RuPaul’s Drag Race All Stars 2×08: All Stars Supergroup [Season Finale]

28
2507

Há um momento desse último episódio de RuPaul’s Drag Race All Stars em que Detox, Alaska e Katya conversam sobre as impossibilidades de Roxxxy ser coroada. No fundo, a própria Roxxxy já sabe disso e essa incapacidade velada vem perseguindo-a silenciosamente desde os últimos desafios. A conversa fala em vitória através da matemática e segundo ela, Alaska ganhou mais desafios e esteve menos vezes no bottom, o que a tornaria uma candidata mais provável a vitória. O “likeability” aqui não conta muito, porque nem Tyra, nem Violet e nem Sharon tinham personalidades adoráveis. Porém, matematicamente falando, as vencedoras são escolhidas numa proporção aproximada de suas vitórias.

Ainda assim, com relação ao que acabou sendo o All Stars 2, as dúvidas estão por toda parte. As meninas, naquela época, ainda não sabiam dos vazamentos e nem dos efeitos devastadores que a comportamento de Alaska provocariam aqui fora. Para nós, os espectadores, esse momento de coroação acabou por reunir uma série de expectativas contraditórias: uma parte dos fãs reconhece como Alaska foi bem, outra parte acreditou em favorecimento e grande parte tomou o comportamento dela como inadmissível para uma vitória. Porém, a perspectiva do histórico, da competência, aproximavam-na disso, ainda que esse All Stars tivesse sido tomado de outras questões bastante complicadas.

RuPaul's Drag Race All Stars --- "All Stars Supergroup"
RuPaul’s Drag Race All Stars — “All Stars Supergroup”
Rolaskatox

O episódio começou com Katya revelando que ela eliminaria Roxxxy. Isso era mais óbvio que tudo e Detox e Alaska deixaram velada a clareza do instinto de proteção pela amiga. Roxxxy deveria ao menos dizer em voz alta que preferia ser eliminada a continuar naqueles termos, mas ela se silencia e fica dizendo nas entrevistas “que quer mostrar porque ainda está ali”, quando sabemos que ela estar ali não tem a ver com seu talento e sim com seus laços de amizade. É realmente constrangedor e deve ter sido ainda mais quando Andrews saiu e descobriu que nem mesmo para suas colegas de trio a justiça de sua permanência poderia ser reconhecida.

Alaska lembrou do choque de Ru diante da eliminação de Alyssa e sim, eu acredito PIAMENTE nele. Quem acompanha a drag race desde sempre sabe que as reações de Ru são extremamente discretas. Ela embarga a voz quando se emociona, mas não vemos lágrimas; e ela se permite uma expressão de choque, mas logo se recompõe. Isso é parte do compromisso dela com imparcialidade e com o personagem de soberania. É como quando Phi Phi diz que Ru é distante das competidoras e se esquece que para evitar que decisões sejam tomadas baseadas em relações pessoais, o distanciamento é necessário. O “projeto Rolaskatox” desse ano é a maior prova disso. Os fãs que passam o tempo todo dizendo que “Ru deixou que essa fosse a temporada mais injusta de todas”, se esquecem que quem fez esses resultados injustos foi o próprio Rolaskatox, confirmando o ponto de vista de que contar com a neutralidade dos outros é sempre mais fácil do que exigi-la de si mesmo.

RuPaul's Drag Race All Stars --- "All Stars Supergroup"
RuPaul’s Drag Race All Stars — “All Stars Supergroup”

Na gravação do podcast com Ru (um substituto para o almoço com tic-tac que Detox vai continuar sem ter), Alaska voltou a ser cobrada com relação ao trio e desabou novamente no ateliê. Foi muito pontual ver como Alaska sempre age com egocentrismo quando se descontrola, tratando a situação como se tivesse apenas a ver com ela. A expressão de Detox na foto acima é categórica e junto com ela, vem um confrontamento com Alaska que é bastante corajoso. Existe um conflito sim, um conflito de amizade com ambição que não se reflete de forma tão marcada como com Thunderfuck. Ela faz birra de novo, aumenta a voz, trata as outras como se não fossem capazes de viverem as mesmas esperanças e logo depois, invoca os laços que SIM, existem, ou Roxxxy não estaria ali até por tanto tempo.

