Primeiras Impressões: Stranger Things

A nostalgia que encanta

62
2074

A indústria do cinema (e da TV) sempre buscou artifícios para atrair e manter seu público fidelizado. Entre décadas e décadas da sétima arte, quase todos os gêneros já tiveram seu momento. De musicais à ficção científica, as produtoras enchiam as salas com expectativas de algo interessante, baseando sua confiabilidade em elenco, diretores consagrados e uma estética que agradasse a massa.

Não sei exatamente quando o momento “eureka” ocorreu, mas a descoberta de uma das maiores fontes criativas dos últimos anos certamente mudou a história do cinema. A mudança agora é brusca. O forte elenco e os renomados diretores ainda estão ali, todavia não é isso que compele as pessoas a irem aos cinemas, quase que de forma desesperada. A estética torna-se a força motriz, porém é comandada claramente por um sentimento ainda intocado: A nostalgia.

A partir daí, você já sabe o que acontece. Só nesse mês, pode-se citar Ghostbusters, Tarzan, Independence Day: Resurgence e Finding Dory como exemplos de filmes que surgiram devido a esse sentimento nostálgico. No mundo das séries, a situação não é lá muito diferente. Heroes Reborn, The X-Files, Gilmore Girls e até Twin Peaks já foram ressuscitadas.

Uns dos grandes problemas desses remakes (adaptações, sequências e inspirações) é, sem dúvida, a falta de originalidade. A zona de conforto é tão boa para as produtoras, que é difícil um filme ou série sair dessa bolha criativa. Há algumas vezes, porém, que se utiliza de forma inteligente essa nostalgia. Entende-se os elementos de uma certa época e cria-se algo novo, referenciando à nostalgia, mas sem ser refém da mesma. Stranger Things é um bom exemplo disso.

A série se passa em Hawkings, pequena cidade de Indiana, no início dos anos 80 e conta o desaparecimento de Will Byers, em circunstância suspeita, e toda a busca dos parentes e amigos pelo menino. Ao mesmo tempo, somos apresentados a uma menina chamada Eleven, que provavelmente fugiu de um laboratório governamental e pode estar relacionada ao sumiço de Will. Stranger Things é dirigida e roteirizada pelos Irmãos Duffer (Hidden, Wayward Pines) e tem em seu elenco Winona Ryder (BeetleJuice) e David Harbour (The Newsroom).

A melhor forma de explicar a nova aposta da Netflix é através de referências. Imagine uma série com uma pegada meio Super 8, mas com momentos E.T. + Poltergeist + The Goonies. Praticamente tudo remete aos anos 80, desde a trilha sonora até a escolha de paletas de cores. Tecnicamente, é quase perfeita.

Analisando o episódio no geral, percebe-se o total controle dos Duffer. As cenas são bem distribuídas, sendo possível ter um panorama geral dos personagens e, ao mesmo tempo, não se demorar muito na introdução dos mesmos.

O desaparecimento de Will gera o impacto correto, pois testemunhamos todo o momento e o movimento contínuo das câmeras dá a sensação de estarmos juntos com o menino. Além disso, a preocupação e a importância desse evento vão sendo encaminhados aos poucos, ocasionando em um clímax emocional muito eficaz.

Ao falar dessa trama, é impossível não comentar a força do elenco. Winona, estrela dos anos 80 e grande nome da série, está espetacular como Joyce. Mesmo com poucos momentos para aprofundar a personagem, percebe-se toda a preocupação e amor pelos filhos. Já O resto do elenco apresenta menos força, o que deve ser melhorado nos episódios posteriores, com exceção à Millie Bobby Brown. Que menina fantástica! Todas as cenas da Eleven me encheram de curiosidade e com expectativas para maiores desenvolvimentos.

Analisando o pouco que foi mostrado no primeiro episódio, Eleven foi alvo de vários experimentos em uma estação do governo americano. Ainda tenho minhas dúvidas se essa instalação é mesmo do governo, mas fica claro que os poderes telecinéticos apresentados por ela não devem ser restritos. Seria o “monstro”, que fugiu do laboratório e desapareceu com o Will, o número 10? O encontro entre Eleven e os amigos de Will promete revelar alguns desses mistérios, mas até quando ela poderá se esconder?

