The Walking Dead 6×13: The Same Boat

Todos somos Negan

103
469

As salas de roteiristas pensam que a gente não sabe, que a gente não percebe… Que alguns dos vícios de narrativa mais recorrentes da história da dramaturgia, espreitam por onde quer que a gente olhe. É como com aquela frase que considero a mais chavonesca desse universo: Posso te fazer uma pergunta? 10 entre 10 roteiros que circulam pelos estúdios de TV tem sempre um ou dois “Can I Ask You A Question?” no meio das conversas. E esse é um gatilho dos mais tolos da carpintaria textual, porque ninguém nunca diz que não pode. Por alguma razão, os roteiristas parecem gostar da melodia que essa frase toca.

Porém, estou aqui para falar de outra recorrência, aquela que inclui entre diálogos dramáticos, uma importante “história de vida”. É fácil identificar, House Of Cards, por exemplo, é cheia delas. Ao invés de um personagem ser direto a respeito do quer dizer, ele resolve contar uma longa história sobre algo que lhe aconteceu ou que lhe foi contado, para que no final as correlações sejam feitas sozinhas. É um recurso bonito, mas que é tão usado que perde o impacto. Começa sempre com um “sabe, quando eu era criança” ou “uma vez alguém me contou…”. E é quase irresistível usar, eu mesmo começo muitas das minhas reviews assim.

Essa semana The Walking Dead interrompeu a boa leva de episódios seqüenciais e quebrou de novo a narrativa. Foram três seguidos… Sabemos que três seguidos sem enrolação é o máximo que eles podem conseguir entregar. Sendo assim, não foi com surpresa que eu cheguei para assistir The Same Boat, mas com um certo sorriso de ironia… The Walking Dead é sempre tão previsível na sua forma que chega a ser engraçado.

Assim que Maggie e Carol foram capturadas, abriu-se uma possibilidade até bem válida de voltar a abordar a diferença de perspectivas de sobrevivência. Para o grupo de Rick os “caras maus” são os outros, mas para os Salvadores o verdadeiro mal vem do grupo de Rick. É uma questão de ângulo e nesse quesito a série sempre ganha. Foi Rick quem levou a morte até aquelas pessoas, foi ele quem chegou massacrando e mutilando e para eles, a crueldade desse ato equipara os núcleos de sobreviventes ao invés de diferenciá-los maniqueísticamente.

O problema é que para estabelecer essas dinâmicas, dá-lhe “história de vida”… Era Paula versus Carol e Michelle versus Maggie. A ansiedade do roteiro em estabelecer que essas duplas deviam se correlacionar era tão grande, que uma vez tão obvio, perdia completamente a força. Por mais da metade do episódio, nos arrastamos em diálogos superficiais e presos nessa base da qual falei no início desse texto. E sempre, sempre que The Walking Dead prende todo mundo num lugar e precisa de texto para seguir, ela afunda na própria limitação. Os dramas são rasteiros e são conduzidos de maneira rasteira.

Fico consternado de ver como a proximidade com a ideologia de Morgan fez mal a Carol. De súbito, ela passou a ser uma personagem que compreendia a necessidade da morte, para uma que carrega o peso de ter matado e que começa a hesitar para puxar o gatilho. A cúpula do poder que rege o programa gosta mesmo de zoar com a nossa cara e parece se reunir numa mesa redonda para lançar a pauta: Como acabar com personagens que os fãs ainda amam. O tempo de culpas de Carol já passou e a partir de agora a tristeza por ter que matar precisa ser preservada, enquanto a necessidade de ter que fazê-lo não é uma questão de conforto, mas de zelo. Esse retrocesso é incoerente com ela. Poderia funcionar com alguém suscetível ao medo, como Eugene. Mas, com ela não. Esperemos que a experiência terrível nessa captura possa tê-la feito compreender que os Morgans não sobrevivem muito tempo naquele mundo.

Com isso, Maggie é a nova Carol. Quem diria… Nos quadrinhos, a personagem passa por uma grande virada que a fortalece e o que parece estar acontecendo no show é que eles estão antecipando essa mudança. Admirei Maggie mesmo, de verdade, pela primeira vez. Foi ela quem transformou o último bloco desse episódio em coisa boa, porque esse último bloco sim, foi bem bacana de assistir.

Todo o plano para escapar eliminando todos os rivais foi de uma crueldade requintada. Notem como os personagens continuam sendo omissos com os ataques dos walkers deliberadamente. Poderiam ter matado a fumante inveterada com mais rapidez, mas preferiram fazê-la ser mordida. Poderiam ter dado um tiro na cabeça de Paula  como fizeram com Michelle, mas deixaram-na lá para ter todo o rosto devorado lentamente (numa das coisas mais incômodas que a série já fez) porque, enfim, se eles matam todo mundo antes do banquete, o que sobra para chocar os fãs?

Contudo, foi uma ação final nervosa e eficiente. O massacre deliberado dos dois focos de Salvadores foi um movimento tão grande do grupo de Rick, que sem dúvida a vingança de Negan vai ser maior ainda. Uma coisa interessante sobre esse episódio, aliás, é que quando um Salvador dizia “Somos todos Negan”, ele não estava se referindo apenas a quem estava aliado a Negan. Se esse nome representa poderio, controle, colonização, exploração e violência, ele representa um todo, não apenas um grupo. O que Rick e os seus aliados fizeram naquele dia foi matar na surdina, mutilar, massacrar, esmagar crânios… Aleatoriamente, sem distinção. Isso significa que não são só ELES que são NeganNegan é o nome da fúria e de fúria todos ali entendem.