O grande problema é que desde a semana passada, Alaska fica procurando por arestas que possam ser aparadas e entra em pânico com a perspectiva de derrota. Ela anda de um lado pro outro, relembra que o trio chegou até o Top 4 e perdeu pra outra “adorável estranha” e deixa charme e likeability irem constantemente por água abaixo. Sim, porque as outras três também querem ganhar, mas elas não trazem consigo uma névoa daquela escuridão gerada pela ganância. Alaska tinha muitos atributos para a vitória, mas seu foco nos planos traçados eram tão vitais para ela, que qualquer chance de desvio a transtornava. Ao perceber que Ru insistia no tema Rolaskatox, deve ter ficado claro para ela que o trio estava ali para ser testado e que nenhuma delas passou no teste, tornando uma vitória de Katya possivelmente emblemática.

Brenda e Carl

Precisamos falar sobre Katya e sobre como ela ascendeu como a favorita absoluta dos fãs nas últimas semanas. É notório que Katya tem uma personalidade e um talento inegáveis. Mas, também é notório que ela nem sempre foi bem nos desafios. Contudo, além de me relacionar completamente com sua história de ansiedade crônica, consigo ver na participante uma força e uma luz que são suficientes para transformá-la numa rainha digna da coroa. Katya perde na matemática, supera Alaska no likeability, mas fica à deriva de uma experiência de polidez que ela ainda não alcança na mesma proporção que Thunderfuck. Katya ainda se deixa vencer pelos próprios medos, mas vê-la conversando com Ru sobre as vozes de sua cabeça foi tão divertido que dá vontade de mandar em e-mail para ela implorando para ser só seu amigo.

RuPaul's Drag Race All Stars --- "All Stars Supergroup"
RuPaul’s Drag Race All Stars — “All Stars Supergroup”

Já a entrevista de Roxxxy foi somente para reforçar a questão da edição. Sei que falei disso exaustivamente, mas vou insistir para sempre em refutar as teorias da conspiração. Não que não existam retoques nas mensagens enviadas pela dramaturgia montada para cada episódio, mas elas são possíveis apenas porque o material é oferecido. Roxxxy é a prova viva disso, quando assume heroicamente todos os jogos mentais que fez e que prejudicaram sua imagem. É uma completa insanidade considerar que a sala de edição escolhe aleatoriamente quem vai jogar na fogueira. Mas, para quem assistiu UnReal, é evidente que os editores reconhecem personalidades e seguem a trilha do ouro. Uma hora ou outra, essas personalidades saem da toca e revelam as verdadeiras cores. Qualquer edição que tenha piedade de seus “personagens” não estará sendo competente e nem interessante. Essa é a base de qualquer reality show.

Dito isso, as quatro finalistas prepararam uma apresentação muito bem ensaiada de um novo hit. De novo, Alaska e Katya conseguiram as maiores atenções e Ru também pareceu bastante impressionada (eu achei incrível). Na hora dos discursos, lá estavam Katya e Alaska com os seus prontinhos e decorados. O de Alaska muito sagaz e conectado ao universo da Drag Race (algo que ela calculou minuciosamente) e o de Katya, embora igualmente decorado, mais orgânico e emocional. As diferenças dos discursos imprimiam as discrepâncias: Alaska transformou sua drag numa instituição profissional focadíssima e Katya ainda está num momento de deslumbre com o amor recebido e as oportunidades surgidas. As duas merecendo a vitória, mas com Alaska um passo à frente por conta de seu preparo objetivo, direto, soberano, quase solene… E  eu me arrisco a dizer que isso se relaciona completamente com a própria RuPaul. Alaska aprendeu a lição do distanciamento (ainda que não o tenha executado) e sob esse aspecto, o All Stars 2 cumpriu sua missão. É como se Ru estivesse dizendo assim: para ser mesmo como eu, é preciso tomar as decisões mais difíceis, é preciso sentar aqui focada, é preciso ternura e também distanciamento… Para estar aqui, não se pode ter medo de enviar para casa alguém que você admira (e até gosta). Vocês estiveram com meu poder nas mãos e não o usaram com sabedoria. Por isso eu sou inacessível, por isso eu sou uma luz sentada numa bancada, porque eu jamais, JAMAIS, deixaria que meu afeto por vocês ludibriasse o meu dever.

RuPaul's Drag Race All Stars --- "All Stars Supergroup"
RuPaul’s Drag Race All Stars — “All Stars Supergroup”

O anúncio da vitória veio gravado no estúdio, em três versões, como no primeiro All Stars. No vídeo abaixo, vemos a reação de Alaska ao ver seu nome no final exibido. Diferente das temporadas regulares, o Logo TV não reuniu as três finalistas no vídeo que mostra a reação verdadeira da vencedora. Katya, inclusive, estava no Brasil para shows (e quem esteve lá pode contar nos comentários se ela falou algo do assunto). De certa forma, ela e Detox já deviam imaginar que não sairiam vitoriosas dali e isso (ou uma informação mais direta) explica a ausência delas na festa da coroação. Dificilmente Ru falará sobre os vazamentos no Reunion, mas espero ansiosamente por qualquer menção ao que aconteceu envolvendo Phi Phi.

