Stranger Things 1×08: Chapter Eight: The Upside Down [Season Finale]

Inspire. Expire.

188
1401

E finalmente chegamos à season finale de Stranger Things, e que finale! Desde o primeiro ao último minuto de The Upside Down, os irmãos Duffer não deixaram a peteca cair e mostraram que sabem transformar toda a expectativa em um ótimo clímax. A grande maioria das resposta foram respondidas e as tramas foram devidamente concluídas, deixando, porém, um gancho eficiente para a provável segunda temporada.

O episódio já começa com Joyce e Hooper sendo torturados pelos agentes do governo. Além de percebermos o total desespero do homem grisalho de reaver Eleven, descobrimos que mais vítimas foram raptadas pela criatura e que a tentativa de entrar no mundo invertido é tão suicida, que bastou um acordo para que Joyce pudesse ir atrás de seu filho.

Todo o trajeto dentro desse novo mundo foi realizado de forma bem sombria, assemelhando-se aos clássicos de ficção científica. A trilha sonora aumentava essa sensação de desconforto e estranheza, além de combinar com toda a atmosfera criada. As descobertas que faziam se adequaram de forma incrível ao esperado flashback do Hooper. A paleta de cores do flashback e do momento atual criaram um bom contraste, adequando-se a cada situação e dando um bom contraponto com a diferente perspectiva do xerife nesses dois momentos.

No mundo invertido, várias teorias podem ser levantadas com o que foi mostrado. O ovo quebrado, por exemplo, pode ser da criatura ou de outro ser que ainda não vimos, afinal de contas, há uma boa probabilidade desse mundo estar repleto de monstros. Além disso, vemos Will ser salvo, de forma impactante, do que seria um coma induzido por uma parte da criatura.

Analisando a cena final da série e o momento que vemos o corpo de Barbara, pode-se perceber que a lesma(?) que sai da boca de Barb é do mesmo tipo que sai de Will. Da mesma forma que não vimos a morte de Will, também não vimos a de Barbara, sendo assim, a menina também deve ter sido induzida a esse estado vegetativo, haja visto que o corpo dela se manteve intacto. A provável causa da morte de Barbara foi a reprodução dessas lesmas dentro do corpo dela, o que está acontecendo com Byers.

No quinto episódio, comentei a possibilidade de o título estar fazendo referência a certos insetos, criador com S. King, ligados diretamente aos vampiros. Esses insetos se alimentam de sangue e carne fresca. Se essas lesmas realmente estiverem exercendo o mesmo papel desses insetos, é perfeitamente possível que Will esteja sendo consumido internamente.

Outra teoria possível é a que estará virando a própria criatura. Nesse caso, essas lesmas seriam “filhotes” do monstro e estão interagindo com o DNA do menino, tal qual acontece com um homem e uma mosca no filme The Fly (1986). A falha dessa teoria é que não houve transformação percebida em Barbara.

Há ainda quem imagine que Will, na verdade, está morto e que essa expulsão das lesmas seria um indício de que o corpo do garoto está possuído pela criatura ou que está em processo de decomposição. Essa teoria também não me parece muito precisa, pois o menino pareceu realmente assustado com sua situação e Barb apareceu morta e não teve habilidade de voltar a vida. De qualquer forma, tais explicações muito provavelmente serão dadas na próxima temporada, mas ainda acredito mais na primeira teoria.

Voltando ao mundo normal, temos Nancy e Jonathan e uma das melhores sequências de toda a série. A forma que os dois evoluíram e amadureceram até o derradeiro momento de enfrentar a criatura foi bem desenvolvida. Toda a parte da preparação das armadilhas mostrou toda a engenhosidade do casal e a determinação de ir até o fim para matar a criatura. O que não se esperava era a presença de Steve de forma decisiva.

O rapaz apareceu decidido a se reparar, já tinha começado no sétimo episódio, e foi determinante para salvar Nancy e Jonathan do monstro. As armadilhas funcionaram bem, mas a criatura conseguiu sobreviver, ou seja, todo esse esforço perdeu a utilidade e só serviu para termos bons momentos na finale.

O ponto do alto do episódio, e de toda a temporada, continuou sendo a Eleven. Desde o lindo momento em que ela tenta entender sobre o amor de Mike, até o sacrifício final com a criatura. E como a Millie Bobby Brown é mega expressiva! Não consigo cansar de elogiar o elenco de Stranger Things, mas essa menina zerou a série fácil, fácil.

As cenas em que ela mata todos os agentes (Fringe mandou um oi) e enfrenta o monstro são de uma força inacreditável. Ver Eleven crescendo quando se encontrava mais fragilizada foi de uma sensibilidade espetacular, pois deu pra notar o esforço que ela fez para proteger aos que ela amava. A cena em que ela se sacrifica pelos amigos é linda. Não há metáforas ou pensamentos profundos por trás desse ato. Eleven deu sua vida por seus amigos. Eleven mostrou seu amor por Mike, Lucas e Dustin no momento mais difícil, e é assim que será lembrada. Como uma menina disposta a sacrificar tudo em nome do amor.

Stranger Things sobe o nível do último episódio com resoluções eficientes, atuações precisas e novas perguntas. A série volta ao início, com os meninos jogando RPG tranquilamente, mas Will não vai para a casa sozinho e Mike olha para o canto com pesar. Pode-se tentar voltar a rotina, mas todos lembrarão quando coisas estranhas aconteceram na pequena cidade de Hawkings.

Familiar Things

Homenagem linda à Alien (1979).

img1

As referências aos X-Men estão em toda a série, sendo a saga da fênix negra uma das primeiras. Pode-se perceber que os poderes de Eleven foram inspirados nos de Jean Grey e do Professor Xavier, porém toda a jornada de El se assemelha mais a da feita por Jean. Eis algumas similaridades: El apresenta diversos traumas mal resolvidos;Tem um romance com o “líder” do grupo;Piora suas condições após usar demasiadamente os poderes;Se sacrifica por um bem maior; “Morre” desintegrada e, antes, se despede de forma tocante de seu grande amor; Há incertezas sobre sua morte.

Impossível falar da maravilhosa trilha sonora da série e não perceber a semelhança com a de Tron (1982) e Tron: Legacy (2010).

Seus olhos ficaram meio ruins após esse episódio? Os meus quase não aguentaram essas piscadas frenéticas.

Hooper parece ter feito um acordo bem maior do que o que foi mostrado. Será que se envolverá diretamente com o governo na próxima temporada? Viajando pelos mundos, talvez?

Tal qual o filme My Girl (1991), tivemos um lindo romance infantil cercado de tragédia. No final de ambos, temos uma das crianças tendo que aprender ainda cedo a lidar com a perda.

Últimas indicações da temporada! Para Ver: Alien (1979), Tron (1982), The Fly (1986) e Jaws (1975).     Para Ler: Os Fabulosos X-Men: A saga da Fênix ( #101-108) e Os Fabulosos X-Men: A Saga da Fênix Negra ( #129-138).

Foi um prazer realizar as reviews de Stranger Things e nos vemos na próxima temporada!

R.I.P. Eleven.

  • Eu gostei muito. Assisti tudo em 2 dias. A série acertou na quantidade de episódios, na escolha do elenco – as crianças são excelentes, o que é bem raro em séries -, na fotografia, na enxurrada de referências e homenagens, no roteiro enxuto e bem amarrado. Eu não tenho críticas negativas. Stranger Things é uma série que eu recomento pra qualquer pessoa, seja homem ou mulher, criança ou adulto, fã de suspense ou não. E de todas as personagens, a Nancy foi a que mais me conquistou. Uma garota inteligente, sensível, aparentemente frágil, mas muito corajosa e determinada. Um arraso.

    https://67.media.tumblr.com/a558802f7666d4f4e3edd1ca1a503cf4/tumblr_oamp3iJgq31ua6kk3o2_500.gif

    P.s.: ela me lembra a Keira Knightley.

    • Johnny

      Me lembra muito a Emmy Rossum de Shameless também, principalmente ela mais novinha, tipo em Fantasma da Ópera

      • Lara Loureiro

        Nossa, parece mesmo.

  • Eu gostei muito. Assisti tudo em 2 dias. A série acertou na quantidade de episódios, na escolha do elenco – as crianças são excelentes, o que é bem raro em séries -, na fotografia, na enxurrada de referências e homenagens, no roteiro enxuto e bem amarrado. Eu não tenho críticas negativas. Stranger Things é uma série que eu recomento pra qualquer pessoa, seja homem ou mulher, criança ou adulto, fã de suspense ou não. E de todas as personagens, a Nancy foi a que mais me conquistou. Uma garota inteligente, sensível, aparentemente frágil, mas muito corajosa e determinada. Um arraso.

    https://67.media.tumblr.com/a558802f7666d4f4e3edd1ca1a503cf4/tumblr_oamp3iJgq31ua6kk3o2_500.gif

    P.s.: ela me lembra a Keira Knightley.

    • Johnny

      Me lembra muito a Emmy Rossum de Shameless também, principalmente ela mais novinha, tipo em Fantasma da Ópera

      • Lara Loureiro

        Nossa, parece mesmo.

  • Marcos Bastos

    Perfeita. Os 8 episódios passaram voando. Já considero uma das melhores séries originais Netflix. É difícil acreditar que é uma produção dessa década. Parece que gravaram nos anos 80 e guardaram pra ser lançado esse ano. O nível de detalhes, a fotografia, trilha sonora, e até a fonte usada nos créditos iniciais e nome do episódio lembram aquela época. E a abertura é espetacular, mesmo sendo tão simples.

  • Marcos Bastos

    Perfeita. Os 8 episódios passaram voando. Já considero uma das melhores séries originais Netflix. É difícil acreditar que é uma produção dessa década. Parece que gravaram nos anos 80 e guardaram pra ser lançado esse ano. O nível de detalhes, a fotografia, trilha sonora, e até a fonte usada nos créditos iniciais e nome do episódio lembram aquela época. E a abertura é espetacular, mesmo sendo tão simples.

  • Vine

    Me lembrei do A nightmare on Elm Street quando a Nancy tava bolando armadilhas pra trazer o monstro à sua dimensao e tentar mata-lo.