Right Bite: A cara devorada de Paula quando Maggie e Carol passaram por ela de novo ficará entre as imagens mais icônicas da série pra mim.

Wrong Bite: Em contrapartida, já sabemos quem superou Shane na transformação mais rápida do oeste. Incrível como sempre casa direitinho com o tempo necessário, né? Amy demorou a noite inteira pra se transformar, para poder dar bastante tempo a Andrea para se despedir. Já Shane mal caiu e já levantou. Cada um tem seu tempo, Henrique… Cada um tem seu tempo.

Random Bite: Depois de mais uma “enrolação elegantizada”, seguimos para a próxima semana, onde provavelmente um episódio inteiro passado em Alexandria atrasará um pouquinho mais as coisas.

  • Vitner Santos

    Eu sabia que eles iam enrolar,isso ta no sangue dos roteiristas e com certeza Negan vai aparacer só por um minuto na cena final do ultimo episodio…

  • Isaac Lopes

    Como não amar Carol? Uma mulher vítima de um relacionamento abusivo, falando sobre vibradores em um de seus primeiros diálogos no mundo apocalíptico. Mais tarde perdeu a filha e com tudo isso apresentou o maior desenvolvimento da série em questão de personagem (na minha humilde opinião).
    A atuação proposital de Carol (o olhar era sensacional) ao ser capturada me remeteu justamente àquela da primeira temporada (a vítima), coisa que ela já não é mais.
    Espero que esse inicio de retrocesso apresentado seja influencia de Paula, e como a personagem, logo passe, superficial ou não, as duas personagens são mesmo identificáveis uma com a outra.

  • Fabiana

    Nossa esse episódio me lembrou tanto Lost, em tantos sentidos. O grupo do Negan é idêntico ao The Others, eles agiam de forma parecida e se intitulavam os mocinhos. Também o local para onde Carol e Maggie foram levadas lembravam muito aquele submarino igualmente controlado por mulheres, onde o Charlie morreu.
    Apesar da enrolação, eu gostei do episódio, a Maggie fez toda a diferença.

  • Nando

    Apesar dos dramas serem como sempre muito mal elaborados em TWD, eu achei esse episódio bastante positivo pois conseguiu deixar uma tensão no ar o tempo inteiro.

    Talvez seja porque gosto muito da Carol e Maggie (e gostei demais da evolução da Maggie).

    Negan mate o Morgan, NUNCA TE PEDI NADA!

  • Junito Hartley

    A Carol tendo crise de consciência nessa altura do campeonato é pra irritar a pessoa, nada haver isso. Nao me deixou tenso em nenhum minuto, me deixou na verdade com tedio aquele começo, tanto que fiquei mexendo no celular.

    off topic: Voces vao falar sobre a serie nova Slasher? vi os dois primeiros episodios e gostei muito.

    The walking filler dead.

    • Matheus Souto Bastos

      Eu, desde a terceira temporada, a vejo como uma personagem prática.
      Se há necessidade de matar, mate!

      Lembro bem dela incentivando a Andrea a dar uma boa noite de sexo ao governador e depois que ele dormir, matá-lo.
      Ela não pensou duas vezes em matar personagens doentes na quarta temporada antes que eles infectassem todos da prisão com aquela doença, ela meteu fogo e matou vários canibais pra salvar os amigos. Essa foi a personagem desenvolvida por 3 temporadas inteiras.

      O fato dela não gostar de matar e ter contadinho e anotado o nome de suas vítimas não me incomoda jamais. O que me incomoda é exitar em matar Paula ou a fumante nesse episódio. Ela exitando em matar pessoas que não fariam o mesmo por ela é colocar Maggie e o bebê em risco. O remorso fica pra depois.

      Isso é tão incoerente quanto à personagem brigando com o Morgan pra defender seu ponto de vista enquanto seus amigos estão morrendo lá fora. Essa não é a Carol que conhecemos!

      Se tem uma personagem que tem sido prejudicada nessa série, desde que esse bosta do Morgan apareceu, é a Carol. Espero que depois das reclamações os roteiristas caiam na real.

      • Junito Hartley

        Pois é, concordo com vc, nao da pra entender esses roteiristas.

        • Vínicius Mussa

          somos 3. odeio a Carol mas o Morgan n da pra suportar mesmo e ele ta estragando varios persos..

      • Matheus Souto Bastos

        Respondendo ao meu próprio comentário. Depois de ver o episódio 6×14 Só tenho algo a dizer: O buraco só afunda para uma das melhores personagens que o programa apresentou! kkkkkkkkkkkkkkkkkk

        Não dá pra defender!

  • Ana Oak

    Eu achei que a Carol tava fingido ser boazinha pra justificar o terço e que ela usaria ele para se livrar das amarras. Depois vi que ela tava meio lesada e não entendi nada. Uma pessoa que já matou outras só porque estas estavam doentes e poderiam morrer perto da galera não se transforma naquilo tão rápido. E o final, a mão dela sangrando? Achei que ela estava machucada por causa da briga e eventualmente vai morrer. Sim? Não? Tomara?

  • rvg

    Um dos melhores episódios de TWD marcou sublimemente a transformação do grupo do Rick, “Vocês não são os mocinhos” ou pelo menos não mais, torcemos agora nós meros telespectadores, apenas pelos sobreviventes conhecidos que não diferem nada dos outros habitantes desse mundo apocalíptico dispostos a cometer qualquer barbárie pra se manterem vivos e unidos as pessoas que amam as “únicas que importam.”

