Preacher 1×10: Call and Response [Season Finale]

32
419

Pela primeira vez, Preacher não decepciona depois de um bom episódio. Pois é, também é estranho pra mim dizer isso. Não parece natural, mas felizmente foi o caso. Na prática, Call and Response foi um ótimo final de temporada, embora a filosofia por trás do episódio seja mais repugnante do que qualquer outra coisa que eu tenha enfrentado esse ano.

Preacher precisou de 10 episódios para se tornar… Preacher. Annville explodiu. Já era. Tirada do mapa. O finale é o início dos quadrinhos. O problema é que toda essa ideia de fazer um ano inicial como uma prequel foi terrível. Nós não nos importávamos com ninguém ali em Annville. No máximo com o Donnie, eu diria. Tirei a Emily dessa lista quando viraram a personagem de cabeça do ar sem razão aparente. Aliás, melhor riscar o Donnie da lista também então, já que foi o mesmo que aconteceu com ele essa semana.

Está bem, hora de respirar. Já estou saindo um pouco do assunto. Eu devia estar falando bem do episódio, não é? Até porque não se preocupem, teve muita coisa boa essa semana. Só que como eu comecei a dizer, toda essa confusão em Annville não tinha motivo para estar ali. A graça de Preacher é justamente a história não nos dar tempo para nos acostumarmos com esse mundo, ela vai jogando uma bizarrice atrás da outra num ritmo completamente caótico. Nós sentimos a energia de cada obstáculo que Jesse, Tulip e Cassidy encontram no caminho. E isso não aconteceu aqui. Nem perto.

Com isso dito, passemos para o que importa: o episódio.

O Bom,

As interações de Cassidy com o xerife Root foram muito boas. A motivação do sujeito foi tão compreensível que nem o Cassidy ficou com ressentimento do coitado. Também deu pra acreditar que o policial descobria que o Cassidy é um vampiro, vide estarmos na era da interconectividade e do conhecimento instantâneo. O que mais gostei foi de nos terem mostrado apenas a primeira e a última vez em que o xerife atirou em Cassidy, mas os copinhos de sangue estarem espalhados por toda a cela. Foi de muito bom gosto e passou a informação da forma mais eficaz possível.

Outra coisa que foi de igual bom gosto foi a contagem até a aparição de Deus. Adicionou um senso de emergência ao episódio e as caixas de texto branco enormes na tela já me conquistaram faz um tempinho. É estilisticamente interessante e me lembra bastante os quadrinhos, além de quebrar um pouco o dramalhão.

Adorei a revelação de que o cara no painel misterioso era a única coisa entre Annville e a sua destruição. Assim que ele apareceu no episódio com toda aquela podridão lá atrás eu imaginei que ele não estivesse administrando o céu e sim o inferno e seria assim que os anjos escapariam com o Santo. Ainda bem que eu estava errado. Foi muito bacana estarem dando indícios da obliteração da cidade ao longo da temporada (mas ainda acho que poderiam ter pontuado melhor isso).

“Vamos usar as mãos de um cara pra ligar pro céu com um telefone e deixar um cara branco com barba decidir!”, disse Tulip, com aquele seu jeitinho de misturar a zombaria com ódio. E com o seu jeito palerma de responder a qualquer coisa, Jesse diz “Nós não sabemos se Deus é branco!”. Não tem mais jeito. O Jesse pode se tornar o cara mais violento e confiante da Via Láctea na próxima temporada que vou continuar vendo ele como um boboca. Mas não se enganem, eu achei o momento bem engraçado e é por isso que ele ficou aqui. Só não foi mais engraçado do que o “Hoje: conheçam Deus. Amanhã: a ser decidido.” no placar da igreja.