  • Vine

    Me lembrei do A nightmare on Elm Street quando a Nancy tava bolando armadilhas pra trazer o monstro à sua dimensao e tentar mata-lo.

  • Flavio Batista

    Adorei as review! A série é fantástica e me manteve ligado até o final. E os lanchinhos q o Hooper deixa na caixa no meio da floresta? Seriam pra El?

    • Lara Loureiro

      Olá Flavio, que bom que gostou!! Sobre os lanchinhos, ficou claro pra mim que são para El. Agora, se foi uma homenagem à menina ou uma forma de alimentá-la no outro mundo….

      • Flavio Batista

        Se bem q sera q faz sentido? talvez seja mais uma forma de homenagem mesmo.
        Porque vamos pensar: como Will sobreviveu tanto tempo do outro lado? tem comida la tambem, uma vez q é uma versao quase identica do nosso mundo? talvez tenha se alimentado de frutas e sei la mais o q… Sera q viajei muito? rsrs

        • Lara Loureiro

          Do jeito que Will estava no sétimo episódio, acho que ele não se alimentava lá. O mundo invertido parece ter algumas limitações. A criatura, por exemplo, tinha que caçar em outro mundo. Temos que pensar também que a história se passa em menos de um mês, então seria perfeitamente possível que o Will sobrevivesse sem se alimentar. Abs.

          • Flavio Batista

            ah, muito bem pensando nisso de q a criatura tinha q vir pra ca pra comer. so q qdo a El o encontra a primeira vez, ele nao esta comendo?
            Ja teria ele acesso a outros mundos? ou a comida em seu mundo é tao escassa q ele prefere vir pra ca?
            Sobre Will, cheguei a pensar nisso, em ele simplesmente estar sem comer. Creio q a historia se passe em pouco mais de 2 semanas. nao fiz a conta, mas uam pessoa pode ficar mesmo 1 mes sem comer. Mas e sem beber? ah, ja to querendo demais ne?

          • Lara Loureiro

            Bem, quando os meninos discutem a teoria de mundos paralelos com o Mr. Clarke, ele comenta da possibilidade de haver vários outros mundos. Como a criatura tem habilidade criar portais, é bem provável que não seja a primeira vez que ele visita um outro mundo, ainda mais se prensarmos nas infinitas frequências que Eleven não explorou. Sobre a falta de água, o mundo invertido parece ser bem úmido, o que sugere que há líquidos no local. E se percebermos, a criatura era atraída por sangue (comida) e não por água.
            Espero ter conseguido esclarecer algumas coisas. Abs.

  • Flavio Batista

    Adorei as reviews! A série é fantástica e me manteve ligado até o final. E os lanchinhos q o Hooper deixa na caixa no meio da floresta? Seriam pra El?

    • Lara Loureiro

      Olá Flavio, que bom que gostou!! Sobre os lanchinhos, ficou claro pra mim que são para El. Agora, se foi uma homenagem à menina ou uma forma de alimentá-la no outro mundo….

      • Flavio Batista

        Se bem q sera q faz sentido? talvez seja mais uma forma de homenagem mesmo.
        Porque vamos pensar: como Will sobreviveu tanto tempo do outro lado? tem comida la tambem, uma vez q é uma versao quase identica do nosso mundo? talvez tenha se alimentado de frutas e sei la mais o q… Sera q viajei muito? rsrs

        • Lara Loureiro

          Do jeito que Will estava no sétimo episódio, acho que ele não se alimentava lá. O mundo invertido parece ter algumas limitações. A criatura, por exemplo, tinha que caçar em outro mundo. Temos que pensar também que a história se passa em menos de um mês, então seria perfeitamente possível que o Will sobrevivesse sem se alimentar. Abs.

          • Flavio Batista

            ah, muito bem pensando nisso de q a criatura tinha q vir pra ca pra comer. so q qdo a El o encontra a primeira vez, ele nao esta comendo?
            Ja teria ele acesso a outros mundos? ou a comida em seu mundo é tao escassa q ele prefere vir pra ca?
            Sobre Will, cheguei a pensar nisso, em ele simplesmente estar sem comer. Creio q a historia se passe em pouco mais de 2 semanas. nao fiz a conta, mas uam pessoa pode ficar mesmo 1 mes sem comer. Mas e sem beber? ah, ja to querendo demais ne?

          • Lara Loureiro

            Bem, quando os meninos discutem a teoria de mundos paralelos com o Mr. Clarke, ele comenta da possibilidade de haver vários outros mundos. Como a criatura tem habilidade criar portais, é bem provável que não seja a primeira vez que ele visita um outro mundo, ainda mais se pensarmos nas infinitas frequências que Eleven não explorou. Sobre a falta de água, o mundo invertido parece ser bem úmido, o que sugere que há líquidos no local. E se percebermos, a criatura era atraída por sangue (comida) e não por água.
            Espero ter conseguido esclarecer algumas coisas. Abs.

  • Ivan182

    Só não gostei muito de como trataram a resistência do monstro, o Steve derrubou o bicho com um taco de prego e um monte de soldado com metralhadoras (num corredor sem espaço pra se desviar) não fere a fera?

    • Flavio Batista

      Eu comentei a mesma coisa por aqui… achei meio forçado. mas pode ser explicado pq o monstro parecia particularmente interessado na El. Talvez ele estivesse desesperado por ela por algum motivo q ainda nao sabemos.
      mas q foi muito estranho foi.

      • Gabriel

        Não lembro de terem dito que o monstro queria a El em específico, ele só estava no local pelo sangue. Os 3 conseguiram “derrubar” o monstro por causa da armadilha e do fogo, senão, após o atacarem com o taco, o bicho mataria os três logo em seguida.

        • Flavio Batista

          Ah, saquei… o fogo deve ser o diferencial. Qto a ele buscar a El, eu to so especulando. Pq ele ja tinha matado os soldados, sangue pra todo lado. Pq ele continuou indo pra cima deles? Meu palpite era q ele tinha algo com a El. Mas posso estar viajando.

        • edujakel

          minha teoria é q o monstro que atacou os 3 adolescentes foi o que nasceu do ovo. O que atacou no ginásio era a “mae” que atacou desde o comeco. Era mais forte.

    • Vine

      Deve ser o fogo. As crianças o deixaram em chamas e ele arregou. Geralmente, o ponto fraco das criaturas dos filmes, livros e jogos é o fogo.

  • Ivan182

    Só não gostei muito de como trataram a resistência do monstro, o Steve derrubou o bicho com um taco de prego e um monte de soldado com metralhadoras (num corredor sem espaço pra se desviar) não fere a fera?

    • Flavio Batista

      Eu comentei a mesma coisa por aqui… achei meio forçado. mas pode ser explicado pq o monstro parecia particularmente interessado na El. Talvez ele estivesse desesperado por ela por algum motivo q ainda nao sabemos.
      mas q foi muito estranho foi.

      • Gabriel

        Não lembro de terem dito que o monstro queria a El em específico, ele só estava no local pelo sangue. Os 3 conseguiram “derrubar” o monstro por causa da armadilha e do fogo, senão, após o atacarem com o taco, o bicho mataria os três logo em seguida.

        • Flavio Batista

          Ah, saquei… o fogo deve ser o diferencial. Qto a ele buscar a El, eu to so especulando. Pq ele ja tinha matado os soldados, sangue pra todo lado. Pq ele continuou indo pra cima deles? Meu palpite era q ele tinha algo com a El. Mas posso estar viajando.

        • edujakel

          minha teoria é q o monstro que atacou os 3 adolescentes foi o que nasceu do ovo. O que atacou no ginásio era a “mae” que atacou desde o comeco. Era mais forte.

    • Vine

      Deve ser o fogo. As crianças o deixaram em chamas e ele arregou. Geralmente, o ponto fraco das criaturas dos filmes, livros e jogos é o fogo.

  • Flavio Batista

    E, Lara, vamos combinar: o q foi aquela cena do Mike tentando explicar pra El q gostava dela? quase chorei, mas acabei sorrindo. Foi uma das cenas mais lindas q eu ja vi. A carinha q ela fez depois do beijo. Essa mina quebra tudo, fazendo quase nada. Uma graça

    • Lara Loureiro

      El é muito fofa. Ela tentando entender o que o Mike estava falando foi tão lindinho que me deixou ainda pior quando ela teve que enfrentar o monstro. Millie arrasou em ST.

  • Flavio Batista

    E, Lara, vamos combinar: o q foi aquela cena do Mike tentando explicar pra El q gostava dela? quase chorei, mas acabei sorrindo. Foi uma das cenas mais lindas q eu ja vi. A carinha q ela fez depois do beijo. Essa mina quebra tudo, fazendo quase nada. Uma graça

    • Lara Loureiro

      El é muito fofa. Ela tentando entender o que o Mike estava falando foi tão lindinho que me deixou ainda pior quando ela teve que enfrentar o monstro. Millie arrasou em ST.

  • Flavio Batista

    Ah, lembrei de uma coisa agora… Alguem mais se incomodou q o monstro tomou um couro lindo dos 3 adolescentes (tudo bem q tinha as armadilhas, fogo e talz) mas ele simplesmente arrebentou com soldados armados com metralhadoras?
    Pode ser que ele estava mais determinado pra pegar a El, mas achei meio estranho…

    • Gabriel

      Os soldados só usaram arma. Não lembro de terem mencionado que o monstro queria a El em específico. Contudo, os 3 usaram diversos equipamentos.

    • edujakel

      A minha teoria é q o monstro que atacou os 3 adolescentes foi o que nasceu
      do ovo. O que atacou no ginásio era a “mae” que atacou desde o comeco.
      Era mais forte.

      • Flavio Batista

        boa! nao tinha pensado nisso…

  • Flavio Batista

    Ah, lembrei de uma coisa agora… Alguem mais se incomodou q o monstro tomou um couro lindo dos 3 adolescentes (tudo bem q tinha as armadilhas, fogo e talz) mas ele simplesmente arrebentou com soldados armados com metralhadoras?
    Pode ser que ele estava mais determinado pra pegar a El, mas achei meio estranho…

    • Gabriel

      Os soldados só usaram arma. Não lembro de terem mencionado que o monstro queria a El em específico. Contudo, os 3 usaram diversos equipamentos.

