SBT, 35 anos

A grande lição e trajetória do SBT em trinta e cinco anos

28
1688

Nesta última sexta-feira, a emissora casa da figura mais emblemática da televisão brasileira completou 35 anos, o verdadeiro, porque todas as outras emissoras têm a sua imitação em homenagem a essa página viva da história. A SBT, recinto de Sílvio Santos, literalmente, pois sua família Abravanel várias vezes apareceu por lá durante esse tempo, sempre correu por fora na luta pela audiência, mas sempre estava lá com polêmicas, inovações e soluções de um dia para o outro, dadas pelo seu próprio patrão. Um judeu empreendedor que transformou a oportunidade de uma emissora em uma potência da vice-liderança.

Foi a banheira do Gugu, que atiçou homens e mulheres nas tardes de domingo, o Passa ou Repassa, que não teve ninguém que diga que não teve vontade de participar. O Disney Cruj que fez todo mundo brigar com os pais para assistir esse maravilhoso programa na hora do Jornal Nacional. Teve o Fantasia que fez todo mundo gastar ligações telefônicas para participar de alguma brincadeira daquelas mulheres monumentais. Por falar em mulheres, o Cocktail do Miele mostrava-as ainda mais monumentais. O Viva a Noite encantava a todos com um auditório alegre e participativo, como marca principal da emissora paulista.

Quem não se lembra de figuras emblemáticas da emissora, como a eterna Hebe nas segundas-feiras a noite, a assistente de palco Helen Ganzaroli que caiu nas graças do público, e também ganhou um programa só para ela, mas que durou apenas um dia. O famoso Pablo que com suas tatuagens brilhantes no rosto dublava as músicas que todo mundo procurava acertar após charadas de seus nomes. E mil pegadinhas – a marca registrada – de Ruth Romcy e Ivo Holanda permeiam a programação, desde a estreia.

A clássica charada: a sétima letra do alfabeto, o sistema único de saúde e a mais famosa estátua do Rio de Janeiro, formam o nome dessa música. E a resposta Jesus Cristo (G + SUS + Cristo), de Roberto Carlos. Como eu gostava disso. Gente! E passar a manhã vendo qual ratinho iria ganhar a corrida de algum desconhecido, e ainda torcer por ele para ganhar o Playstation do Yudi e Priscila. Adivinhar qual maça teria a explosão de flores do Tentação. Ou tentar combinar relacionamentos no “É namoro ou amizade”. Descobrir as palavras do Roda a Roda ou arrepiar com a música do peão da casa própria.

Quem nunca imitou a voz do Silvio Santos, ou disse um inspirado “Ma Oe” em alguma circunstância da vida? “Vai pra lá, vai pra lá”. Ou ainda a voz do Lombardi – saudoso locutor – dizendo os números da Tele Sena. Ou não incorporou ao seu vocabulário, bordões da emissora como “Isto é incrível” ou ainda o “Sucesso” dos ratinhos fantoche do Ratinho humano. E por falar nele… Ratinho, Celso Portiolli, Marília Gabriela, Eliana, Flávio Cavalcanti, Jô, Carlos Alberto de Nóbrega entre os ilustres apresentadores que são ou já passaram pela casa.

Conhecemos protagonistas sofridas de novelas mexicanas e brasileiras, com grande influência do choro e do maniqueísmo. Paola era má, muito má. Mas Maria do Bairro era muito altruísta. Boa, que dava até dó. E tantas outras entre Canaviais da Paixão, A Gata, Amigas e Rivais… Mas, o sucesso vem também com as crianças, aliás mexe-mexe mexe com as mãos, Chiquititas! Ou Carrossel ou Cúmplices de um Resgate. E toda a festa à televisão, com a realização do Troféu Imprensa ano a ano.

