The Young Pope 1×03: Episode 3

2
371

Continuando na saga de The Young Pope, vimos nesse episódio as consequências da primeira homilia de Pio XIII. O discurso, surpreendente e poderoso, reverberou em praticamente todos os setores da cidade-estado. Os cardeais, chocados, parecem ter se desestimulado com o novo pontífice, inclusive pedindo logo o agradecimento de protocolo, para que eles possam ser liberados de volta para seus países. Voiello, o grande manipulador, perdeu a paciência que tinha de orientar Belardo, e falou algumas verdades necessárias ao jovem. Esther se sentiu tocada pelas palavras de Belardo, e os dois tiveram uma conexão imediata. Para o bem ou para o mal, atraindo ou criando aversão, é impossível dizer que o discurso inaugural de sua “gestão”, não causou um enorme impacto.

Curioso como em uma série com uma proposta relativamente simples como essa, um realizador de visão e talento consegue extrair discussões e insights tão diversos. A forma como Paolo Sorrentino explora o tempo inteiro as dúvidas que o Papa tem sobre sua religião, questionando o real dever da igreja e como ela se desvirtuou de seu objetivo original torna cada episódio uma peça reflexiva. Nesse, o diretor italiano chega ao ponto de nos explicar que quem dá “peso” a Deus somos justamente nós, em uma crítica não só ao papel da igreja, mas à forma como lidamos com ela.

Seja como for, esses 3 episódios foram mais do que suficientes para que Voiello tenha perdido a paciência com Lenny, sendo inclusive muito ríspido e direto, inclusive de uma forma que Lenny parecia ansiar por ouvir. Sem esperanças de controlar Belardo, Voiello apelou para Spencer, e encontrou uma forma de controlar o confidente do rival, tentando atacar por todos os fronts possíveis. Se Spencer parece não ter conseguido um bom resultado em seu pedido de trégua, Voiello pode ter acertado em cheio na segunda jogada. Cedo ou tarde o padre deve começar a falar sobre os pensamentos de Belardo, constantemente criticando Deus e exaltando o seu próprio lugar no universo, colocando Deus em função do homem.

A história de The Young Pope possui uma série de referências cristãs, e uma delas é o fato de o roteiro girar em torno de três assuntos principais, criando, por assim dizer, uma trindade temática: Os questionamentos de Belardo sobre o seu papel, as suas crenças e a função da igreja católica; a politicagem e o jogo de poder que acontece nos bastidores do  Vaticano; e a forma como essa liderança errática (na falta de uma palavra melhor) de Belardo tem tocado e mexido com as pessoas. É nesse terceiro ponto que entra Esther, a esposa de Peter, o Guarda-Suíço.

Esther foi além do discurso superficial de Belardo (e da própria igreja), e viu naquelas palavras… respeito! Respeito à igreja, às tradições, ao que a instituição prega em sua origem. A religião católica foi fundada com base no respeito ao próximo e na união, mas foi mudando ao longo do tempo, e hoje parece ter se esquecido de sua origem. Esther se deu conta disso, e a sua conexão com Belardo parece profunda, de forma que não me espantarei se em episódios futuros os dois tiverem algum tipo de relação. O desmaio do santo padre foi um indício de que ele próprio percebeu isso, se jogando em seus braços e deixando convenientemente os seus sapatos vermelhos à plena vista, sugerindo um certo envolvimento carnal entre os dois. Estou bem curioso para saber como vai terminar essa trama.

> Veredito da 3ª temporada de Black Mirror!

Em suma, a série continua cativante, se estabelecendo como um dos melhores dramas de estreia da fall-season atual. Certamente é uma das que tem o melhor trabalho técnico e artístico, despertando genuína curiosidade pelo seu primor estético e atuações de primeira. Uma belíssima recomendação.

  • Felipe Farias

    Para mim, a melhor série do ano até o momento. Paolo Sorrentino é mestre.

  • Carolina Favero

    Eu ri demais a hora que ele desmaiou nao tem como negar que foi cômico. uma obra de arte essa serie