  • edujakel

    é…o drama em TWD sempre deixa a desejar.
    Porem gostei da cartada da Carol (de novo) de bancar a vítima. Ela ta ficando boa nisso. Mas ficar nessa lenga lenga de não matar a essa altura do campeonato, é demais.
    Maggie não foi muito, muito badass não? sera q não passou um pouco da medida? mesmo assim foi muito legal de ver.
    Só não entendi pq todo aquele tempo q elas ficaram sozinhas, não tiraram as mordaças da boca com a ponta dos dedos. qual a dificuldade? Tudo bem que Carol queria fazer a louca sofrida, mas a Maggie poderia muito bem ter tirado o pano da boca.
    Kill Room – sutil não?

  • edujakel

    outra coisa, fiquei surpreso com a organização do grupo Neganesco. Os caras tem códigos de radio, safe houses, são militares?

  • Pedro_3:16

    Review muito bem escrita, porém discordo do conteúdo.

    Apesar de ter sido um episódio pouco ou nada importante para a narrativa (só o tempo dirá), foi um filler muito bom, focado em Carol e os problemas que ela está tendo em matar. E isso não é coisa nova, ou puramente influência do Morgan. Morgan pode ter sido crucial para ela começar a pensar a respeito, mas vamos lembrar que ela já convivia com outra pessoa que não gostava de matar: o Padre Gabriel, além de, claro, ter começado já a algum tempo a contabilizar as mortes que ela causava, visto a lista dela.

    O que causou o sentimento de estranheza no público ao ver as reações de Carol nesse episódio, foi o uma série de fatos que não condizem com a personagem, tais como: a hiperventilação, o apego àquela cruz, o choro, o nervosismo e os trejeitos, quando estava no cativeiro. Porém ninguém percebeu que na verdade, Carol estava se fazendo de fraca, para fazer seus captores subestimarem ela.
    Vamos aos fatos:

    – A cruz que do walker fica presa nos pés da Carol
    – Ela espera geral sair e pega a cruz
    – Olha por um tempo, e quando percebe que eles estão voltando, coloca dentro do bolso
    -Ela começa a hiperventilar, tateando o bolso
    -Notem que a Maggie tá tipo “que porra é essa, Carol?”
    – Quando a fumante ajuda ela a pegar a cruz do bolso, eles supõem que a cruz é dela, aí ela começa aquele papo de religião, medo de morrer, empatia pela Paula (essa é verdadeira), todo aquele ato pra parecer que ela é fraca.

    Na reta final do episódio, Paula é a única que ela hesita em matar, mas não porque ela não quer mais matar, e sim porque além de ela ter ficado tocada quando Paula diz que Rick e o grupo não são os mocinhos, porque aí ela começa a perceber que todos só estão tentando sobreviver, ela sentiu empatia pela Paula no momento em que ela apanha do companheiro e conta sua história, de como ela perdeu o marido e 4 filhas.

    Carol é uma das personagens com mais camadas de TWD. Não é justo pensar que ela tem que ligar o MODO RAMBO toda hora.

    • Matheus Souto Bastos

      Ela sempre foi prática!
      Sentindo empatia ou não pela Paula. Sentindo remorso ou não depois.
      Era matar ou morrer. Pior.
      Não matar, seria expor Maggie e o bebê a um risco que a Carol que todos conhecem não estaria disposta a correr. Se pelo menos ela estivesse sozinha aí sim eu poderia concordar. Mas quando se trata da vida de outros personagens, ela não exita!

    • edujakel

      acredito que todo mundo entendeu que ela estava se fazendo de fraca nesses momentos. mais um motivo pra não ter tanta enrolação, visto que ela estava premeditando tudo desde o começo.

    • Um dos grandes problemas dos fãs muito fãs de TWD é presumir que a série tem uma profundeza escondida que só os fãs muito fãs enxergam enquanto os que criticam a série apenas não entendem… Desculpa, mas todo mundo entendeu que a Carol estava se fingindo de fraca para dar o bote depois. Isso não foi sútil e até já virou o modus operandi dela.

      • Pedro_3:16

        Eu entendo. Talvez eu tenha tido um ataque de fanboy aqui, midesgulpi. Mas também, do jeito que você fala, parece que a série não tem profundidade nenhuma. A Carol não é psicopata. Uma hora ou outra, as ações dela iam bater na mente, tipo “peraí, vamos pensar nas coisas que eu fiz até aqui”, e a série já tava dando pistas de que isso ia acontecer, como o embate entre ela e o Morgan, pessoas com ideias totalmente opostas em relação a matar, mesmo que seja pra sobreviver. Sobre o episódio em si, não tem como ser paulera todo episódio, com tiro, porrada e bomba. Primeiro, por causa de orçamento. Segundo, porque ia alcançar a HQ muito rápido. A série é de drama, não de ação. Episódios como esse, de desenvolvimento de personagem, são importantes.

        • Matheus Souto Bastos

          Tá mas fraquejar em matar arriscando a vida da Maggie e o bebê não pareceu nada com a Carol que conhecemos!

          • Vínicius Mussa

            cara até eu q odeio a Carol desde o primeiro episodio vejo claramente q eles tiraram da bunda essa “redenção” da personagem..

      • Alexandre Moraes Matos

        Mas a Carol estar fingindo ficou bem explícito. Mas realmente TWD tem uma “profundeza” e muitos não vêem pois só querem ação.

        • Sim, ficou explícito. Foi isso que eu disse. TWD não tem nada profundo. É entretenimento raso e medíocre. Eu assisto e gosto bastante, mas se quiser assistir algo com significado, veja The Leftovers, House of Cards ou até mesmo Bojack.

