The Night Of 1×05: The Season of the Witch

Novas descobertas e questões acerca do crime em questão

53
469

Julgamento é como física quântica, você controla tempo e espaço. O que ocorreu sem ordem, você tenta reproduzir na ordem correta para poder fazer uma análise

Nesse 5º episódio, The Night Of avança na investigação do caso Andrea e aprofunda-se em uma camada, até então desconhecida, da personalidade de Naz. Se no episódio passado vimos o despertar selvagem do personagem, nesse The Season of the Witch ele parece cada vez mais entregue a essa sua nova(?) natureza. Será que o destino de Nasir será o mesmo do cão Buck de The Call of the Wild?

Depois de alguns episódios mais dedicados ao desenvolvimento dos personagens e das implicações imediatas à vida de Naz após ser acusado de um grave homicídio, felizmente voltamos a ver novas descobertas e questões acerca do crime em questão. A série volta-se novamente à pergunta ‘Quem matou Andrea?’ sem distanciar-se do mote que vem guiando-a ao longo desses cinco episódios: as questões acerca do sistema judicial criminal americano, independente de Naz ser ou não culpado. Nesse episódio a série aborda como isso pode transformar a natureza humana daquele que se vê obrigado a entrar nesse sistema. É evidente como Nasir está modificado, expondo a nós e aos seus advogados uma face que, possivelmente, nem ele mesmo conhecia.

Riker Island. Naz pediu ajuda a Freddy e viu rapidamente os prós dessa aliança. Ganhou uma cela, um apelido, o controle da televisão, o respeito dos outros presidiários e até certa arrogância. Os cabelos raspados, cigarro na boca, o olhar badass e uma postura segura constroem uma imagem completamente nova de Nasir Khan e oposta a do Naz acuado de episódios atrás. Para alguém que parecia mais um invisível no dia-a-dia e na faculdade, ele parece gostar da sensação de andar ‘com quem manda’.

Mas especialmente forte e marcante foi mesmo a contundência e violência com que Nasir espancou Hart, o homem que o queimou no final do episódio anterior. Definitivamente uma faceta do personagem que desconhecíamos. A cena surge para nos trazer certa inquietação sobre a inocência ou não do paquistanês, algo que foi bastante questionado nesse episódio. Será que esse comportamento já é consequência da transformação que Naz sofreu ali? Ou uma de suas características que antes inibida na vida em sociedade, cresceu e exacerbou-se naquele ambiente hostil?

E o mais inquietante é que isso também chama a atenção de alguém como Freddy. “O homem está na UTI e você dorme como um bebê. Você tem alguns segredos, não tem?”

Mas tal como esperado, essa ajuda de Freddy teria um preço e Nasir já pagou a primeira parcela. Após desfrutar de todos os benefícios de uma parceria com o ex-boxeador, Naz ficou em uma situação desconfortável e sabia que não podia negar o pedido de Freddy: topou e contrabandeou drogas para a prisão através de uma situação extremamente desconfortável e perigosa, como Stone bem pontuou “Se você for pego por isso é caso encerrado e você não sairá mais daqui”. E essa fala junto a tudo que vimos em Naz nesse episódio me desperta a sensação que independentemente do veredicto final, as cicatrizes desses momentos em Riker Island poderão ser determinantes e irreversíveis no jovem. Mais do que ‘condenado ou inocentado’, a série nos mostrará como a imersão nesse sistema criminal pode ser definitiva na vida de alguém.

Promotoria x Defesa. Nesse episódio vimos os bastidores daqueles que se enfrentarão pelo destino de Naz em seu julgamento. Como previsto, Chandra e Stone aliaram-se e Naz parece agora ter um time consistente para sua defesa.

E sob a ótica de lados opostos, pudemos vê-los – Acusação e Defesa – buscando entender os acontecimentos daquela noite da forma que mais lhes convinha.

A dupla da defesa contratou um detetive particular para averiguar novamente a cena do crime em busca de qualquer pista que possa ter passado despercebida, ou qualquer fato que possa ser útil na montagem do caso. Além de mais uma referência ao gato – que foi salvo por Stone e vem o conquistando cada vez mais (o que consequentemente faz dele um personagem ainda mais admirável para mim rs) – o homem descobriu uma nova amostra de sangue. Vamos torcer para que não seja do esquilo!

