Star Wars Rebels 3×01: Steps Into Shadow [Season Premiere]

5
197

Um episódio de preparação.

Como todo fã de Rebels, ao terminar de assistir a “Twilight of the Apprentice” minha expectativa para o retorno da série era imensa. Infelizmente, talvez por eu esperar algo tão grandioso quanto o Finale da temporada passada, “Steps Into Shadow” se mostrou um episódio morno.

A história recomeça algum tempo depois do confronto com Maul e Vader em Malachor, com Ezra liderando uma missão para resgatar Hondo, que possui informações sobre uma instalação no planeta Yarma, que é responsável por desmontar naves da antiga República. Assim, com a intenção de roubar um esquadrão de Y-wings, Ezra, agora promovido a tenente comandante, parte com Hondo, Sabine, Zeb e Chopper. Além disso, Kanan, ainda se adaptando ao fato de estar cego, entra em contato um novo ser sensível à Força.

1 – The Light Side.

O melhor momento do episódio foi a apresentação do Grão Almirante Thrawn. Para quem não conhece, Thrawn é um personagem que foi apresentado na série de livros escritas por Timothy Zahn chamada Trilogia Thrawn, que não faz mais parte do cânone. Assim, temos em Rebels a primeira aparição oficial do personagem no universo Star Wars. Acredito que com o crescimento da Rebelião, nada mais justo que uma das maiores mentes militares do Império para enfrentá-la, já que o Grão Almirante é conhecido por ser um brilhante estrategista.

Outro bom momento do episódio foi o encontro entre Kanan e Bendu. Achei muito interessante ver a introdução de um personagem que se coloca no meio do caminho entre os Sith e os Jedi. Estou ansioso para vê-lo ajudar Kanan a enxergar através da Força, bem como ensinar uma nova filosofia ao cavaleiro, diferente dos ensinamentos Jedi.

2 – The Dark Side.

O pior momento do episódio foi ver como Ezra se tornou um assassino frio, influenciado pelos ensinamentos do holocron Sith, e ninguém o questiona. Por mais que eu entenda que ele esteja lutando em uma guerra, um Jedi não deveria ser tão impiedoso e o seu comportamento deveria chamar a atenção. Mesmo estando ausente das ações, Kanan deveria sentir o aumento dos sentimentos de ódio e frustração do seu aprendiz. Acho que esses detalhes deveriam ser observados pelos roteiristas.

Outro ponto negativo foi a maneira como a questão envolvendo o holocron Sith foi tratada. Eu acho que Kanan deveria ter dado mais importância ao fato de que o seu aprendiz ter conseguido abrir o artefato, já que apenas alguém manipulando o “lado negro” da Força conseguiria, e achei a resolução da situação muito simples, com Kanan entregando para o Bendu, um ser que ele acabou de conhecer, um objeto tão perigoso.

Falando no Bendu, apesar de ter gostado do personagem, não gostei de como o ele foi apresentado e a facilidade como o seu relacionamento com Kanan se desenvolveu. Afinal, achei muito “conveniente” o fato de termos outro ser sensível à Força a distância de uma caminhada da base da Rebelião. Além disso, como falei no parágrafo anterior, os roteiristas foram descuidados ao desenvolverem a trama com Kanan entregando o holocron a um ser que ele mal conhece. Se lembrarmos do quanto Maul e Vader queriam o artefato pelo seu poder, é meio estranho vermos o Jedi se desfazer dele de forma tão despreocupada.

Apesar de ter me decepcionado um pouco com o episódio, “Step Into Shadow” serviu para nos dar as linhas gerais da terceira temporada. Assim, com a presença de Thrawn como o grande vilão da temporada e o retorno de Maul nos próximos episódios, todas as “peças” estarão no tabuleiro. Agora é só esperar para ver como a história irá se desenvolver.

Observação final:

– A voz de Thrawn é do ator Lars Mikkelsen, que interpretou Viktor Petrov em House of Cards. Uma curiosidade: seu irmão, Mads Mikkelsen, famoso por interpretar Hannibal na série do mesmo nome, também faz parte do universo Star Wars, ele está no elenco de “Rogue One: A Star Wars Story”.

  • Caio Vinicius Viana Lima

    To louco pra saber como vão encerrar essa história, eu não fazia idéia como terminariam Clone Wars e ficou perfeito. Rebels vai ser beem mais difícil…..

    • Aurelio

      Fala, Caio!
      Assim como você, eu tenho um grande receio de como será o final de Rebels, principalmente pela sua proximidade com a trilogia original.
      Infelizmente nós sabemos que essa célula rebelde não terá sucesso. Eu torço para que a derrota de Kanan e seus amigos sejam em batalhas históricas e que a queda do último Jedi seja em um duelo com seu aprendiz corrompido.

