UnREAL 2×05/06: Infiltration/Casualty

34
183

Total blindside!!!!

UnREAL fez de novo. Investiu todo o seu tempo em uma personagem, conectou-nos emocionalmente a ela, levou todos a acreditar que ainda havia uma longa história a ser contada e uma longa jornada em Everlasting, apenas para, no episódio seguinte, livrar-se dela da maneira mais cruel possível. Sim, amigos, a trajetória de Ruby, que tinha toda a pinta de ser a grande protagonista da temporada do reality show, acabou na metade da temporada de maneira bastante surpreendente.

E até eu, que ainda não havia embarcado 100% na ideia de que ela era a pessoa mais maravilhosa para se torcer, fiquei realmente chocado e muito sentido com essa eliminação. Ruby era uma personagem e tanto, uma mulher e tanto, a única do elenco da temporada que nos fazia realmente sentir que havia uma vencedora digna – se é que alguma mulher é digna de ser vencedora desse circo (“We’re all too smart for this”, já diria nossa sábia).

Entretanto, o foco em Ruby foi simplesmente maravilhoso, e toda a construção de sua trajetória e da história da sua eliminação foi realmente cativante. Fiquei muito mal ao ver uma relação de pai e filha sendo exposta daquela forma, e, embora tenha achado o motivo de Darius para eliminá-la até compreensível, dá uma certa raiva de ver uma pessoa se recusando a ser um homem melhor nesta vida.

Mas impossível de defender mesmo está Jay, cujo moralismo seletivo é desligado quando se trata de manter as câmeras na transa de Ruby para tentar dar um up na própria carreira depois de ser manipulado por Quinn, mas quando é conveniente inflama o produtor para cima de Rachel para dizer “I trusted you!!!” no momento em que a merda que o próprio fez estoura na cara dele. Estamos diante de um personagem mal trabalhado e sem pé nem cabeça, cujo comportamento vem e vai de acordo com a necessidade do roteiro da série. Terrível!

Agora, vamos falar de coisa boa? Vamos falar de glamour? Amei a ideia de colocar nossos personagens para ir ao Impact Awards do início ao fim, desde o momento em que vi Quinn experimentando aquele vestido azul-celeste HORROROSO (fiquei aliviado quando ela chegou arrasando na indumentária na hora H) até toda a questão da importância de puxar o saco das pessoas certas nessa indústria.

Sinto um certo incômodo ao perceber que UnREAL tem batido demais na tecla de que mulheres crescem nesse mercado quando dormem com os homens certos. Entendo que é uma realidade, mas gostaria que a série tentasse abordar isso de uma maneira mais claramente crítica para não dar margem à interpretação de que isso é ok, por mais que os homens em questão (Coleman, para Rachel, e o Sr. Fantástico ou marido da Shivon em Ringer, para Quinn) sejam extremamente dormíveis – e um baita upgrade quando comparamos às suas contrapartes, Jeremy e Chet.

E já que tocamos no assunto, vamos falar de Jeremy e Chet, que, como sempre, me deram sono e tédio durante todo o episódio, até chegar à fortíssima cena da violência contra a mulher. Foi um dos momentos mais fortes e assustadores da série, e uma das poucas vezes em que eu realmente senti pena de Rachel – cheguei a achar que a moça seria estuprada e fiquei bastante agoniado! Ela pode ter moral questionável quando se trata de produzir o show,, mas ver um imbecil daqueles fazendo aquilo com ela é muito doloroso. Até suspeitei de que tudo pudesse ser um plano de Chet para tentar cair nas graças das garotas novamente, mas logo descartei essa ideia. Na verdade, foi tudo um plano das showrunners de UnREAL para tentar fazer Chet brilhar um pouco aos nossos olhos. E não vou mentir, mesmo que seja só um pouquinho, acabou dando certo.

2×06: Casualty

vlcsnap-2016-07-18-12h05m57s0

Começamos o episódio seguinte exatamente onde paramos, e foi muito inteligente a maneira como a série justificou o silêncio de Rachel diante do abuso sofrido. Logo de cara, ela disse o que todos precisávamos ouvir “não serei mais uma mulher que sofre esse tipo de abuso em silêncio!” Mas, quando se trata de Everlasting, os ideias da protagonista sempre ficam em segundo plano, e sabemos bem disso. Prejudicar o show não é algo que ela teria coragem de fazer, e Jeremy é um inimigo muito perigoso nesse sentido. Doeu ver a importância de Rachel, como dói ver a impotência de muitas mulheres que sofrem esse tipo de abuso. E foi essa dor que tornou a trama tão incrível.

