RuPaul`s Drag Race All Stars 2×04: Drag Movie Shequell

42
1943

Aquela que veio para uma sequência… E falhou.

Edições All Stars de quaisquer realities shows são histórias sobre segundas chances. São as sequências planejadas depois de um começo conturbado e por isso, acabam sendo importantíssimas para aqueles que voltam. O problema é que algumas vezes – e na maioria delas, na verdade – uma sequência pode ser mais devastadora que o “original”. No afã de reparar erros, muitos outros podem ser cometidos. De fato, às vezes a coisa toda só é ruim mesmo e segundas ou terceiras chances não mudarão isso de forma alguma.

Com isso, podemos dizer que a narrativa dessa edição All Stars de RuPaul’s Drag Race está prontinha e, vejam só, também busca por redenção. Tudo é uma questão de amadurecimento e se ele existir, em algum lugar, os resultados serão diferentes. Eu sempre digo que a edição não é uma vilã carniceira que cava mentiras deslavadas. Ela é uma manipuladora de ângulos e ângulos só podem ser manipulados se eles existirem. Dessa forma, se não houver amadurecimento de conduta pessoal, os urubus vão avançar e arrancar sua carne sem pena. Essa é a verdadeira lição de uma sequência e ela pode ser aprendida.

Phi Phi O’Hara (que não aprendeu) foi para o Instagram essa semana, logo após a exibição do episódio, desabafar sobre o que está acontecendo com ela no show. Culpou a edição por TUDO e chegou a considerar citar até o nome de um produtor. Em momento algum fez um mea culpa sobre seu comportamento e nem colocou em perspectiva dois fatores importantes:

  • Se a edição estivesse cavando sozinha os jogos mentais dela, eles não estariam sendo percebidos e sublinhados pelas outras participantes. E ficou claro essa semana que o comportamento de Phi Phi já foi notado.
  • A edição pode te colocar em maus lençóis sim, mas você precisa dar a ela algo com o que trabalhar. Phi Phi não foi obrigada a dizer nada do que disse sobre Alyssa e nem nasceu ontem para não saber que dizer algo assim de outra menina vai acabar sendo aproveitado na edição. É impressionante… Ela falou de Alyssa o tempo inteiro, nesse e no episódio anterior.

Não existe favorecimento dentro do contexto da edição. Bianca Del Rio, por exemplo, nunca poupou ninguém de suas críticas e muito menos a edição deixou de fazer exposições disso. O mesmo para Bob The Drag Queen, na temporada passada, que acabou até sendo rejeitado em alguns momentos. É uma completa ignorância considerar favorecimento na edição do show, porque o show está interessado em posicionamento e sempre vai sublinhá-lo se ele acontecer. Então, vamos superar a demonização dos editores, porque nenhuma delas é inocente o suficiente para ignorar o fato de que tudo é o que se diz, como se diz e para quem se diz.

Porém, Phi Phi é o escorpião de natureza incontrolável que pica e culpa a vítima. Nem eu – e acredito que nem muitos fãs da corrida –  se importariam de acompanhar o impacto da personalidade dissimulada e estratégica dessa participante. Realities são narrativas involuntárias e encontraremos prazer em todas as suas formas. Entretanto, se já é difícil engolir o cinismo dela durante os episódios, é mais difícil ainda engolir sua vitimização unilateral. Roxxxy Andrews, por exemplo, supera a colega simplesmente por admitir seus erros e por ter vindo para o All Stars muito atenta aos ângulos que oferece ao show.

Os ângulos de Phi Phi, aliás, são fantásticos para o programa. Ela continua conduzindo a narrativa de uma forma divina para os editores. Drag Movie Shequell foi outro episódio em que os pontos de tensão convergiam dela ou para ela. As “sequências” veladas e explícitas do programa explodiram no meio desses conceitos. Phi Phi, sem saber, montou o All Stars de forma a protagonizá-lo. Ela, a mestra da estratégia, que vem conseguindo derrubar suas rivais uma a uma, que vive o conflito de ser quem é e não aguentar as consequências desse “ser”. Phi Phi poderia ser uma participante invencível, até aqui fora, se simplesmente abraçasse completamente o fato de que é uma bitch. E sem remorso.

rupauls-drag-race-all-stars-2x04-1

Drag Movie Shequell começou já com a escolha das duplas que fariam as paródias dos filmes preferidos de Ru. O trabalho de Phi Phi na condução dos eventos iniciou-se já na leitura do texto, quando ela percebeu que o papel da mãe era melhor e convenceu Roxxxy com argumentos fajutos a trocar. Um dos argumentos foi “você vai ficar mais engraçada” e Roxxxy já devia ter desconfiado, porque Phi Phi não é do tipo que entrega o ouro pro inimigo deliberadamente.

De fato, o único esquete que não tinha um desnível entre personagens era o de Detox e Katya. Na paródia de Baby Jane, o personagem de Alaska era infinitamente mais presente do que o de Alyssa, que quase não tinha falas. Roxxxy também sofreu do mesmo problema e embora Katya também tenha ido parar no bottom seguindo a mesma premissa, não acho que seu personagem tenha se apagado tanto assim.