    • Illyana Nikolievna

      Perfeita análise! Todas as reviews americanas e inglesas elogiaram esse episódio. Foi brilhante!

    • Vínicius Mussa

      kkkkkkk. chegou o cara q acha q os roteiristas ja tinham tudo planejado kk. camadas kkkkkkkkkk. Plmdd cara, só pq a mina era uma medrosa e agr é foda n quer dizer nada pq eles n te mostram isso..

      • Pat

        Chegou a hater que não gosta da Carol e acha que está abafando com seus comentários.

        • Vínicius Mussa

          kkkkkkkkkk Pelo menos eu n fico forçando q a personagem é Shakesperiana só pq ela era uma medrosa e agora é uma assassina “fodona”.. proxima temporada o glenn aparece torturando crianças pra vcs falarem q ele evoluiu pra caramba tbm..

          • Pat

            O que gosto aqui são os comentários, principalmente de quem assisti a série, não perde um episódio, e depois vem pagar de hater para parecer que prefere HoC.
            Se vc não viu a evolução da personagem, não entende nada de nada sobre nada.

    • Eduardo Mateus

      Excelente análise. Ficou explícito o fingimento de Carol, pena que só o Henrique não enxergou isso.

      • henriquehaddefinir

        O Henrique entendeu perfeitamente o fingimento da fragilidade, mas o que o Henrique destacou na review foi a hesitação para matar, essa sim real e gradativa da semana passada para cá.

        • edujakel

          tanto comentário sobre o episódio pra responder aí pra cima e pra baixo, e vc responde uma “provocação”? acho q vou voltar a falar mal de vc…rs

          • henriquehaddefinir

            Mas eu estou respondendo uma coisa sobre eu ter entendido e ele achando que não. Tem a ver com texto, vai…
            E olha, não estou vendo muito espaço pra respostas não. Galera já resolveu esquecer as três reviews positivas antes dessa e me pregar na cruz.

          • edujakel

            não se vitimize tanto assim não…estão bem divididas as opiniões.

          • henriquehaddefinir

            Tô vitimizando não… Eu sei que sobre esse episódio está bem dividido. MAs, a galera que não concorda esqueceu completamente as reviews positivas.

          • edujakel

            mas é a mesma galera q se na semana q vem, tiver um espisódio bom, e a review tecer elogios, vai achar a série a 8° maravilha do mundo.
            essa é a internet.

        • Eduardo Mateus

          Os personagens principais de TWD são humanos e não zumbis, portanto sujeitos a mudanças comportamentais, já que vivem em uma situação de constante pressão e incerteza. É lógico que Carol já provou que aguenta com firmeza tudo o que aconteceu e o que virá pela frente, más acredito que assim como ela, todos estão cansandos dessa vida de desgraça e violência em nome da sobrevivência, menos RICK , é claro.. hehe.

          • henriquehaddefinir

            Eduardo, todos estamos sujeitos a mudanças comportamentais na NOSSA realidade. A hesitação da Carol em matar ficou para trás, é parte de um apego a culpas e morais que aquele mundo não suporta mais. É como fazer alguém evoluir e amadurecer e depois voltar atrás. Mas, considerando que você acha a review péssima, clichê, rasa, falha, preguiçosa e que as notas do IMDB refletem mais da verdade, essa discussão não faz sentido. E aliás, falando em preguiça, confira os três textos antes desse, que são positivos, empolgados e honestos com uma série que merece o que ela entrega. Um abraço pra você.

  • Mia Monte

    Normal a Carol está com crise de consciência. E demorou. Ela não é psicopata. É apenas alguém, que está tomando consciência de sua própria crueldade a serviço da auto preservação. Isso mostra o quão normal (humana) ela é. E quanto a Maggie, não está tomando o lugar de Carol. É só ouvir o que ela diz, no final “… eu só não aguento mais”. E ela mal começou a matar. Resumindo TWD, Freud explica. Adorei!

    • Junito Hartley

      Blz, mais nao seria mais coerente ela ter essa crise la no começo?! porque ela ja passou por muita coisa e nao teve essa crise, ela ja é veterana. No mundo da serie ja deve ter se passado ate o inicio do apocalipse mais de um ano, acho meio tarde ela ter essa crise.

      • Matheus Souto Bastos

        Essa crise da Carol é mais uma das necessidades do programa em tirar drama do c*.

        Vc está fazendo isso errado amc.

    • Matheus Souto Bastos

      Como eu já martelei em uns 3 comentários aqui. Beleza ter remorso, beleza ter humanidade. Eu espero isso da personagem, sim!

      Porém ela sempre matou pra proteger quem ela ama. Ela exitar em matar a Paula era colocar a Maggie e o bebê me risco. E isso ela não faria.

      Ela estando sozinha, ok exitar, ok morrer por isso, já que ela era tão digna de morte quanto à Paula.
      Mas com a Maggie ali, não condiz com as atitudes da personagem!

    • Illyana Nikolievna

      Maggie já mata desde a terceira temporada, quando atirou em vários snipers em Woodburry. Hello, filhinha! Nada a ver esse “e ela mal começou a matar”. Maggie sabe que os Saviors escravizam e isso é pior que ser morto (Wolves), torturado (Governor) ou devorado (Terminus). Ela não vai descansar enquanto não eliminar todos.