Enfim, o Reunion acontecerá apenas no dia 27. Independente disso, quero terminar essa crítica dizendo que estou imensamente feliz com a temporada, que a corrida para mim só reforçou sua inteligência e relevância; e que foi bom demais acompanhar com vocês cada semana. Alaska é uma vencedora (favorecida ou não) e merece a coroa. A antipatia que a envolve agora será cobrada mais adiante… Então, é esperar uma terceira edição, que espero sinceramente que não demora tantos anos para voltar a acontecer.

Nos vemos na Season 9. Até lá.

  • Juan

    Não ouso dizer que este All-Stars foi igual ao primeiro, mas ainda assim saio com a sensação (amarga) de que sempre haverá favorecimento quando Ru juntar ex-competidoras. E o pior: foi desnecessário! Inflaram tanto o ego da Alaska que um temper tantrum (como diria Max) é até natural, mas isso não só tira credibilidade da vitória, como tbm prejudica sua carreira. E a culpa é sim dos produtores, que ao invés de deixar Alaska brilhar naturalmente (o que ela faria, de qlqr jeito), optaram por uma edição em que era IMPOSSÍVEL a vitória de qlqr outra a não ser ela.

    O que poderia ter sido diferente:
    – 2 competidoras no bottom, apenas. A maneira como manipularam o número de drags no bottom, sem explicação alguma, foi bizarro
    – Elenco mais diversificado, com girls de temporadas diferentes
    – SEM BATOM! Deixem as drags escolherem quem sai lá na hora! Ficou muito claro pra mim que a escolha da vencedora do lip-sync tbm se baseava em quem as meninas queriam tirar (daí pq a Katya não ganhou nenhuma das vezes em que escolheu a Roxxxy)

    Estou focando nesses defeitos pq infelizmente o resultado ofuscou um pouco o que a temporada teve de bom para mim. Não que eu não tenha amado todos os episódios desse All-Stars, mas saber que as coisas poderiam ter sido bem melhores gera alquela revoltinha, hehe.

    Parabéns pela cobertura do programa, e espero que continue na 9ª temporada (tamo junto)!

  • Samantha Pistor

    Existe um problema para mim que apequenou muito não só esta temporada de Drag Race mas o programa em si.

    Na review passada, quando falei de Alaska, me manifestei no sentido de que não achava que o seu comportamento deveria ser um fator determinante para que suas colegas a eliminassem.

    Mas, isso nem de longe significa que eu ache que o programa deveria isso deixar passar impune.

    Alaska cometeu dois grandes erros que deveriam ter lhe custado a coroa: primeiro, quebrou o contrato de confidencialidade, o que causou uma perda imensurável para o All Stars. Segundo, ofereceu suborno para que uma das vencedoras não a eliminassem, na frente das câmeras, sem sofrer nenhuma sanção, represália ou até mesmo um puxão de orelha.

    O primeiro grande erro de Alaska é perdoável ou é possível cobrar de outra forma: ela quebrou um contrato e, mesmo que não perca a coroa, pode perder patrocínios, pagar multas e sofrer outras penalidades. Contudo, é prerrogativa da Logo e da própria Rupaul decidir ou não se processar a Alaska e tirar a sua coroa por essa razão vale a pena. Então, é aceitável, mesmo que eu particularmente não concorde, que Alaska deixa de ser coroada por isso.

    O segundo grande erro foi a tentativa de suborno no programa. No show. Na frente das câmeras. Essa conduta não ser recriminada e sancionada já é angustiante para mim; o fato da rainha que promoveu essa cena lamentável ter sido coroada, me deixa extremamente decepcionada.

    O que Alaska fez no episódio sete, foi tentativa de suborno. Condenável, crime em algumas instâncias e imoral em todas as outras. Não foi um chilique, não foi um drama, não foi uma crise. Ela ofereceu dinheiro para deturpar as regras do programa e comprar um passe das suas colegas, que ali assumiam o papel de jurada. O fato de Detox ou Katya não terem aceitado, não torna a conduta da Alaska menos deplorável ou condenável.

    O programa, se fosse minimamente coerente, deveria, após a decisão da Detox, ter anunciado a eliminação da Alaska, tal qual fizeram com Willam na temporada 4, quando ela infringiu regras do programa.

    A simples omissão do programa neste ponto, o fato de isso não estar sendo falado, apequenou Drag Race a tal ponto de piadas de que Rupaul ganhou o dinheiro estarem circulando pela internet.