No humor, temos um programa que ainda inova como “A praça é nossa”, com alguns personagens que revivem e prevalecem a nostalgia como a velha surda, ou inova como com a Filó – Ô COITADO! –, e já tivemos Ronald Golias e Ary Toledo, mostrando todo o compromisso da emissora também com o humor, além de Bozo, que marcou toda uma geração. O Show de Calouros com tantos jurados icônicos: Aracy de Almeida, Décio Piccinini, Elke Maravilha, Mara, Nelson Rubens… E hoje a classe de programa foi herdada pelo Raul Gil, que também quer saber para quem você tira o chapéu.

Vimos a Casa dos Artistas com uma Bárbara Paz despontando para o mundo e ao estrelato. E também vimos alguns realities shows bons, mas que deveriam ter tido um zelo maior, como Ídolos e Solitários. O jornalismo se apresenta com alguns programas marcantes como o Aqui Agora tem suas limitações de investimento da própria emissora como, por exemplo, é a única emissora das grandes que não está cobrindo as Olimpíadas e isso deu certo. A campanha do Teleton que reúne uma gama de artistas por um bom motivo. Mas, alguns percalços também estragam a história da emissora, como a farsa do PCC no Programa do Gugu.

E como um site de séries, não posso deixar de comentar grandes obras como “Alô, Doçura”, de Cassiano Gabus Mendes e a atual “A Garota da Moto”, que fez o SBT brilhar os olhos com a produção de séries e prometeu pensar mais nesse segmento. Ou seja, pode voltar a aparecer por aqui no site. Além é claro do carro-chefe da emissora a série mexicana Chaves e Chapolin, que marcaram a nossa cultura popular, desde estampas até bordões.

Silvio, sempre inspirado, e dessa vez com uma roupa tão inspirada com uns shorts azuis e uma camisa amarela, disse que não tem como competir com a Globo. E concordo com Ricardo Feltrin que este foi o seu maior acerto, e esta é uma grande lição que levamos para vida. Porque quando a gente conhece o concorrente, e assim o reconhece como uma grande potência: o negócio é respeitá-lo para conseguir consolidar o nosso lugar. Mostrar que ainda podemos conquistar uma vice-liderança, ainda respeitar e reconhecer de onde se bebe a fonte de inspiração.

Luta boa é luta com respeito. E não conseguimos falar de qualquer outra emissora hoje no Brasil sem falar da poderosa platinada. Mas, aqui não cito para minimizar nenhum mérito do SBT, mas para enaltecer o respeito de sempre. E é louvável, que faz merecer muito mais que 35 anos na nossa vida dos brasileiros, que estamos tão acostumados em traçar entraves entre rivais.

Parabéns, SBT.

  • Vitor Hugo Santos

    Que texto! Meus parabéns.
    Eu não sei o que dizer, apenas que essa emissora tem um lugarzinho especial no meu coração pra sempre, e estou muito feliz de ver essa singela homenagem no meu site preferido de Séries.

  • Caio Vinicius Viana Lima

    Adooro quando a tv aberta br da as caras por aqui…
    Sbt me deixou viciado em novela mexicana e eu sou muito grato por isso kkkkkk
    Parabéns SBT!!!

  • Alan

    Há anos que no SBT eu só vejo Chaves. Mas havia uma época da minha vida que Passa ou Repassa, Qual é a música, Porta da Esperança e Cocktail eram paradas obrigatórias.

  • VALERIANA BARROS

    Muito bom ver este post por aqui.Excelente texto.
    Não acompanhei a programação da emissora no início mas sempre acompanhei o Programa Silvio Santos pois já era super fã desde os anos 70 e pra mim, até hoje, domingo sem Silvio Santos não é domingo.

  • Priscilla Arradi Martins

    Ameiii seu texto, SBT fez e faz parte da minha vida desde de criança

  • Marcos Bastos

    Hebe ?

    Amava o Bom Dia & Cia, Domingo Legal com o Gugu e Chaves (ainda amo o Chaves, na verdade). Parabéns SBT!

    P.s. Só agora que li que vim notar que o SBT não cobriu as Olimpíadas.