Agora, a acusação… A sequência em que vemos o Detetive Box traçando o mapa de acontecimentos em alternância com as imagens reais foi excelente. Da mesma forma, é bastante interessante vermos a Promotoria construindo o caso quando analisa as imagens das câmeras de segurança mostrando o exato momento em que Andrea entra no carro de Naz. Sem falas e qualquer contexto, as imagens podem ser perfeitamente vendidas da forma que a Promotora abordou: Nasir não quis os homens no táxi, mas Andrea. Ele tomou a decisão, estava à espreita. É premeditação.

Em seguida ela consegue mais um pilar para sustentar sua versão dos fatos e faz com que sua hipótese do que aconteceu seja dita pelas palavras confiáveis de um médico legista, que com enorme frieza lida com o corpo a sua frente e com o destino de Naz.

Seguindo com o seu trabalho de física quântica, a Promotoria rapidamente descarta aquele que poderia ser um calo na história que pretendem contar: um nervoso Trevor. Justo ele, que pode ser justamente a peça final desse quebra cabeça. Mas na ânsia de não prejudicarem a montagem do caso, vemos a promotoria descartar a possibilidade de descobrir a verdade sobre o que ocorreu naquela noite. Justiça x Verdade.

No lado oposto, temos Stone e Chandra trabalhando para inocentar Naz. E é por isso que Stone chega a Trevor e finalmente alguém descobre que ele estava acompanhado quando testemunhou Andrea e Nasir entrando juntos no apartamento da garota. Stone é excepcional em sua abordagem ao jovem e consegue o nome do homem que se tornou nesse episódio, para mim, o principal suspeito da morte de Andrea.

O caminho das drogas. Enfatizando que eles têm tudo e a defesa não tem nada, a Promotora prevê acertadamente qual seria o foco de Stone e Chandra: As drogas que Andrea e Nasir usaram no dia do crime. Stone já tem conhecimento que a vítima tinha uma relação intensa com esse mundo e que frequentava uma clínica de reabilitação e de posse dos resultados do exame toxicológico fica bastante claro para ele o caminho que deve seguir na defesa de Nasir. E assim descobre o homem que vendeu a droga para Andrea e o levará ao julgamento de Naz abordando-o exatamente como a promotora sugeriu: foi a jovem quem drogou Nasir e não o contrário.

Cetamina. Essa é a droga afrodisíaca e analgésica que Andrea deu a Naz na fatídica noite e que explicaria o desmaio do jovem.  Mas… Há anfetamina no meio do caminho. E isso dificulta toda a história que Stone e Chandra pretendiam contar. A satisfação da promotoria descobrindo que o estimulante estava apenas no sangue de Nasir confronta perfeitamente com a decepção de Stone. O advogado ficou devastado pela possível mentira de seu cliente e acredito que essa decepção também surge pois coloca em cheque a confiança de Stone sobre a inocência de Naz, algo que para ele sempre pareceu muito certo.

E essa dúvida de Stone também se reflete no público da série. Chandra pergunta o que todos nos questionamos ‘Por que ele faria isso?’ e Stone nos relembra ‘Porque não o conhecemos’.

Diante desse achado, a história do desmaio ficará comprometida ao júri. Com drogas psicóticas agindo em seu corpo, será que Naz pode realmente ser o culpado? Apesar desse episódio ter batido bastante nessa tecla, ainda estou bem confiante que o paquistanês é inocente. Não consigo imaginar como alguém esfaquearia uma pessoa vinte e duas vezes e ficaria com pouquíssimo, ou nenhum, vestígio de sangue em si.

Ainda que a justificativa dessa anfetamina possa residir no Adderall (droga a base de anfetamina usada por muitos jovens para aumentar a concentração), tal como Stone pontuou, a visão de ‘bom garoto’ de Nasir acaba abalada já que estamos falando de uma substância ilegal. E diante de um caso que aponta tão claramente para um culpado, o apelo a uma imagem positiva do acusado pode ser o único trunfo da defesa.

Riz Ahmed e John Turturro estiveram especialmente inspirados nesse episódio e a cena na qual Stone confronta Naz na prisão é excepcional. A decepção de Stone está em seu olhar, da mesma forma que a apreensão de Naz prestes a contrabandear. Como disse anteriormente, felizmente nesse encontro há uma troca de informação importantíssima e Nasir conta que foram ‘dois caras’ que o viram chegar à casa de Andrea.