    • edujakel

      A minha teoria é q o monstro que atacou os 3 adolescentes foi o que nasceu
      do ovo. O que atacou no ginásio era a “mae” que atacou desde o comeco.
      Era mais forte.

      • Flavio Batista

        boa! nao tinha pensado nisso…

  • Dhiego

    Para quem vivia pedindo uma máquina do tempo, a NetFlix resolveu o problema com essa série. Simplesmente perfeita!

  • Dhiego

    Para quem vivia pedindo uma máquina do tempo, a NetFlix resolveu o problema com essa série. Simplesmente perfeita!

  • Eu saí da maratona de Stranger Things (vi tudo em um dia) com uma sensação tão estranha.

    Em resumo, eu acho que faltou muito trabalho autoral na série. Os irmãos criadores praticamente condensaram quatro décadas de séries e filmes em sua trama. Não há um só recurso visual ou narrativo que não tenha sido usado antes, e isso me tirou da série o tempo todo. Aqui e ali eu só ficava pensando em A Hora do Pesadelo, por exemplo, com saudosismo e morrendo de vontade de pausar a série e ir ver os filmes do Freddy. Aqui e ali eu só pensava “isso é bom, mas é bom porque foi tirado de outro lugar”.

    Para mim, a série é divertida, mas funciona mais como homenagem e celebração dos anos oitenta do que como história. Ela não se sustenta por si só, não traz a originalidade que a época retratada tanto buscou. Se você tira TODAS as referências, não sobra absolutamente NADA, nem as personagens. Sendo assim, para mim, parece um trabalho de colagem. Acaba que nós achamos tudo inteligente, divertido e bem feito porque todos os elementos que deram certo em outros projetos foram usados aqui. E esse é um jeito esquisito de escrever/produzir uma série.

    Alguém mais ficou com essa sensação? Lara? haha

    • Lara Loureiro

      Então Welson, não posso discordar. A série realmente usa e abusa da estética, ideias e quase tudo dos anos 80. O que me chamou atenção em ST, porém, foi a habilidade que os irmãos Duffer tem para conseguir traduzir toda uma década em uma série com 8 episódios e de forma coerente. Um dos maiores diretores da nossa era (Tarantino) também faz muito isso em seus filmes. Se isso prejudica a série no geral? Acho que não.
      Todavia, espero que a segunda temporada seja mais ousada, criativa.
      Obrigada por ler a review e Abs.

      • Então, mesmo com tudo o que eu apontei, ainda assim eu consigo recomendar ST e achar bem divertida e montada. Talvez seja uma questão bem pessoal mesmo, relacionada a forma como alguém recebe esse tipo de conteúdo.

        Fiquei pensando tanto nisso que corri para o Metacritic só para ver se algum crítico tinha levantado isso, ou se eu só estava sendo rabugento e chato (eu sou sempre rabugento e chato), e alguns tocaram nessa questão.

        Destaco duas frases de duas reviews diferentes, com as quais concordo:

        “Stranger Things não se estabelece como nada além de um memorial do que foi, em vez de uma celebração do passado E do presente”

        “Nada aqui parece particularmente novo, a não ser a maneira como os irmãos Dufferers colocaram tudo junto…”

        Enfim, acho uma discussão interessante essa reflexão sobre como ao elogiar uma coisa do presente, na verdade, estamos elogiando a inspiração no passado, o original.

        É talvez um debate longo demais hahaha

        Parabéns pela cobertura da série, Lara.

        • Lara Loureiro

          Que isso, Welson! Fique tranquilo para opinar e se expressar, esse tipo de debate enriquece muito no entendimento da série.
          Concordo muito com o que você disse, e realmente percebe-se o quanto Stranger Things tenta homenagear e referenciar os anos 80. O fato de haver muitas referências e pouca originalidade não me incomodou muito, ainda mais se analisarmos o estilo dos Duffer. Recomendo ver o filme Hidden, que foi o único longa dirigido pelos irmãos e mostra que há sim um traço deles em ST.
          Abs.

    • Flavio Batista

      Eu tb percebi tudo isso, mas nao chegou a me incomodar nao.
      Concordo com quase tudo que disse, menos com o lance das personagens. Pode ser que as tenhamos visto aqui ou acolá em outras series ou filmes, mas eu realmente me importei com elas, mesmo com os conflitos bobos de adolescentes. Ate o Steve eu consegui curtir.
      Não é facil fazer essa colagem e ainda assim, ficar bom. Nao soou como apenas copia descarada, acho q tem uma historia interessante ali pra ser contada. nao vou me delongar pq acho q a Lara disse muito bem isso abaixo rsrs

      • Ah, Flavio, a parte das personagens é que mesmo elas não são originais da série, e poderiam, sabe? hahaha Cada um deles foi retirado de algum lugar e constavam em pelo menos três filmes, e olha que não tenho a maior base de referência do mundo.

        Continuo achando a série divertida e tudo mais, até recomendo, mas fiquei com essa sensação estranha, e ela não me permite sair classificando a série como “excepcional”, “necessária”, “imperdível”.

        É divertida, mas é divertida porque é uma colagem bem realizada e só.

        • Flavio Batista

          Entendi, seu ponto de vista. Mas ainda bem q conseguiu se divertir, pq eu sei bem qdo a gente encrenca com algo numa serie e nao consegue gostar rs
          Na real, so o q me incomodou foi o monstro ter sido rechaçado pelos adolescentes com tiro, porrada e bomba (fogo no caso) rsrs e na escola ele passou por cima de soldados armados com metralhadoras!

          • João Souza

            você não prestou atenção… A cena deixou isso implícito e você não pegou… Na hora que Lucas da um tiro de estilingue, a cena faz a gente pensar que isso fez o bicho ir parar na parede. Logo em seguida, a Eleven levanta com força, dando a entender que foi ela que jogou o bicho na parede. Sacou? E os adolescentes não espantaram o bicho com fogo, claro que ele tinha que reagir ao fogo, mas o que fez ele sair dali foi o cheiro do Sangue dos agentes mortos por El lá no colégio, inclusive eles dizem isso…

        • Vine

          Agora que a nostalgia e o hype passou, isso que você falou fica mais perceptível.

    • San Ramon

      concordo plenamente

    • The Man MAchine

      Concordo Welson, você não é o único que teve essa sensação. tava esperando sair a review do ultimo ep. pra escrever quase a mesma coisa e esperando ser malhado, pois a maioria do pessoal é só elogios. Claro que a série é boa, fofa, muito bem produzida, mas eu vivi muito os anos 80, vi praticamente todos os filmes referencia da série, sem falar na parte musical também, e em certos momentos achei um excesso de referencias, muita colagem. talvez pra quem não viveu naquela época tenha sido uma experiencia mais intensa, mas pra mim, ficou forçado demais em alguns momentos. Gosto muito da Winona Rider, mas não curti ela nessa série, ainda não sei se é a atuação ou a personagem que achei a mais chata, a que menos tive empatia. Acho que a Drew Barrimore atuaria melhor nesse papel de mãe, sem falar que ela esteve lá em E.T. hahaha. Gostei de ver a Cara Buono atuando direito, como ela foi mal aproveitada em Person of Interest. Ainda assim o ponto positivo foi o elenco, porque se não fosse isso a série correria o risco de ser uma bomba. Os ator que fez o MIke segurou a onda, dos elenco mirim achei o melhor. Não gostei muito do monstro também, e nem foi pela CGI, gostaria de ver um monstro melhor desenvolvido. Também não sei se precisaria de mais uma temporada, o final ficou meio aberto, mas ficou bem no esquema dos filmes da época mesmo, tipo tudo termina bem , mas daí na cena final tem aquele cliffhangerzinho pra deixar a possibilidade de uma continuação. O lance da lesminha senti uma vibe do filme The Hidden, o de 1987 com o Kyle Maclachlan e também do Shivers do Cronenberg. gostaria de ver o que sobraria da série sem todas as referencias hehehe.

      • João Souza

        já te passou pela cabeça que a intenção da série é exatamente essa? E que deu super certo? Talvez o mote da série NUNCA tenha sido ser mais autoral que referencial.

      • Agora vai você e eu tentar fazer as pessoas enxergarem dessa forma, hein? HAHAHAHA

        Quanto a Winona, eu acho que faltou muito direção de ator, sabe? Creio que os irmãos deixaram nas mãos dela, por já ser experiente e tudo mais, o que acabou fazendo com que errasse a mão aqui e ali, e acabou com um saldo não tão positivo para a personagem. (AMO a Winona e AMO saber que está voltando)

        Também não gostei do monstro. Achei muito funcional e muito incoerente. Ele aparecia aqui e ali, mas não foi elaborado nada substancial sobre a criatura, sendo apenas algo que aparecia quando o roteiro precisava;

        E acho que sobraria um painel verde hahaha

    • João Souza

      já te passou pela cabeça que a intenção da série é exatamente essa? E
      que deu super certo? Talvez o mote da série NUNCA tenha sido ser mais
      autoral que referencial….

      • então, João, é o que estou dizendo desde o começo: a série é boa, mas não é boa pelo motivos certos;

        sim, passou pela minha cabeça que esse seja o objetivo, e essa é justamente a minha crítica, porque, sendo assim, só enxergo um trabalho preguiçoso que poderia ter ido muito mais além.