O primeiro episódio de Stranger Things consegue recriar a estética e a magia dos anos 80, porém são nos momentos criativos que a série mostra todo seu potencial.

Familiar Things:

– X-Men 134 é um dos volumes da saga da Fênix. Seria um presságio do que descobriremos sobre Eleven? Já temos a telecinese…

– Amigos jogando Dungeons & Dragons enquanto comem pizza de pepperoni? Vamos para uma dica rápida do Steven Spielberg. VEJA E.T.

– A série provavelmente se passa em 1983. Não pegou? Um pouco depois do lançamento de Poltergeist.

  • Juliano Guilherme

    Amei a série. Nostálgico, divertido… Netflix continua dando show (ok, eu sei que The Ranch e os filmes com Adam Sandler foram muito ruim)!

    • Mariane

      Vamos encarar a série como um pedido de desculpas rs

  • Juliano Guilherme

    Amei a série. Nostálgico, divertido… Netflix continua dando show (ok, eu sei que The Ranch e os filmes com Adam Sandler foram muito ruim)!

    • Mariane

      Vamos encarar a série como um pedido de desculpas rs

  • vinland

    Adorei a serie. Falta apenas mais 2 episodios. Que triste que fizeram apenas 8. Fiquei super feliz de ver Winona Ryder em boa forma de novo. Ela esta fantastica na serie.

    O que gostei na serie, foi que tudo foi pensado pra remeter aos anos 80, tanto o figurino, a trilha sonora, a abertura.

    Considero ela, a primeira grande serie estreante do ano. Uma grata surpresa !!!

  • vinland

    Adorei a serie. Falta apenas mais 2 episodios. Que triste que fizeram apenas 8. Fiquei super feliz de ver Winona Ryder em boa forma de novo. Ela esta fantastica na serie.

    O que gostei na serie, foi que tudo foi pensado pra remeter aos anos 80, tanto o figurino, a trilha sonora, a abertura.

    Considero ela, a primeira grande serie estreante do ano. Uma grata surpresa !!!

  • Diego Fernando

    Ótima review. O piloto esta sensacional, Netflix acertando em cheio na nostalgia e no suspense com scifi, espero que continue assim, a série me conquistou de cara.

  • Diego Fernando

    Ótima review. O piloto esta sensacional, Netflix acertando em cheio na nostalgia e no suspense com scifi, espero que continue assim, a série me conquistou de cara.

  • Julio

    Tem telefone fixo (não existia celular naquela época)
    Tem revelação de fotografia (nada de maquinas digitais)
    Tem busca na biblioteca por ficheiros (nada de internet e muito menos Google)
    Tem busca de manchetes de jornais por microfilme
    Tem walkie talkie
    Tem PX radio
    Tem TV de “tubão” com poucos canais…

    e a série é legal!!!

  • Julio

    Tem telefone fixo (não existia celular naquela época)
    Tem revelação de fotografia (nada de maquinas digitais)
    Tem busca na biblioteca por ficheiros (nada de internet e muito menos Google)
    Tem busca de manchetes de jornais por microfilme
    Tem walkie talkie
    Tem PX radio
    Tem TV de “tubão” com poucos canais…

    e a série é legal!!!

  • Izaias teodoro

    A série é maravilhosa, é meio que uma homenagem a várias produções de sci-fi dos anos 80, to no ep 5 e to adorando, até a abertura é nostalgica. Posso estar enganado mas eu notei uma referência a MIB, que é aquele barulho que o monstro faz, aquele rugido é caracteristico dos ets da franquia MIB.

  • Izaias teodoro

    A série é maravilhosa, é meio que uma homenagem a várias produções de sci-fi dos anos 80, to no ep 5 e to adorando, até a abertura é nostalgica. Posso estar enganado mas eu notei uma referência a MIB, que é aquele barulho que o monstro faz, aquele rugido é caracteristico dos ets da franquia MIB.