    • Walber Lima

      Na verdade ele comentava nos jornais, mas não comprou os direitos de transmissão assim como a RedeTv e ainda assim teve audiências altissimas rsrs, quem se lascou com a olimpiada foi a Recopia, que pagou caro, teve baixa audiencia e ainda deixou de passar momentos para passar seus programas ruins, como passou Domingo Show em vez da medalha dupla da ginasta

      • Marcos Bastos

        Ah, compreendi.
        Bom, eu não tenho tv por assinatura em casa então acompanhei pela Globo. Não curti muito os comentários e cortes da Record. Ela quis a todo custo incluir a programação original dela enquanto a Globo até abriu mão de alguns programas para se focar nos jogos. Eu sempre amei esses grandes eventos esportivos e gostei do compromisso da Globo com as Olimpíadas.

        E obrigado por esclarecer! 🙂

  • Daniel Kososki

    No SBT conheci várias séries:
    Blossom, Full House, Smallville, Six Feet Under, The OC, One Tree Hill, Gilmore Girls, Um Maluco no Pedaço, My Wife and Kids e várias outras.
    Sou eternamente grato.

    • Ray

      Pois é, o texto esqueceu de falar sobre as séries. Foi lá que meu amor por Friends começou, três é demais etc.

  • Diogo Figueiredo

    Casa dos Artistas <3

  • Laudicéia Abreu

    Feliz DEMAIS com esse texto.
    SBT me acompanhou desde criança com os melhores desenhos, Chiquititas e o Disney Cruj, já minha adolescência (Liga da Justiça na hora do almoço, quem nunca?) e juventude com as novelas e séries, muitas séries! <3
    E agora – adulta – tenho amor por esse canal, não deixo de assistir uma estreia como Garota da Moto ou o programa do Celso só pra dar umas risadas.
    Parabéns, SBT!
    E parabéns pelo texto, Marco!

  • Amy

    As novelas infantis e os desenhos fizeram a minha infância mais feliz. Carinha de Anjo, O diário de Daniela, Chiquititas, Luz Clarita, Cúmplices de um resgate, eu acompanhava tudo e depois passei a ver as novelas mexicanas adultas, guilty pleasures da minha vida até hoje.
    Eu também vi várias ótimas séries pelo SBT, inclusive conheci SFU quando no meio da noite eu acordo e vejo o episódio “Static”, o penúltimo da série.
    Não vejo mais tanto o SBT, mas adoro o programa do Silvio e quando posso assisto.

  • NowSilva

    Foi através da tv aberta que comecei a minha paixão pelas séries. Assim como várias pessoas, eu acordava ou esperava acordada para ver Without A Trace (Desaparecidos). Meus domingos não eram os mesmos se eu não assistisse Smallville e One Tree Hill (Lances da vida). No fim, o SBT contribuiu bastante para que eu me tornasse uma viciada. Em outros canais assistia Xena e The Lost World (O mundo perdido). Essas séries citadas foram as primeiras que acompanhei na vida e até hoje adoro todas. Ah como sinto falta daquela época boa!

  • Pabline Miranda

    Sbt é a minha emissora aberta favorita, não tem a qualidade técnica da globo, mas é a que mais me entretém, com seus programas infantis, desenhos, novelas e programas de auditório. Sem falar que por causa dela que meu amor por séries começou. Acho que o SBT foi a emissora aberta que mais passou séries, nem dá para listar todas. Sempre vou ser eternamente grata ao titio Silvio por exibir e me fazer apaixonar por friends, chiquititas e Tv Cruj e tantas outras coisas.

    • Walber Lima

      Mesmo pensamento meu aí, depois que postei vi seu comentário parecido com o meu rsrs

  • Fernando d.S.

    Na década de 80 eu curtia assistir os seriados no SBT, principalmente A Super Máquina, Esquadrão Classe A, Miami Vice e O Super Herói Americano.Naquele tempo ainda não existia televisão a cabo no Brasil e a única maneira de ver séries era em canal aberto mesmo.
    Eu também curtia muito o programa do Bozo e os humorísticos Alegria e Reapertura.
    Aquela pra mim foi a melhor década do SBT.