O fato de Coleman ter que ser guiado por Quinn para entender o que estava acontecendo e o fato de ele tentar remar contra a maré para que Jeremy fosse denunciado só enfatizam a sensação de peixe fora d’água do personagem em Everlasting, e essa sensação precisava ser trazida a nós para intensificar o acontecimento baphônico do final do episódio. Mas depois falamos novamente sobre isso.

É claro que, quando as coisas vão mal para Rachel, quem sofre são as meninas do elenco. E, no caso do episódio em questão, sobrou para Beth Ann, uma personagem que nem de longe me incomodou tanto quanto deveria ter incomodado diante do alarde feito sobre ela no início da temporada. Foi bastante interessante ver a frustração de Coleman e Rachel ao chegarem ao Alabama e darem de cara com pessoas legais e receptivas. “Aquele biquíni não veio do nada, cadê o tio racista bêbado? Cadê a KKK?”, melhor quote.

No fim das contas, é assustador demais ver Rachel delirando com o sofrimento de Beth Ann e de toda a sua família. Parece um prazer patológico. A ideia de brincar de se Deus e fazer as coisas acontecerem (“We don’t make it up, we make it happen!”, já dizia a sábia rainha Quinn) pode ser extremamente tóxica, principalmente para alguém que precisa escapar da realidade traumática que acabou de acontecer em sua vida pessoal, mas a cena em que o caos domina a casa da moça enquanto ela, grávida, chora desesperadamente ao fundo e Rachel pula no colo de Coleman transbordando felicidade é uma das coisas mais perturbadoras que UnREAL nos proporcionou. E a expressão decepcionada no rosto de Coleman ao perceber com quem ele se envolveu nos ajuda bastante a compreender o quão intencional é esse nosso incômodo.

Particularmente, me incomoda muito o fato de esses dois episódios terem eliminado justamente os dois principais pilares de sustentação de Everlasting, Ruby e Beth Ann. Nenhuma das quatro competidores restantes me deixa animado, e a esta altura estamos mais para The Voice do que para The Bachelor. Estou mais preocupado em saber se quem vencerá a temporada será o Team Maddison (Chantal e Yael) ou o Team Jay (Tiffany e Jameson) e não estou mais nem aí para as participantes.

A grande questão agora é o retorno de Adam Cromwell, o príncipe da temporada passada que rendeu tantas ovulações no público que Sarah Gertrude Shapiro decidiu chamar para voltar nesta reta final da season 2. Ainda não decidi o que pensar sobre isso, e não consegui ficar realmente animado. Parte disso vem do fato de que as notícias sobre o retorno de Freddie Strohma já haviam pipocado desde antes da premiere, então estávamos só esperando o que ia fazê-lo voltar e isso minimizou totalmente o impacto desse retorno.

A questão agora é: será que Quinn finalmente conseguirá o que quer e derrubará Coleman (e a influência dele sobre Rachel) para voltar a ter o controle sobre o seu show, ou a nova relação dos dois é forte suficiente para resistir a esse plano? Algo me diz que, no fim das contas, Rachel vai acabar é sem nenhum deles e na mão de Quinn novamente, mas vamos ter que esperar pra ver.

Apesar das perdas inestimáveis e dos questionáveis ganhos no elenco que devem mudar o foco da série a partir de agora, tanto Infiltration como Casualty foram excelentes episódios, justamente por manterem o foco nas duas melhores participantes da temporada. Confio em UnREAL, mas estou curioso pra ver como a série se sustentará sem esses dois nomes a partir de agora. Será que a chegada de Adam Cromwell vai tirar de vez o foco em Everlasting e nos deixar só com a vida e Rachel mesmo? Espero que não, e espero que isso seja apenas uma nuvem passageira na temporada e que logo o bonitão faça as malas e volte para a Inglaterra.

Secret scenes:

– Estou chocado que Jameson está no Top4 com o total de UMA CENA com falas ao longo de toda a temporada. UnREAL veio tão fiel aos realities que se preocupou até em botar uma planta no elenco, que não é eliminada nunca mas uma semana depois do fim do reality todo mundo já esqueceu, o tipo de participante presente na maioria dos shows do tipo.