  • Alexandre Moraes Matos

    Cara, foi um dos melhores episódios de The Walking Dead nessa temporada. Vimos uma Carol totalmente em conflito com seus próprio pensamentos, vimos a Maggie com a “frieza” de uma líder que ela virá a ser e vimos literalmente que naquele mundo não há mocinhos, nem mesmo o grupo do Rick. Mas concordo que alguns pontos foram enrolados, o que a série ama fazer.

    Quanto ao “tempo de transformação”, se você voltar na primeira temporada, verá que o médico do CDC diz que a transformação leva de 2 minutos à 8 horas, e levando em consideração isso, é tempo suficiente para Shane e a ruiva do episódio terem se transformado. Claro, que sempre que precisarem, vão usar a questão do tempo de transformação a seu favor.

    Foi tão bom quanto aquele episódio sensacional sobre o Morgan. Aquilo foi uma aula de desenvolvimento de personagens.

    • Suliz

      “aquele episódio sensacional sobre o Morgan” LOL

  • Amanda

    Quebrou? Esse foi um episódio de desenvolvimento de personagem. O maior trunfo dessa série é a evolução da Carol. Seu crescimento ao longo das temporadas foi tão, tão bom que pouquíssimas séries já dedicaram tanto assim para a construção de uma personagem feminina. E nesse episódio, pudemos conhecer ainda mais ela, Observar que, ao contrário do que muitos pensaram, ela não foi tomada pelo “lado psicopata”. A série tem que ter ação, mas sem história e bons personagens? Não, não rola. Quer só tiro, explosão e sangue? Vai ver Transformers ou qualquer outro filmezinho de ação de segunda categoria (Mad Max tá aí pra provar que ação também pode ter personagens incríveis).

    • Amanda

      E longe de mim achar que TWD é A série ou que é uma série fantástica. Lembro muito bem da enrolação das temporadas anteriores. é uma série para te divertir e deixar tenso, só, sem muita reflexão. Porém o desenvolvimento da Carol é algo a ser apludido.

      • Junito Hartley

        Vc escreve e responde seu propio comentario? Vc é o bixao mermo heim doido?

        • Amanda

          Sou mesmo. O bixão. Doida. Lokona. 😉

          Só esqueci de acrescentar essas últimas ideias aí.

          • Junito Hartley

            kkkkkkkkkkkkkkkk

    • Vínicius Mussa

      evolução porra nenhuma, ela tava normal no final da segunda temporada e na terceira e depois na quarta apareceu sinistrona do nada. Q porra de evoluçao oq. o personagem aparece normal numa temporada e na outra ta foda e vcs ficam achando q é evolução. ridículo demais isso. Único personagem q evoluiu mesmo na série foi o RICK.

      • Pat

        Não estamos assistindo a mesma série, com certeza. Carol evoluiu mkuito. Na 1ª era uma submissa; na 2ª ainda sofria pela filha perdida; na 3ª se transformou em uma das melhores atiradoras do grupo e já mostrava que não tinha medo e sabia se defender (o que foi ela usando o corpo do Axel como escudo? Show!); na 4ª fez o que era possível para manter o grupo seguro, até matar os amigos e se virou sozinha quando o Rick a mandou embora; na 5ª chegou detonando e salvando todo mundo. Se isso não é evoluir, não sei o que é. E Rick não evoluiu, ele foi ficando cruel, o que é muito diferente. Evolução foram Glenn e Carol.
        Se for para falar besteira, melhor ficar calada.

        • edujakel

          Here she comes to save the world!!

          • Pat

            Hater detectado.

  • Marco A

    Sei lá, gostei deste episódio, gostei da angústia da prisão delas, sem saber se iriam ser trocadas ou não, se tinham que agir por si ou não….
    Concordo sobre a Carol, mas acho que havia muito de fingimento dela ali…. Ela será sempre badass….
    Como os planos do Rick dão merda hein!? Nunca vi igual…
    Quanto as transformações rápidas e demoradas, funcionam igual as granadas de filmes de ação…. acontece tudo no tempo que convém acontecer!!!

    • Victor Hugo

      Verdade @disqus_IfJF15O13G:disqus, concordo.

  • Guilherme

    Já esperava que a série tivesse um ou dois episódios de fillers até o finale, pela velocidade que a trama estava indo até aqui, por isso que não me surpreendi com esse episódio.
    Achei regular, favorecido pelas atuações, principalmente da Melissa.

    • Pat

      Disse tudo. Melissa deu show.

  • Vínicius Mussa

    cara na moral que texto foda e olha q nem gostei muito do episodio. O massa dos reviews do henrique é q o cara nao fica só falando dos HQ’s, ele quer eh saber do episodio e pronto acabou. N eh q nem os fas de game of thrones q n calam a boca com a merda dos livros.. Enfim sobre o episódio, nunca gostei da Carol mas acho q os fas vao ficar putos com esse negocio de fazerem ela virar o Morgan. meu personagem preferido é o Rick por mim podem matar qualquer um menos ele e o Glenn. não entendo quem fica reclamando da série.. pra mim uma das melhores da atualidade, AMC não brinca em serviço (breaking bad, hell on wheels, mad man, etc).

    • edujakel

      OH____MY____GOD___!!!! (com voz de Janice)
      Favor, eu lhe imploro. Nunca mais coloque na mesma sentença as 3 séries q vc citou e TWD. Te peço como um favor pessoal. Eu pago se for preciso.

      • Vínicius Mussa

        kkkkkkkk. Concordo q a serie nao e tão boa quanto essas, mas ainda acho uma das mais maneiras hoje em dia. qnd é da HBO ninguem fala nada.. olha a bosta q foi essa temporada passada de game of thrones e ganhou ate o emmy essa merda.

