The Voice 11×03-05: The Final Blind Auditions

12
3095

Será que as blinds estão perdendo a força de impacto?!

Acho que todos nós podemos concordar em uma coisa: com 11 temporadas em apenas 5 anos, o The Voice certamente está começando a ficar bem saturado. A NBC infelizmente empolgou com o carro-forte de sua audiência e desde que começou a explorá-lo não parou mais e fez o programa ficar chato cedo demais.

Pelo menos essa foi a impressão que tive nessa segunda semana de blinds que sinceramente, me deixou totalmente desinteressado com o programa. Ninguém conseguiu me despertar um interesse genuíno ou fez uma performance que tenha me marcado bastante. Não há ninguém que possa ser considerado um favorito, alguém que já podemos taxar de vencedor da temporada. E isso me faz pensar que o The Voice está perdendo a força, mesmo com a novidade de duas coaches mulheres na bancada. Mas de qualquer forma, não foi só isso que ocasionou meu atraso com a review e já queria me desculpar por isso outra vez, tá difícil lidar com alguns contratempos aqui mas quero e vou sempre entregar algo de qualidade para vocês.

Portanto, sem mais delongas, vamos aos candidatos aprovados dessa semana:

Bindi Liebowitz – Bust Your Windows (Jazmine Sullivan)

Poxa, achei estranho que nenhum dos coaches reparou que a voz de Bindi é muito parecida com a de Rihanna, porque pelo menos desde o momento em que a ouvi eu não conseguia evitar comparar Bindi com a ex-key advisor do programa. Apesar de não ter sido impressionante, Bindi fez uma ótima performance e soube imprimir muito bem seu timbre na música, só teve um momentinho logo após o primeiro minuto que ela vacilou na afinação, mas de resto foi uma performance correta. E dentre as opções, escolher Blake seria no mínimo bizarro, por isso ela fez bem em ir com Adam que era desde o início o coach ideal para ela. #TeamAdam

Elia Esparza – Como La Flor (Selena)

Gente, a quanto tempo que não tínhamos uma blind em espanhol no programa?! E certamente isso nos fez lembrar dos bons (e maus) momentos de Shakira na bancada e eu não pude evitar senão sentir um pouco de saudades da nossa nem tão crappy coach colombiana. Elia disse que queria ser uma artista pop tanto no inglês quanto no espanhol e deixou isso claro pela sua presença de palco digna de aspirantes a popstars em sua performance e ela tem uma ótima voz, mesmo que tenha pecado uma vez ou outra na afinação também. Achei que dentre as opções, Adam era a melhor escolha só pelo seu ótimo feedback a Elia. #TeamAdam

Lane Mack – Every Day I Have The Blues (Pinetop Sparks)

Duas palavras: cannon fodder. Foi a legenda em que pensei para Lane em sua performance. Sua performance parecia mais um karaokê de bar e apesar de alguns drives terem sido interessantes, aquela última tragic note foi terrível e deve ter feito Miley se arrepender de ter virado. Certamente será cordeirinho nas batalhas. #TeamMiley

Karlee Metzger – Samson (Regina Spektor)

Uma pérola dentro de uma concha é a legenda que descreveria perfeitamente Karlee. Assim como Adam falou, gostei bastante do contraste entre os suaves falsetes mas beltings firmes e concentrados, bem incomum de vermos em cantores indies. Acho que Karlee poderia ser a Madi Davis dessa temporada, mas vai precisar vencer a timidez para isso. Miley realmente se mostrou interessada na cantora e conseguiu conquistar Karlee para seu time. #TeamMiley

Josh Halverson – Forever Young (Bob Dylan)

Você vê que o episódio foi uma porcaria quando a gente tem um pimp spot tão morno como esse. Claro que foi uma performance correta sem muitas falhas, mas sério Josh me deu sono nessa performance. Até mesmo a versão winner single de Louisa Johnson do The X Factor UK que não é lá grandes coisas é mil vezes melhor que isso que eu vi, e fiquei pensando foi na versão dela durante essa performance. Além de tudo, Josh me soou bem limitado como cantor ao parecer que estava forçando notas altas que nem necessitavam de tanto esforço. O 3-chairs da noite vai para Alicia dessa vez, e como ela está montando um time bem poderoso acho que Josh vira cordeiro de sacrifício nas batalhas. #TeamAlicia

Aaron Gibson – Losing My Religion (R.E.M)