  • Wilton20

    Salve, Aurelio.
    Tudo bem?
    Estamos aqui, novamente, acompanhando, com prazer, mais uma temporada de suas reviews. Boa sorte!!!
    Estava aguardando, já, a review deste 1º episódio da 3ª temporada para poder comentar a impressão negativa que ele me deixou e fiquei de certa forma satisfeito ao constatar que não fui o único a sentir isso.
    Tenho quase 42 anos de idade. Sou fã de Star Wars desde as sessões da tarde na década de 80 com os episódios IV, V e VI e, mesmo casado e pai, já, de duas filhas pequenas, não tenho vergonha nenhuma de admitir que meu lado nerd ainda é forte e de que assisto aos desenhos de Rebels, assim como assistia aos de Clone Wars, animado com o que é apresentado. Gosto mesmo!
    A questão é que entendo que essa minha geração, que acompanhou os 3 primeiros filmes na sessão da tarde, não é o único público alvo desses desenhos atuais. É também, mas não o único.
    Até pelo formato, de desenho animado, é evidente que o alvo também é um público novo, mais jovem, inclusive infantil, sendo nítido o objetivo de atingir e angariar mais fãs/consumidores.
    E é aqui que está minha preocupação.
    Confesso que (também) me incomodou, muito, ver o Ezra matando os troopers tão facilmente, tão incosequentemente. Assistir a ele conduzindo mentalmente aquele trooper no Walker para a morte foi estranho demais!
    Primeiro porque, como fã há tempos, sabemos que não é esse o “modo Jedi”, não é assim que se “pratica o bem”.
    Segundo porque, independentemente do fato de, no episódio, Ezra estar no comando, ele não foi, em nenhum momento, questionado por essas ações, por essas mortes, pelos seus companheiros, especialmente Zeb e Sabine.
    E, por fim, como eu disse acima, o desenho é feito também para crianças. Não é possível que os roteiristas pensem que isso seja normal até mesmo para crianças…
    Enfim, foi bom ver que não fui o único a perceber isso e espero que não seja esse o tom da temporada, como meio para mostrar Ezra se voltando para o outro lado da força. Acredito que seja possível mostrar isso sem banalizar, principalmente para as crianças que assistem à série, as mortes, ainda que sob o argumento/justificativa de que estão em guerra…
    Quanto ao lado bom que você ressaltou, eu também gostei.
    Acho legal quando apresentam personagens novos que não são tão “polarizados” assim. E, mesmo dizendo encontrar-se no “meio do caminho”, enxerguei o tal Bendu como um personagem bom, tanto que ajudou Kanan. No “meio do caminho” talvez seja somente porque não toma partido na guerra ou nas mesmas filosofias. Até mesmo por isso tenha o Kanan entregado o holocron a ele – ainda que facilmente, como você observou –, pois não se viu risco de o objeto ir parar em mãos erradas, além de sair do pronto alcance do Ezra. Creio que deva ter sido essa a intenção dos roteiristas…
    Bom, novamente desejo sorte no curso da temporada. Trabalho muito bom esse o seu, principalmente nas informações extras, que são o que mais gosto.
    Abraços!
    Wilton.

    • Aurelio

      Fala, Wilton!
      Obrigado pelo seu comentário, é bom ver fãs do tempo de “Guerra nas Estrelas” por aqui.
      Assim como você, a minha introdução à Star Wars aconteceu através da Globo nos anos 80, tenho 39 anos, e concordo com o que você disse em relação ao fato de Rebels não ter pessoas da nossa idade como público alvo. Além disso, assim como você, eu me preocupo com uma obra que tem como personagem principal um adolescente assassino que não é repreendido por ninguém sendo exibida em um canal infantil: Disney XD.
      Acredito que, infelizmente, depois dos atentados de 11 de setembro os americanos tenham tomado uma postura mais radical com relação à forma que retratam todo tipo de guerra e a maneira como seus heróis agem, afinal duvido que Jack Bauer existiria sem o acontecimento de tão fatalidade.
      Apesar disso, ainda acredito que a série pode ter uma boa temporada com a adição do Bendu e a presença de Thrawn e Maul, vamos torcer.

      • Wilton20

        É por isso que eu gosto de ler reviews! É um ótimo meio de ter contato com uma opinião, um ponto de vista diferente, que possa não ter sido percebido por nós ao assistir.
        Perfeita a observação a respeito dos atentados. Certamente é reflexo disso. O que não deixa de ser uma pena…
        Obrigado pela atenção!!!
        Abs.