Minto, a coisa mais divertida do episódio foi a aparição de “Deus” (que acabou sendo um anjo sendo obrigado a interpretar o criador). O pai da humanidade e de tudo que há atende ao chamado (feito aparentemente através de internet discada) do reverendo e aparece numa projeção de vídeo barata usando uma barba comprada numa loja de 1 real (ou qualquer que seja a moeda no céu). Sério, essa parte final do episódio, com algumas ressalvas, foi fantástica. Não só a sessão de perguntas e respostas com Deus, como também tudo que a sucedeu. O pirralho tirando selfies enquanto a mãe sufocava a irmã até a morte, as garotinhas assassinando o pedófilo que por algum motivo o Jesse tinha deixado livre por aí, o suicídio dos amantes mais cartunísticos do mundo (um nativo-americano e um cara vestido de esquilo)… teve de tudo do bom e do melhor.

Ah, e o Santo aparecendo entre os escombros poeirentos da cidade e dizendo “reverendo” foi empolgante pra caramba!

Mas como eu disse, tenho ressalvas.

O Mau

Finalmente tivemos o backstory completo de Jesse, Tulip e Carlos e se eu já não esperava por nada, ainda assim sai decepcionado. A gravidez foi a maneira mais preguiçosa de criar rancor entre os personagens. Isso porque me recuso a comentar a motivação (ou a falta de uma coerente) do Carlos. Foi não só a parte mais chata do episódio como também a pior escrita. Jesse e Tulip discutem com fervor sobre tirar ou não a vida do traidor até que Jesse começa a espernear no meio do mercado e Tulip vai atrás dele no meio da birra. Ele decide,  que vai matar Carlos e ela decide, subitamente, que não quer mais a única coisa que pareceu estar procurando a temporada inteira. Porquê… coisas de roteirista.

Também coisas de roteirista: Emilyzaram o Donnie também. Pelo jeito o Jesse fez ele ver a luz de Deus e da misericórdia e por isso o Donnie e a Betsy resolveram ajudar o reverendo. Tudo isso dois episódios depois de nos obrigarem a comprar que o Donnie não tinha uma forma mais esperta de escapar do controle do Jesse que não fosse se ensurdecendo. Pois é, ficou surdo pra nada. Uma pena, ele estava sendo um dos meus personagens favoritos. Ou melhor, um dos poucos personagens em que eu estava interessado. Mas olhando pelo lado positivo, pelo menos não colocaram ele assistindo A Paixão de Joana d’Arc na TV e tendo um esclarecimento espiritual de última hora.

Fora isso, a única coisa que me incomodou um pouco foram as performances do Jesse e da Tulip durante a chamada de Skype com o falso Deus. Parecia teatro amador do pior nível, principalmente pela relação robótica deles com o espaço.

e o Feio

De feio só as caretas do Jesse mesmo. Como habitual.

… e a sentença é…

Esse tribunal declara o último episódio mais inocente do que quem acha que essa temporada adaptou bem os quadrinhos. Ou seja, inocente pra caramba. Longe de mim ser desonesto e fingir que não me diverti pra cacete. Testemunhar os boatos se solidificando e a turminha de Jesse metendo o pé na estrada me deu um quase-arrepio. Teria sido um arrepio inteiro se não tivessemos tido só quatro episódios bons (“See”, “Sundowner”, “Finish the Song” e o dessa semana), mas o jeito é acompanhar a próxima temporada fingindo que foi a primeira mesmo.

Obrigado a todos os masoquistas que sobreviveram a essa jornada comigo e compartilharam as suas histórias de sofrimento. A gente se vê de novo ano que vem.

  • Noah Cezario

    CERTEZA que o roteiro foi escrito enquanto o Seth e seus comparsas queimavam uns…da pior qualidade possível, cheirados e até as ideias de alcool. Esse episodio foi tão bom, mas tão tosco ao mesmo tempo que eu fico em duvida sobre o que vi. Que venha a season 2, lhe aguardo nesse purgatório Hericles!

  • Noah Cezario

    CERTEZA que o roteiro foi escrito enquanto o Seth e seus comparsas queimavam uns…da pior qualidade possível, cheirados e até as ideias de alcool. Esse episodio foi tão bom, mas tão tosco ao mesmo tempo que eu fico em duvida sobre o que vi. Que venha a season 2, lhe aguardo nesse purgatório Hericles!