Aaron foi uma das últimas blinds liberadas da temporada e eu achei um timbre legal, diferente porém achei ele meio trêmulo durante a performance e mais, essa música só me faz lembrar de Dia Frampton na saudosa primeira temporada. Não o vejo chegando muito longe, porém é um bom candidato. #TeamMiley

Simone Gundy – I (Who Have Nothing)

11 temporadas e finalmente essa música aparece no The Voice!!! Foi um arranjo diferente e eu estava esperando um pouco mais para essa performance, porém quando já se viu Candice Glover, Haley Reinhart e Jordin Sparks com a mesma música no Idol fica difícil esperar pouca coisa para uma performance com essa música. Porém eu gostei de Simone, houve alguns momentos em que ficou forçado e ela não tem o timbre mais singular do mundo, porém ela transmitiu muito bem a dor da letra e fez um ótimo trabalho vocal. Acho que ela foi esperta em ir com Adam quando Miley já possui Ali Caldwell e Sa’Rayah em seu time e ele tem cara de que pode trabalhá-la bem. #TeamAdam

Josh Gallagher – Stay A Little Longer (Brother Osborne)

O visual de Josh não parece muito country, porém a performance foi  sem sal as country can be. Nada muito impressionante de novo, e foi até bom o final onde Josh permitiu um crescendo que atraiu Alicia, mas ele é o tipo de cantor que só basta Blake virar e pronto, Josh já era dele desde o início. #TeamBlake

Gabriel Violett  – Treat You Better (Shawn Mendes)

Eu achei essa performance um ótimo exemplo de evolução durante a música. Eu achei o início bem tremido, Gabriel não parecia muito seguro em seus graves, mas conforme ele foi soltando sua voz a performance foi ficando muito mais interessante e eu fui me pegando bem envolvido do meio até o final e o saldo geral foi positivo. Certamente o lugar dele era no #TeamAlicia.

Michael Sanchez – Use Me (Bill Withers)

Poxa, difícil não lembrar da primeira blind da season que eu gostaria de esquecer que existiu 9, mas na hora pensei em Mark Hood quando eu ouvi essa música. Eu preferi a versão do mesmo, porém Michael imprimiu sua própria identidade nela com os growlings intensos no ‘use’, mas pena que foram os únicos highlights dessa performance mesmo. Bem capaz de ele ser cordeirinho no #TeamAlicia.

Darby Walker não terá analise pois já está disponível na review da preview da temporada no 11×00.

Austin Allsup – Wild Horses (Rolling Stones)

Meu Deus, não gostei não. Parecia um Craig sem suplemento. Música muito errada pra voz dele, e o timbre já não me agradou muito. Só consegui sentir saudades de Bria Kelly com essa música, até de Sarah Simmons eu senti saudades! Enfim, espero que saia nas batalhas. #TeamBlake

Team Blake Combo – Christian Fermin – Brother (NEEDTOBREATHE); Preston James – Nobody To Blame (Chris Stapleton)

Ta aí um combo que eu fiquei revoltado de ver. Tenho certeza que eu ia gostar de ver muito mais os dois aqui do que o Austin por exemplo. Poxa, sempre quis ver Brother do NEEDTOBREATHE em um reality e achava que era um sonho impossível, e quando acontece essa produção tosca comba o menino Christian só porque é asiático (I’m sorry Katherine Ho), ok, agora a coisa já tá virando uma xenofobia absurda. Até mesmo Preston que mesmo sendo outro country pareceu ser um ótimo vocalista pelo pouco que pude ouvir. As vezes eu acho que a produção gosta de sacanear a gente mesmo.

Khaliya Kimberlie – Dibs (Kelsea Ballerini)

Achei bem diferenciada a songchoice de Khaliya e isso até me deixou interessado na menina, e ela tem um timbre bonito, porém genérico. E sei lá porque, mas toda a sua blind me gritou ‘genérica’ e não me deixou criar nenhum interesse real pela menina. Ela tem o perfil de que iria com Blake, mas adorei ver que ele perdeu uma country girl para Miley, isso é impagável. #TeamMiley

Halle Tomlinson – New York State Of Mind (Billy Joel)

Halle tem um timbre bem indie a meu ver e acho que não casou muito bem com sua voz com a música escolhida para a blind, acho que Christina Perri cairia melhor para ela. E consequentemente achei essa a pior performance de New York State of Mind no programa e só consegui sentir saudades de Sisaundra Lewis e India Carney derrubando tetos com suas versões da música. Halle também e bem verdinha e é outra que eu apontaria como descarte fácil nas batalhas, mas enfim tem tanta gente nesse mesmo nível que sei lá, né?! #TeamAlicia