Duane Reade, o homem com nome de farmácia tornou-se o principal suspeito diante da sua reação de fuga após a chegada de Stone. Fichado por arrombamento, roubo, assalto, portando uma faca, é inevitável que não pensemos nele como o verdadeiro culpado. Achei a atitude de Stone seguindo-o por becos e prédios lúgubres e vazios extremamente imprudente e o final abrupto deixando um cliffhanger só me fez desejar ainda mais intensamente que a semana entre um episódio e outro de The Night Of passasse o mais rápido possível.

O episódio terminou exatamente como começou. Flashes piscando da luz UV que Stone usa para tratar os pés. Uma sutileza indicando que ele sobreviveu a sua busca por Duane e retornou para casa são e salvo? Ou estou viajando?

  • Taynná Rufino

    Sempre achei que o acompanhante do Trevor fosse o principal suspeito… Quando ele para no meio da rua e olha fixamente pro Naz e pra Andrea, com um olhar meio psicopata e em seguida mostra a porta de baixo que fica entreaberta, ali já deixou ele com bastantes suspeitas. No entanto, seria muito cedo pra entregar já o suspeito assim de cara, então acho que existem mais desdobramentos do que imaginamos.

    • Will

      Penso da mesma forma, desde quando o vi, tenho certeza que ele é o assassino.

  • Taynná Rufino

    Sempre achei que o acompanhante do Trevor fosse o principal suspeito… Quando ele para no meio da rua e olha fixamente pro Naz e pra Andrea, com um olhar meio psicopata e em seguida mostra a porta de baixo que fica entreaberta, ali já deixou ele com bastantes suspeitas. No entanto, seria muito cedo pra entregar já o suspeito assim de cara, então acho que existem mais desdobramentos do que imaginamos.

    • Will

      Penso da mesma forma, desde quando o vi, tenho certeza que ele é o assassino.

  • Marcos Bastos

    Aquela cena final me deixou bem confuso com aquelas luzes…

    Acho que o Naz vai se afundar tanto nesse mundo da prisão que vai acabar sendo julgado culpado, mesmo inocente, e o verdadeiro culpado (que ainda acho ser o vizinho) vai ficar livre. Ou o Naz vai acabar passando mal com as drogas no estômago e nem julgamento vai ter.

    The Night Of sempre maravilhosa. E eu juro que vou ficar puto se todas essas referências a gatos não significarem nada no fim.

    • Steffi

      Também acho que de uma forma ou de outra o futuro do Naz parece meio obscuro…

    • Igor

      O vizinho é uma das minhas possibilidades também. E eu também acho que o Naz vai ser condenado culpado mesmo que seja inocente.

  • Marcos Bastos

    Aquela cena final me deixou bem confuso com aquelas luzes…

    Acho que o Naz vai se afundar tanto nesse mundo da prisão que vai acabar sendo julgado culpado, mesmo inocente, e o verdadeiro culpado (que ainda acho ser o vizinho) vai ficar livre. Ou o Naz vai acabar passando mal com as drogas no estômago e nem julgamento vai ter.

    The Night Of sempre maravilhosa. E eu juro que vou ficar puto se todas essas referências a gatos não significarem nada no fim.

    • Steffi

      Também acho que de uma forma ou de outra o futuro do Naz parece meio obscuro…

    • Igor

      O vizinho é uma das minhas possibilidades também. E eu também acho que o Naz vai ser condenado culpado mesmo que seja inocente.

  • Alan

    Episódio muito bom, com um ritmo mais acelerado, porém muito bom. As investigações avançaram e bem o que me deixa feliz. Eu ainda fico com o vizinho como suspeito. O Trevor e o amigo são suspeitos, mas acho que eles estão envolvidos com drogas e outros assassinatos.

    Por último, como é bom ver atores do The Wire em outras obras, sempre bate uma saudade.

  • Alan

    Episódio muito bom, com um ritmo mais acelerado, porém muito bom. As investigações avançaram e bem o que me deixa feliz. Eu ainda fico com o vizinho como suspeito. O Trevor e o amigo são suspeitos, mas acho que eles estão envolvidos com drogas e outros assassinatos.

    Por último, como é bom ver atores do The Wire em outras obras, sempre bate uma saudade.

  • ROGER JANSEN BASCHI

    O ministério da saúde adverte …..eczema,esteroides & viagra juntos é prejudicial a sua saúde !

  • ROGER JANSEN BASCHI

    O ministério da saúde adverte …..eczema,esteroides & viagra juntos é prejudicial a sua saúde !