  • Marcos Bastos

    Eu sempre meço a qualidade dos episódios com a quantidade de vezes que mexi no celular, ou olhei quantos minutos faltavam pra acabar. Esse foi um dos poucos episódios que passou rápido pra mim (mesmo sendo o mais longo da temporada).
    “Deus” estava hilário e as perguntas como “o que vc fez com os dinossauros?” foram demais.
    Depois desse final com eles caindo na estrada a season 2 pode ser bem melhor. Só senti falta do DeBlanc mesmo. Mas agora to mais confiante pra próxima temporada. Preacher foi renovada na minha watchlist.

  • Marcos Bastos

    Eu sempre meço a qualidade dos episódios com a quantidade de vezes que mexi no celular, ou olhei quantos minutos faltavam pra acabar. Esse foi um dos poucos episódios que passou rápido pra mim (mesmo sendo o mais longo da temporada).
    “Deus” estava hilário e as perguntas como “o que vc fez com os dinossauros?” foram demais.
    Depois desse final com eles caindo na estrada a season 2 pode ser bem melhor. Só senti falta do DeBlanc mesmo. Mas agora to mais confiante pra próxima temporada. Preacher foi renovada na minha watchlist.

  • intell

    Queremos DeBlanc de volta 🙁

  • intell

    Queremos DeBlanc de volta 🙁

  • Gabriel

    Eu abandono a série e ela melhora…

  • Gabriel

    Eu abandono a série e ela melhora…

  • Junito Hartley

    So o que prestou no episodio foi a parte do falso Deus, essa serie é toda estranha, os caras vao jogando as coisas em cena do nada, sem explicação nenhuma, tipo, o cassady preso, ou o Donnie ajudando o Jesse, o cara vestido de indio, e o vestido de urso, ate entao eles nao tinham quase aparecido ai chega no final ficam focando neles, e como o Jesse tirou o cara de cu do inferno? Serie confusa de mais, ou eu sou burro e nao saco nada.

    • Luke

      Não tirou o cara de cu do inferno. Aquilo foi a mesma coisa que ele teve quando conversava com o cara de cu na igreja. Tanto que ele diz que não esqueceu dele e que vai arrumar um jeito de tirá-lo do inferno.

  • Junito Hartley

    So o que prestou no episodio foi a parte do falso Deus, essa serie é toda estranha, os caras vao jogando as coisas em cena do nada, sem explicação nenhuma, tipo, o cassady preso, ou o Donnie ajudando o Jesse, o cara vestido de indio, e o vestido de urso, ate entao eles nao tinham quase aparecido ai chega no final ficam focando neles, e como o Jesse tirou o cara de cu do inferno? Serie confusa de mais, ou eu sou burro e nao saco nada.

    • Luke

      Não tirou o cara de cu do inferno. Aquilo foi a mesma coisa que ele teve quando conversava com o cara de cu na igreja. Tanto que ele diz que não esqueceu dele e que vai arrumar um jeito de tirá-lo do inferno.

  • Toq #1

    Eu sei que amei, não li a HQ-e nem pretendo, a série é boa pelas fontes enormes na tela e por fugir completamente do drama usal americano, e não esqueçamos que AMC é canal pago, ela pode ousar, já que é canal de nicho!

  • Toq #1

    Eu sei que amei, não li a HQ-e nem pretendo, a série é boa pelas fontes enormes na tela e por fugir completamente do drama usal americano, e não esqueçamos que AMC é canal pago, ela pode ousar, já que é canal de nicho!

  • Marcio Formiga

    Assistir essa temporada foi um exercício de contrariedade a cada episódio. Sou fã demais da HQ, é uma das minhas TOP 3 – e por isso mesmo que todos os episódios foram tão frustrantes, porque eu tinha a certeza que a estória poderia facilmente ser muito melhor contada. Que bom que não larguei, porque esse último episódio restaurou um pouco mais da minha fé na continuidade da série com alguma melhoria de qualidade.