Nolan Neal – Tiny Dancer (Elton John)

Acho que Nolan foi a audição que chegou o mais perto de me empolgar a ponto de considerá-lo um favorito meu na temporada. Pimp spot muito justo e que fechou com chave de ouro a segunda semana de blinds! Nolan fez um retorno triunfal com Tiny Dancer e se mostrou um concorrente de peso para a temporada. Ele tem um timbre único e uma técnica de se admirar, além de casar isso muito bem com uma interpretação bem envolvente que resultou numa das melhores blinds da temporada. Ele se entregou com tudo nessa performance e viveu a música, além de entregar uns beltings fantástico do meio pro final. E junto com Billy, ele se torna mais uma grande aquisição para Adam, o caçador de 4-chairs. #TeamAdam

Whitney & Shannon – Landslide (Fleetwood Mac)

Olhar para essas irmãs me fez pensar na contraparte negra de Andi & Alex da season que eu gostaria de esquecer que existiu 9. Eu realmente gostei delas também, foi uma boa performance e as perfeitas harmonias foram os highlights da performance junto com a emoção de Shannon ao ver as cadeiras viradas. Eu temo que por serem uma dupla e não serem The Swon Brothers, elas já não têm um futuro muito garantido na competição, porém espero aproveitar o melhor que elas têm para oferecer enquanto durarem. Mais uma baita adição de 4-chairs para a versão feminina de Pharrell. #TeamAlicia

Johnny Rez – Iris (Goo Goo Dolls)

Eu acho que nenhuma performance de Iris consegue me empolgar tanto como a original, mas entre Sawyer e Johnny no The Voice, eu com certeza fico com o segundo que fez um trabalho melhor tanto vocalmente quanto no que se trata de interpretar a letra. Até porque em apenas um minuto achei Johnny mais expressivo do que Sawyer em toda sua performance de Iris. Foi mais um bom trabalho, nada muito empolgante, mas satisfatório. A escolha certa para ele era Adam e fico feliz que ele o tenha feito. #TeamAdam

Maye Thomas – Roses (The Chainsmokers)

Gente, quando olhei para Maye pensei que era ou Kota Wade loira ou uma parente distante de Lady Gaga. Ok, deixando de lado os atributos físicos de Maye, achei que ela fez uma boa performance, but also nada muito interessante não. Tem um timbre meio comum e até soube fazer bom uso dele, mas sinto que Maye não deve durar muito. Porém, ela despertou o interesse de Adam e Miley que brigaram pela moça e achei que ela deveria ter ido com Miley mesmo. #TeamMiley

Courtney Harrell – Let It Go (James Bay)

PENSA NUMA BLIND SUBESTIMADA!!! Foi essa! Gente, acho que foi minha blind favorita da semana junto com Nolan e uma das minhas prediletas da temporada. Desde o primeiro verso, Courtney já estava completamente imersa na música, mesmo que bem preocupada em acertar as notas já que era sua primeira vez se apresentando em público em 15 anos. Mas não ligo se me julgarem, porém amei cada inflexão e ad-libs que ela usou na música e a glory note apesar de um pouco mal executada me ganhou de vez. E o final foi sutil assim como o início que havia me conquistado aqui. E fico revoltado que Adam e Miley não viraram também, ainda mais porque sei que 2-chairs não costuma se dar tão bem na competição a menos que tenha destaque. Uma pena, pois estou realmente gostando de Courtney e acho que ela pode se tornar uma favorita. Só fiquei surpreso de ver que ela foi com Blake ao invés de Alicia que era uma opção muito mais conveniente, sinto que ela e Dana se enfrentarão mais cedo ou mais tarde. #TeamBlake

Super Combo – Tarra Layne, Charity Bowden, JSoul & Belle Jewel

O que posso dizer além de cordeiros de sacrifício para as batalhas?! Preferi o outro combo bem mais do que esse.