        • João Souza

          rapaz, sua crítica é uma completa contradição. Não é um trabalho preguiçoso se é um trabalho planejado para ser daquele jeito e atingir o público exatamente por ser daquele jeito. Você está mantendo sua mente fechada para o que poderia ser, caso você fizesse a série. Mas é como eu disse antes, a série foi extremamente planejada pra ser uma cachoeira de referências… Esse é o plano, não a saída. The Big Bang Theory é uma série cheia de referências, mas que nem por isso usa como base. Já Stranger Things, usa conscientemente. “Não é boa pelos motivos certos”… Mas quem determina os motivos certos? Você? Não desmerecendo seu ponto de vista, mas Talvez você tenha uma ideia do que PODERIA ser, que nunca foi a ideia da série… Nem por isso é um trabalho preguiçoso. Muito pelo contrário… Você beber de uma fonte, sem se perder nas referências ou no comodismo de copiar cena, é um trabalho difícil… Não é nada fácil trabalhar num universo cheio de clichês, cujos finais são previsíveis, e ainda assim, manter o suspense, a qualidade e o interesse. Não sou fãboy de série, mas sua crítica pode até fazer sentido pra um julgamento pessoal, mas dizer que é um trabalho preguiçoso deles, é um pouco demais… Você parece mesmo não ter entendido que essa era a intenção, sem o “mas poderia ir além”. Ir além, seria fazer outro produto, não esse… Entenda isso!

          • Então, João, novamente, eu entendo que essa seja a intenção, sim.

            O que eu quero dizer é que não é o trabalho mas difícil do mundo fazer a compilação que fizeram. Assistir a dezenas de material com um bloquinho de notas e ir anotando tudo o que é legal é muito fácil. Viu que há menção com eletricidade? Anota. Viu que há uma brincadeira visual com a parede? Anota. E assim vai fazendo. É praticamente um trabalho de fanfic, não é difícil. Não há nada de extraordinário na trama da série para que eu atribua como “difícil” o trabalho que realizaram. Aliás, os furos estão aí para comprovar que nada muito complexo foi realizado.

            Homenagens são sim válidas e tudo mais, imagino que esse tenha sido sim o objetivo da série, e nisso foi muito bem. Sendo assim, funciona, claro, como homenagem, como eu já comentei antes.

            Entretanto, se a série fez todo esse trabalho de pesquisa, e os irmãos, que parecem tão imaginativos nas entrevistas que eu vi, não se deram ao trabalho de acrescentar absolutamente nada, eu digo que sim, foi preguiça. Pode-se sim fazer homenagem, relembrar uma época, e ainda assim tentar criar uma linguagem própria.

            Freaks and Geeks está aí para provar. Bates Motel, que conta com uma base enorme (quatro filmes e um livro), ainda se sai bem no que traz de original. Penny Dreadful, que juntou diversos livros e mitologias, o mesmo. Supernatural, que junta mitos, religiões e os mais variados tipos de crença também.

            Pessoalmente, eu me recuso a acreditar que o trabalho de um escritor (os irmãos escreveram a série também) seja apenas recriar e homenagear outros escritores, como eles fizeram com o King. Se a palavra preguiça te incomoda, pode usar falta de criatividade, mas não acho que seja o caso.

            Acho que estabeleceram uma zona de conforto que funciona (sim funciona), e por isso não mexeram. Talvez farão isso na segunda temporada, e essa é a minha torcida.

          • João Souza

            Você tem uma visão muito romântica de como funciona a concepção de uma série… Qualquer canal, qualquer série, qualquer show, parte da premissa de que aquilo que vai ser produzido poderá ter o retorno financeiro investido e um lucro, além da cereja do bolo que é o burburinho causado no meio. HOMENAGEM aos anos 80, não é uma razão, é apenas uma justificativa publicitária… E você tá argumentando exatamente com a publicidade. Comercialmente, a série busca trazer aquele universo 80’s para ser aquilo que era e não para homenagear apenas… Eles não querem colocar (apenas) easter eggs, eles querem ser o próprio coelho da páscoa. E o que você tá cegamente argumentando, é uma utopia do que poderia, do que seria, de como faria… vários IAS… Soa quase presunçoso (ou preguiçoso) da sua parte achar que criar uma série dessas é sentar pra ver filmes e anotar em bloquinhos. Então entenda que o que eles fizeram e que eu estou pela última vez, admito, tentando te mostrar, é que… A estratégia da série é essa… Ela foi pensada, escrita, planejada, estudada, pesquisada, criada, divulgada e exaltada POR SER ASSIM! A sua especulação propõe uma série que não existe, um trabalho que é diferente, que não é esse… Poderia ser maravilhoso, talvez melhor, talvez pior, mas não existe! E o fato dela não ter sido feito da forma como você acha que deveria, não torna uma série preguiçosa. Sim, é uma zona de conforto… E eu não questiono a visão que você tem, mas talvez a sua inocência de achar que eles não tem consciência de que poderiam ser mais autorais… É até engraçado que quando você fala “escritores”, e eu entendo que quis dizer roteirista, talvez você mostre aí o equívoco no seu argumento… Talvez escrevendo um livro, um escritor precise ser 100% autoral e 100% original… No caso de séries de TV – principalmente uma série que assume suas referências – ser autoral, é menos relevante do que ser original. E eles não foram originais nas histórias ou na ideia, eles foram originais e competentes na compilação que se propuseram a fazer. Abra a sua mente para entender que nem sempre que se faz um bolo, você precisa de uma receita nova, desde que o bolo seja mais gostoso do que aquele que você comeu da última vez, e faça você querer mais um pedaço… Eu não me lembro se foi Nelson Rodrigues ou Dias Gomes, mas alguém disse certa vez, que no mundo todo, há apenas 6 histórias diferentes e todas as outras são cópias… Pense nisso! E fim.

          • OK.

    • Marco A

      Você tem toda razão, porém existe aquela máxima que diz: Melhor um simples muito bem feito, do que um complexo mal feito.
      Temos tantas séries originais e que deixam muito a desejar, que nem liguei muito pro fato desta emular tantas obras, pois o resultado final foi ótimo.

      • Super concordo com essa máxima, Marco, mas acho que “simples” não é bem a palavra aqui.

  • Eu saí da maratona de Stranger Things (vi tudo em um dia) com uma sensação tão estranha.

    Em resumo, eu acho que faltou muito trabalho autoral na série. Os irmãos criadores praticamente condensaram quatro décadas de séries e filmes em sua trama. Não há um só recurso visual ou narrativo que não tenha sido usado antes, e isso me tirou da série o tempo todo. Aqui e ali eu só ficava pensando em A Hora do Pesadelo, por exemplo, com saudosismo e morrendo de vontade de pausar a série e ir ver os filmes do Freddy. Aqui e ali eu só pensava “isso é bom, mas é bom porque foi tirado de outro lugar”.

    Para mim, a série é divertida, mas funciona mais como homenagem e celebração dos anos oitenta do que como história. Ela não se sustenta por si só, não traz a originalidade que a época retratada tanto buscou. Se você tira TODAS as referências, não sobra absolutamente NADA, nem as personagens. Sendo assim, para mim, parece um trabalho de colagem. Acaba que nós achamos tudo inteligente, divertido e bem feito porque todos os elementos que deram certo em outros projetos foram usados aqui. E esse é um jeito esquisito de escrever/produzir uma série.

    Alguém mais ficou com essa sensação? Lara? haha

    • Lara Loureiro

      Então Welson, não posso discordar. A série realmente usa e abusa da estética, ideias e quase tudo dos anos 80. O que me chamou atenção em ST, porém, foi a habilidade que os irmãos Duffer tem para conseguir traduzir toda uma década em uma série com 8 episódios e de forma coerente. Um dos maiores diretores da nossa era (Tarantino) também faz muito isso em seus filmes. Se isso prejudica a série no geral? Acho que não.
      Todavia, espero que a segunda temporada seja mais ousada, criativa.
      Obrigada por ler a review e Abs.

      • Então, mesmo com tudo o que eu apontei, ainda assim eu consigo recomendar ST e achar bem divertida e montada. Talvez seja uma questão bem pessoal mesmo, relacionada a forma como alguém recebe esse tipo de conteúdo.

        Fiquei pensando tanto nisso que corri para o Metacritic só para ver se algum crítico tinha levantado isso, ou se eu só estava sendo rabugento e chato (eu sou sempre rabugento e chato), e alguns tocaram nessa questão.

        Destaco duas frases de duas reviews diferentes, com as quais concordo:

        “Stranger Things não se estabelece como nada além de um memorial do que foi, em vez de uma celebração do passado E do presente”

        “Nada aqui parece particularmente novo, a não ser a maneira como os irmãos Dufferers colocaram tudo junto…”

        Enfim, acho uma discussão interessante essa reflexão sobre como ao elogiar uma coisa do presente, na verdade, estamos elogiando a inspiração no passado, o original.

        É talvez um debate longo demais hahaha

        Parabéns pela cobertura da série, Lara.

        • Lara Loureiro

          Que isso, Welson! Fique tranquilo para opinar e se expressar, esse tipo de debate enriquece muito no entendimento da série.
          Concordo muito com o que você disse, e realmente percebe-se o quanto Stranger Things tenta homenagear e referenciar os anos 80. O fato de haver muitas referências e pouca originalidade não me incomodou muito, ainda mais se analisarmos o estilo dos Duffer. Recomendo ver o filme Hidden, que foi o único longa dirigido pelos irmãos e mostra que há sim um traço deles em ST.
          Abs.

    • Flavio Batista

      Eu tb percebi tudo isso, mas nao chegou a me incomodar nao.
      Concordo com quase tudo que disse, menos com o lance das personagens. Pode ser que as tenhamos visto aqui ou acolá em outras series ou filmes, mas eu realmente me importei com elas, mesmo com os conflitos bobos de adolescentes. Ate o Steve eu consegui curtir.
      Não é facil fazer essa colagem e ainda assim, ficar bom. Nao soou como apenas copia descarada, acho q tem uma historia interessante ali pra ser contada. nao vou me delongar pq acho q a Lara disse muito bem isso abaixo rsrs

      • Ah, Flavio, a parte das personagens é que mesmo elas não são originais da série, e poderiam, sabe? hahaha Cada um deles foi retirado de algum lugar e constavam em pelo menos três filmes, e olha que não tenho a maior base de referência do mundo.

        Continuo achando a série divertida e tudo mais, até recomendo, mas fiquei com essa sensação estranha, e ela não me permite sair classificando a série como “excepcional”, “necessária”, “imperdível”.

        É divertida, mas é divertida porque é uma colagem bem realizada e só.