Na passarela, foi outra edição de ótimos momentos. A ideia de fazer um look inspirado no que Violet fez na sétima temporada foi ótima e algumas das meninas tiveram boas sacadas. Roxxxy foi a minha preferida, de longe… A revelação foi bem mais dramática e os looks eram diferentes um do outro. Detox cumpriu o que prometeu e veio de novo com algo totalmente diferente. Já Alyssa não teve uma revelação fantástica, mas veio com um conceito fantástico. Era tão bizarro e ousado que era bom. Katya salvou-se no humor e Alaska acertou em cheio com o retorno de Lil Pound Cake. Phi Phi era a mais mal vestida e agora preciso dizer algumas coisas sobre isso.

Na review passada eu disse que me irritava muito que Phi Phi fosse elogiada por aquele cosplay que em nada me remetia a arte drag. Minha reclamação partia das bases das colocações de Michelle, por exemplo, que já condenou outras meninas por muito menos que isso e agora elogiava O’Hara. Precisamos respeitar todas as manifestações “dragnianas”, mas também precisamos respeitar esforços pela categoria e admitir que não basta vestir qualquer coisa e chamar de DRAG, simplesmente porque não se pode tirar de ninguém o direito de ser uma. Phi Phi é uma drag, mas aquela roupa não me remetia ao estilo. Assim como me senti com relação a Courtney Act tantas vezes. Se eu enfiar uma peruca, passar só um batom e quiser sair por aí dizendo que sou drag, eu posso. Mas, numa competição onde o julgamento é o centro motor dos acontecimentos, imbuir-se das diretrizes do que é ser uma drag é importante. O segredo está em contornar esses julgamentos com identidade e cautela.

A roupa de Phi Phi nesse desfile, contudo, era só mais uma prova do quanto ela carece de criatividade se não for guiada por escudos específicos: ser uma showgirl, ser uma cosplay. A roupa era feia e básica. Na verdade, tudo que ela propõe para a temporada acaba se refletindo no contexto geral. Estou eu aqui, com uma review toda apoiada no que ela fez, no que ela disse… Isso é ótimo (embora não seja para ela). E sim, tudo é uma questão de parcialidade num reality show e por conceito, numa review.

Enfim, depois das críticas dos jurados (em que Michelle mais uma vez estava impossível), Ru elegeu Phi Phi (que estava mesmo incrível na cena) e Alaska (sempre extremamente competente) para o Top e mandou Roxxxy, Katya e Alyssa para o bottom, numa escolha tripla que soa novamente bastante providencial (visto que na semana passada o bottom foi de apenas duas). Com Phi Phi no top, Alyssa ir pro bottom era essencial. De fato, era mesmo Alyssa a mais fraca do dia e isso só reforçava o quanto esse All Stars tem sido sortudo na configuração das tensões: Alyssa trai o pacto do grupo e na semana seguinte, vira alvo dele.

O ponto de vista de Miss Edwards, aliás, é muito válido. Ela arrasou todas as semanas até essa e Roxxxy e Katya estavam ali pela segunda vez. Porém, Alaska não via brechas para tomar a mesma decisão que Alyssa tomara uma semana antes e se manteve no pacto. Seu choro quando eliminou Edwards deixou clara a forma como ela se sentia. O que me deixa um pouco mais confortado é que não foi Phi Phi a mandar a concorrente embora.

rupauls-drag-race-all-stars-2x04-img2

Então, como ato final, Alyssa saiu e ainda faltavam uns três minutos de episódio. Algo ia acontecer… E lá foram as meninas pro ateliê e Phi Phi recomeça sua novena preferida: falar mal de Alyssa. O que pega mal duplamente, já que Alaska e Katya tinham acabado de se referir a Edwards com muito carinho e respeito. O discurso de Phi Phi era capenga, porque Alyssa foi bem o tempo inteiro até aqui e mesmo nessa passarela, ela encontrou muitos elogios na bancada.

Tudo ficou mais maravilhoso ainda quando, no meio do monólogo de Phi Phi sobre como Alyssa era péssima, o espelho acendeu e revelou as quatro eliminadas por trás dele, OUVINDO TUDINHO. O choque foi incrível e quando a gente acha que essa corrida não tem mais como ser genial, Ru me vem com uma dessas. Os saltos que eu dava na sala… Uma das viradas mais lindas e poderosas que RuPaul’s Drag Race promoveu. Um tiro no pé de Phi Phi e uma construção de tensões de deixar qualquer outro reality no chinelo. BRAVÍSSIMO.