    E isso não é culpa dos fãs. Isso é culpa do show que se omitiu e coroou uma queen que pode ser fantástica, talentosa, única, mas falhou ao se deparar com a perspectiva de eliminação a ponto de oferecer suborno para ganhar.

    Isso é triste e o silêncio do programa é desapontador.

    Com relação ao twist que gerou sim, uma das maiores injustiças do programa, apenas repito que Drag Race priorizou uma narrativa, e não o talento. A narrativa de que Rolaskatox segue firma, a narrativa de que amigas não conseguem se eliminar, a narrativa de que ter as amizades certas podem te levar longe em uma competição, a narrativa de que exigir imparcialidade é mais fácil de cobrá-la.

    Foi uma excelente narrativa e parabenizo o programa por isso, mas na questão TALENTO, este All Stars ficou devendo. E acho isso frustrante, porque o RS não deveria ser uma novela. É para ser uma competição na qual a melhor vence, não a que tem os relacionamentos certos.

    • Rafael Rigaud

      nossa, concordo contigo em gênero, número e grau e seu comentário foi um dos mais sensatos que eu vi a respeito desta final. entendo que rpdr é um reality show antes de ser uma competição, mas todo esse drama e favorecimento em relação a alaska me deixou com um gosto bem amargo na boca. o programa perdeu um pouco do brilho para mim.

    • henriquehaddefinir

      Samantha seu comentário como sempre é muito bem argumentado, mas, eu só discordo da questão do suborno. Em programas como Survivor, em que quem decide quem sai são os próprios participantes, trocar a permanência por dinheiro ou vantagens é absolutamente normal. Não há nenhuma regra sendo infringida nisso, porque é uma troca de favores (financeiros ou não).
      Já o vazamento sim, concordo que foi grave e que ela deveria ser punida por isso. Vamos ver se o Reunion levanta a questão.

      • Samantha Pistor

        Henrique, eu concordo com a máxima de “que não há crime sem lei anterior que o defina”, ou no caso dos realitys, que se não está na regra, não é condenável (perdão, eu sou advogada e não resisti :p)

        Mas, é exatamente por isso que eu disse que a edição se apequenou. Ela podia ter tomado uma posição quanto a isso e não tomou. Nem deu uma explicação. Isso nunca aconteceu no programa, e o silêncio foi desapontador. Poxa, eles deviam ao menos ter dito que Alaska podia fazer isso, que era uma estratégia aceita.

        Não tivemos nenhuma explicação e no histórico, temos uma participante expulsa por menos que isso (se bem que, até hoje não tivemos explicações também quanto a isso).

        Drag Race é um programa que busca talentos e eu acho que num programa onde o talento deve ser preservado, esse tipo de estratégia tacanha não pode ser tolerada. Não é a toa que a vitória está sendo contestada. Não é só o ser gostável, mas é a conduta anti-ética que Alaska adotou e a permissividade quanto a isso.

        No mais, mesmo discordando de você, amo suas reviews e acho que vou passar a incomodar também no American Horror Story. ^^

        • henriquehaddefinir

          Será MUITO bem-vinda.

  • Isaac Lopes

    Não vou negar, como fã do programa fiquei muito triste com a finale.

    Parabéns Henrique pelos textos, não sei se volto pra 09, mas se voltar espero poder “te ler” aqui =)

  • Dante

    Que texto maravilhoso, parabéns! Foi ótimo acompanhar essa jornada com seus textos sempre afiados e coerentes.

    PS: Henrique, acho que nem gravaram as 3 sendo coroadas, o reunion foi gravado há quase 1 mês e se vc reparar nas promos, Alaska tava usando a coroa, então todas as meninas já sabiam que ela seria a vencedora. Provavelmente foi por isso que nenhuma outra finalista estava presente na festa onde teve a coroação.

  • Honestamente? Toda vez que eu rever esse episódio, e ver a Alaska ganhando, ficarei com um gosto amargo na boca. E não é por falta de talento, porque eu admito que ela é talentosíssima. Mas pra mim, Drag Race não é apenas uma competição, e que a vencedora deve ser alguém carismático, e que vá inspirar as pessoas, assim como RuPaul. Alaska, desde a season 5, não me inspira. O tempo todo ela usava do humor, sem mostrar em momento nenhum vulnerabilidade, e é preciso se mostrar vulnerável para que nos conectemos de verdade com alguém. Não lembro disso na Season 5, e nessa All Stars 2, quando ela finalmente tirou a máscara humorística e mostrou seus sentimentos, se mostrou uma pessoa egocêntrica e egoísta. Pra mim, o ponto onde ela realmente perdeu toda a minha simpatia foi ao dizer que Rolaskatox foi uma coisa estúpida, desmerecendo a amizade com Detox e Roxxxy. Ela pode ser, sim, uma enorme fã do reality, que tenta entrar desde a Season 1, mas ela não inspira. É o completo oposto de Katya, que pode não ser polida como Alaska, mas se mostrou vulnerável e com bastante talento. É notável seu crescimento da Season 7 pra All Stars, e ela merecia bem mais a coroa, por ter essa capacidade de se conectar, de inspirar.
    Parabéns a Alaska pela vitória, mas pra mim a vencedora moral dessa temporada será sempre Katya.
    pois é aquele ditado: [insira uma frase em russo, com um signifcado nada a ver, mas finja que é algo bem profundo].

