The Young Pope 1×02: Episode 2

2
474

A igreja católica sempre foi um terreno fértil para escritores interessados em teorias da conspiração, intrigas, murmurinhos. Não é à toa que a repressão institucionalizada pela igreja durante a inquisição é um cenário muito recorrente entre RPGs, justamente porque nesse tabuleiro o roleplay, se torna essencial: política, intriga e dissimulação são fundamentais. Nesse segundo episódio, The Young Pope já nos mergulha em uma rede de conversas à boca pequena e disse-me-disse digna dos melhores representantes do gênero.

Logo no início percebemos que a irmã Mary não é apenas uma freira comum, e o reconhecimento do próprio cardeal Voiello de que ela será uma forte adversária pelos corredores do Vaticano, é notável. Ao mesmo tempo o próprio Papa colocou a sua conselheira em seu devido lugar, deixando claro que não será condescendente com ela apenas por ter sua confiança.

As próprias ações executadas por Lenny Belardo são interessantes. Sendo um cardeal muito independente, com arroubos de rebeldia (e a cena em que ele proíbe alguém de fumar nos aposentos papais é hilária), e se mostrando absolutamente avesso a regras e ao que lhe é orientado, Lenny se veste de representante máximo de Deus na terra para que seja feita a Vossa vontade. E se até então temos a impressão de que ele será justamente um Papa mais libertário e progressista, aqui percebemos que o conflito interior do sumo-sacerdote faz com que ele tome o caminho justamente oposto, assumindo uma postura absolutamente conservadora.

É justamente na conversa com o cardeal Assente que todos esses elementos se juntam. Belardo utiliza uma informação muito delicada, que ele recebe pela boa fé do cardeal, como justificativa para tirá-lo do caminho e favorecer o seu magoado mentor, e por conseguinte a ala conservadora. Aliás é curioso que Assente tenha identificado precisamente o que comentei por aqui no review do primeiro episódio: o nome escolhido pelo novo Papa é revelador e ominoso, na pior das hipóteses.

Tanto Belardo, quanto Voiello, quanto a própria Mary e provavelmente todos os outros envolvidos têm os seus contatos e informantes, e algumas cenas lembram a disputa que acontece nos jardins de Porto Real, em Game of Thrones, em que Varys, Cersei e o Mindinho travavam uma silenciosa guerra entre quem tinha a rede de informantes mais bem infiltrada.

A primeira homilia do Papa Pio XIII, é chocante, ainda que coerente, por convergir com a ideia que o pontífice tem de não forjar material de merchandising sobre si. Ao se recusar a aparecer para o mundo, Belardo sacrifica não só a sua imagem, mas a da própria igreja, enfraquecendo os seus alicerces. Ao mesmo tempo em que ele prega um discurso antigo, ele ajuda a distanciar a religião católica da população, ao deixar de personificar a ideia do líder carismático. Não vivemos mais em uma era onde nos penitenciamos por qualquer coisa que a igreja fale, e não é por coincidência que na vida real os Papas são cada vez mais líderes carismáticos, que propõem mudanças, mas com ponderação.

O ponto é justamente que esse tipo de atitude pode AFASTAR as pessoas da igreja, ao invés de colocá-los na linha, e eu não tenho certeza que não era precisamente isso que Belardo almejava. Não me espantarei se em episódios posteriores for informado que a igreja está perdendo fiéis. Lenny é um sujeito bastante confuso, e talvez tudo não passe de um enorme estratagema para implantar medidas bem mais abertas no catolicismo, o que não deixa de ser um movimento brilhante, ainda que arriscado. Não é à toa que ele se deu tão bem com um presente tão inusitado: um canguru. Estaria Lenny preparando a Igreja para um salto enorme em seus preceitos? Qual o seu palpite?

Primeiro Sermão: A atuação de Jude Law nessa série é absolutamente linda. Abordarei mais sobre isso em reviews posteriores, mas é um trabalho digno de prêmios.

Segundo Sermão: O que dizer então da direção de Sorrentino? Algumas composições são bem cinematográficas, como a “prisão” da irmã Mary, ou a ligeira referência ao nazismo, no discurso para a Praça de São Pedro. Belíssimo trabalho.

Comunhão: Ainda não ficou claro para mim o papel que o Cardeal Dussolier representará, como conhecido de Lenny, mas definitivamente será importante.

  • Matheus Ramos

    Essa contradição, de um papa jovem e conservador, eu achei uma ótima sacada da série. Realmente é algo que ninguém espera.
    Jude Law, com uma certa comicidade em seu papel, está brilhante!
    Achei que o segundo episódio conseguiu mostrar ao que a série veio, o piloto ainda não tinha me fisgado.
    Ótima review, Yuri! (=

  • Izaias teodoro

    Também fiquei chocado com a homilia dele, não esperava que fosse algo tão pesado.