Semana que vem alguém vai voltar e eu gostaria muito que por causa da desistência de Adore, duas voltassem. Se a temporada terá 10 episódios, no episódio 5 já estaremos com apenas 6 meninas. Pela matemática incomum desse ano, estaríamos no episódio 9 com apenas 2 participantes, o que não é nem de longe a praxe do show. Por isso, torço pelo retorno de Tatiana ou Alyssa (ou das duas). Com sorte, teremos mais um episódio de puro deleite e diversão, desses que o All Stars tem feito com toda paixão e competência do mundo.

Lil’s Notes: Muitas partes cortadas também nessa semana. Uma lástima.

Lil’s Notes 2: Vestido de Ru era deslumbrante. E diferente do que ela costuma usar.

Lil’s Notes 3: Imagem tão linda que dá vontade de tatuar:

rupauls-drag-race-all-stars-2x04-img3

  • Eduardo

    Lindolindolindolindo!!!! O sorriso de Tatiana disfarçando o “sangue nos óios” e Alyssa incorporando Joan Crawford (olha que ela escondeu um cabide de madeira nas costas). Mas, como somos azarados, Coco e/ou Ginger acabam voltando… E Phi Phi só cai na final, perdendo pra Detox e Alaska – foi spoiler?

    • henriquehaddefinir

      Eduardo, se Ginger ou Coco voltarem vai ser O FIM!!
      E sim, entre os spoilers vazados pelo namorado magoado de Alaska, Phi Phi aparecia como uma das três finalistas.

      • GustavoFM

        Não, pelos SPOILERS vazados, Phi Phi sai na próxima, Tati volta e sai em seguida, Roxxxy fica no TOP 4 e a final é Katya, Alaska e Detox.

  • Mateus

    Primeiramente, falando de Phi Phi: A edição tá caindo em cima dela de uma forma bem injusta. Não que ela não ofereça material, mas a forma como tudo é pego de forma descontextualizada me aborrece um pouco. A crítica que ela fez à Alyssa é bem fundamentada – se outras participantes tivessem vestido o mesmo que Alyssa em outras ocasiões, seriam muito criticadas, e ela, por ser engraçada estava ganhando um pass de jurados como o Carson -, mas o modo como ela fala é muito agressivo. Phi Phi simplesmente não está preparada para aparecer em frente às câmeras.
    Sobre o episódio: mais uma vez esses desafios tem roteiros péssimos e muito desnivelados. Alaska e Phi Phi foram as melhores mesmo, Katya não deveria ter ido pro bottom, e Alyssa ter saído ao invés de Roxxxy, que vem decepcionando foi foda de assistir. Espero muito a volta dela e da Tatianna.
    Meu Ranking:
    5 – Roxxxy – Não está fazendo falta no jogo. Infelizmente, queria muito ver mais dela, na season 5 ela tinha arrasado.
    4- Phi Phi – Bem ou mal, Phi Phi movimenta o jogo e está focada na competição. Ela merecia ter vencido o lipsync, e com certeza vai fazer o proximo episodio ser bem interessante.
    3 – Detox – Está fazendo um trabalho até competente, mas em um certo nível, básico. Deve durar mais enquanto mantiver a qualidade.
    2 – Katya – É engraçada, talentosa e não merecia o bottom de jeito nenhum. Infelizmente ela está despencando na competição e não deve ganhar,
    1- Alaska – Mais uma vez faz um trabalho competente e a Lil Poundcake foi genial, mas o lipsync foi muito mais uma apresentação de comédia do que um trabalho bacana com a música, que nem Phi Phi fez. Ela está muito focada no jogo e deve ganhar bem tranquilamente.

    Alyssa: Não deveria ter saído, ponto.

  • GustavoFM

    Sinceramente, acho que você pegou implicância pela Phi Phi e está deixando isso afetar seu julgamento. Eu não curto muito ela e muito menos torço, mas ela é um drag INCRÍVEL. O look do episódio passado estava maravilhoso e isso foi dito pelos jurados e 90% dos espectadores, além de Raja e Raven terem escolhido como o melhor no Fashion Photo Ruview.
    Já nesse episódio, todas estavam incríveis, mas os looks de Alyssa e, principalmente, Alaska não foram uma revelação. As duas estavam maravilhosas, mas Alyssa só prendeu o vestido e Alaska se cobriu com sacos de lixo (???). Já os looks da Phi Phi eram meio básicos (apesar de bonitos), mas foi a transformação mais bem elaborada. Ela realmente transformou um vestido em outro e ambos completamente diferentes. Foi o mais bem pensado, com certeza (mesmo não sendo o mais impactante ou bonito)!
    Mas eu achei que todas arrasaram muito e os que mais gostei foram Roxxxy, Alyssa e Alaska!

    Só um obs: acho que seria mais adequado você falar que não curte o estilo de drag da Phi Phi e da Courtney, pq não existe uma definição do que é drag ou não. se vc notar bem, todas as vilãs do programa foram as que tentaram ditar um estilo (o que você está fazendo agora) e isso não é muito legal. se vc acha que o look da phi phi não remeteu a drag, vc deveria dizer o mesmo da detox, pq as duas apareceram carecas e pintadas, no msm estilo.