      • Pat

        Hater detectado. Vindo aqui só para fazer média e pagar pau do comentarista que odeia uma série e ainda assim não larga o osso de escrever as reviews.

  • Marília –

    Entendendo a “balançada” de Carol. Pela primeira vez eles estão atacando antes de serem atacados e confiando apenas na palavra de um zé qualquer que apareceu do nada. Sem falar no emocional abalado agora com a descoberta da gravidez de Maggie…o foda vai ser se ela morganizar de vez

    • jao das graças

      Eles atacaram o grupo do Rick primeiro na estrada, quando o Daryl matou todos com a bazuka.

      • Marília –

        mas ali foi “resolvido” o problema. agora eles tao indo por outro motivo que nao é ataque direto

    • Pat

      Eu entendi a balançada dela por causa do Wolf em que ela atirou e ainda assim mudou e salvou a médica. Aquilo fez ela reavaliar suas escolhas. E Carol mata quando preciso, mas ainda se importa. Talvez os diálogos tenham sido meia boca, mas o episódio foi bom.

  • Illyana Nikolievna

    As reviews de TWD por aqui às vezes acertam e algumas vezes são escandolasamente injustas e parciais. Essa, por exemplo, foi bastante infeliz. Se viesse de alguém detentor de prêmio Nobel de literatura ou mesmo criador de roteiros originais ou adaptados geniais, poderia ser levada em consideração. Mas não passa de recalque e ressentimento pueris. A do the guardian foi mais justa e pertinente: http://www.theguardian.com/tv-and-radio/2016/mar/13/the-walking-dead-season-six-episode-13-the-same-boat-recap. Destaque pra excelente atuação da Alicia Witt. Nota: review pra ser esquecida e deletada.

    • edujakel

      ah claro, pq o americano médio é o cara a ser seguido. exemplo de inteligência e qualidade. rs

      • Clayton

        Americano médio seria o quê exatamente? Isso é uma crítica, né? kkkkkkk… gostaria só de entender baseado em que, porque ja´vi isso por aqui antes…

        • edujakel

          é o cara responsável por não dar audiência a shows inteligentes pq são difíceis de pensar. e dá audiência pra shows caso da semana, q vc pode assistir jogando videogame do lado q vc ainda assim vai entender.

          • Clayton

            Ah, entendi, muito obrigado :D… então são à eles que a gente tem que “agradecer” quando um série boa é cancelada por falta de audiência, bom saber kkkk…

          • edujakel

            sim…a esses vagabundos preguiçosos comedores de McDonald…rs (xenofobia much? rs)

      • Illyana Nikolievna

        Fiz referência a uma review inglesa, criatura. E sim, a capacidade retórica e de redação do americano white trash, não necessariamente do médio, é bem superior àquela do primeiro lugar no vestibular da Fuvest em Comunicação Social, quanto mais em relação a de um reviewer que escreve “haviam…”

        • edujakel

          vc já foi pros USA?

  • NowSilva

    Ep. chatérrimo. Não sei qual foi a da Carol nesse ep. A mulher já fez de tudo na série e agora dá uma de traumatizada. Aff’s.

  • Bruno

    Teria sido um episódio mediano da série, não fosse a completa falta de senso do programa ao fazer o que fez com a Carol. Não tem nenhum feedback anterior pra justificar as ações dela no episódio.

  • PuroOsso

    Faz tempo que não vejo tanto diálogo ruim em um episódio só. E a Maggie derrubando o cara com um chute na canela? Vergonha alheia

  • Eu continuo achando que eles fazem isso para “levantar” a questão moral dentro da realidade do apocalipse zumbi da série. E o problema é exatamente esse, toda vez que a serie tenta abordar uma reflexão moral e ética ela peca. Não porque a discussão não é válida, mas porque ela é descontextualizada e geralmente inserem essa trama em personagens que não possuem contexto para tal. Eu podia JURAR que a Carol estava fazendo um tipo, um teatro para convencer o inimigo, e quão grande foi minha surpresa em ver que não era só isso! Minha decepção maior foi por conta disso e nem tanto por ser um episódio filler.

    • Marília –

      apesar de acreditar na crise de consciencia tb achei que era fingimento

  • Thiago

    Lucille vai matar Carol.

  • intell

    Que episódio sem vergonha. Poderiam ter matado toda a trama em 10 minutos, mas não, pra economizar com locação externa foi o episódio inteiro. E que patético colocar a Carol com falsa crise de consciência. Matem logo o Morgan, antes que aquele festival de merda que ele prega contamine mais algum personagem…

  • Daniel

    Uma pilha de clichess, até copiaram bastante coisa de Lost. Sem vergonhice

  • Jon

    Eu não sei porque todos que fazem review por aqui sentem esse ódio desnecessário pela série. TWD não é nenhum exemplo de série espetacular, longe disso, é um puro entretenimento. Mas falar que eles não querem passar algum significado em certas situações é ignorância e ódio gratuito. A série já mostrou vários episódios com temas sérios sobre o limite de onde um ser humano pode chegar pra sobreviver e muitas personagens tiveram desenvolvimentos magníficos na série, mas o que sempre vejo por aqui é uma review cheia de critica desnecessária.

    • Pat

      Por isso que venho aqui apenas para ler os comentários. O Reviewer não gosta de TWD, nunca irá gostar e já nem leio os textos dele. Provavelmente esculhambou o episódio. Eu amo TWD, mas não espero dela mas do que ela pode entregar. Foram vários bons episódios e essa temporada, muito calcada nas HQs vem se tornando a melhor desde a terceira e a quarta.