– Beth Ann foi eliminada, mas levou o príncipe negro para o Alabama, conforme John havia pedido. Interessante como um simples comentário numa festa pode influenciar um show inteiro a depender de quem foi a pessoa que se manifestou. E, no fim das contas, foi interessante vê-la dizendo, antes de ser eliminada, que “chegou ao show com ideias meio ruins”. Foi bem discreto, mas foi uma tentativa agradável de UnREAL de mostrar que a evolução é possível.

– A história de Yael com Jeremy, graças aos céus, foi encerrada, mas ainda fica em aberto o  que ela andou roubando/bisbilhotando quando roubou a chave do câmera.

– Minha reação ao rompante repentino da psicóloga de querer dar conselhos amorosos a Quinn foi muito parecida com a da própria Quinn. WTF???

– O que Dominique estava fazendo na série? Ninguém sabe, ninguém viu. Até voltei no episódio 4 para ver se ela aparecia. Na eliminação final, Darius chama, nessa ordem: Ruby, Chantal, Tiffany, Jameson, Beth Ann e Yael. Seis meninas. Mas do nada aparece Dominique no episódio seguinte. Porém, eis que, numa imagem que dura cerca de meio segundo no episódio:

vlcsnap-2016-07-18-05h08m21s112
OLHA ELAAAAAAA!!!

  • Por mim o episódio 9 todo seria só as 4 najas jogando shade pra cima da outra no Espelho da Verdade.

    • Luiz GustavoCristino

      HAHAHAHAAH EU AMARIA ISSO, Dudu!!!

  • Por mim o episódio 9 todo seria só as 4 najas jogando shade pra cima da outra no Espelho da Verdade.

    • Luiz GustavoCristino

      HAHAHAHAAH EU AMARIA ISSO, Dudu!!!

  • janaína

    “marido da Shivon em Ringer” hahaha, menine, saudades de Ringer, de tão ruim que era, era ÓTIMA <3 hahah
    A eliminação da Ruby foi realmente chocante, mas será que ela ainda não pode fazer uma aparição no final da temporada? Quem sabe?!
    Enquanto isso Beth Ann também foi embora, e junto com ela todo o potencial do plot, que foi bastante sem gracinha né. A evolução dela foi muito fraca e só tivemos bons momentos por causa da trama da gravidez e ex namorado.

    A cena da agressão sofrida pela Rachel foi bastante tensa, também achei que o Jeremy iria tentar estrupa-la, e fiquei com muito dó da Rachel, principalmente por ela não ter podido denunciar Jeremy e pelas consequências emocionais trazidas pela situação. Não teve como não gostar de Chet nesse momento e depois quando demonstrou preocupação pela Rachel.

    Tenho minhas dúvidas sobre o Coleman, não sei se ela é manipulado ou se está manipulando Rachel e a todos se fazendo de manipulável. Será que ele gosta mesmo da Rachel?
    E o melhor para o final, o retorno de Adam <3 <3. Como sei que não estou só nesse shipp, vou demonstrar toda a minha empolgação com o retorno do personagem sim, hahuhua! Eu não sabia que o ator voltaria, ao contrário, achei que não, pois no IMDB não vi a participação dele, mas o fator surpresa se
    perdeu um pouco pois vi no Facebook oficial da série o retorno dele, ai ai ai <3

    Ah, como curiosidade… também vi lá no Face que a cena em que Quinn beija o marido da Shivon foi dirigida pela Shiri Appleby!!
    Obrigada pela review Guto 🙂

    • Luiz GustavoCristino

      Eu que agradeço pelo comentário, janaina! Tb achei a Beth Ann muito mal explorada, nao me conformo que ela foi descartada tão rápido com tantas whos ainda no show.

      Muito boa essa curiosidade de que a Shiri dirigiu a cena. O melhor dessas séries meio underground é que elas viram playground pros atores testarem essas coisas.

  • janaína

    “marido da Shivon em Ringer” hahaha, menine, saudades de Ringer, de tão ruim que era, era ÓTIMA <3 hahah
    A eliminação da Ruby foi realmente chocante, mas será que ela ainda não pode fazer uma aparição no final da temporada? Quem sabe?!
    Enquanto isso Beth Ann também foi embora, e junto com ela todo o potencial do plot, que foi bastante sem gracinha né. A evolução dela foi muito fraca e só tivemos bons momentos por causa da trama da gravidez e ex namorado.