    • Pedro

      Concordo PLENAMENTE!
      Ainda mais porque agora era All Stars, o foco era o legado, sendo assim acho que a decisão deve ser sim uma união de desempenho na competição, escolha do público e qual Rainha faria um melhor trabalho com essa coroa. Qual iria inspirar mais pessoas a correrem atrás de conseguir o mesmo.
      Chega ser desagradável ver que Ru pede a opinião do público, no processo de escolher a vencedora, Katya em alguns momentos chegou a ter VINTE VEZES o número de votos da Alaska e mesmo assim perdeu. Todos nós sabemos que Ru faz o que quer, ela mesma não esconde isso, mas em uma temporada All Stars, com a Katya tendo um belo desempenho durante a competição e muuuuuuuito mais apoio do público, não levar a coroa é triste.

      “Party”, o comercial do spray anticrise de ansiedade (que foi o melhor daquela semana), o verso no rap da final e o último discurso em russo (que na verdade significa que ela sempre vai ser uma estrela e termina agradecendo) mas falando que tinha um carburador pra consertar, estão entre os melhores momentos da temporada!

  • Fernando Bemerguy

    A Alaska era merecedora da coroa, até mesmo depois de nao ser imparcial nas decisões…só que veio o sétimo episódio e aquela atitude foi o que fez com que perdesse todo o merecimento…pq sinceramente, isso não foi comportamento de uma “rainha”, por assim dizer, foi nisso que ela perdeu na minha opinião…mas como o programa não é Fernando’s Drag Race!! 😉
    A única que merecia era a Katya, pois era a única que eliminaria a pior e não escolheria por amizade…além desse fator, ela conquista por onde passa com esse humor característico!! Sou apaixonado por ela desde a sétima temporada, pois sempre acabo rindo do que fala ou acho interessante seus looks!! Claro que não é perfeita, mas mesmo quando erra não tem uma atitude que nem a da Alaska…e essa atitude para sempre será lembrada!!!! 🙂

  • Pedro

    Li um texto FANTÁSTICO no site do pride, que me fez repensar sobre a série e o rumo que ela tomou.
    O texto apontava o quanto foi decepcionante a vitória da Alaska, não porque ela não é uma profissional incrível, mas porque a “instituição” RuPaul’s Drag Race tomou uma proporção tão grande que tomou aspecto de comunidade. Diferente de outros realities, de todos os segmentos, as participantes desse são acessíveis, o público tem contato com elas praticamente diariamente, em dezenas/centenas de shows no mundo todo. Une o fato de ter se tornado uma força gigantesca na comunidade LGBT, então todo o cenário tem que ser analisado de uma forma um pouco diferente, principalmente agora que o foco é o legado das queens. As participantes não são apenas personagens da TV, elas estão por aí, construindo sua base de fãs, sua reputação, enfim, fazendo seu nome. O próprio Ru já comentou sobre o fato da audiência do programa, apesar de alta, ter sido dividida em eventos. As pessoas se juntam, tanto em casa quanto em boates, para assistir a série. Não é mais aquilo de assistir sozinho em casa. Com isso tudo, realmente fica decepcionante engolir a vitória da Alaska, Katya acabou ganhando o coração da grande maioria dos fãs e a coroação seria legitimar que aquele comportamento da “Rainha”, representa o que a comunidade é e almeja.

    Alaska é muito talentosa mas de fato acho que ela foi um pouco favorecida, em algumas semanas ela definitivamente não foi a melhor, um high ou safe já estaria mais do que bom. O primeiro lip sync dela contra a Katya, perdeu feio. Não entendo como tiveram coragem de dar a vitória pra ela. Como muitas pessoas estão dizendo, Alaska é a maior “substituta” da Ru, porque ela pensa 100% do tempo em branding, RP, imagem e reputação. Ela já é uma grande estrela, acho sim que queimou muito o filme com toda essa onda de ódio que está recebendo mas mesmo assim vai continuar com uma carreira incrível. Ela não precisava da coroa e, honestamente, pelo conjunto, não acho que merecia.