    • henriquehaddefinir

      Gustavo, há um ditamento de regras em TODO programa de habilidades. Você vai ver jurados em Ru dizendo “isso não é drag” e jurados em Project Runway dizendo “isso não é moda”. INSISTO que não é porque se usa o título de DRAG que se pode justificar tudo. Além disso, as vilãs ditavam um estilo e as mocinhas também, já que elas eram perseguidas por isso. Nunca parou pra pensar nisso?
      Por fim, talvez sua razão maior nesse comentário seja que Detox também nao tinha elementos de uma drag. Mas, era BEM MAIS interessante.

      • GustavoFM

        não acho. eles podem dizer “isso está desleixado, feio, vc não se esforçou”, assim como os de project runway podem dizer “isso está brega, não é high fashion”. mas dizer “isso não é drag” é muito forte e errado, pq nenhum jurado ali é dono da arte drag. não é a mesma coisa da moda, onde há uma tendência e etc. eu acho que o máximo de “não é drag” que rola é quando alguém vai de homem (como a milk de rupaul), pq aí já foge da premissa de que drag tem que ser feminino.
        DITAR é impor e as “mocinhas” não impuseram nada. elas seguiam o estilo delas, mas não desmereciam os outros. phi phi (com sharon), roxxxy (com jinkx) e kennedy (com as fashion queens) fizeram isso e viraram vilãs.

        • henriquehaddefinir

          Você precisa reassistir os programas, porque vai ver que estabelecer ideias do que é ser drag ou do que é fazer moda é uma constante do júri.
          E ditar não é só impor com palavras. Quando uma drag, mesmo “mocinha”, se recusa a diversificar ou seguir algum padrão exigido pelo júri, ela também está ditando.

          • Rafael Rigaud

            existe uma grande diferença entre ditar um estilo de drag rebaixando o dos outros (como kennedy, roxxxy, phiphi e muitas outras fizeram) e defender o estilo que você faz. violet, por exemplo, mostrava um respeito enorme pelo estilo pageant de kennedy mas mesmo assim defendia o estilo mais vanguardista dela e reclamou bastante quando michelle criticou ela por aparecer nua no primeiro episódio.
            e o programa constantemente definiu o que é drag ou não, mas isso não quer dizer que as coisas não foram mudando com o tempo. as drags foram abrindo caminho para que os estilos ficassem cada vez mais diversos e para que críticas do tipo perdessem o sentido (tipo: milk criticada por usar barba e ter runway de barba na temporada seguinte, kennedy criticada por fazer um homem no snatch game e thorgy poder fazer um homem no snatch depois sem problemas). provavelmente phi phi e detox seriam muito criticadas se aparecessem com esses looks do all stars nas primeira temporadas, por exemplo. isso é um processo natural do show e é por isso que, hoje em dia, não faz mais sentido querer ditar o que é drag no contexto do programa.

          • henriquehaddefinir

            Rafael, ainda assim, para manter a saúde de uma competição de DRAGS, precisa haver demarcações de desempenho e forma. Senão, meu querido, não faz sentido haver uma competição para DRAGS. Essa permissividade torna inútil o sentido de competição. Sem regra não há critério. Sem critério não há jogo. Isso é básico.

          • GustavoFM

            Henrique, o meu sentido de ditar foi o de impor (já que elas criticavam outros estilos que não fossem o delas), desculpe então pela confusão da palavra.
            E há uma demarcação. A produção não fala “venham e façam qualquer coisa”. Antes mesmo do programa começar, eles avisam os temas das runways para as queens se prepararem. E aí as críticas devem ser baseadas na elaboração do look, no acabamento, na combinação, etc, e não no estilo da drag queen.
            Eu entendo quando eles falam “você está num programa de drag queens e está muito básica”, porque aí realmente, uma pessoa básica não chama a atenção ali no meio. Mas o look da Phi Phi não foi básico e estou tentando entender até agora como não seria drag.

          • henriquehaddefinir

            O look da Phi PHi é o suprassumo da qualidade estética… de uma cosplay. Ela tem TODO o direito de defender sua drag e eu jamais desrespeitaria isso. Meu apontamento no texto foi sobre a discrepância de posicionamentos do jurados, que não admitem o que Milk fazia, mas festejam o look de O’Hara. Ela pode e DEVE dizer que aquela é sua drag, mas eu olho para aquilo e não vejo uma. Como não via em Detox, que acho mais interessante e artístico, pessoalmente. Note que no texto eu não digo que Phi PHi precisa mudar, eu digo que me incomoda que um look cosplay seja tão elogiado (e digo isso seguindo as bases narrativas do próprio programa).
            Sim, acho que é muito mais cosplay que drag (embora a drag seja um cosplay em esferas muito amplificadas de entendimento) e não é só porque é muito bem produzido que seja mais ou menos drag. É um contorno limítrofe que pende mais pra um lado que pro outro.