  • Roberto Pereira

    Coisas que não gostei: a mudança de de Naz de um bundão com medo de mulher pra assassino serial killer de presídio me pareceu um pouco over demais, deveriam ter maneirado um pouco; John Stone (personagem maravilhoso, não sei como não entendem que a “insistência” nos pés “podres” do cara é pq é isso que toma conta da mente e constrange o personagem qse 24 horas por dia), seguir aquela cara barra pesada por becos e mais becos só com aquela barrinha de ferro?

    Pontos altos, a promotora induzindo o “especialista” inescrupuloso a dizer o que ela quer que ele diga com ares de fato indiscutível da perícia. Percebam o quanto a gente é induzido a acreditar na opinião “isenta” de “especialistas” dos mais diversos assuntos o dia inteiro pela mídia, jornais, rádios e tv. Achei ótima essa parte. Afinal a opinião da perícia é considerada quase imbatível em julgamentos e pelo juri.

    Enfim, tirando um certo exagero na violência extrema do Naz, e a cena maluca do Stone seguindo oc ara pelo beco, mais um episódio excelente dessa ótima série.

    Review tbm nota 10.

    • Fernando d.S.

      eu creio que já se passaram vários meses desde que o Naz foi preso, por isso houve essa mudança tão grande no personagem

      • Steffi

        Na verdade não. Quando o Stone deixou o gato no abrigo o homem falou que se não o adotassem ele seria sacrificado em dez dias. Nesse episódio Stone conseguiu salvá-lo por um dia! Então o tempo de Naz na prisão está perto de dez dias apenas.

    • Steffi

      Super concordo com seus prós e contras desse episódio. A perícia inabalável está apenas repetindo o que a promotoria quer que ela diga com ares de credibilidade absoluta. Isso é muito interessante e extremamente comum como você colocou.
      Valeu pelo comentario! 🙂

      • Roberto Pereira

        Valeu Steffi. É um prazer adicional ver séries que tem reviews feitos por vc.

  • Roberto Pereira

    Coisas que não gostei: a mudança de Naz de um bundão com medo de mulher pra assassino serial killer de presídio me pareceu um pouco over demais, deveriam ter maneirado um pouco; John Stone (personagem maravilhoso, não sei como não entendem que a “insistência” nos pés “podres” do cara é pq é isso que toma conta da mente e constrange o personagem qse 24 horas por dia), seguir aquele cara barra pesada por becos e mais becos só com aquela barrinha de ferro?

    Pontos altos, a promotora induzindo o “especialista” inescrupuloso a dizer o que ela quer que ele diga com ares de fato indiscutível da perícia. Percebam o quanto a gente é induzido a acreditar na opinião “isenta” de “especialistas” dos mais diversos assuntos o dia inteiro pela mídia, jornais, rádios e tv. Achei ótima essa parte. Afinal a opinião da perícia é considerada quase imbatível em julgamentos e pelo juri.

    Enfim, tirando um certo exagero na violência extrema do Naz, e a cena maluca do Stone seguindo o cara pelo beco, mais um episódio excelente dessa ótima série.

    Review tbm nota 10.

    • Fernando d.S.

      eu creio que já se passaram vários meses desde que o Naz foi preso, por isso houve essa mudança tão grande no personagem

      • Steffi

        Na verdade não. Quando o Stone deixou o gato no abrigo o homem falou que se não o adotassem ele seria sacrificado em dez dias. Nesse episódio Stone conseguiu salvá-lo por um dia! Então o tempo de Naz na prisão está perto de dez dias apenas.

    • Steffi

      Super concordo com seus prós e contras desse episódio. A perícia inabalável está apenas repetindo o que a promotoria quer que ela diga com ares de credibilidade absoluta. Isso é muito interessante e extremamente comum como você colocou.
      Valeu pelo comentario! 🙂

      • Roberto Pereira

        Valeu Steffi. É um prazer adicional ver séries que tem reviews feitos por vc.

  • João Paulo

    Acabei de colocar a série em dias, e é incrível como ela me fisgou. Eu não costumo gostar de séries de ritmo lento, mas com The Night Of é diferente. Ela tinha tudo para ser arrastada e sonolenta mas não é.

    Sobre essa episódio, gostei muito, achei o melhor desde o piloto, e foi muito interessante ver como um ambiente pesado como uma prisão vai moldando o Naz e ele vai fazendo o necessário para sua sobrevivência lá.
    O lado investigativo desse episódio foi incrível, tanto a montagem dos passos de Naz “naquela noite” por parte do detetive Box, como a parte do John.