Natasha Bure – I Can’t Help Falling In Love (Elvis Presley)

Essa é outra para quem eu definitivamente não teria virado a minha cadeira. Natasha pareceu afetada a performance toda, lutando contra a própria afinação e ainda tentando fazer umas inflexões meio indies que eu achei simplesmente nada a ver com a música, o que mostra que ela ainda nem deve saber quem é como artista de verdade. Mas enfim, Adam tem um time forte então acredito que ela sai sem cerimônia nas batalhas. #TeamAdam

Kylie Rothfield – Wherever I Go (One Republic)

Kylie pode não ter surpreendido muito como vocalista, mas se destacou pela originalidade. Eu até acho que ela não dura muito, mas eu acho que aí tem potencial a ser trabalhado e se ela durar até mais ou menos os Knockouts, creio que Kylie pode mostrar do que é realmente capaz. Por enquanto ela ainda não causou a mais forte das primeiras impressões. #TeamAlicia

Blaine Long – Have a Little Faith In Me (John Hiatt)

Blaine é mais um desses country que tem que encher o Team Blake, já tá dando preguiça viu. Achei a performance inteira apenas uma tentativa de impressionar mais do que cativar, o que realmente chamou minha atenção foi aquele run do final que fez Adam virar, mas só isso mesmo. Porém, é outro que eu descartaria fácil nas batalhas. #TeamBlake

Ponciano Seoane – Home (Phillip Phillips)

Quem diria que um dia eu ia ver essa música aqui no The Voice, já são raros os casos diferentes de Kelly Clarkson. O cara já parece com o Phillip ao quadrado e ainda pega uma música do mesmo, comparações se tornam inevitáveis. Porém, Ponciano não me despertou muita curiosidade não. Acho que sai rápido nas batalhas ou knockouts. #TeamAdam

Josette Diaz – Love Yourself (Justin Bieber)

Foi uma performance legalzinha, mas sinceramente, para um encerramento de blind eu esperava bem mais. Depois de uma sequência de últimas blinds com Hannah Kirby, Sydney Rhame e Ayanna Jahnée, Josette fica bem na liga Justin Johnes de encerramento de blinds. Não foi nada muito impressionante e acho que ela sai nas batalhas fácil igual as duas últimas que mencionei. #TeamMiley

Com o encerramento das blinds eu classifico os times assim:

Team Adam > Team Alicia > Team Miley > Team Blake

Eu continuo achando os times bem equilibrados, sendo a distância de Adam para Alicia para Miley bem pequena, porém Blake voltou a ser o pior time após o fim das blinds.

Porém, tenho tristes constatações a fazer. Acho que essa foi a pior leva de blinds em 11 temporadas do The Voice, infelizmente não tenho ninguém que eu possa considerar meu favorito ainda pois nenhuma blind chegou a me empolgar a tanto. Há algumas pessoas que eu até gosto bastante e de quem eu certamente me lembrarei nas próximas fases, mas o resto é tão desinteressante e sem sal que tá difícil defender. Espero que o nível melhore daqui pra frente, senão vamos ter uma temporada bem decepcionante.

O episódio 11×06 foi apenas um recap das blinds + preview das batalhas e já temos os pareamentos confirmados nos bastidores de cada time que o canal do The Voice liberou para o Youtube e vocês podem acompanhar no final dessa review. Mais uma vez, queria me desculpar pelo enorme atraso, tem sido difícil acompanhar ainda mais porque gripei essa semana e não consegui ver os vídeos antes. Obrigado por sempre continuarem acompanhando e vejo vocês mais tarde!

  • Bruno

    Pra mim os times estão bizarramente desequilibrados, Alicia tem praticamente todo mundo de bom. Quem mais terá de se provar será a Miley, time muito estranho com um monte de gente com potencial mas que tem de ser bem trabalhada. Adam e Blake tem um monte de fraco e 2~3 caras especiais.

  • Éderson Silva

    Agora é um caminho sem volta, o desgaste do programa é inevitável, ainda mais agora sem o American Idol. A audiência passa a ser toda do programa nos Eua. Com isso, cada vez mais o formato ficará mais saturado. Outra, mesmo com duas técnicas o The Voice continua sendo um programa feito para coaches masculinos vide Adam Levine e Blake Shelton. Alicia Keys passará pela prova de fogo nas batalhas e nocautes com um time muito forte com tendência a ser destruído com escolhas erradas. Além do já clássico apadrinhamento de acts preferidos do técnico, mas que não são queridos tanto assim do público. O efeito Pharrell ronda o time de Alicia. Miley será massacrada nos Live Shows. O Time Adam tem dois favoritos: Billy e Nolan para ganhar a temporada, o que alimentará o desejo das “Marronzetes” nas votações e no Instant Save. Blake Shelton pode ter um time ruim, mas os acts countries são seus grandes trunfos. Pela primeira vez em muito tempo não senti vontade de assistir as audições completas. Acompanhei a primeira semana no Canal Sony e um episódio da segunda semana. Já sinto cansaço de um formato comercial demais focado nos técnicos e numa vitória do time deles que visa o lucro estratosférico da NBC.