  • Walber Lima

    Apesar de tudo sempre foi a emissora preferida minha e mais assistida aq em casa. Minha mãe ver todas novelas mexicanas e eu por tabela já acompanhei e vejo relances.

    Foi o SBT que me fez gostar do mundo das séries, acompanhava O.C, Veronica Mars, One Tree Hill nas manhãs de domingo, conheci Gilmore Girls nos sabados e depois nas madrugadas. E foram nas madrugadas que eu gravava em VHS e via depois: SIX FEET UNDER, vi toda no SBT dublada gravada. Nip Tuck, os procedurais, Cold Case, Without a Trace, The Closer entre tantas outras e as comédias.

    Fora os programas que acompanhei na infância, Curtindo uma VIagem, Passa ou Repassa, Disney Cruj, Bom Dia e CIA com Eliana e Jack e claro os programas do monstro da TV Silvio Santos.

    • Lucas

      Nossa, que saudades do Curtindo uma Viagem <3

  • Lucas

    E as séries no domingo de manhã na icônica Sessão Premiada? Eu assistia todo domingo quando criança: The OC, Veronica Mars, Smallville e entre outras. Mal sabia que iria virar um série maníaco anos depois!

    • Bruno Sousa

      Lembrei agora daquela Kyle XY, que também passava domingo de manhã. Kkkkkk

  • Viviana Galeno

    Naqueles tempos tinha também a Porta dos Desesperados do Sérgio Malandro me lembro bem pois antes de ir para a escola sempre assistia, Mara Maravilha, Angelica e tantos outros apresentadores fizeram o futuro desses 35 anos. E apesar do SBT ser vice em liderança honra a palavra telespectador com maestria ao incorporar em sua grade de programação séries americanas e a parceria com a Warner Bros faz nossa alegria postando minha amada TVD e tantas outras aqui citadas. É o que falar das novelas me desculpem minha empolgação mais o que foi Éramos 6, excelente novela que revelou atores únicos, por fim meu muito obrigada e que tenha vida longa! Agora para alegria geral da nação tira a Patrícia Abravanel tenha pena de nós é tanta babaquice que cansa às vezes.

  • Fernando d.S.

    A primeira vez que assisti Spectreman e Ultraman foi no SBT durante a década de 80 e me tornei fã dessas séries.
    Lembro também do desenho Duck Tales e dos especiais de natal em stop-motion do Rudolph, A Rena do Nariz Vermelho.

    • VALERIANA BARROS

      Adoraaaaaaaaaaaaava Duck Tales.

  • Matheus Ramos

    Se até a Globo, retribuiu o parabéns ao SBT! Quem somos nós, para não parabenizar? rs

  • Rodrigo Tannuri

    Emissora mais do que querida! Merece tudo de bom S2
    Tem O cara, programas míticos e, além disso, ainda passava minha série preferida: OZ.
    Sou SBTzete com orgulho kkkkk #Roqueeeee

  • Diego Rocha

    Lances da Vida; Tal Mãe, Tal Filha; OC – Um Estranho no Paraíso; Smallville – As Aventuras do Superboy; Sobrenatural; Everwood – Uma Segunda Chance <3

    Blossom; Punk, A Levada da Breca; Três é Demais; Um Maluco no Pedaço; Eu, a Patroa e as Crianças; Os Jovens Guerreiros Tatuados de Beverly Hills.

    As Espiãs; Coisas que Eu Odeio em Você; Arquivo Morto; A Garota do Blog; Lois & Clark: As Novas Aventuras do Superman.

    Liga da Justiça; Super-Choque; Jovens Titãs; Projeto Zeta; Marsupilami; Timão e Pumba; Hércules; Aladdin; A Pequena Sereia..

    MUITO OBRIGADO, SBT! 😉

  • Fernando d.S.

    O SBT produziu poucas séries brasileiras nesses 35 anos. Eu só lembro de Alô Doçura, Ô Coitado e Brava Gente(sitcom de 1996).Este ano o canal estreou A Garota da Moto e tenho a impressão que essa é a primeira série dramática que a emissora produz.