    Sobre aquele final, foi bem o que foi falado no final da review. Aquelas luzes são das luzes UV que o Stone utiliza no seu tratamento nos pés, como indicado pelo médico, e o que dá pela entender é que não acontece nada naquele beco (?) e ele volta para casa e as usa.

    • Steffi

      Também achei esse o melhor episódio depois do piloto. 🙂

  • João Paulo

    Acabei de colocar a série em dias, e é incrível como ela me fisgou. Eu não costumo gostar de séries de ritmo lento, mas com The Night Of é diferente. Ela tinha tudo para ser arrastada e sonolenta mas não é.

    Sobre essa episódio, gostei muito, achei o melhor desde o piloto, e foi muito interessante ver como um ambiente pesado como uma prisão vai moldando o Naz e ele vai fazendo o necessário para sua sobrevivência lá.
    O lado investigativo desse episódio foi incrível, tanto a montagem dos passos de Naz “naquela noite” por parte do detetive Box, como a parte do John.

    Sobre aquele final, foi bem o que foi falado no final da review. Aquelas luzes são das luzes UV que o Stone utiliza no seu tratamento nos pés, como indicado pelo médico, e o que dá pela entender é que não acontece nada naquele beco (?) e ele volta para casa e as usa.

    • Steffi

      Também achei esse o melhor episódio depois do piloto. 🙂

  • Arthur Guerrante

    Que tensa aquela cena do contrabando! Muita informação junta! Ao mesmo tempo que o Naz se mostra extremamente tenso com a situação do contrabando, tendo que vigiar o exato momento de pegar os papelotes, e depois engolir disfarçando de todo mundo, ele tinha que interagir com os advogados, e ainda assim conseguiu passar a preciosa informação das 2 pessoas em frente a casa da Andrea.
    Gostei muito também da reação do Stone. Ele entendeu o drama do garoto e não o atrapalhou, fingindo que não estava percebendo nada, mas passou o recado no final.

    • Steffi

      Sim, o Stone realmente teve muito tato nessa situação.

  • Arthur Guerrante

    Que tensa aquela cena do contrabando! Muita informação junta! Ao mesmo tempo que o Naz se mostra extremamente tenso com a situação do contrabando, tendo que vigiar o exato momento de pegar os papelotes, e depois engolir disfarçando de todo mundo, ele tinha que interagir com os advogados, e ainda assim conseguiu passar a preciosa informação das 2 pessoas em frente a casa da Andrea.
    Gostei muito também da reação do Stone. Ele entendeu o drama do garoto e não o atrapalhou, fingindo que não estava percebendo nada, mas passou o recado no final.

    • Steffi

      Sim, o Stone realmente teve muito tato nessa situação.

  • Renan Rossi

    Que série, amigos. QUE SÉRIE!

  • Renan Rossi

    Que série, amigos. QUE SÉRIE!

  • Heloisa Martins

    Tô amando esta série! Me vejo sufocada a cada situação… Excelentes atuações. Só não consigo imaginar Tony Soprano fazendo o papel do Stone…

  • Heloisa Martins

    Tô amando esta série! Me vejo sufocada a cada situação… Excelentes atuações. Só não consigo imaginar Tony Soprano fazendo o papel do Stone…

  • Matheus

    Pra mim o verdadeiro culpado do assassinato é aquele padrasto da Andréa, senti que ele tinha uma certa obsessão pela garota.

  • Matheus

    Pra mim o verdadeiro culpado do assassinato é aquele padrasto da Andréa, senti que ele tinha uma certa obsessão pela garota.

  • Val Carnaval

    QUE EPISÓDIO!!!!
    sem dúvida alguma o melhor até agora, foi tudo perfeito desde a primeira até ultima cena -e que cena!

    Achei incrível essa mistura entre cenas tensas -como as de Naz se transformando na prisão e começando pagar o preço pela proteção, até as mais engraçadas -com Stone e seus problemas de ereção, tal como avisando o gato que estava de saída.

    Essa parte da Review >>>E o mais inquietante é que isso também chama a atenção de alguém como Freddy. “O homem está na UTI e você dorme como um bebê. Você tem alguns segredos, não tem?” <<< PAHHHH

    A partir deste momento comecei questionar se Naz é mesmo inocente.