          • Rafael Rigaud

            sim, mas esses critérios, hoje em dia, são muito mais cobrados como versatilidade ou simplesmente melhorias estéticas. tomando como exemplo adore: ela foi criticada por não usar um corset, para poderia melhorar a silhueta dela e elevar o estilo de drag que ela já tem, o que é bem diferente de um discurso de “o que você faz não é drag, mude” (se bem que no caso de adore michele foi bem parcial e foi bastante criticada por isso)

          • henriquehaddefinir

            Adore foi criticada exatamente porque o que ela defende como estilo doa a quem doer, carece de critérios básicos a respeito do que é ser uma drag segundo a forma e o conteúdo. Ela é uma drag e continuará sendo, segundo as próprias diretrizes, mas quando falta com critérios básicos numa competição, está abrido espaços para críticas.
            Além disso, em momento algum eu disse sobre a Phi Phi “mude”. Fique atento a isso. Eu só olho para aquele look e não vejo uma drag. Vejo uma linda peça de cosplay e os cosplays tem suas próprias linhas e diretrizes.

          • Rafael Rigaud

            discordo completamente de que o estilo de adore “carece de critérios básicos a respeito do que é ser uma drag segundo a forma e o conteúdo.”. acho muito difícil definir o que é ser uma drag. aliás, a principal crítica que fazem à RPDR é a de reduzir a arte drag a determinados paradigmas. todos os estilos são válidos.
            e quanto à phi phi, fazer cosplay é algo amplamente difundido entre as drag queens e um estilo completamente válido. uma coisa não é distinta da outra. você fala como se houvesse um grande manual que estabelece o que pode e o que não pode ser drag e é isso que eu (e outras pessoas também) estamos retificando.

          • henriquehaddefinir

            Rafael, meu querido, você está repetindo sempre as mesmas coisas. Você diz que a principal crítica a RPDR é que ela quer reduzir a arte drag a paradigmas. Mas, estamos falando de RPDR e não da vida. É um programa de TV, uma competição onde não usar um corset porque “é seu estilo de drag”, pode te mandar pra casa, já que usar um é parte das diretrizes. Isso não é difícil entender. Não desrespeita nenhum estilo, desde que ele contorne as regras com identidade e sensibilidade, coisas que pra mim Miss O”Hara não tem.
            E por mais que o cosplay seja difundido entre as drags, aquele da Phi Phi, naquele dia, me fez pensar em tudo, menos numa drag.

    • Suliz

      Compartilho do mesmo pensamento que vc, acho que o pessoal ta esquecendo que toda semana a runway tem um tema a ser seguido, o look da Alaska foi super bem pensado e talz mas não foi dentro do tema proposto de 2 em 1. E quem executou melhor foi Roxxy e Phiphi por mais básico que tenha sido.

  • Lucas

    Que episódio maravilhoso. Odeio quem fala sobre a edição de qualquer reality show, sim todos nós sabemos que a edição escolhe quem vai ser cada personagem da temporada, quem vai ser a boazinha e quem vai ser a vilã, mas não tem como a edição colocar palavras nas bocas das pessoas minha gente. No final desse episódio ficou bem claro, a Alaska, que tinha eliminado a Alyssa, falou uma frase carinhosa sobre a amiga e a Phiphi despencou e falar mal dela, como a edição iria deixar esse material de fora? Bem apontado na review, a Roxy, que também saiu queimada na primeira edição que participou, tá fazendo um papel muito melhor no que diz respeito a limpar a sua imagem, como? Não dando material pra edição. Do mais, achei que a Phiphi foi super bem no desafio, mereceu estar entre as duas melhores apesar de seus looks nunca serem nada demais mesmo. Não sei como ela posta aqueles looks lindos no Instagram todos os dias, acho que ela é produzida por alguém. Alaska muito maravilhosa e marketeira, desfilou como Lil’ Poundcake e no dia seguinte lançou clipe em que atua como ela também, genial. O fim desse episódio foi uma das melhores coisas que eu já vi em realitys, Ru está de parabéns! Espero que Alyssa e Tati voltem

  • Nonato

    Desde a temporada passada RPDR vem cada vez mais roteirizado, e menos reality. Vc percebe isso pela construção dos bottoms. Semana passada 2, essa 3. Coloca Alyssa, e bota Phiphi no top… Forçado demais. Onde que Alaska tinha dois looks? Se cobriu com um saco de lixo que só fez tirar… Vai eliminar e me vem com um choro fake… Assume a decisão Alaska! Vc já parece cotada pra ganhar mesmo… O que incomoda mesmo na Phiphi é a ingenuidade, pq ela não é esse capeta todo que a edição insiste em destacar, como se o show exigisse uma vilã. Comentaram até que episódio passado distorceram a voz em um comentário da Ginger, colocando como se fosse dela…

    • Nonato

      Esqueci: ainda sobre o choro: tão amiga tão amiga que ainda elimina a parceira do desafio… Ela vacilou legal e muita gente comentando sobre nos grupos

  • Samantha Pistor

    Bem, em relação a Phi Phi tenho que dizer que não gosto da Srta. Ohara e da sua persona no programa. Se ela é assim fora dele, não sei e nem pretendo descobrir porque não tenho a menor intenção de me aprofundar em seu trabalho, vendo o que ela fez no programa.