      • edujakel

        então vc tá toda defensora aí, sem nem ter lido os contrapontos? vc simplesmente discorda, sem saber do que?
        engraçado que o “ódio gratuito” vem do reviewer então. ah tá…senta lá Claudia.

        • Pat

          Quem disse que tenho ódio do Henrique? Eu acompanhei todas as reviews dele sobre Spartacus. Textos maravilhosos apontando o que estava bom e o que estava ruim, mas sob a ótica de quem GOSTA da série. O texto do series finale de Spartacus é o mais perfeito review de uma série que li no SM até hoje.
          O que eu disse, e digo e repito, é que o Henrique NÃO gosta de TWD e não gosta mesmo. Por esse motivo as reviews dele sobre a série, não importa se tá bom e se está ruim, são reflexo disso.
          Parei de ler os texto por que sei que sempre vão ser a mesma coisa e isso não vai mudar, não preciso ler para saber, não a contraponto e argumento quando você sabe que alguém fala sobre algo de que não gosta.
          Vai lá ler os textos do BBB que você vai notar a diferença. Um programa lixo, o BBB, que ele gosta e os textos saem um primor, falando mal ou falando bem.

          • edujakel

            não tiro sua razão em falar isso. o mesmo acontecia comigo nas reviews de Boardwalk Empire. Eu tinha esse mesmo sentimento. Até q entendi q não é o fato de “não gostar” da obra…e sim se frustrar por esperar mais dela.
            Ninguem espera mais do BBB do que aquilo q é apresentado. Eu não assisto, mas já li umas reviews. E senti bastante ponto e contra ponto nas reviews. Mas BBB é aquilo, se compromete a ser apenas aquilo, e é.
            Já TWD vc acaba esperando algo bem feito, pq eles te dao indícios de q será. Só ver as ultimas reviews q teceram muitos elogios à série, até demais no meu entendimento. Mas a série vem e te decepciona com desenvolvimentos lixo. Aí é frustracao na certa.
            tem gente q não se frustra, q olha o q foi apresentado e aplaude. Eu particularmente, espero mais e o q me é apresentado não me satisfaz.

    • Alencar H

      Eu não acho que seja ódio desnecessário. A série mesmo esta longe de ser espetacular, porém consegue entregar alguns episódios primorosos como a agonia do episódio da morte da sofia e até boa parte da metade da 5 temporada, os 3 primeiros dessa temporada, entre outros. Mas ao mesmo tempo entrega alguns episódios que “tentam” trabalhar a reflexão, mas de maneira muito rasa, falha, preguiçosa, que a sensação que passa é de encheção de linguiça pra perder 40 minutos. A série é boa, é entretenimento e é assim que deve ser vista. Mas tem muitas séries com temática de entretenimento puro que conseguem ser pelo menos constantes. Audiência em si não é padrão absoluto de qualidade. Walking Dead é boa, mas em alguns episódios da a impressão de que poderia entregar muito mais.

    • Vínicius Mussa

      Eu gosto muito dos reviews do Henrique pq os textos dele são bem profundos mas também não entendo o que a galera espera de Twd e o que veêm de tao ruim na série.. entretenimento de excelentissima qualidade, na minha opiniao. É a minha preferida da atualidade junto de orphan black e house of cards.

  • Suliz

    Mano, só duas mulheres que chegaram amordaçadas, mataram geral… Os Negans que se cuidem! Vejo a hesitação de Carol como um retrocesso para a personagem por para proteger (o que for) ela precisa matar, e qnd ela não faz o resultado volta pra assombra-la. E a cesaria em Maggie será que deu ruim?

  • Renan H.

    Eu não sei o que o Henrique Haddefinir espera de TWD a muito tempo, eu ouço podmaniacos e penso.. ‘esse cara ai é legal mente aberta, sabe das coisas’, mas ai ele vem pra fazer a review de TWD e caga tudo e espera que a série se torne a melhor série do mundo. Tirando muitos episódios da fazenda feliz e muitos episódios da fase Governador, TWD melhorou gradualmente uns 120% até agora, e eu acho que o o Henrique ta com a síndrome da desistencia tardia. Isso aconteceu comigo com Castle e Sleepy Hollow, isso é quando você começa a assistir série por protocolo pelo simples motivo que já perdeu muito tempo assistindo umas 2,3 temporadas ai fala: ‘já que assistir até aqui, agora vou até o fim!’ e acaba refletindo na qualidade da opinião.

  • Alípio

    Vejo tanto aborrecimento nos comentários q nem entendo como a série tem a audiência tão grande. É tanta gente assim esperando q depois de tantas temporadas, ela se reinvente?

    Gostei do ep e até consegui aceitar a mudança de Carol. Incomodou-me mais no ato final q a atuação anterior, enquanto presa.

  • Pedro Henrique

    Mas esse Negan é um fraco mesmo hein. Vão fazer a mesma coisa que fizeram com o Governador, não tenho mais dúvidas. Fracote. Acabaram com o personagem

    • Mito Giri

      Negan nem apareceu…
      Pelas entrevistas que eu li do ator que vai interpretá-lo vão fazer o governador o mais fiel possivel a HQ para não se perder.

  • Mito Giri

    Cadê o Negan? Ja estou sentido Raiva desse “invencibilidade’ do grupo do Rick que acham que podem matar pessoas e exterminar com qualquer grupo.

