The Good Place 1×05: Category 55 Emergency Doomsday Crisis

2
470

Quando ser bom não é suficiente.

No quinto episódio – que abriu com um resumo de que Eleanor ainda está encarando tudo como um jogo de permanência – ela aparece surpreendida por ter acertado uma boa ação (mesmo que essa boa ação seja apenas ceder o lugar de alguém na fila da sorveteria). É perceptível que ela segue a tarefa de conquistar seu mérito no Lugar Bom, e especialmente nesse episódio ficou mais claro que ainda guarda um pouco daquele egocentrismo humano em esquecer as pessoas que te ajudam a alcançar determinado objetivo. Entretanto ainda percebo que alguma dose de humor se encontra fora do eixo, e pressinto que tudo pode ser culpa dos diálogos rasos que estão entregando ao elenco. Ou seja, se até mesmo Chidi estava entediado de trabalhar full-time como professor de Eleanor e (com aquelas tiradas filosóficas que em nada contribuem para a comédia), imagina o público?

Outro detalhe, o show anda pecando demais em capturar suspense. Toda vez que um plot abre espaço para determinado mistério, logo é resolvido no episódio seguinte e da forma mais elementar possível. Num determinado momento todo mundo está se importando com o buraco que está se expandindo, no dia seguinte todos estão caminhando felizes e batendo palmas para o sol como se nada tivesse acontecido. Tudo bem que é uma série cheia de artifícios cômicos e derivados, mas chega a ser um pouco frustante ver assuntos que dariam ótimas cenas sendo desperdiçados freneticamente. É preciso de pontos de virada para marcar o mistério que envolve cada trama e The Good Place até agora só apontou poucos momentos fortes o suficiente para enriquecer seus personagens.

THE GOOD PLACE -- "Category 55 Emergency Doomsday Crisis" Episode 109 -- Pictured: (l-r) Rebecca Hazlewood as Kamilah, Jameela Jamil as Tahani Al-Jamil -- (Photo by: Ron Batzdorff/NBC)
Rebecca Hazlewood (Kamilah, Jameela Jamil (Tahani)

Enquanto todo mundo tentava lidar com o buraco, Tahani relembrava os fantasmas do seu passado – ou melhor dizendo – os demônios do seu passado. A perfeita moça vivia na sombra da irmã (que conseguia ser 170% mais perfeita que Tahani). Seus pais não escondiam o favoritismo pela irmã e deixavam bem claro quem deveria ser a herdeira legítima de toda fortuna. Já no Lugar Bom Tahani descobre que era a penúltima no ranking dos moradores e passa então a realizar mais boas ações para ver se conseguia subir de posições. Assim como na vida passada ela tentou a qualquer custo fugir de uma hierarquia opressora (veja que irônico) sobre ser uma ótima pessoa. Foi interessante ver esse lado emocional dela, mas quando o plot “terminou”, ficou aquela sensação básica de… e daí? O que ajuda para a história deixar Tahani confusa sobre sua posição no ranking para no fim pintar seu rosto de picasso demonstrando uma pane no sistema do lugar?

O desaparecimento do sinkhole foi obviamente culpa das pazes entre Eleanor e Chidi, especialmente na capacidade dela em reconhecer o sacrifício dele em ensinar toda aquela baboseira sobre ser uma boa pessoa e bla bla bla, perdendo a sua chance de conhecer a verdadeira alma-gêmea. Mas será que já não seria Eleanor a verdadeira alma-gêmea de Chidi? Provavelmente sim. O Lugar Bom pode ser na realidade um grande teste de identificação e reparação de danos, construído para que tudo dê errado & certo ao mesmo tempo. Afinal, ser uma boa pessoa não significa ser uma pessoa perfeita e Eleanor está começando a enxergar isso. Só espero que os roteiristas percebam a mesma coisa, afinal um show de comédia ser apenas bom com piadas é aceitável, mas não o suficiente. Não mesmo.

1º What the Fork: As falas do Ted Danson (Michael) estão insuportáveis, sem falar na péssima atuação. Um desperdício de talento. Infelizmente. 

2º What the Fork: Chidi: “Eu não vou transar com alguém apenas para conseguir que ela pare de falar comigo!” Eleanor: “Sério? Eu e você somos BEM diferentes”.

3º What the Fork: Não tivemos maior participação do Jianyu nesse episódio e só preciso agradecer. 

4º What the Fork: Provavelmente a irmã da Tahani – per ter sido uma pessoa intelectualmente interessante – está no inferno. Provavelmente. 

5º What the Fork: É pessoal… até no Paraíso a louça não se lava sozinha.

 

  • Alan

    Gostei mais desse episódio, Ainda tem muito a melhorar, mas algumas piadas me fazem rir. Realmente, não aparecer o monge é uma satisfação, melhora o episódio. Não sei muito de filosofia, estudei pouco e li poucos livros, mas algumas tiradas eu rio é acho muito interessante, pessoalmente eu acho que deveriam continuar.

  • Guilherme Silva

    Vocês esqueceram de citar sobre Beyoncé.