    Em resumo: VEM LOGO E07

  • Val Carnaval

    QUE EPISÓDIO!!!!
    sem dúvida alguma o melhor até agora, foi tudo perfeito desde a primeira até ultima cena -e que cena!

    Achei incrível essa mistura entre cenas tensas -como as de Naz se transformando na prisão e começando pagar o preço pela proteção, até as mais engraçadas -com Stone e seus problemas de ereção, tal como avisando o gato que estava de saída.

    Essa parte da Review >>>E o mais inquietante é que isso também chama a atenção de alguém como Freddy. “O homem está na UTI e você dorme como um bebê. Você tem alguns segredos, não tem?” <<< PAHHHH

    A partir deste momento comecei questionar se Naz é mesmo inocente.

    Em resumo: VEM LOGO E06

  • Matheus Ramos

    Aquele momento em que a minissérie, podia ser série. Não quero que acabe!! )=

  • Matheus Ramos

    Aquele momento em que a minissérie, deveria ser série. Não quero que acabe!! )=

  • Rafha

    Cosplay de John Stone na Comic Con XP desse ano já é uma realidade.
    Sobretudo, sandálias e os pés bem embalados com manteiga.

  • Rafha

    Cosplay de John Stone na Comic Con XP desse ano já é uma realidade.
    Sobretudo, sandálias e os pés bem embalados com manteiga.

    • Carolina Favero

      Kakakakakaka boa ideia

  • tati

    Roteiro e ambientação primorosos. Tem um quê de filme noir. Turturro dando show a cada episódio. Discordo completamente daqueles que se queixam da lentidão da série. Ela flui magnificamente. São muitas camadas a serem reveladas.Uma série para ser saboreada a cada capítulo. Sempre que vejo Stone com seu sobretudo amarrotado, o jeitão desleixado e o talento investigativo (sim, porque ele está dando uma de detetive) não posso deixar de imaginar que a caracterização seja uma homenagem ao clássico Columbo de Peter Falk.

  • tati

    Roteiro e ambientação primorosos. Tem um quê de filme noir. Turturro dando show a cada episódio. Discordo completamente daqueles que se queixam da lentidão da série. Ela flui magnificamente. São muitas camadas a serem reveladas.Uma série para ser saboreada a cada capítulo. Sempre que vejo Stone com seu sobretudo amarrotado, o jeitão desleixado e o talento investigativo (sim, porque ele está dando uma de detetive) não posso deixar de imaginar que a caracterização seja uma homenagem ao clássico Columbo de Peter Falk.

  • Igor

    Ansiedade só cresce. ótima série, cada episódio novas duvidas e possibilidades vão surgindo.

  • Igor

    Ansiedade só cresce. ótima série, cada episódio novas duvidas e possibilidades vão surgindo.

  • Wellington Laurindo

    Acredito que as atitudes de Nasir nesse episódio dizem que ele não é esse menino inofensivo que a gente achava até então, mas não significa sua culpa no assassinato. E isso é excelente porque a dúvida é um dos maiores atrativos para eu continuar apreciando essa série. Não sabemos de nada assim como os personagens. E é impressionante, mais uma semana e que eu queria que essa série fosse uma Sherlock da vida, com 1h30 por episódio. Não consigo me cansar e quando acaba sempre quero mais! Excelente review Steffi!

  • Wellington Laurindo

    Acredito que as atitudes de Nasir nesse episódio dizem que ele não é esse menino inofensivo que a gente achava até então, mas não significa sua culpa no assassinato. E isso é excelente porque a dúvida é um dos maiores atrativos para eu continuar apreciando essa série. Não sabemos de nada assim como os personagens. E é impressionante, mais uma semana e que eu queria que essa série fosse uma Sherlock da vida, com 1h30 por episódio. Não consigo me cansar e quando acaba sempre quero mais! Excelente review Steffi!

  • Luiz Henrique

    Pra mim foi o melhor episódio da temporada depois do piloto. Gostei da menção que você fez do “‘Por que ele faria isso?’ -‘Porque não o conhecemos’”. Na cena mesmo me lembrou que vários estudiosos da psicologia do comportamento falam que quando nos decepcionamos com uma pessoa, não nos decepcionamos exatamente com ela, mas sim com a imagem que a criamos. Assim Chandra acha que aquilo não poderia ser atribuído a Nasir e Stone a lembra que aquilo pode ser daquilo que eles não conhecem, porque é o que realmente acontece, ambos tem é uma imagem de Nasir. Parabéns pela review Steffi, complementa bastante o episódio.