  • Matheus Brito

    Mais um acerto da Netflix. Parece que a plataforma de stream não tá disposta a errar de forma alguma, porquê olha, série após série a mesma qualidade técnica, no roteiro e nas atuações se faz presente, e em Stranger Things não foi diferente. Acordei 4 da manhã pra começar a maratona com minha irmã, e ao terminar me senti realizado. Apesar de poucos, foram episódios suficientes para desenvolver a história de forma coerente. Na review da season finale, volto pra comentar 😀

  • Matheus Brito

    Mais um acerto da Netflix. Parece que a plataforma de stream não tá disposta a errar de forma alguma, porquê olha, série após série a mesma qualidade técnica, no roteiro e nas atuações se faz presente, e em Stranger Things não foi diferente. Acordei 4 da manhã pra começar a maratona com minha irmã, e ao terminar me senti realizado. Apesar de poucos, foram episódios suficientes para desenvolver a história de forma coerente. Na review da season finale, volto pra comentar 😀

    • Leo

      The Ridiculous 6.

      Sem mais, meritíssimo.

      • Matheus Brito

        Opa, lembro de ter dito “série após série” sem citar filmes. Nas séries a Netflix ainda não errou. Nos filmes são outros 500 rs

  • Luiza Silva

    Já está disponível??

  • Luiza Silva

    Já está disponível??

  • Beto Martins

    Opa a serie parece ser boa , baixando 8 episódios dublados pelo Bj Share !

    • Juliano Guilherme

      Dublado, por melhor que seja o trabalho perde a metade do encanto!

      • Beto Martins

        Dual audio

  • Beto Martins

    Opa a serie parece ser boa , baixando 8 episódios dublados pelo Bj Share !

    • Juliano Guilherme

      Dublado, por melhor que seja o trabalho perde a metade do encanto!

      • Beto Martins

        Dual audio

  • Janine

    Amei. Na espera da 2 temporada, já o gancho deixado no final dessa temporada promete coisas boas.

  • Janine

    Amei. Na espera da 2 temporada, já o gancho deixado no final dessa temporada promete coisas boas.

  • Fabio Kazim

    Já que a série é ever nostálgica, ver ela dublada não dever ser uma experiência ruim. Alguém assistiu ela dublada e gostou? Ou tá distante das dublagens como se vê em filmes do período?

  • Fabio Kazim

    Já que a série é ever nostálgica, ver ela dublada não dever ser uma experiência ruim. Alguém assistiu ela dublada e gostou? Ou tá distante das dublagens como se vê em filmes do período?

  • Junito Hartley

    So por ter a magia dos filmes dos anos 80 ja vale a pena conferir, ainda mais que as series que eu vejo ta em hiato.

    “Imagine uma série com uma pegada meio Super 8, mas com momentos E.T. + Poltergeist + The Goonies”.

    Nao tem como sair coisa ruim disso ne galera.

    • Rafael

      Senti uma vibe Conta Comigo (Stand by ME) também.

  • Junito Hartley

    So por ter a magia dos filmes dos anos 80 ja vale a pena conferir, ainda mais que as series que eu vejo ta em hiato.

    “Imagine uma série com uma pegada meio Super 8, mas com momentos E.T. + Poltergeist + The Goonies”.

    Nao tem como sair coisa ruim disso ne galera.

    • Rafael

      Senti uma vibe Conta Comigo (Stand by Me) também.

  • Sthefani Cordeiro

    Adorei o piloto e amei seu texto. Você conseguiu captar bem o que o episódio apresentou: nostalgia. Estou ansiosa pelos próximos episódios e pelas próximas reviews!!!

    • Lara Loureiro

      🙂

  • Sthefani Cordeiro

    Adorei o piloto e amei seu texto. Você conseguiu captar bem o que o episódio apresentou: nostalgia. Estou ansiosa pelos próximos episódios e pelas próximas reviews!!!

    • Lara Loureiro

      🙂

  • Phillip

    Decidi assistir o piloto já que gosto de séries que retratam anos 80, 90, etc. A princípio, estava com o pé atrás achando que só mais uma série adolescente. Como estava enganado! O piloto foi simplesmente sensacional, não deixou a desejar.

    Vamos ver os demais episódios!