        • Flavio Batista

          Entendi, seu ponto de vista. Mas ainda bem q conseguiu se divertir, pq eu sei bem qdo a gente encrenca com algo numa serie e nao consegue gostar rs
          Na real, so o q me incomodou foi o monstro ter sido rechaçado pelos adolescentes com tiro, porrada e bomba (fogo no caso) rsrs e na escola ele passou por cima de soldados armados com metralhadoras!

          • João Souza

            você não prestou atenção… A cena deixou isso implícito e você não pegou… Na hora que Lucas da um tiro de estilingue, a cena faz a gente pensar que isso fez o bicho ir parar na parede. Logo em seguida, a Eleven levanta com força, dando a entender que foi ela que jogou o bicho na parede. Sacou? E os adolescentes não espantaram o bicho com fogo, claro que ele tinha que reagir ao fogo, mas o que fez ele sair dali foi o cheiro do Sangue dos agentes mortos por El lá no colégio, inclusive eles dizem isso…

        • Vine

          Agora que a nostalgia e o hype passou/passaram, isso que você falou fica mais perceptível.

    • San Ramon

      concordo plenamente

    • The Man MAchine

      Concordo Welson, você não é o único que teve essa sensação. tava esperando sair a review do ultimo ep. pra escrever quase a mesma coisa e esperando ser malhado, pois a maioria do pessoal é só elogios. Claro que a série é boa, fofa, muito bem produzida, mas eu vivi muito os anos 80, vi praticamente todos os filmes referencia da série, sem falar na parte musical também, e em certos momentos achei um excesso de referencias, muita colagem. talvez pra quem não viveu naquela época tenha sido uma experiencia mais intensa, mas pra mim, ficou forçado demais em alguns momentos. Gosto muito da Winona Rider, mas não curti ela nessa série, ainda não sei se é a atuação ou a personagem que achei a mais chata, a que menos tive empatia. Acho que a Drew Barrimore atuaria melhor nesse papel de mãe, sem falar que ela esteve lá em E.T. hahaha. Gostei de ver a Cara Buono atuando direito, como ela foi mal aproveitada em Person of Interest. Ainda assim o ponto positivo foi o elenco, porque se não fosse isso a série correria o risco de ser uma bomba. Os ator que fez o MIke segurou a onda, dos elenco mirim achei o melhor. Não gostei muito do monstro também, e nem foi pela CGI, gostaria de ver um monstro melhor desenvolvido. Também não sei se precisaria de mais uma temporada, o final ficou meio aberto, mas ficou bem no esquema dos filmes da época mesmo, tipo tudo termina bem , mas daí na cena final tem aquele cliffhangerzinho pra deixar a possibilidade de uma continuação. O lance da lesminha senti uma vibe do filme The Hidden, o de 1987 com o Kyle Maclachlan e também do Shivers do Cronenberg. gostaria de ver o que sobraria da série sem todas as referencias hehehe.

      • Agora vai você e eu tentar fazer as pessoas enxergarem dessa forma, hein? HAHAHAHA

        Quanto a Winona, eu acho que faltou muito direção de ator, sabe? Creio que os irmãos deixaram nas mãos dela, por já ser experiente e tudo mais, o que acabou fazendo com que errasse a mão aqui e ali, e acabou com um saldo não tão positivo para a personagem. (AMO a Winona e AMO saber que está voltando)

        Também não gostei do monstro. Achei muito funcional e muito incoerente. Ele aparecia aqui e ali, mas não foi elaborado nada substancial sobre a criatura, sendo apenas algo que aparecia quando o roteiro precisava;

        E acho que sobraria um painel verde hahaha

    • João Souza

      já te passou pela cabeça que a intenção da série é exatamente essa? E
      que deu super certo? Talvez o mote da série NUNCA tenha sido ser mais
      autoral que referencial….

      • então, João, é o que estou dizendo desde o começo: a série é boa, mas não é boa pelo motivos certos;

        sim, passou pela minha cabeça que esse seja o objetivo, e essa é justamente a minha crítica, porque, sendo assim, só enxergo um trabalho preguiçoso que poderia ter ido muito mais além.

        • João Souza

          rapaz, sua crítica é uma completa contradição. Não é um trabalho preguiçoso se é um trabalho planejado para ser daquele jeito e atingir o público exatamente por ser daquele jeito. Você está mantendo sua mente fechada para o que poderia ser, caso você fizesse a série. Mas é como eu disse antes, a série foi extremamente planejada pra ser uma cachoeira de referências… Esse é o plano, não a saída. The Big Bang Theory é uma série cheia de referências, mas que nem por isso usa como base. Já Stranger Things, usa conscientemente. “Não é boa pelos motivos certos”… Mas quem determina os motivos certos? Você? Não desmerecendo seu ponto de vista, mas Talvez você tenha uma ideia do que PODERIA ser, que nunca foi a ideia da série… Nem por isso é um trabalho preguiçoso. Muito pelo contrário… Você beber de uma fonte, sem se perder nas referências ou no comodismo de copiar cena, é um trabalho difícil… Não é nada fácil trabalhar num universo cheio de clichês, cujos finais são previsíveis, e ainda assim, manter o suspense, a qualidade e o interesse. Não sou fãboy de série, mas sua crítica pode até fazer sentido pra um julgamento pessoal, mas dizer que é um trabalho preguiçoso deles, é um pouco demais… Você parece mesmo não ter entendido que essa era a intenção, sem o “mas poderia ir além”. Ir além, seria fazer outro produto, não esse… Entenda isso!

          • Então, João, novamente, eu entendo que essa seja a intenção, sim.

            O que eu quero dizer é que não é o trabalho mas difícil do mundo fazer a compilação que fizeram. Assistir a dezenas de material com um bloquinho de notas e ir anotando tudo o que é legal é muito fácil. Viu que há menção com eletricidade? Anota. Viu que há uma brincadeira visual com a parede? Anota. E assim vai fazendo. É praticamente um trabalho de fanfic, não é difícil. Não há nada de extraordinário na trama da série para que eu atribua como “difícil” o trabalho que realizaram. Aliás, os furos estão aí para comprovar que nada muito complexo foi realizado.

            Homenagens são sim válidas e tudo mais, imagino que esse tenha sido sim o objetivo da série, e nisso foi muito bem. Sendo assim, funciona, claro, como homenagem, como eu já comentei antes.

            Entretanto, se a série fez todo esse trabalho de pesquisa, e os irmãos, que parecem tão imaginativos nas entrevistas que eu vi, não se deram ao trabalho de acrescentar absolutamente nada, eu digo que sim, foi preguiça. Pode-se sim fazer homenagem, relembrar uma época, e ainda assim tentar criar uma linguagem própria.

            Freaks and Geeks está aí para provar. Bates Motel, que conta com uma base enorme (quatro filmes e um livro), ainda se sai bem no que traz de original. Penny Dreadful, que juntou diversos livros e mitologias, o mesmo. Supernatural, que junta mitos, religiões e os mais variados tipos de crença também.

            Pessoalmente, eu me recuso a acreditar que o trabalho de um escritor (os irmãos escreveram a série também) seja apenas recriar e homenagear outros escritores, como eles fizeram com o King. Se a palavra preguiça te incomoda, pode usar falta de criatividade, mas não acho que seja o caso.

            Acho que estabeleceram uma zona de conforto que funciona (sim funciona), e por isso não mexeram. Talvez farão isso na segunda temporada, e essa é a minha torcida.

          • João Souza

            Você tem uma visão muito romântica de como funciona a concepção de uma série… Qualquer canal, qualquer série, qualquer show, parte da premissa de que aquilo que vai ser produzido poderá ter o retorno financeiro investido e um lucro, além da cereja do bolo que é o burburinho causado no meio. HOMENAGEM aos anos 80, não é uma razão, é apenas uma justificativa publicitária… E você tá argumentando exatamente com a publicidade. Comercialmente, a série busca trazer aquele universo 80’s para ser aquilo que era e não para homenagear apenas… Eles não querem colocar (apenas) easter eggs, eles querem ser o próprio coelho da páscoa. E o que você tá cegamente argumentando, é uma utopia do que poderia, do que seria, de como faria… vários IAS… Soa quase presunçoso (ou preguiçoso) da sua parte achar que criar uma série dessas é sentar pra ver filmes e anotar em bloquinhos. Então entenda que o que eles fizeram e que eu estou pela última vez, admito, tentando te mostrar, é que… A estratégia da série é essa… Ela foi pensada, escrita, planejada, estudada, pesquisada, criada, divulgada e exaltada POR SER ASSIM! A sua especulação propõe uma série que não existe, um trabalho que é diferente, que não é esse… Poderia ser maravilhoso, talvez melhor, talvez pior, mas não existe! E o fato dela não ter sido feito da forma como você acha que deveria, não torna uma série preguiçosa. Sim, é uma zona de conforto… E eu não questiono a visão que você tem, mas talvez a sua inocência de achar que eles não tem consciência de que poderiam ser mais autorais… É até engraçado que quando você fala “escritores”, e eu entendo que quis dizer roteirista, talvez você mostre aí o equívoco no seu argumento… Talvez escrevendo um livro, um escritor precise ser 100% autoral e 100% original… No caso de séries de TV – principalmente uma série que assume suas referências – ser autoral, é menos relevante do que ser original. E eles não foram originais nas histórias ou na ideia, eles foram originais e competentes na compilação que se propuseram a fazer. Abra a sua mente para entender que nem sempre que se faz um bolo, você precisa de uma receita nova, desde que o bolo seja mais gostoso do que aquele que você comeu da última vez, e faça você querer mais um pedaço… Eu não me lembro se foi Nelson Rodrigues ou Dias Gomes, mas alguém disse certa vez, que no mundo todo, há apenas 6 histórias diferentes e todas as outras são cópias… Pense nisso! E fim.

          • OK.

    • Marco A

      Você tem toda razão, porém existe aquela máxima que diz: Melhor um simples muito bem feito, do que um complexo mal feito.
      Temos tantas séries originais e que deixam muito a desejar, que nem liguei muito pro fato desta emular tantas obras, pois o resultado final foi ótimo.

      • Super concordo com essa máxima, Marco, mas acho que “simples” não é bem a palavra aqui.