    A cena da agressão sofrida pela Rachel foi bastante tensa, também achei que o Jeremy iria tentar estrupa-la, e fiquei com muito dó da Rachel, principalmente por ela não ter podido denunciar Jeremy e pelas consequências emocionais trazidas pela situação. Não teve como não gostar de Chet nesse momento e depois quando demonstrou preocupação pela Rachel.

    Tenho minhas dúvidas sobre o Coleman, não sei se ela é manipulado ou se está manipulando Rachel e a todos se fazendo de manipulável. Será que ele gosta mesmo da Rachel?
    E o melhor para o final, o retorno de Adam <3 <3. Como sei que não estou só nesse shipp, vou demonstrar toda a minha empolgação com o retorno do personagem sim, hahuhua! Eu não sabia que o ator voltaria, ao contrário, achei que não, pois no IMDB não vi a participação dele, mas o fator surpresa se
    perdeu um pouco pois vi no Facebook oficial da série o retorno dele, ai ai ai <3

    Ah, como curiosidade… também vi lá no Face que a cena em que Quinn beija o marido da Shivon foi dirigida pela Shiri Appleby!!
    Obrigada pela review Guto 🙂

    • Luiz GustavoCristino

      Eu que agradeço pelo comentário, janaina! Tb achei a Beth Ann muito mal explorada, nao me conformo que ela foi descartada tão rápido com tantas whos ainda no show.

      Muito boa essa curiosidade de que a Shiri dirigiu a cena. O melhor dessas séries meio underground é que elas viram playground pros atores testarem essas coisas.

  • Sempre lembrando que CONSTANCE ZIMMER INDICADA AO EMMY.

    • Luiz GustavoCristino

      DIVA RAINHA DA PORRA TODA QUE MERECE GANHAR APENAS! =D

  • Sempre lembrando que CONSTANCE ZIMMER INDICADA AO EMMY.

    • Luiz GustavoCristino

      DIVA RAINHA DA PORRA TODA QUE MERECE GANHAR APENAS! =D

  • Juliano Guilherme

    Ai UnREAL, sua linda…. pq vc não é da Netflix pra vir todos os episódios de uma vez… ? E a propósito, como está a audiência da série? Já teremos a Season 3 ou não?

    • unrenan

      Já foi confirmado a season 3

    • Luiz GustavoCristino

      O LifeTime deu um close certíssimo e renovou a série pra Season 3 na semana em que a season 2 estreou.

  • Juliano Guilherme

    Ai UnREAL, sua linda…. pq vc não é da Netflix pra vir todos os episódios de uma vez… ? E a propósito, como está a audiência da série? Já teremos a Season 3 ou não?

    • unrenan

      Já foi confirmado a season 3

    • Luiz GustavoCristino

      O LifeTime deu um close certíssimo e renovou a série pra Season 3 na semana em que a season 2 estreou.

  • Amo Ruby mas amei o blindside. Só fico com medo do resto das participantes não segurarem os plots….mas isso vai ser problema dos produtores.
    Rachel na sua fase ”louca de pedra” me lembra muito a Carrie de Homeland. Me dá um pãnico de ver ela naquele estágio. Realmente uma bomba relógio que Quinn motrou conhecer muito bem.
    O que Adam vai fazer nesse momento da série? Se for servir somente de planinho pra separar Coleman de Rachel vou ficar indignado. Se for pra ter samba….samba direito.
    Torço pela Jameson. Plantas representam. Se ela ganhar vou amar kkkkkk
    Quero mais Madison bitch, please.
    Sobre Rachel vs Quinn é sensacional. Amo as duas juntas mas amo também as tretas entre as duas. Até porque duas pessoas muito parecidas realmente tem um choque de poder, coerente para a relação das duas. Eu quero ver é samba….e não interessa quem vai sambar.

    • Luiz GustavoCristino

      Morto com sua torcida pela Jameson, amei! hahaha.

