assassinato como a tranquilidade, como se fosse um problema ao nível de uma unha encravada.

    Essa temporada pra mim foi bem irregular, e um pouco abaixo da primeira, mas não chega a ser ruim. Teve momentos excelentes (Quinn ensinando Madison a produzir tv e ela sugerindo convidar a vó doente da Chantal – como não amar?), mas não alcançou as expectativas. Muitas saídas de roteiro preguiçosas e mal feitas, mas nada que uma terceira temporada não resolva. Jeremy e Chet podem sair da série tranquilamente, e podem levar Jay junto. Já estou saturado dos ataques de bom mocismo dele. Amigo, sério que depois de anos trabalhando nesse reality você vai dar um ataque de consciência agora?

    Até a season 3!

  • diogopacheco

    Guto, parabéns por mais uma excelente cobertura, eu nem sempre concordo com vc se tratando de UnReal mas gosto muito de ver a sua opinião e concordei bastante com esta análise do final de temporada.

    A série, na minha visão, cai na armadilha de querer fazer algo sempre maior e as “desculpas” para isso soam cada vez mais forçadas. Prefiriria uma temporada mais contida, quando td é homicídio, escandalo e tal fica meio demais para mim. Acho que o reality poderia ser mais foco e diferente de vc não gostei de Daryus não. Ele terminar com Ruby para mim tava bem na cara, eles só não ficaram juntos antes pq era meio de temporada e precisavam de mais plot twists.

    Acho que Unreal é uma série que diverte bastante ainda, mas precisa tomar cuidado com os exageros e absurdos. Alguns plots cretinos é fácil de aguentar mas mta coisa assim enjoa rápido. Não poderia concordar mais em relação a Jeremy e Chet.

    PS: Amei a referência à Casaya.

  • diogopacheco

    Guto, parabéns por mais uma excelente cobertura, eu nem sempre concordo com vc se tratando de UnReal mas gosto muito de ver a sua opinião e concordei bastante com esta análise do final de temporada.

    A série, na minha visão, cai na armadilha de querer fazer algo sempre maior e as “desculpas” para isso soam cada vez mais forçadas. Prefiriria uma temporada mais contida, quando td é homicídio, escandalo e tal fica meio demais para mim. Acho que o reality poderia ser mais foco e diferente de vc não gostei de Daryus não. Ele terminar com Ruby para mim tava bem na cara, eles só não ficaram juntos antes pq era meio de temporada e precisavam de mais plot twists.

    Acho que Unreal é uma série que diverte bastante ainda, mas precisa tomar cuidado com os exageros e absurdos. Alguns plots cretinos é fácil de aguentar mas mta coisa assim enjoa rápido. Não poderia concordar mais em relação a Jeremy e Chet.

    PS: Amei a referência à Casaya.

  • Jackson Douglas

    Concordo completamente que o final foi fácil demais e Jeremy e suas reviravoltas me fazem perder a paciência, mas o casal real de verdade foi demais e surpreendente. Parabéns pela review, sempre sensacionais, ansioso pelo ano que vem . LGBT please!

  • Jackson Douglas

    Concordo completamente que o final foi fácil demais e Jeremy e suas reviravoltas me fazem perder a paciência, mas o casal real de verdade foi demais e surpreendente. Parabéns pela review, sempre sensacionais, ansioso pelo ano que vem . LGBT please!

  • Anderson Luis

    Eu gostei da finale mas foi mais pelo final de Everlasting que foi muito bom e surpreso do que o rolo com o Coleman e Yael. Espero que isso dê muita dor de cabeça pra eles por que aquele acidente foi bem mal feito e é fácil ligar os pontos. Só não me venham com um desses plot novelão que você sugeriu kkkk Sdds Revenge ³
    Por favor, sem Chet e Jeremy na próxima temporada pois já deu né? E chega de Jay de mimimi também.
    Super quero um Everlasting LGBT!