  • shinodaluk

    Vi muita gente reclamando do CGI, para mim não foi problema não, por mais que se o monstro fosse mais paupável (gosmento, sem aparentar não estar lá) talvez a sensação de medo fosse maior…
    Anyway, gostei muito e dei nota 10 no imdb. Espero que em uma segunda temporada consigam manter o bom andar da série (talvez com o garoto se tornando um monstrão e eles tendo que ir atrás da eleven de alguma maneira?)
    Na hora que ele olhava para a cama da eleven eu queria muito que ele fosse mexer no walk talk e ela falasse “hello?”

    • Flavio Batista

      Se eu disser q nao estranhei o cgi estaria mentindo. mas senti medo mesmo assim, nao do monstro em si, mas do que ele podia fazer com os personagens q aprendi a gostar.
      Entao, pra mim, funcionou excelentemente bem! Ele era real.
      E quem nao queria, ouvir alguma coisinha q fosse da El? “prometo…”

    • Thaylon Veiga

      Achei o CGI da série melhor que de muitas por aí. E o fato da série ter sido tão bem sucedida no envolvimento, entrei na cena e tudo foi bem crível.

  • shinodaluk

    Vi muita gente reclamando do CGI, para mim não foi problema não, por mais que se o monstro fosse mais paupável (gosmento, sem aparentar não estar lá) talvez a sensação de medo fosse maior…
    Anyway, gostei muito e dei nota 10 no imdb. Espero que em uma segunda temporada consigam manter o bom andar da série (talvez com o garoto se tornando um monstrão e eles tendo que ir atrás da eleven de alguma maneira?)
    Na hora que ele olhava para a cama da eleven eu queria muito que ele fosse mexer no walk talk e ela falasse “hello?”

    • Flavio Batista

      Se eu disser q nao estranhei o cgi estaria mentindo. mas senti medo mesmo assim, nao do monstro em si, mas do que ele podia fazer com os personagens q aprendi a gostar.
      Entao, pra mim, funcionou excelentemente bem! Ele era real.
      E quem nao queria, ouvir alguma coisinha q fosse da El? “prometo…”

    • Thaylon Veiga

      Achei o CGI da série melhor que de muitas por aí. E o fato da série ter sido tão bem sucedida no envolvimento, entrei na cena e tudo foi bem crível.

  • Junito Hartley

    Alguem percebeu que talvez o monstro deixou uma cria? quando o delegado entra no mundo invertido ele olha pra o que parecia ser um ovo quebrado.

    • Flavio Batista

      Sim, chegaram ate a comentar q era uma homenagem a Aliens… ou talvez o proprio monstro tenha saido dali

    • edujakel

      Olha, minha teoria é q o monstro que atacou os 3 adolescentes foi o que nasceu
      do ovo. O que atacou no ginásio era a “mae” que atacou desde o comeco.
      Era mais forte.

  • Junito Hartley

    Alguem percebeu que talvez o monstro deixou uma cria? quando o delegado entra no mundo invertido ele olha pra o que parecia ser um ovo quebrado.

    • Flavio Batista

      Sim, chegaram ate a comentar q era uma homenagem a Aliens… ou talvez o proprio monstro tenha saido dali

    • edujakel

      Olha, minha teoria é q o monstro que atacou os 3 adolescentes foi o que nasceu
      do ovo. O que atacou no ginásio era a “mae” que atacou desde o comeco.
      Era mais forte.

    • Lucas

      Pode ser que a cria seja aquilo que estava se alimentando do Will, que o xerife matou.

  • NowSilva

    A série foi perfeita, a atuação das crianças tbm foi, e obvio, palmas para a Winona! pena que a temp. foi curtinha, mas não dá pra reclamar já que foi renovada! Aliás, obvio que os produtores já estavam quase certos de que haveria a renovação. Não foi por acaso que deixaram aquele cliffhanger!

    • Flavio Batista

      De qual cliffhanger vc se refere? Will na pia do banheiro?

  • NowSilva

    A série foi perfeita, a atuação das crianças tbm foi, e obvio, palmas para a Winona! pena que a temp. foi curtinha, mas não dá pra reclamar já que foi renovada! Aliás, obvio que os produtores já estavam quase certos de que haveria a renovação. Não foi por acaso que deixaram aquele cliffhanger!

    • Flavio Batista

      De qual cliffhanger vc se refere? Will na pia do banheiro?

  • Julio C. Costa

    Cara que série linda, eu sei que todo mundo já falou mas é uma homenagem linda aos clássicos, segunda temporada agora, pra ontem , e o Dustin é foda.
    Tudo muito bem feito, parabéns pelas reviews.

    • Flavio Batista

      Ele tb é o meu preferido. Mike é o Lider, e Lucas é o cetico, o mais sensato (e mais chato tb rsrs). mas o Dustin, ah! Esse moleque é demais.
      Adorei a analise q ele fez qdo explicou pq o Lucas tava chateado com o Mike sobre a El. E ele é engraçadao. Aqueles dentes, quer dizer a falta de dentes, so deixa ele mais real, mas criança mesmo. Adorei.
      Fora q ele fala FDP duas vezes na serie. ele é mesmo foda

  • Julio C. Costa

    Cara que série linda, eu sei que todo mundo já falou mas é uma homenagem linda aos clássicos, segunda temporada agora, pra ontem , e o Dustin é foda.
    Tudo muito bem feito, parabéns pelas reviews.

    • Flavio Batista

      Ele tb é o meu preferido. Mike é o Lider, e Lucas é o cetico, o mais sensato (e mais chato tb rsrs). mas o Dustin, ah! Esse moleque é demais.
      Adorei a analise q ele fez qdo explicou pq o Lucas tava chateado com o Mike sobre a El. E ele é engraçadao. Aqueles dentes, quer dizer a falta de dentes, so deixa ele mais real, mas criança mesmo. Adorei.
      Fora q ele fala FDP duas vezes na serie. ele é mesmo foda

  • Feio

    acho que so eu nao vi o corpo da barba.
    tadinha…

  • Feio

    acho que so eu nao vi o corpo da barba.
    tadinha…

  • Antony

    Sem palavras como a Netflix acertou no elenco mirim dessa serie e a Eleven roubou a cena , outra coisa que a Netflix acertou muito foi nas referencias e na nostalgia da serie anos 80 na veia . A serie foi muito bem aceita o publico adorou voltar aos anos 80 agora a Netflix vai ter que caprichar para voltar com uma segunda temporada no mesmo nível da primeira .Gostaria de mais series que voltassem aos anos 80 muito top .

  • Antony

    Sem palavras como a Netflix acertou no elenco mirim dessa serie e a Eleven roubou a cena , outra coisa que a Netflix acertou muito foi nas referencias e na nostalgia da serie anos 80 na veia . A serie foi muito bem aceita o publico adorou voltar aos anos 80 agora a Netflix vai ter que caprichar para voltar com uma segunda temporada no mesmo nível da primeira .Gostaria de mais series que voltassem aos anos 80 muito top .

  • Joao Monteiro

    Série foda, mas eu entendi que a próxima temporada não vai ser os mesmos atores, logo a continuação da trama seria apenas do plot das criaturas.

    • Flavio Batista

      nao mano! nao fala isso. Essa molecada é demais rs

  • Joao Monteiro

    Série foda, mas eu entendi que a próxima temporada não vai ser os mesmos atores, logo a continuação da trama seria apenas do plot das criaturas.

    • Flavio Batista

      nao mano! nao fala isso. Essa molecada é demais rs

  • Isaac Lopes

    Já to com saudades!

  • Isaac Lopes

    Já to com saudades!

  • Marcelo

    Que série linda, Netflix te amo mto!

  • Marcelo

    Que série linda, Netflix te amo mto!

  • Karllos Silva

    FODA

    amei e espero uma segunda temporada urgente rs

  • Karllos Silva

    FODA

    amei e espero uma segunda temporada urgente rs

  • Ronaldo

    Que série incrível minha gente! Jamais imaginei que conseguiriam reunir um elenco tão bom assim. Sem contar o clima estilo stephen king/Spielberg. Sobre o Will será que aquela cena no banheiro não seria só o trauma por ter ficado no mundo invertido? Deixaram 2 ganchos muito bons, pena que agora temos que aguardar a season 2.

  • Ronaldo

    Que série incrível minha gente! Jamais imaginei que conseguiriam reunir um elenco tão bom assim. Sem contar o clima estilo stephen king/Spielberg. Sobre o Will será que aquela cena no banheiro não seria só o trauma por ter ficado no mundo invertido? Deixaram 2 ganchos muito bons, pena que agora temos que aguardar a season 2.

  • The Man Machine

    Tava pensando em mostrar a série pros meus filhos de 9 e 10 anos de idade, mas ainda estou em dúvida, pois tem as cenas da Nancy um pouco sexualizadas demais, e também são muitas referencias para os adultos e adolescentes, acho que eles vão acabar boiando um pouco. Mesmo a parte dos garotos, eles são muito nerds-genios para a idade, e são muitas as referencias de RPG. Nos anos 80, RPG era uma coisa bem típica da cultura norte americana, aqui no brasil só se vc fosse muito rico ou tivesse alguma ligação direta-familiar com a cultura dos EUA. Eu vi a versão original em ingles, alguém viu a versão dublada? a tradução-adaptação ficou boa?

    • Andre Ramos

      Meus filhos de 4 e 7 assistiram vidrados conosco e adoraram a saga dos garotos. Entendo sua preocupação como pai nas cenas da Nancy, porem como opiniao pessoal vale a pena abrir exceção e deixar seus filhos assistirem, pois alem da saga dos garotos, há muita muita coisa boa e gostosa para as.criancas verem que nao existe soh videogame e celular hoje em dia.