    E parabéns pelas reviews, nunca comentei, mas li satisfeito cada uma delas!

  • Marcio Formiga

    Assistir essa temporada foi um exercício de contrariedade a cada episódio. Sou fã demais da HQ, é uma das minhas TOP 3 – e por isso mesmo que todos os episódios foram tão frustrantes, porque eu tinha a certeza que a estória poderia facilmente ser muito melhor contada. Que bom que não larguei, porque esse último episódio restaurou um pouco mais da minha fé na continuidade da série com alguma melhoria de qualidade.

    E parabéns pelas reviews, nunca comentei, mas li satisfeito cada uma delas!

  • Ronaldo

    Depois de tanto tempo finalmente um episódio bom! Mas passado esses 10 episódios não sei dizer se gostei ou não, vou continuar pra ver se melhora porque potencial tem né.

  • Ronaldo

    Depois de tanto tempo finalmente um episódio bom! Mas passado esses 10 episódios não sei dizer se gostei ou não, vou continuar pra ver se melhora porque potencial tem né.

  • Ricardo g guasco

    O episódio foi bem mediano como a série como um todo, que se destaca somente no estilo e na montagem de algumas cenas impactantes.

    Os personagens seguem esquizofrênicos com súbitas mudanças de humor, sem arco que conseguisse explicá-las. O Donnie após ter abdicado da audição para capturar o Jessie resolveu ajudá-lo. A Tulip após finalmente convencer o Jesse a vingá-la resolve “perdoar” o Carlos. Também segue sem explicação o porquê do Jessie ter sido solto e depois perseguido; se houve alguma justificativa para a prisão do Cassidy, além de possibilitar a sua tortura pelo xerife.

    A grande explosão também careceu de gerar impacto. Os três protagonistas ignoraram o acontecido, nem lamentaram a destruição da igreja ou a morte de conhecidos. Também o show não mostrou quais personagens faleceram, o que não deixa de ser frustrante, considerando que a próxima temporada provavelmente não responderá a contento a questão, pois não focará mais na cidade.

    Há uma aparente falta de conexão entre os personagens que incomoda e acaba sabotando a série, que muitas vezes parece ser mais uma coletânea de sequências independentes do que uma obra única.

    Não estou dando sorte neste ano, só estou assistindo séries medianas como Preacher, Expanse, Love, The Path, Angie Tribeca, Vynil, a minissérie 11.22.63 e o revival de X-files. Exceções feitas ao ótimos Stranger Things e Night Manager e o interessante The Colony.

  • Ricardo g guasco

    O episódio foi bem mediano como a série como um todo, que se destaca somente no estilo e na montagem de algumas cenas impactantes.

    Os personagens seguem esquizofrênicos com súbitas mudanças de humor, sem arco que conseguisse explicá-las. O Donnie após ter abdicado da audição para capturar o Jessie resolveu ajudá-lo. A Tulip após finalmente convencer o Jesse a vingá-la resolve “perdoar” o Carlos. Também segue sem explicação o porquê do Jessie ter sido solto e depois perseguido; se houve alguma justificativa para a prisão do Cassidy, além de possibilitar a sua tortura pelo xerife.

    A grande explosão também careceu de gerar impacto. Os três protagonistas ignoraram o acontecido, nem lamentaram a destruição da igreja ou a morte de conhecidos. Também o show não mostrou quais personagens faleceram, o que não deixa de ser frustrante, considerando que a próxima temporada provavelmente não responderá a contento a questão, pois não focará mais na cidade.

    Há uma aparente falta de conexão entre os personagens que incomoda e acaba sabotando a série, que muitas vezes parece ser mais uma coletânea de sequências independentes do que uma obra única.