    Katya é uma das queens mais carismáticas da história da franquia, extremamente inteligente, junto com Bianca e Alyssa são as mais engraçadas, atua bem, dança bem, é ótima no lip sync e, de fato, não é polida, como a Alaska é hoje em dia, mas acho que tem boas chances dela nunca ser e tá OK. Combina com a marca dela. A coroação da “weirdo amável” seria emblemática e extremamente merecida.

    Ps: O rap foi o melhor desafio da história do programa, o verso da Katya foi simplesmente épico. Dá orgulho ver que uma “girl band” de drags, hoje em dia, dão uma aula de presença de palco para 90% das cantoras do pop. Alyssa e Tati teriam sido INCRÍVEIS nesse desafio.
    Ps2: Tati foi a grande vencedora da edição, no sentido de que entrou lá praticamente desconhecida e agora virou uma das maiores queridinhas do público.
    Ps3: Detox foi incrível mas o Top4 dos sonhos seria: Alaska, Alyssa, Katya e Tati.

    • henriquehaddefinir

      Eu não acho de forma alguma que a vitória de Alaska seja decepcionante do ponto de vista desse texto que você leu. O público da drag race não está interessada em “mocinhas” ou meninas como Raven ou Laganja não fariam tanto sucesso. Drag é um “esporte” de ironia e veneno e o público sabe disso. Além do mais, já tivemos vencedoras sem o menor apelo do ponto de likeability como Tyra e Sharon. A questão é Alaska vencer pelo seu conjunto no programa e porque ela é sim a mais próxima do legado de Ru.

      • Pedro

        Sharon era perseguida pela PhiPhi, o que já coloca em uma posição de carinho diante do público, e apesar de ácida, nunca teve uma conduta errada com ninguém. Sempre teve um humor afiado, boas respostas e um snatch game difícil de esquecer!
        Público de drag race realmente não quer mocinha mas também não quero uma queen que surta, chora, faz cena e tenta subornar uma candidata pra ficar.
        Só ver por essa temporada, as grandes favoritas do público, foram Katya e Alyssa.

        Acho SIM que é decepcionante porque estamos falando de estrelas, legado e opinião do público. Em um momento Alaska tinha 1,2k votos no twitter oficial e Katya 25k. Entra quase na questão da representatividade… o público que deu força pro programa sendo que em troca são completamente ignorados pela produção. Quando você deixa de ser “só” um entretenimento e se torna parte importante de uma comunidade, não escutar a voz do público é um tiro no pé. Só ver a repercussão até agora… Enfim, injustiça já foi feita, não tem volta! Ansioso pelo Reunited!

      • Raul Ribeiro

        Discordo bastante quando você diz que a Sharon não tem o menor apelo do ponto de likeability. In my opinion, a personalidade e a estranheza dela a tornam super amável.

        • henriquehaddefinir

          Ela está longe de ser amável, inclusive no trato. Ela tem uma base de fãs que curte a personalidade dela, mas ela não é uma participante conhecida pela amabilidade.

          • Pedro

            Na verdade ela é conhecida, entre os fãs da série, como uma das mais simpáticas nos meet and greet. O que mais tem é relato dela parando pra conversar um tempão, lembrando que já viu o fã em outro show, abraçando, tirando foto e mandando repetir porque a foto ficou ruim e até tem uma fã brasileira que estava super bem maquiada, Sharon elogiou e pediu se ela poderia retocar o batom dela!

            Ela tem aquele passado (talvez presente) com as drogas, o que resultou em umas histórias pesadas mas no geral ela é bastante conhecida por ser amavel.

          • henriquehaddefinir

            Temos notícias de duas Sharons bem diferentes.

          • Pedro

            Tem um grupo no facebook, de fãs da série aqui do Brasil, e tem dezenas e dezenas de relatos e fotos de pessoas falando a mesma coisa sobre ela. Te indico dar uma olhada.
            As que são mais criticadas são Kim Chi e Yara Sophia.

          • henriquehaddefinir

            Eu também tenho alguns relatos de como ela é. Enfim, acho que é uma questão de perspectiva.