    • Karllos Silva

      Tem cena violenta, com tiro, sangue, etc… e vc está preocupado com cenas sexualizadas? Oi? cada uma…

      de qualquer forma a Netflix indica a serie para maiores de 16 anos

      • The Man Machine

        pois é, a série não é feita pra crianças, a classificação indicativa já diz. E realmente tem sim violencia, sangue tiros, além da questão da sexualidade, só que a educação sobre a questão da violencia é algo bem mais simples de ser tratada, as crianças já estão expostas à isso desde muito mais cedo, veja os jogos de video game, desenhos animados. jogos de videogame por exemplo também tem classificação indicativa. Não sou um pai castrador, longe disso, acho a educação sexual muito importante, mas é algo bem mais delicado, cada coisa a seu tempo, e hoje em dia as crianças são expostas de forma muito precoce, e isso pode até ser perigoso uma vez que hoje em dia tem a internet e as crianças também tem acesso a tablets, celulares, é preciso ter um cuidado especial com esse tema sim, enfim, preocupação de quem é pai.

    • Flavio Batista

      Velhao acho q é de boa pra eles assistirem. Qq coisa na cena da Barbara vc da aquela adiantada marota.
      Claro q a decisao final é sempre sua, como pai. mas eu tb sou e tenho um garoto nessa mesma idade e acho q da pra assistir sim.

    • Agnes Larissa

      por que ao inves de logo de cara apresentar stranger things, vc n mostra alguns filmes dos anos oitenta, infanto juvenis e ficçao, goonies, tron, alien, garotos perdidos, ET

    • edson pereira

      Cara eu deixei a minha garotinha assistir, ela tem 9 anos, algumas partes de terror e essa parte da Nancy eu distrai ela, ela assisti Once Upon a Time também.

  • The Man Machine

    Tava pensando em mostrar a série pros meus filhos de 9 e 10 anos de idade, mas ainda estou em dúvida, pois tem as cenas da Nancy um pouco sexualizadas demais, e também são muitas referencias para os adultos e adolescentes, acho que eles vão acabar boiando um pouco. Mesmo a parte dos garotos, eles são muito nerds-genios para a idade, e são muitas as referencias de RPG. Nos anos 80, RPG era uma coisa bem típica da cultura norte americana, aqui no brasil só se vc fosse muito rico ou tivesse alguma ligação direta-familiar com a cultura dos EUA. Eu vi a versão original em ingles, alguém viu a versão dublada? a tradução-adaptação ficou boa?

    • Andre Ramos

      Meus filhos de 4 e 7 assistiram vidrados conosco e adoraram a saga dos garotos. Entendo sua preocupação como pai nas cenas da Nancy, porem como opiniao pessoal vale a pena abrir exceção e deixar seus filhos assistirem, pois alem da saga dos garotos, há muita muita coisa boa e gostosa para as.criancas verem que nao existe soh videogame e celular hoje em dia.

    • Karllos Silva

      Tem cena violenta, com tiro, sangue, etc… e vc está preocupado com cenas sexualizadas? Oi? cada uma…

      de qualquer forma a Netflix indica a serie para maiores de 16 anos

      • The Man Machine

        pois é, a série não é feita pra crianças, a classificação indicativa já diz. E realmente tem sim violencia, sangue tiros, além da questão da sexualidade, só que a educação sobre a questão da violencia é algo bem mais simples de ser tratada, as crianças já estão expostas à isso desde muito mais cedo, veja os jogos de video game, desenhos animados. jogos de videogame por exemplo também tem classificação indicativa. Não sou um pai castrador, longe disso, acho a educação sexual muito importante, mas é algo bem mais delicado, cada coisa a seu tempo, e hoje em dia as crianças são expostas de forma muito precoce, e isso pode até ser perigoso uma vez que hoje em dia tem a internet e as crianças também tem acesso a tablets, celulares, é preciso ter um cuidado especial com esse tema sim, enfim, preocupação de quem é pai.

    • Flavio Batista

      Velhao acho q é de boa pra eles assistirem. Qq coisa na cena da Barbara vc da aquela adiantada marota.
      Claro q a decisao final é sempre sua, como pai. mas eu tb sou e tenho um garoto nessa mesma idade e acho q da pra assistir sim.

    • Agnes Larissa

      por que ao inves de logo de cara apresentar stranger things, vc n mostra alguns filmes dos anos oitenta, infanto juvenis e ficçao, goonies, tron, alien, garotos perdidos, ET

    • edson pereira

      Cara eu deixei a minha garotinha assistir, ela tem 9 anos, algumas partes de terror e essa parte da Nancy eu distrai ela, ela assisti Once Upon a Time também.

  • Isabela Martinez Milanezzi

    Série maravilhosa! Não sou fã de mistérios e já assisti a temporada duas vezes. Netflix, obrigada!

    E uma pergunta, gente: na última cena do Hopper ele está deixando comida e WAFFLES em um esconderijo na floresta. Seria pra Eleven?!

    • Flavio Batista

      Todo mundo ta torcendo pra q seja pra ela mesmo rs

  • Isabela Martinez Milanezzi

    Série maravilhosa! Não sou fã de mistérios e já assisti a temporada duas vezes. Netflix, obrigada!

    E uma pergunta, gente: na última cena do Hopper ele está deixando comida e WAFFLES em um esconderijo na floresta. Seria pra Eleven?!

    • Flavio Batista

      Todo mundo ta torcendo pra q seja pra ela mesmo rs

  • adrianocesar21

    tanta coisa pra comentar sobre essa série que se começar aqui o comentário vira um livro. então vou(tentar) resumir a apenas dois:

    -minha teoria sobre o monstro e a Eleven: será que a citação a X-men 134 (a primeira aparição da fenix negra) não foi mais que um easter-egg.. mas uma dica da verdadeira natureza do monstro.. sendo o lado negro da 11?? isso explica o “sumiço” de ambos no fim.. bem.. talvez seja só minha negação ao sacrifício dela e esperança de ver a menina na proxima temporada.. o fim do Xerife deixando aquele Waffle na floresta pode ser indicio disso

    -todos notamos que a série é uma carta de amor aos anos 80.. mais que isso.. era um olhar um pouco critico e até irônico a muita coisa dos filmes dessa época.. a maior dela é a Falta de visão dos pais daquela epoca… como tanta criança se envolviam em tantas aventuras (E levavam aliens e crianças paranormais pra dentro de casa.. rs) e os adolescentes viviam em situações extremas de romance e terror e os pais nunca viam nada?? os pais do Mike e da Nancy foram quase um arquétipo que nunca vimos nos filmes da epoca.

    • Flavio Batista

      Eu tb pensei nisso de haver alguma ligaçao do monstro com a Eleven. So ainda nao sabemos qual.
      O jeito q ele vem pra cima deles na escola, mesmo depois de ter matado os soldados, me pareceu q ele estava de alguma maneira atraído ou interessado especialmente na El.

      • The Man Machine

        estranho como o monstro não fez nada com o Will, talvez ele tenha um tratamento diferenciado com as crianças, pois o garoto estava no mundo invertido, e por mais que ele fosse inteligente e esperto, ele estava fragilizado naquele ambiente tóxico, seria uma presa fácil, ainda que não estivesse sangrando.

      • adrianocesar21

        Verdade. reparei nisso também.

    • edson pereira

      Interessante a teoria sobre monstro e a Eleven, fico pensando se quando ela falou que o monstro era ela não foi literalmente.

  • adrianocesar21

    tanta coisa pra comentar sobre essa série que se começar aqui o comentário vira um livro. então vou(tentar) resumir a apenas dois:

    -minha teoria sobre o monstro e a Eleven: será que a citação a X-men 134 (a primeira aparição da fenix negra) não foi mais que um easter-egg.. mas uma dica da verdadeira natureza do monstro.. sendo o lado negro da 11?? isso explica o “sumiço” de ambos no fim.. bem.. talvez seja só minha negação ao sacrifício dela e esperança de ver a menina na proxima temporada.. o fim do Xerife deixando aquele Waffle na floresta pode ser indicio disso

    -todos notamos que a série é uma carta de amor aos anos 80.. mais que isso.. era um olhar um pouco critico e até irônico a muita coisa dos filmes dessa época.. a maior dela é a Falta de visão dos pais daquela epoca… como tanta criança se envolviam em tantas aventuras (E levavam aliens e crianças paranormais pra dentro de casa.. rs) e os adolescentes viviam em situações extremas de romance e terror e os pais nunca viam nada?? os pais do Mike e da Nancy foram quase um arquétipo que nunca vimos nos filmes da epoca.

    • Flavio Batista

      Eu tb pensei nisso de haver alguma ligaçao do monstro com a Eleven. So ainda nao sabemos qual.
      O jeito q ele vem pra cima deles na escola, mesmo depois de ter matado os soldados, me pareceu q ele estava de alguma maneira atraído ou interessado especialmente na El.

      • The Man Machine

        estranho como o monstro não fez nada com o Will, talvez ele tenha um tratamento diferenciado com as crianças, pois o garoto estava no mundo invertido, e por mais que ele fosse inteligente e esperto, ele estava fragilizado naquele ambiente tóxico, seria uma presa fácil, ainda que não estivesse sangrando.

      • adrianocesar21

        Verdade. reparei nisso também.

    • edson pereira

      Interessante a teoria sobre monstro e a Eleven, fico pensando se quando ela falou que o monstro era ela não foi literalmente.

  • Magnosama

    Eleven não tá morta gente, para.

    • edson pereira

      Exato, aqueles waffles que Hopper deixou só podem ser pra ela.

  • Magnosama

    Eleven não tá morta gente, para.

    • edson pereira

      Exato, aqueles waffles que Hopper deixou só podem ser pra ela.

  • Sthefani Cordeiro

    Que série maravilhosa e que textos fantásticos. Só quero lhe dizer Lara que foi um prazer imensurável acompanhar essa série e suas reviews!!! Season finale perfeita e condizente com tudo que a série apresentou!!

  • Sthefani Cordeiro

    Que série maravilhosa e que textos fantásticos. Só quero lhe dizer Lara que foi um prazer imensurável acompanhar essa série e suas reviews!!! Season finale perfeita e condizente com tudo que a série apresentou!!

  • Douglas Damacena

    depois de 6hrs ótimas seguidas de stranger Things,só digo uma coisa,Netflix eu te amo,que série linda mds em todos os sentidos.