    Isso dito, acho tenebroso o que fizeram e fazem com ela. Phi foi ameaçada de violência, é ofendida nas suas redes sociais, lê todo o tipo de merda e seu desabafo, me parece, foi motivado por isso. O emputecimento dela é justo porque o show planta essa treta mas não se posiciona quando seu fandom faz merda. Não vi nenhuma censura de Rupaul ou da Logo para as pessoas que ameaçaram Phi Phi, Jasmine, Kennedy pelo único crime de não serem as favoritas do programa. Não vejo, nem agora, depois dela no programa contar de ter sido ameaçada e alvo de uma perseguição da Detox no passado, nenhum tipo de campanha no estilo “sejem menas” para os fãs de RPDR.

    Phi é a rainha dos jogos mentais e da maledicência, mas isso não justifica tanto ódio. É só um show, ela é só uma vilã. Deixem ela em paz.

    Entendo embora me irrite o recalque que ela tenha com Alyssa. Alyssa ficou no top 6 da sua season e hoje ela é uma verdadeira estrela. Adorada, famosa, aprendeu a vencer suas limitações artísticas e hoje é um fenômeno. Eu mesma não gostava tanto de Alyssa na sua season e hoje ela é uma das drags que eu mais acompanho (ultrapassando Bianca, inclusive). Miss Edwards tem um bom humor incrível, é uma artista espetacular e sabe rir de si mesma.

    Phi Phi é uma top 3 e nunca foi querida. Sua tentativa de redenção é exatamente para mudar a percepção que tinham dela e, quem sabe, conquistar uma bancada maior de fãs. Mal sabe ela que não é necessário desmerecer uma adversária para conseguir seu espaço. E por não saber disso que Phi falha e falhará sempre em qualquer coisa que envolva “competição”.

    Alyssa meu amor, te amei todos os dias desse RS. Nunca ri tanto com e de alguém na vida.

    • henriquehaddefinir

      Só uma correção, Ru falou sobre a agressividade das pessoas sim. Em todos os casos que você citou.

      • Samantha Pistor

        Henrique, eu realmente não vi nenhum posicionamento contundente. Se aconteceu, ótimo, ótimo mesmo e me retrato neste ponto.

        E já faço um esclarecimento: quando digo para deixar a Phi em paz não falo em não discutir seu trabalho ou sua conduta no programa, que está sendo novamente deplorável. Falo das pessoas que ameaçam de bater nela na rua e coisas no estilo.

        Com tanto homofóbico promovendo atentado e matando gays todos os dias, me apavoro quando vejo o fandom do programa agir igual a eles.

  • Marcelo

    Eu dei um berro com a Nojenta da Phi Phia sendo pega no flagra falando merda, dei um pulo com a cena final. Pra mim a pior foi a Roxxy, tomara que Tatiana e Alyssa voltem.

  • Gabriel Tubbs

    To doido pra colocar essa foto do espelho na cover do meu facebook, mas vou esperar uma semana pra não configurar como spoiler.

    • henriquehaddefinir

      hahahahahahahhahac só você

  • Juliano Guilherme

    @henriquehaddefinir:disqus do céu! Tá assistindo Finding Prince Charming da Logo? Simplesmente o The Gay bachelor da TV. Muito divertido.

    • henriquehaddefinir

      Tô vendo e tô achando lindo.

  • Suliz

    Me chocou a Alaska eliminar a própria companheira de equipe só pra não trair um acordo mal feito. Pissual ta caindo mantando na Phiphi mas o que seria o All Star sem ela?? hehehe
    Roxxxy tá se segurando tanto que parece apática, deve ser quase como voltar pro armário, n?

    Ps: Só vi a cabeça mas achei Tati LINDA!! Volta logo e arrasa…

  • Rafael Rigaud

    nossa, vc pegou implicância com a phi phi, hein? sim, a edição não pode colocar palavras nas bocas de ninguém, mas acho que muita gente se esquece de que a edição não precisa de palavras para compor personagens. basta uma suposta olhada feia para alguém e um shady noise e, pronto, já se constrói a imagem de um personagem. não acho que phi phi seja santa, mas dizer que ela é a mesma da quarta temporada, que sabotava constantemente as outras concorrentes, é um exagero tremendo. na minha opinião, muitos dos comentários que ela faz seriam interpretados como shade se fossem falados por qualquer outra drag, mas, como é phi phi, todo mundo já interpreta como uma monstrosidade.