  • Phillip

    Decidi assistir o piloto já que gosto de séries que retratam anos 80, 90, etc. A princípio, estava com o pé atrás achando que só mais uma série adolescente. Como estava enganado! O piloto foi simplesmente sensacional, não deixou a desejar.

    Vamos ver os demais episódios!

  • Antony

    O que mais me agradou foi a nostalgia anos 80 me senti naquela época tudo muito bem produzido , só achei que a serie entregou demais do roteiro no piloto já entendemos todas as conexões faltou mais mistério mas mesmo assim não tira o mérito da boa produção da Netflix terminarei de assistir em 2 dias .

  • Antony

    O que mais me agradou foi a nostalgia anos 80 me senti naquela época tudo muito bem produzido , só achei que a serie entregou demais do roteiro no piloto já entendemos todas as conexões faltou mais mistério mas mesmo assim não tira o mérito da boa produção da Netflix terminarei de assistir em 2 dias .

  • Marcos Ferrari

    E as músicas? Bons tempos das baladinhas onde a malícia não era tanta com hoje. Lembrando de muita coisa com a série.

  • Marcos Ferrari

    E as músicas? Bons tempos das baladinhas onde a malícia não era tanta com hoje. Lembrando de muita coisa com a série.

  • Magnosama

    Winona é insuportável, já queria ela morta na segunda cena, tsc…

    De resto, a série é muito boa.

  • Magnosama

    Winona é insuportável, já queria ela morta na segunda cena, tsc…

    De resto, a série é muito boa.

  • Rafael Batalha

    A série provavelmente se passa em 1983. Como assim? No início do episódio está escrito que série se passa em 1983. rsrsrs..

    Boa review, adorei o episódio e só comecei a ver por causa do seu texto.

    • Lara Loureiro

      Verdade, Rafael kkkk. Dei uma piscada muito longa nessa hora.

  • Rafael Batalha

    A série provavelmente se passa em 1983. Como assim? No início do episódio está escrito que série se passa em 1983. rsrsrs..

    Boa review, adorei o episódio e só comecei a ver por causa do seu texto.

    • Lara Loureiro

      Verdade, Rafael kkkk. Dei uma piscada muito longa nessa hora.

  • Gabriel

    A série foi simplesmente incrível. O episódio de 50 minutos dela passou muito mais rápido que outras de 40.

  • Gabriel

    A série foi simplesmente incrível. O episódio de 50 minutos dela passou muito mais rápido que outras de 40.

  • Matheus Ramos

    Excelente review, Larinha! Só constatou o que eu tmbm achei, assistindo Stranger Things, pela primeira vez. Linda série!

  • Matheus Ramos

    Excelente review, Larinha! Só constatou o que eu tmbm achei, assistindo Stranger Things, pela primeira vez. Linda série!

  • Roberto Pereira

    Esse ano ainda não tinha vosto nada da netflix
    Vi o 1º epi e acho que vou maratonar. É mais do mesmo, mas é como pudim de leite: nunca enjoa. haha

  • Roberto Pereira

    Esse ano ainda não tinha visto nada da netflix – nem o Demolidor que adorei a 1ª temp. me animei pra ver.
    Vi o 1º epi e acho que vou maratonar. É mais do mesmo, mas é como pudim de leite: nunca enjoa. haha

  • Wilton20

    Easter egg ou só mais uma referência explícita? Ao tentar sintonizar um canal ma tv, o pai do Mike pega rapidamente a imagem de David Hasselhoff, do seriado oitentista The Knight Rider (A Super Máquina). 😉

  • Wilton20

    Easter egg ou só mais uma referência explícita? Ao tentar sintonizar um canal ma tv, o pai do Mike pega rapidamente a imagem de David Hasselhoff, do seriado oitentista The Knight Rider (A Super Máquina). 😉

  • klaus

    Millie Bobby Brown fantástica mesmo. Winona achei muito exagerada, forçada. A série é uma bela homenagem aos anos 80.

  • klaus

    Millie Bobby Brown fantástica mesmo. Winona achei muito exagerada, forçada. A série é uma bela homenagem aos anos 80.