    Não estou dando sorte neste ano, só estou assistindo séries medianas como Preacher, Expanse, Love, The Path, Angie Tribeca, Vynil, a minissérie 11.22.63 e o revival de X-files. Exceções feitas ao ótimos Stranger Things e Night Manager e o interessante The Colony.

  • Delson

    Eu gostei bastante dessa primeira temporada. E me deu vontade de ler a HQ, mas eu não quero ficar igual esse povo falando que isso não tem na HQ, ou aquilo foi mudado.. acho que vou ler só quando a série acabar, aproveitar sem saber o que vem pela frente.

    • David Rocha

      Cara leia sem medo. Antes da serei terminar. Pelo menos o primeiro arco.

  • Delson

    Eu gostei bastante dessa primeira temporada. E me deu vontade de ler a HQ, mas eu não quero ficar igual esse povo falando que isso não tem na HQ, ou aquilo foi mudado.. acho que vou ler só quando a série acabar, aproveitar sem saber o que vem pela frente.

    • David Rocha

      Cara leia sem medo. Antes da serei terminar. Pelo menos o primeiro arco.

  • Ricardo

    Fico em um difícil dilema sobre assistir a próxima temporada ou não. Embora tenha curtido (parcialmente) este episódio, não suporto Ruth Negga como a Tulipa e até mesmo o Jesse que eu estava achando ok foi transformado em um babaca! Como assim ele mata um policial inocente? O Jesse dos quadrinhos nunca faria isso. E a história do bebê foi mais do que ridícula. De bom mesmo temos apenas Cassidy, Santo dos Assassinos, Fiore e DeBlanc… E agora sem DeBlanc. Desvirtuaram vários personagens, como transformar o Cara de Cu em um possível assassino, Xerife Root que era um racista intragável nas HQs se tornou o personagem mais humano da série e alguém que é mais fácil sentir alguma empatia do que o próprio protagonista. Emily e Donnie foram alterados de uma hora para a outra e toda a história do Carlos foi um completo desperdício de tempo (se é que esta temporada inteira não foi). Resta a dúvida se perco meu tempo com a segunda temporada ou não!

  • Ricardo

    Fico em um difícil dilema sobre assistir a próxima temporada ou não. Embora tenha curtido (parcialmente) este episódio, não suporto Ruth Negga como a Tulipa e até mesmo o Jesse que eu estava achando ok foi transformado em um babaca! Como assim ele mata um policial inocente? O Jesse dos quadrinhos nunca faria isso. E a história do bebê foi mais do que ridícula. De bom mesmo temos apenas Cassidy, Santo dos Assassinos, Fiore e DeBlanc… E agora sem DeBlanc. Desvirtuaram vários personagens, como transformar o Cara de Cu em um possível assassino, Xerife Root que era um racista intragável nas HQs se tornou o personagem mais humano da série e alguém que é mais fácil sentir alguma empatia do que o próprio protagonista. Emily e Donnie foram alterados de uma hora para a outra e toda a história do Carlos foi um completo desperdício de tempo (se é que esta temporada inteira não foi). Resta a dúvida se perco meu tempo com a segunda temporada ou não!

    • André

      DeBlanc vai renascer,ele é um anjo nâo?

      • Ricardo

        Não. Ele foi morto pelo Santo dos Assassinos. Quando se é morto por ele não volta mais… Tanto DeBlanc quanto a Serafim do fim do episódio estão mortos de vez!

        • André

          Ah,obrigado por esclarecer..a série nâo explicou isso ainda né? Deve ser por isso que temiam ir pro inferno.

          • Ricardo

            Pois é! Isso é uma coisa dos quadrinhos. Mas se a série adaptar isso fielmente não dá pra contar mais com a volta de DeBlanc. Tanto que nas HQs acontece algo parecido com um anjo sendo morto ao acordar o Santo, mas era um anjo que ajudava DeBlanc e Fiore e só apareceu no início da HQ antes de ser morto!

  • Ivan182

    Meio tipo pombo, não gosto muito

  • Ivan182

    Meio tipo pombo, não gosto muito