    eu não sei o quanto você acompanha as drags nas redes sociais (não muito, aparentemente), mas várias delas estão expondo como a produção e a edição estão tendenciosas nessa temporada, principalmente com phi phi. roxxxy já desmentiu a cena de que phi phi tentou sabotar ela no snatch game e esclareceu que ela que pediu a opinião de phi phi sobre a personagem dela, tatianna já defendeu phi phi e deu a entender que achava que alaska estava sendo favorecida, katya reclamou bastante sobre como ela foi prejudicada com o personagem de lady di semana passada, detox reclamou sobre katya ter ido parar no bottom nesse episódio e alaska e roxxxy desmentiram várias coisas que a edição mostrou sobre phi phi nesse episódio 4 e inclusive falaram que a cena dela falando de alyssa (aliás, ela só justificou o voto em alyssa e não falou nada de mais) no fim do episódio foi completamente forjada e que phi phi estava respondendo a perguntas das outras drags. e, independentemente de qualquer coisa, a quantidade de ódio que phi phi anda recebendo é injustificável. eu acho que phi phi poderia lidar melhor com as críticas nas redes sociais, ela perde o controle completamente, mas acho que ela fez bem em se defender e expor os problemas do programa, porque muita gente ficou mais simpática a ela depois desse último episódio. aliás, eu achei um episódio ótimo para ela, ela foi super bem num desafio que ninguém esparava muito dela, arrasou no look (dois looks bons e foi a única que transformou radicalmente, de um vestido estruturado para outro mais tradicional) e também foi muito bem no lip sync.

    e outra coisa: melhor dizer que você não curte o estilo de drag dela, porque não dá pra dizer o que é e o que não é drag. isso tudo que você falou soa muito mais como gosto pessoal e é extremamente subjetivo (a estética de phi phi ME agrada muito mais do que a de uma drag queen old school, por exemplo). RPDR sempre foi muito criticado por esse tipo de coisa, mas com o passar dos anos o programa foi se abrindo para os mais diferentes estilos e esse tipo de postura não tem mais espaço, só ver a quantidade de drags que foram super criticadas por querer ditar o que é drag ou não é.

    quanto à temporada: eu estava amando e ainda to gostando, mas o favoritismo descarado pra alaska tá tirando um pouco da graça pra mim. mas ainda acho que será a melhor temporada de RPDR

    • henriquehaddefinir

      Não adianta passar linhas e linhas falando sobre como as meninas desmentem a edição. A edição não mente, ela angula. E se Phi Phi está sendo focada nesse sentido, ela FEZ PARA ISSO. Pouco importa se as meninas perguntaram antes, ela não precisava ter respondido daquele jeito. Isso é cartilha básica de quem já viveu um reality.

      E com ódio eu nunca concordarei, mas isso aqui não é ódio, é análise.

      Sobre o estilo de Phi PHi não ser drag, leia todas as minhas respostas aos comentários. E RELEIA o texto. Às vezes as drags erram num dia, acertam no outro. NUNCA disse que Phi PHi não era drag, Disse que aquele look não me remetia a uma.

      E aliás, na sua ansiedade de rebater o meu julgamento, você me julga (insinuando que porque não concordo com você, tenho menos informações). Essa é a dança dos realities e quando elas vão pra ali, elas sabem disso.

      • Rafael Rigaud

        mas, quando as meninas desmentem a edição e provam que, na realidade, ela não agiu da forma que foi mostrada, torna-se completamente sem sentido e injusto julgá-la e condená-la da maneira que estão fazendo.

        e, pessoalmente, até agora tento entender o que phi phi falou de tão grave e odioso a respeito de alyssa. aliás, se fosse phi phi que tivesse tentado jogar roxxxy e katya na eliminação no episódio passado, todo mundo estaria criticando ela do mesmo jeito.

        e eu RELI seu texto e suas respostas nos comentários e continuo com a mesma opinião. não enxergo as diretrizes máximas sobre o que é ser drag que você tanto fala e nem acho que elas façam sentido.

        • henriquehaddefinir

          Tá bom Rafael, ficamos assim então ok? Concordando em discordar.
          Que bom que a malvada edição não funciona para todos. Fico até feliz de ver essa defesa. Espero que a vida dela seja mais fácil agora que da primeira vez.

      • Nonato

        Henrique, seu texto contribui pra ainda mais ódio… Tá mais pra julgamento, pq vc não aceita que a edição construiu essa PhiPhi vilã, mesmo quando até as outras drags tão aí falando…

        • henriquehaddefinir

          Nonato, as drags DENTRO DO PROGRAMA perceberam o comportamento da Phi PHi. SEM VER A EDiÇÃO. Tá vendo o mesmo programa que eu?

          E o que contribui pro ódio é extremismo e não análise. Eu não ataquei Phi PHi, eu analisei o comportamento dela, coisa que em QUALQUER review, de qualquer lugar, vai acontecer. E por sinal, chamei-a de protagonista da edição. Eu hein…

      • Rafael Rigaud

        vi sua resposta agora. você pode encarar como um julgamento, mas simplesmente não considero que você, uma pessoa acostumada a escrever reviews de qualidade e a assistir reality shows, escreveria uma review tão julgadora quanto essa se tivesse acesso a essas informações dos bastidores sobre a phi phi. estava enganado, pelo visto.