  • Ricardo F.

    Até que enfim hein rsrsrs

    Confesso que não achei o nível geral das blinds tãaaaao ruim, mas realmente foi bem fraco, principalmente se formos comparar com a temporada passada (Alisan <3). De qualquer forma, ainda não perco a esperança. A season 5 também não teve um saldo tão bom nas blind auditions (salvo algumas exceções), mas acabou como uma das melhores temporadas! Além disso, por mais que o formato esteja mesmo saturado, Miley e Alicia ainda me animam um pouco pra acompanhar o programa, então me resta torcer pra que o programa vá melhorando depois.

    Sobre os candidatos, só gostei mesmo do Nolan, os outros vou acompanhar o desempenho nas batalhas e knockouts. A partir dos playoffs veremos se o investimento valerá à pena kkkk. Abs e até a próxima 🙂

  • Henrique Junqueira

    Tenho um pensamento parecido com o seu, Rodrigo. Também não fiquei com nenhum favorito claro nessas audições, o que talvez por um lado pode até ser bom, posso só ver a temporada sem me preocupar com nada. Por outro lado, talvez seja um sinal de que eu estou começando perder um pouco do interesse pelo programa. Espero que esse outro lado seja apenas reflexo daquela que foi na minha opinião a pior fase de blind auditions entre todas as temporadas, de longe. Os que eu mais gostei dessa metade pro final foram o grupinho de WGWG( Aaron Gibson, Nolan Neal, Johhny Rez, Kylie Rothfield e Josette Diaz), que podem não ser estupendos cantores, mas podem alguns traços de criatividade legais pra temporada. Gostei da também da cantora latina e da menina country que escolheu a MIley e me fez criar uma expectativa sobre ela, já que se ela tivesse escolhido o Blake agente saberia exatamente como seria a trajetória dela.
    O que pesa contra essa temporada também é o fato de já termos um campeão anunciado de imediato, Billy Giman. Há três temporadas seguidas que a edição já pinta e borda o vencedor desde cedo, assim como ela fez com Sawyer, Jordan e Alisan, e tenho a sensação de que com Billy Gilman não será diferente.

  • Matt

    Com o fim das blinds, eu vejo como favoritos (na minha opinião) para chegarem à final estes: Billy Gilman e Nolan Neal (team Adam), Wé McDonald (team Alicia) e Ali Caldwell (team Miley).
    Existem alguns outros acts que foram bem, mas que não me chamaram tanto a atenção quanto esses. Agora acho que nunca o Team Blake terminou as blinds tão fraco. Sinceramente não vejo ninguém dali com potencial pra chegar à final ou ser campeão, mas nunca se sabe…

  • Camila

    Olhe, na minha opinião prefiro que não tenha esse favoritismo em cima de um act, afinal, deixa a disputa mais emocionante. É bem melhor que saber quem vai ganhar e q não irá fazer sucesso, pq é mais do mesmo seja os acts countrys ou as divas. Todavia, o nível foi fraco apesar de alguns acts serem até interessante, não pelo potencial vocal de diva (q é o q a galera desse site mais curte) e sim pela musicalidade mesmo. Tô curiosa para ver as battles pela as escolhas de Alicia, o desempenho de Miley, e por causa da Bette Midler com o Blake…

  • thiago

    Não acho difícil apontar um favorito, pelo menos de acordo com as views do youtube. Lauren Diaz tem quase 7milhões de views enquanto a média dos demais fica na casa de 1,5 milhão! Nas últimas edições, os campeões sempre eram os vídeos mais vistos!

  • Ricardo F.

    Cara, cadê as reviews??? Tá bem chato acompanhar com esse atraso todo!

    • Nadine Jalaim

      Pois é…

      • Estamos trocando de colaborador pra The Voice, por isso a demora. Em breve tudo volta ao normal 🙂

        • Ricardo F.

          Ainda vai ter do X Factor também?

  • Nadine Jalaim

    Já vamos para os playoffs e nada… 🙁 Que triste!