    P.S.:faltou uma menção ai ao pote com comida que o xerife leva para floresta com wafles,dando a intender que era para el

  • Douglas Damacena

    depois de 6hrs ótimas seguidas de stranger Things,só digo uma coisa,Netflix eu te amo,que série linda mds em todos os sentidos.

    P.S.:faltou uma menção ai ao pote com comida que o xerife leva para floresta com wafles,dando a intender que era para el

  • Vanessa

    Que série maravilhosa!!!! <3
    Esperando a segunda temporada.

  • Vanessa

    Que série maravilhosa!!!! <3
    Esperando a segunda temporada.

  • Na verdade tanto a trilha sonora quanto a origem e poderes da El, é muito puxado pro filme Scanners.

    • Wilton20

      Também lembrei de Scanners!!! Como torci para ver alguma cabeça explodindo naquela hora para afirmar com certeza!!!

  • Na verdade tanto a trilha sonora quanto a origem e poderes da El, é muito puxado pro filme Scanners.

    • Wilton20

      Também lembrei de Scanners!!! Como torci para ver alguma cabeça explodindo naquela hora para afirmar com certeza!!!

  • Roberto Pereira

    Adorei a série. Sensacional. Divertida, inteligente, instigante. Torcer pra segunda temporada ser do mesmo nível.

  • Roberto Pereira

    Adorei a série. Sensacional. Divertida, inteligente, instigante. Torcer pra segunda temporada ser do mesmo nível.

  • edson pereira

    Caraca pensei que só eu tinha visto alguma coisa de Fringe em Stranger Things, inclusive a agonia que eu senti com a Eleven sendo usada pela ciência eu senti com a Olívia em Fringe.
    A série é perfeita e eu maratonei ela mesmo sabendo que ia ficar doido esperando a segunda temporada.

    • Chan

      Desde o início que eu digo que eleven é uma das cortexipham kids

      • edson pereira

        Exato, sangramento, o tanque, as habilidades que ela tem, lembra muito as criancas tratadas com o cortexipham.
        A habilidade de ver o outro universo principalmente.

    • Rodrigo Canosa

      O Tanque para mim foi uma referência clássica a Fringe!

  • edson pereira

    Caraca pensei que só eu tinha visto alguma coisa de Fringe em Stranger Things, inclusive a agonia que eu senti com a Eleven sendo usada pela ciência eu senti com a Olívia em Fringe.
    A série é perfeita e eu maratonei ela mesmo sabendo que ia ficar doido esperando a segunda temporada.

    • Chan

      Desde o início que eu digo que eleven é uma das cortexipham kids

      • edson pereira

        Exato, sangramento, o tanque, as habilidades que ela tem, lembra muito as criancas tratadas com o cortexipham.
        A habilidade de ver o outro universo principalmente.

    • Rodrigo Canosa

      O Tanque para mim foi uma referência clássica a Fringe!

  • Wilton20

    Assisti à série toda, um episódio por dia.
    Li todas as reviews, uma a uma, ao final de cada episódio, e todos os comentários, procurando por mais alguém que talvez tivesse tido a mesma impressão que tive.
    Será que fui o único que achou que havia (ou poderia haver) mais de um monstro na história?
    A referência a Alien foi tão explícita, com os corpos na biblioteca colocados em nítida situação de hospedeiros, que isso só reforçou essa minha impressão.
    Bárbara já morta e Will ainda não talvez porque simplesmente a Bárbara tenha sido capturada antes.
    Apesar de Will ter sido levado antes, ele (de algum modo que não foi mostrado ou contado; ou eu não prestei a devida atenção…) conseguiu escapar do monstro que o pegou e se manter escondido no mundo invertido por um certo tempo, o que não foi possível à Bárbara, como vimos na cena da piscina no começo do 3º episódio. Quando Will foi definitivamente capturado no seu castelo, a Bárbara já havia sido usada como hospedeira há bem mais tempo.
    Essa teoria da existência de mais de um monstro pode explicar o fato de Nancy, Jonathan e Steve terem sido capazes de lidar com a aparição na casa de Jonathan (principalmente o momento do taco de baseball) e os agentes na escola, com tantas metralhadoras, não. Se realmente havia, mesmo, mais de um, pode ser que o da escola fosse mais forte, fosse maior.
    O problema é que tal teoria não explica o título do 6º episódio (“The monster”, no singular, não “The monsters”, no plural) nem o próprio final da temporada, com o “sacrifício” de Eleven levando consigo o monstro (1, singular), “solucionando” o caso (ao menos, para a conclusão da 1ª temporada).
    Pode ser que na próxima temporada isso se esclareça.
    A teoria da “Fênix negra”, comentada por adrianocesar21, é muito coerente, podendo sim ser a explicação para o sumiço conjunto da Eleven com aquele monstro.
    Mas será mesmo que foi só um? Quem pôs aquele ovo encontrado por Hooper (quem surgiu primeiro: o ovo ou a galinha?)? Foi mencionado que mais pessoas, além de Bárbara e Will, desapareceram; onde foram parar? Também na biblioteca? Hospedando a criação de mais monstros? Por que não?
    Alguém se habilita a comentar? 😉 🙂

    • edujakel

      nesta finale eu entendi que o monstro colocou um ovo q chocou..e quem atacou a Nancy, Jonathan e Steve foi o filhote. Tanto que era menor, mais despreparado e apanhou com facilidade (levou taco de beisebol de 2 moleques). Entao acredito que qdo colocaram fogo nele, ele morreu.
      O outro, foi o que atacou os meninos na escola e deu conta de todos os policiais, era bem mais forte que aquele q atacou na casa.

      Acho as teorias da Lara as mais furadas desde o primeiro episódio. rs

      • Lara Loureiro

        Os furos fazem parte da vida, caro leitor. hehehe

  • Wilton20

    Assisti à série toda, um episódio por dia.
    Li todas as reviews, uma a uma, ao final de cada episódio, e todos os comentários, procurando por mais alguém que talvez tivesse tido a mesma impressão que tive.
    Será que fui o único que achou que havia (ou poderia haver) mais de um monstro na história?
    A referência a Alien foi tão explícita, com os corpos na biblioteca colocados em nítida situação de hospedeiros, que isso só reforçou essa minha impressão.
    Bárbara já morta e Will ainda não talvez porque simplesmente a Bárbara tenha sido capturada antes.
    Apesar de Will ter sido levado antes, ele (de algum modo que não foi mostrado ou contado; ou eu não prestei a devida atenção…) conseguiu escapar do monstro que o pegou e se manter escondido no mundo invertido por um certo tempo, o que não foi possível à Bárbara, como vimos na cena da piscina no começo do 3º episódio. Quando Will foi definitivamente capturado no seu castelo, a Bárbara já havia sido usada como hospedeira há bem mais tempo.
    Essa teoria da existência de mais de um monstro pode explicar o fato de Nancy, Jonathan e Steve terem sido capazes de lidar com a aparição na casa de Jonathan (principalmente o momento do taco de baseball) e os agentes na escola, com tantas metralhadoras, não. Se realmente havia, mesmo, mais de um, pode ser que o da escola fosse mais forte, fosse maior.
    O problema é que tal teoria não explica o título do 6º episódio (“The monster”, no singular, não “The monsters”, no plural) nem o próprio final da temporada, com o “sacrifício” de Eleven levando consigo o monstro (1, singular), “solucionando” o caso (ao menos, para a conclusão da 1ª temporada).
    Pode ser que na próxima temporada isso se esclareça.
    A teoria da “Fênix negra”, comentada por adrianocesar21, é muito coerente, podendo sim ser a explicação para o sumiço conjunto da Eleven com aquele monstro.
    Mas será mesmo que foi só um? Quem pôs aquele ovo encontrado por Hooper (quem surgiu primeiro: o ovo ou a galinha?)? Foi mencionado que mais pessoas, além de Bárbara e Will, desapareceram; onde foram parar? Também na biblioteca? Hospedando a criação de mais monstros? Por que não?
    Alguém se habilita a comentar? 😉 🙂

    • edujakel

      nesta finale eu entendi que o monstro colocou um ovo q chocou..e quem atacou a Nancy, Jonathan e Steve foi o filhote. Tanto que era menor, mais despreparado e apanhou com facilidade (levou taco de beisebol de 2 moleques). Entao acredito que qdo colocaram fogo nele, ele morreu.
      O outro, foi o que atacou os meninos na escola e deu conta de todos os policiais, era bem mais forte que aquele q atacou na casa.

      Acho as teorias da Lara as mais furadas desde o primeiro episódio. rs

      • Lara Loureiro

        Os furos fazem parte da vida, caro leitor. hehehe

    • Paulo Frank

      Quanto as pessoas q desapareceram acredito que todas estavam lá na biblioteca, no ninho do monstro.
      Que nem o edujakel comentou, acredito que havia dois monstros no mundo invertido, a mãe (que a Eleven matou) e o filhote (que a Nancy e cia pegaram). Agora resta saber o que a lesma faz. Ela pode se transformar num casulo pra dps se transformar no monstro? Nesse caso, teríamos um monstro podendo andar livremente pelo mundo real, o q é mto sério.
      Quanto ao Will, acho q como sua condição de hospedeiro foi interrompida, acredito que pode ter rolado uma mutação em seu DNA e agora ele pode caminhar alternadamente tanto no mundo real quanto no invertido, só precisando aprender como controlar isso.
      E o portal lá no Laboratório? Vai continuar aberto daquele jeito? Se sim, o (s) filhote (s) do monstro continuarão atacando através dos portais né…
      Bom, vamos ver o q a 2ª temporada nos reserva…

  • rocorby

    Netflix, you did it!!! QUE PUTA SERIE PQP CARALHO!!!!

  • rocorby

    Netflix, you did it!!! QUE PUTA SERIE PQP CARALHO!!!!

  • Ivonete Domingues

    Desculpem, mas as referências, principalmente no último episódio são de ALIEN, o oitavo passageiro. Algumas cenas são quase cópia do fillme de 1979. Vocês estão falando em X-Men, Fringe e outros mais recentes e a série é uma clara homenagem a filmes oitentistas. É claro que sei que a maioria aqui nem era nascido na década de 80, por isto a falta de referências.