  • Victor

    Seus textos sempre fantásticos, Henrique… Gostaria de acrescentar que a reunion foi filmada com todas já sabendo quem seria a vencedora, por isso que nenhuma das outras duas estavam na festa, por isso não teve vídeo com a reação (se você notar a reação da Alaska é até meio seca no bar) e também por isso Katya marcou viagem no dia do episódio final. Disappointed but not surprised me define bastante sobre essa final, eu torci bastante por Katya por tudo que ela representa e representou no programa porém eu não consigo imaginar a Katya como uma winner e representando o legado de RuPaul assim como aconteceu com a Kim Chi na season passada, obviamente que ambas seriam ótimas winners porém Bob e Alaska tem muito mais perfil de winner e Alaska, como você mesmo disse, preparou-se bastante pra estar ali e ganhar essa coroa, era uma meta de vida dela, ela era obcecada por isso e tenho certeza que ela vai saber virar a antipatia criada na temporada à seu favor. Katya sempre será nossa lovable weirdo e como diria a vencedora moral da temporada, Alyssa Edwards: winning isn’t everything but wanting to is.

  • Vitória Martins Souto

    Ao final Alaska mereceu por seu desempenho em todos os desafios propostos, porém não me senti emocionada com sua vitória, achei que Katya poderia sim ganhar mesmo não tido se saído bem em toda competição. Ótima review!

  • Lucas

    Antes de falar da vencedora, preciso falar que essa temporada foi sensacional, todos os capitulos foram empolgantes e tiveram várias reviravoltas, isso reforça a boa escolha do cast que no começo foi questionado. Essa edição de All Stars vai ficar pra história de Drag Race, junto com a Season 5 que (pra mim) foi a melhor. Sobre a Alaska, sua vitória foi merecidissima, ela claramente é a mais talentosa entre as meninas, todas muito talentosas também. Destaque para Alyssa que conseguiu brilhar ainda mais e Katya, que virou a favorita dos fãs nas ultimas semanas mas que no começo da ediçao mostrou que ainda não está pronta pra ganhar o programa. Concordo com a review, Alaska está pronta, por isso teve seus momentos ruins, estava tão focada em seu trabalho e não em manter laços, que Rolaskatox a desestabilizava. Não concordo com suas atitudes, mas apesar de seus defeitos, ainda assim, acho que ela tem uma personalidade maravilhosa e sua carreira deve crescer ainda mais agora. Queria mencionar os vídeos no youtube que ela soltou essa semana, SENSACIONAIS, claro que ela tentou controlar os danos do seu breakdown, mas e daí? É a Alaska sendo a Alaska maravilhosa que a gente ama. Assistam! Que venha a S09

  • Antony Tavares

    Gostaria de deixar claro que amei essa season, as propostas e twists deram um refresco ao formato que só posso chamar de genial, começando pelo elenco de injustiçadas, sedentas pela coroa, é isso que eu quero ver num reality, a bunch of hoes dispostas a tudo pela coroa e ao trazer esse elenco foi isso que Ru trouxe, a mensagem do inicio era não tem holding back, não tem desculpinha, whos not on top is on the bottom, e todas as decisões estam nas mãos das competidoras como nunca antes.
    E é engraçado ver Coco Montresse aqui, a rainha do “eu faço melhor next week”.Well, theres no next week,bitch. Safe is not a option, e a verdade é que com os elencos inchados, as dolls se acostumaram mal e algumas se mantiveram safe all the way to the final in there seasons, aqui não guuurl, step it up.
    Eliminadas as Cocos, Adores e Gingers, havia outro tipo de queens no pareo, as que não vieram ganhar, mas se redimir de suas antigas seasons, eu nunca ouvi maior bull shit na minha vida, pessimo, ridiculo, baixo, fraco, tosco, redimir é o cacete, mate um a um até a coroa bitch, e Phi Phi Ohara tocou o foda se pra essa proposta rÉdicula, natural em seu odio pela derrota, ela ja foi pra cima em seu usual game e I couldnt be more proud, you are who you are, dont fake it doll, e lagrimas amargas off show a parte, sabemos que é tudo truque pra legião de fãs chatos do show, importante que ela manteve se fierce e odiosa até o final como tinha que ser, diferente de uma certa Roxxy, que passou a temporada toda com o cu na mão, preocupada em como seria retratada nas cameras, afinal ela queria ser miss congeniality e ir ao Brasil ser ovacionada, oh really? Pois novamente o papel mais feio da Season é seu fia, ninguem te ama, get over it.
    Senhor Ru, eu vejo o jogo que vc fez aqui mamma, ja conhecia bem seu gado e colocou no caminho as pedras onde todas ja tinham pisado antes, e ai Rolaskatox vem não como vantagem em nenhum momento pras tres, mas como fraqueza, assim como antes essa amizade era o ponto fraco das três e houve até uma likeable weirdo outra vez pra servir de contraponto, as três falharam na postura como grupo outra vez miseravelmente, mas Detox e Alaska mostraram um jogo brilhante individualmente, pra quem acabou de ver a season delas fica até dificil acreditar na qualidade da evolução delas, aquele jargão de “vc mudou minha vida RuPaul”, bem representado aqui, um trabalho de qualidade apresentado por toda a temporada com o bom fogo no olho o tempo todo pra vitoria, principalmente em Alaska que perdeu o foco tão poucas vezes que esses momentos acabaram extra marcantes pelo estranhamento, quando saiu a jogadora e entrou a pessoa ela enfraqueceu e se perdeu feio, mas com o seu foco, segurança no trabalho e objetivo não teve outra ela controlou o jogo do inicio ao fim, quem fazia o jogo agora eram as queens e Alaska fez valer a sua voz mesmo quando estava errada, whos not on top is on the bottom, pq estar no bottom? Como estar no bottom numa competição como essa? Estar no bottom é entregar o jogo pra outra queen, é perder, não esteja no bottom gurl, vc não tem esse direito aqui, Alaska foi quem melhor entendeu isso e por isso venceu essas tres abaixo.
    Tatiana, Alissa e queen Katya ainda sofreram aqui da falta de confiança, faltou o elemento X nas três pra ir ao top, as duas primeiras se permitiram falhar não só uma, mas quando tiveram a segunda chance, que meia duzia de 100 tiveram, se deram ao luxo de falhar outra vez, sorry about it, entregaram o jogo na mão alheia, perderam, e foram eliminadas não por Rolaskatox, mas por si mesmas, o jogo estava todo nas mãos das queens this time.
    E foi essa mesma logica que tirou das mãos da Katya a vitoria outra vez, foram tres vitorias em challenge e tres derrotas em lipsync, com sua visão assertiva, sua maturidade e inteligencia Katya podia ter mudado o jogo up side down com essas vitorias, pense na temporada se Katya tivesse vencido esses lipsyncs, não só haveria um top 4 mais justo talvez, mas também a vitoria final seria da russian whore, mas ela perdeu la, e perdeu no final e não foi coincidencia.
    Os ultimos 3 minutos de um reality show, onde o vitorioso é eleito, são sempre os mais chatos, nenhum reality que eu assisti conseguiu transformar isso em nada mais que um anti climax, independente do resultado me deixar feliz ou não, assim também o mais importante pra essas divas é agora pós a grande visibilidade do show, viajando o mundo e mostrando sua arte, to mal acostumado agora, season 9 é melhor ser muito boa.