  • Amo Ruby mas amei o blindside. Só fico com medo do resto das participantes não segurarem os plots….mas isso vai ser problema dos produtores.
    Rachel na sua fase ”louca de pedra” me lembra muito a Carrie de Homeland. Me dá um pãnico de ver ela naquele estágio. Realmente uma bomba relógio que Quinn motrou conhecer muito bem.
    O que Adam vai fazer nesse momento da série? Se for servir somente de planinho pra separar Coleman de Rachel vou ficar indignado. Se for pra ter samba….samba direito.
    Torço pela Jameson. Plantas representam. Se ela ganhar vou amar kkkkkk
    Quero mais Madison bitch, please.
    Sobre Rachel vs Quinn é sensacional. Amo as duas juntas mas amo também as tretas entre as duas. Até porque duas pessoas muito parecidas realmente tem um choque de poder, coerente para a relação das duas. Eu quero ver é samba….e não interessa quem vai sambar.

    • Luiz GustavoCristino

      Morto com sua torcida pela Jameson, amei! hahaha.

  • Jackson Douglas

    O episódio 6 foi tenso e perturbador..Freddie Strohma de volta❤❤❤, foi dar uma passada em Westeros e já voltou!

  • Jackson Douglas

    O episódio 6 foi tenso e perturbador..Freddie Strohma de volta❤❤❤, foi dar uma passada em Westeros e já voltou!

  • unrenan

    Foram tiros todos atrás de tiros. Por isso eu amo Unreal, sempre surpreendendo. A volta do Príncipe britânico só vai trazer mais drama,não acho que ele vá durar mais do que um ep e acredito que a Rachel vai ser fico dessa será final da série pq a mãe dela vai reaparecer ( spoiler!!!)

    • Luiz GustavoCristino

      “acredito que a Rachel vai ser fico dessa será final da série”

      Renan, tendi nada, explica! hahaha.

      • unrenan

        Esse corretor kkk
        Retificando: Acredito que a Rachel vai ser o foco nessa reta final.

  • unrenan

    Foram tiros todos atrás de tiros. Por isso eu amo Unreal, sempre surpreendendo. A volta do Príncipe britânico só vai trazer mais drama,não acho que ele vá durar mais do que um ep e acredito que a Rachel vai ser fico dessa será final da série pq a mãe dela vai reaparecer ( spoiler!!!)

    • Luiz GustavoCristino

      “acredito que a Rachel vai ser fico dessa será final da série”

      Renan, tendi nada, explica! hahaha.

      • unrenan

        Esse corretor kkk
        Retificando: Acredito que a Rachel vai ser o foco nessa reta final.

  • Sobre o Infiltration, odiei o que fizeram com o Jay e seu moralismo, o qual é ligado e desligado quando os produtores da série querem, porém enfim podemos supor que ele só tinha muito carinho pela Ruby, por isso essas recaídas de moralidade. Mesmo assim, foi para mim o pior episódio desta temporada.
    Já Casualty foi uns dos melhores, mas também uns dos mais pesados da série. Torcendo para a Maddison ganhar mais espaço na terceira temporada, ela está virando uma ótima produtora.
    Ótima review, Guto, parabéns!

    • Luiz GustavoCristino

      Eu achei o ep5 interessantíssimo por ter trazido à tona discussões sobre ativismo e por ter eliminado uma pessoa que todo mundo apostava que seria finalista, mas concordo com os defeitos que vc apontou.

      Tb adoraria que Madison ganhasse cada vez mais espaço, ela é muito maravilhosa.

      Obrigadão pela força e pelo comentário, Vinícius!

  • Sobre o Infiltration, odiei o que fizeram com o Jay e seu moralismo, o qual é ligado e desligado quando os produtores da série querem, porém enfim podemos supor que ele só tinha muito carinho pela Ruby, por isso essas recaídas de moralidade. Mesmo assim, foi para mim o pior episódio desta temporada.
    Já Casualty foi uns dos melhores, mas também uns dos mais pesados da série. Torcendo para a Maddison ganhar mais espaço na terceira temporada, ela está virando uma ótima produtora.
    Ótima review, Guto, parabéns!

    • Luiz GustavoCristino

      Eu achei o ep5 interessantíssimo por ter trazido à tona discussões sobre ativismo e por ter eliminado uma pessoa que todo mundo apostava que seria finalista, mas concordo com os defeitos que vc apontou.

      Tb adoraria que Madison ganhasse cada vez mais espaço, ela é muito maravilhosa.

      Obrigadão pela força e pelo comentário, Vinícius!