  • Anderson Luis

    Eu gostei da finale mas foi mais pelo final de Everlasting que foi muito bom e surpreso do que o rolo com o Coleman e Yael. Espero que isso dê muita dor de cabeça pra eles por que aquele acidente foi bem mal feito e é fácil ligar os pontos. Só não me venham com um desses plot novelão que você sugeriu kkkk Sdds Revenge ³
    Por favor, sem Chet e Jeremy na próxima temporada pois já deu né? E chega de Jay de mimimi também.
    Super quero um Everlasting LGBT!

  • henriquehaddefinir

    Luiz, eu concordo com TUDINHO que você falou e também me incomodei muito com a coisa do acidente. Porém, além de não termos visto corpo, também não vimos Jeremy dizer exatamente que foi ele quem fez aquilo. Então, há uma possibilidade de que tenha sido uma feliz coincidência para Quinn e Rachel, o que continua sendo fácil, mas que fere menos a integridade da série. Acho que UnReal perdeu muito de sua elegância nessa temporada e isso afasta público e reconhecimento, o que é uma pena.
    Mas, ano que vem estou aqui. Lindo!

  • henriquehaddefinir

    Luiz, eu concordo com TUDINHO que você falou e também me incomodei muito com a coisa do acidente. Porém, além de não termos visto corpo, também não vimos Jeremy dizer exatamente que foi ele quem fez aquilo. Então, há uma possibilidade de que tenha sido uma feliz coincidência para Quinn e Rachel, o que continua sendo fácil, mas que fere menos a integridade da série. Acho que UnReal perdeu muito de sua elegância nessa temporada e isso afasta público e reconhecimento, o que é uma pena.
    Mas, ano que vem estou aqui. Lindo!

  • VALERIANA BARROS

    “PAH! Sdds, Revenge.” +1

  • VALERIANA BARROS

    “PAH! Sdds, Revenge.” +1

  • unrenan

    Esperava por uma outra solução para calar Yael e Coleman, mais duas mortes por causa do programa deixou um gosto amargo. Massssss sinto que Quinn e Rachel vão mudar a forma que fazem o programa, sem deixar de serem deliciosamente cruéis. Zimmer e Shiri são donas desse show, poderosas na atuação. Queria que Jeremy e Cher desaparecessem, não creio q vou ter q engolir esses dois mais uma temporada.
    Um ponto positivo nessa bagaça toda é a evolução da Madison, ela tem tudo pra ser uma maravilhosa produtora na next season.
    PRETENDENTE LGBT QUERO MUITO!!

  • unrenan

    Esperava por uma outra solução para calar Yael e Coleman, mais duas mortes por causa do programa deixou um gosto amargo. Massssss sinto que Quinn e Rachel vão mudar a forma que fazem o programa, sem deixar de serem deliciosamente cruéis. Zimmer e Shiri são donas desse show, poderosas na atuação. Queria que Jeremy e Cher desaparecessem, não creio q vou ter q engolir esses dois mais uma temporada.
    Um ponto positivo nessa bagaça toda é a evolução da Madison, ela tem tudo pra ser uma maravilhosa produtora na next season.
    PRETENDENTE LGBT QUERO MUITO!!

  • Walber Lima

    Mesmo atrasado, terminei hoje, quero deixar o meu descontentamento com a série. Guto suas reviews são fantásticas e foram elas que me fez assistir essa série e meio que me arrependi, foi sofrida essa temporada e nem achei a 1 temporada tão boa. Teve momentos bons mas essa finale foi de cortar os pulsos de ruim. O plot de Quinn e do bebê foi sem nexo, aliás peguei birra da personagem, assim como Victoria Grayson (ai que saudades de Revenge rsrs) eu odeio ela ao contrário da maioria que adora, aquelas tiradas contra o Graham que ela faz toda hora me incomodava.

    A saída novelesca era esperada, e ainda mostraram eles andando no carro e etc, bem novela mesmo. A mudança de personalidade repentina do Coleman, o chatissimo do Jeremy voltando. Foi tudo mt ruim. Eu queria que a Rachel e principalmente a Quinn se fudessem, não torço por elas depois do que fizeram na temporada.

    Por fim, acho o Everlasting bem boooooooring, não sei como alguem gosta de ver o The Bachelor, se tivesse um LGBT ou com um cara BI seria bom demais. Talvez volte para o piloto da season 3, ou irei acompanhar so as reviews aq. 🙂