        • henriquehaddefinir

          Informações de bastidores não precisam contar aqui, porque eu analiso a edição. E desde que o mundo é mundo que participante de reality show culpa edição. Mais velho que andar pra frente.

  • kathy

    Ai gente, PhiPhi é sinceramente, muito tosca. Custa admitir que se você não dá material a edição não te fode? OLHEM PARA A ROXXXY, exemplo mais claro não há. Querer culpar a edição por chegar no workroom metendo o pau na Alyssa é foda, né? Eu só acho que ela não está errada, ela só queria salvar a própria bunda porque ela entende que se estivesse no bottom suas chances de sair seriam maiores, visto a sua tragetoria mais “abaixo” do nível, é compreensível, mas se fazer de vítima é muito chato.
    E sinceramente, não entendi como babar tanto o ovo da Alaska, poxa vida, não estava nada no conceito, foi super divertido trazer um elemento antigo e é muito interessante saber que o show tem o privilégio de ter tantas auto referências, mas cadê o 2 em 1? Alyssa foi outra também, mas admito que amei aquele tanto de cameras hahaha
    Roxxxy me é uma decepção, pq ela arrasava muito na sua season, e Katya só tá se apagando, mas como ela no bottom?? Ela foi ótima!
    E meu deus, o que foi aquele final? Quase morri de tão brilhante que foi, uma das melhores seasons de drag race sem dúvidas.

  • wesley

    sobre PHI PHI a única coisa que tenho a dizer é
    ” RIDDLE ME THIS , RIDDLE ME THAT
    WATCH OUT GIRLS , PHI PHI IS TRASH”
    querer culpar a ediçao por falar da ALYSSA ??? filha cresce e aparece
    essa sua REDEMPTION tá bem bosta …
    Roxxy pra mim tá sendo uma decepção , na season dela ela era uma das que mais arrasava , que mais jogava SHADE nas outras , agora depois daquele “IN THE GARAGE” parece que ela tá fazendo cosplay das tetas da Michele e se escorando na mesa … Katya na Season 7 era minha favorita ( LIP SYNC de ROAR ta aí e não me deixa mentir) , mas ela tá se apagando demais , quero minha RUSSIAN HOOKER de volta …

    espero que das queens eliminadas voltem GINGER e ALYSSA , e de bônus as duas unindo forças pra DERRUBAR PHI PHI …

  • Jeferson Huffermann

    Nossa, tá todo mundo fazendo textão de facebook! Tentarei ser breve.

    Curti demais o episódio, essa temporada tá sendo incrível, só considero triste que as pessoas assistem o programa e resolvem que é ok julgar moralmente os participantes e ir confrontá-los na vida real. É super sadio analisar os episódios (como se tem feito aqui e algumas pessoas nos comentários estão questionando, julgo eu, indevidamente), faz parte da diversão. O problema são os fãs do programa irem assediar os participantes.
    O editor faz seu trabalho quando cria uma narrativa. Achar que as queens são daquele jeito fora do ambiente controlado do programa, que a performance delas no programa é um grande indicativo do que elas fazem no próprio show, isso que é burrice extrema.

    Só queria comentar da review “Mas, numa competição onde o julgamento é o centro motor dos acontecimentos, imbuir-se das diretrizes do que é ser uma drag é importante.” Ok, mas quais são as diretrizes? Rupaul tem aquela famosa frase que repete seguidamente, os critérios do programa (C.U.N.T) são vagos e abertos a interpretação propositalmente e desde a primeira temporada os diferente tipos de drag (high drag, fish, gender fuck, etc) foram representados por participantes. Não concordo em impor gostos pessoais como diretrizes do programa.

  • Guigo Rocha

    Phi Phi é desilusional: ela criou uma realidade paralela onde o que ela fala é uma verdade absoluta. era assim desde os tempo de Sharon Needles, não mudou nada agora.
    O balanço que faço dessa temporada é mais que positivo: após duas temporadas mornas, RuPaul parece que teve um ímpeto de Tyra Banks e resolveu realmente inovar para recuperar o público perdido.
    Se tivesse um porém nessa temporada foi o número excessivo de queens da Season 05, sendo que havia tantas queens a serem chamadas.
    Sobre o retorno, ainda acho que será Alyssa. Principalmente porque o histórico mostra que o retorno de alguma queen sempre é recente, e serve apenas para encher um episódio, uma vez que ela rapidamente é eliminada.
    No mais, eu espero MUITO que retrono Tatti ou Alyssa, pois acho que das queens elimindas são as que mais tem algo divertido pra mostrar. Coco já provou que seu forte é o lipsync… nada mais. Já Ginger parece desgastada, sem energia para competir… ou talvez tenha notado que em sua temporada tenha se destacado mais pela falta de qualidades das outras do que sobre de qualidades próprias.

    Estou amando essa corrida!!!

  • Esse cara da thumbnail parece o Joker do Jared Leto.