  • pedro doria

    Texto muito bom, concordo totalmente com as visões sobre Alaska e Katya.

  • Virgínia Magalhães

    Henrique, muito obrigada pelos seus textos sempre carregados duma inteligência que os fãs (alguns bem jovens, é verdade), de Drag Race parecem precisar. Ler suas análises sempre expandem nossos horizontes, obrigada.

  • Bruno Granado

    Eu entendo o lance da matemática. Porém as vitórias da Alaska nos desafios pra mim foram injustas, então a matemática não é válida. O programa poderia ter terminado bem mais equilibrado, e por mais que diga que a Ru deu o poder para as outras, ela só deu o poder, uma vez que tinha definido quem levaria o corte e quem teria a vitória, então no fim da quase o mesmo.

  • Alaska é minha participante favorita da história de Rupaul’s. Acho, aliás, que ela deveria ter vencido em sua temporada. Se você pensar que ela fez uma sexta temporada perfeita e foi super detalhista e evoluiu bastante nesse All Stars 2, a vitória dela é bem justificada.

    Consigo entender quem fala sobre favoritismo, mas acho que a única pessoa que tinha o preparo para competir com ela e até vencer era Detox. Alaska estava preparada em TODOS os sentidos e não se apagou em nenhum momento na temporada — diferente de Katya, que foi crescendo e conquistando seu espaço depois de semanas.

    Fico com a impressão de que a Alaska nasceu para essa competição. Ela é realmente muito boa. Não vou ser hipócrita e condenar o lance do vazamento de informação, porque possivelmente eu faria o mesmo para meu namorado. O lance do suborno foi ruim por ser desnecessário, afinal, era evidente que ela não seria eliminada. Rupaul jamais deixaria isso acontecer.

    Esse lance de “merecimento” por conta de questões morais que tanto se aborda nos comentários não faz sentido para mim. Assim como The Voice, Masterchef, Project e tantos outros programas, deveria ganhar o mais talentoso, e acho que aqui foi o caso: Katya foi ótima, mas não a temporada toda e sua personalidade compensa diversos fatores que faltam. O mesmo com Detox que não tem nem de longe o destaque de Alaska, que já roubava a atenção no final da quarta, na plateia.

    Enfim, li todos os textos, Henrique, parabéns!