    E fala sério que mulheres burras. Elas tinham tudo sob controle e deveriam ter exterminado Carol e Maggie pelo massacre que o Rick fez na base dos salvadores. Como o Homem que levou o tiro queria fazer.
    Mas deixaram elas vivas e no fim morreram para pagar pela burrice.

    Pena da Paula.
    De um segundo para outro se transformou num walker com o rosto deformado como qualquer outro. Maggie e Carol tão sádicas que nem da para dar um tiro na cabeça dela para evitar o sofrimento. Deixaram ela viva para sentir cada mordida…

    Grupo do Rick não é “mocinho”
    É tão psicopata quanto qualquer outro.
    O que eles fizeram na base dos salvadores e o que Maggie e Carol fizeram matando pessoas queimadas não é nada diferente do que os Lobos faziam.

    Negan tem que aparecer e estourar a cabeça de alguém com a Lucille para fazer o grupo do Rick pagar o tanto de morte que eles causaram e abaixar a bola deles.
    E tem que morrer um dos principais ali.

  • Eduardo Mateus

    Review péssima, previsível e cheia de clichês. Na realidade podemos adicionar os comentários feitos abaixo: “de maneira muito rasa, falha, preguiçosa, que a sensação que passa é de encheção de linguiça” O episódio foi bom, podem conferir a nota no IMDB, que é uma avaliação mundial e muito mais democrática: nota 8,9. Mesmo não sendo perfeita, de longe esta temporada até agora é a melhor de todas. É difícil ter que aguentar reviews de quem não gosta da série e não tem coragem de desistir de assisti-la.

    • Vitor Neves

      “É difícil ter que aguentar reviews de quem não gosta da série e não tem coragem de desistir de assisti-la.”

      leu meus pensamentos, só pode.

  • Adriana Adriana

    Eu gostei do episódio. Ñ me importo com estes q são centrados em personagens(olha q nem Carol ou Maggie são minhas preferidas). Como muitos já disseram a Carol ñ é psicopata. Mas prática. Essa questão da consciência vem junto com a morte do Sam, a gravidez da Maggie, estabelecer uma vida em Alexandria- acho isso q dá um respiro pros personagens começarem a olhar pro seu grupo e a pra si mesmos e verem que ñ são tão diferentes ou nada diferentes daqueles a quem dizem se proteger. Ñ são nem diferentes do grupo do Governador.
    Eu estou torcendo pro Negan e Lucille aparecerrm logo pra esmagar uns crânios!!! (E que ñ sejam poucos).
    Mas tem a questão: nós já sabemos q os Salavadores são cruéis, os grandes vilões. Então toda essa história colonoalista de atacar, matar , conquistar é só pra criar um desenvolvimento tipo: nós fomos longe demais, ñ queremos ser Negan e blá, blá, blá.

  • Danilo

    Sempre me incomodo com os episódios filler de Walking Dead, mas não concordo que este tenha sido um deles. Não houve quebra de ritmo ao meu ver, vimos exatamente o que se passou após o final do último episódio. Seria quebra de ritmo e narrativa se ao invés de acompanharmos Maggie e Carol, tivéssemos um episódio com os que ficaram em Alexandria. Ai sim seria lamentável.

    O episódio foi muito bom, a crise de Carol pode ter sido tardia mas acho muito bem vinda para humanizar o personagem. Enfim, Walking Dead continua entregando bons episódios seguidos, e isso já é mais do que eu poderia esperar da série considerando seu histórico!

    • edujakel

      “tivéssemos um episódio com os que ficaram em Alexandria” shhhhhh…fala baixo q os produtores podem te ouvir. Aí tamo ferrado.

  • João Paulo

    Concordo com a review.
    Depois de bons episódios esse deu uma bela escorregada, em plena sexta temporada eu não aguento mais esses sentimentos e filosofias de culpa, é retroceder demais tudo que foi contado e mostrado até aqui, é retroceder demais uma personagem, Carol, que cresceu tanto durante a série.

    Já tá mais que comprovado, se você hesitar, se você não matar, vai morrer, pra que ficar perdendo mais tempo com isso? Ninguém quer ver outro Morgan na série.

    Enfim, episódios com essa temática de filosofia, culpas são sempre chatos e não levam a lugar algum, o que salvou mesmo o episódio foi sua parte final e a Maggie.

  • Jaime Guimarães

    Meu maior medo é que depois desse houvesse outro episódio mostrando o ponto de vista do grupo de Rick, pra só então chegar na matança.hahaha

  • Só concordo com o fato do plot da Carol ter sido non-sense. Foi TÃO bizarro que eu assisti o episódio quase todo acreditando que ela só estava fingindo se fazendo de velha inocente para depois atacar e matar as outras mulheres. Foi até interessante assistir dessa forma, estava constantemente esperando a Carol tirar a carapuça, mas quando percebi que ela realmente se sentia daquele jeito, foi broxante. Quero bad ass Carol de volta.

    Fora isso, não. Esse episódio foi muito bom, não cortou o ritmo coisa nenhuma. Teria cortado o ritmo se tivéssemos voltado pra Alexandria ou se eles tivessem estendido essa história pra dois ou até três episódios do jeito que TWD gosta de fazer. Um episódio dedicado a uma situação de sequestro ou conflito é normal. LOST em sua infinita sabedoria dramática (e infinita burrice series-finale-wise) fez isso milhares de vezes.

    A única coisa que teria feito esse episódio melhor (tirando não estragarem a Carol) teria sido eles saírem daquele local. Ir lá fora fazer a troca e gerar mais conflito teria sido mais interessante. Mas enfim. Foi bom, sim!