The Goldbergs 4×02: I Heart Video Dating

1
160

Usando a fórmula tradicional sem deixa a peteca cair.

Há vários fatores que fazem com que The Goldbergs seja essa série fofa e peculiar, mas o principal deles é a utilização de aspectos da década de 80 como pontos-chaves do episódio. E nessa semana tivemos mais símbolo cultural da época sendo abordado, e um bem bizarro por sinal.

As formas de xavecar e conhecer pessoas novas eram bem escassas há 30 anos atrás. Não havia internet com as redes sociais para você dar aquela checada na pessoa, cutucá-la ou curtir 3 fotos estratégicas para mostrar o seu interesse, bate-papo do Uol para “tc” ou nem mesmo o famigerado speed date chamado Tinder. A única tecnologia da época era o telefone e o VHS, então nada mais natural do que utilizá-las para encontrar a pessoa amada.

Em um dos plots do episódio, Erica decide ajudar o pai da Lainey a encontrar uma nova gatinha, 5 anos após a solidão de ser chutado pela ex-esposa, através do video dating, uma combinação bizarra entre disk galera e propaganda eleitoral. Adorei todo o andamento dessa história, com destaque pro David Koechner em mais uma participação especial. Ri muito dele com aquela meia da ex-esposa e da sua cena com o Murray, e mais ainda com aquele vídeo de Macho Man dele.

A única razão da Erica ter ajudado o Sr. Lewis foi pra provar pra si mesma de que é ótima no quesito amoroso e para esquecer do Geoff e dos pensamentos de que irá ficar pra titia. Toda essa situação foi aquela tradicional jogada de  “esconder os meus sentimentos, então vou gastar toda a minha energia e concentração em algo igual a que eu estou enfrentando, mas que prefiro deixar baixo.” Claramente não deu certo e ela teve que recorrer ao video dating para achar alguém. Pífio e patético, pois a Hayley Orrantia, um pudinzinho de leite, ficar nesse estado é bem irreal.

Outra coisa meio irreal é esse amor todo de sua personagem pelo Geoff. Ela renegou o cara por anos e, só agora que ele encontra alguém, ela fica doidinha por ele, mas o pior de tudo é que essa evolução romântica dela aconteceu em 2, 3 episódios, sem dar tempo pra gente ver esse amor perdido evoluir, com ela vendo a cagada que fez e sentindo remorso. Ao invés disso, os roteiristas preferiram pular várias etapas e BUM, já colocaram na nossa cara que ela está amando o menino e não aguenta viver sem ele. Bem forçada e afoita essa decisão.

Do outro lado, temos o Barry em mais uma de suas histórias malucas e hilárias, em que ele decide ser um professor de educação física e ter o Coach Mellor como seu mentor. O professor é um ótimo personagem, e vê-lo por mais tempo nessa semana foi bem proveitoso, arrancando algumas boas risadas.

Até que faz sentido com que o Barry decida essa profissão, a única qualidade dele é o atletismo, já que podemos concordar que a sua inteligência não é muito apreciável. O cara dominou esse episódio com todo aquele entusiasmo e ingenuidade de criança com o poder de comandar a sua turma em um dos jogos mais bizarros já feitos: crab hockey. Mas a melhor parte foi ele com a bola de cristal, memorável.

O destaque final vai para o Murray, que brilhou nesse episódio durante suas cenas com o Bill e nos diálogos com o Coach Mellor. Saiu da sua zona de conforto (leia-se cadeira reclinável em frente a TV) e fez um bom trabalho.

Mantendo o bom nível de sua premiere, The Goldbergs entregou um bom episódio que fez o esperado: divertiu, fez o tempo passar e teve o Barry sendo hilário.

Tasty Thoughts:

– Coach Tasty!

– Poderia ver um episódio inteiro sobre o Barry fazendo previsões naquela bola de cristal.

– Esse hóquei estilo caranguejo parece ser um esporte torturante e bem desgastante pra todos os músculos. Que crossfit que nada

– Vimos o Adam por pouco tempo e, confesso, que nem senti falta dele. Porém, o vídeo que ele fez do Sr. Lewis foi ótimo.

– O bromance entre o Murray e o Bill é fenomenal, adoraria mais plots sobre os dois.

– Erica, me liga que eu te tiro dessa fossa.

– “Champions are losers who forget to give up!”. O Barry já mostrou que já tem vocação só com essas frases motivacionais.

– Grandpa Golberg usando o video dating e pegando geral. Que velhinho charmoso.

  • Rei Gelado

    Outro bom episódio de The Goldbergs que continua seguindo a mesma cartilha de sempre. Gosto quando a Lucky aparece, é bacana ver que os roteiristas não ignoram a cachorrinha rs.

    Por mais que o Adam não tenha feito falta no episódio, é estranho o cara que conta a história aparecer menos que os outros personagens da série. Temporada passada ele ficou sumido uns 3 ou 4 episódios.