Preacher 1×08: El Valero

48
138

No seu oitavo episódio, Preacher faz uma materialização literal do adjetivo ‘anticlimático’. É difícil de engolir e estávamos todos esperando algo épico, tenho a certeza, mas a culpa é nossa por acreditar. Preacher já marcou como uma daquelas séries que semana após semana promete algo bom e nunca entrega, mas o seu mérito está na sua capacidade de nos enganar. Não tem um golpista mais eficiente na minha grade atualmente.

El Valero não é exatamente um dos piores episódios da temporada. Aliás, eu o acho um dos mais estranhos. De todos os episódios negativos (ou seja, 6 dos 8), esse foi o que teve mais conteúdo. Não foi um daqueles em que nada acontece, muito menos sofreu de falta de material pra fazer um episódio bacana. Simplesmente não disse nada. Não tivemos nenhuma sequência de ação inventiva ou qualquer momento particularmente hilário. O episódio só voltou a nos alertar da dificuldade dos produtores de desligarem o piloto automático (e um que não leva a lugar nenhum, só mantém a existência contínua e insignificante da série).

Preacher está tão ruim que até o retorno de The Walking Dead deve servir pra tirar o gosto amargo que essa série (infelizmente) vai deixar na boca.

O Bom,

O sujeito levando um tiro nos Países Baixos foi bem engraçado. Não me fez perder o fôlego de tanto rir, mas quebrou o gelo. “Tá tudo bem, não dói tanto assim”. O humor da série funciona justamente quando ele pega esse espírito cartunístico, aquela famosa escrita propositalmente disfuncional. Infelizmente, os roteiristas parecem estar escrevendo esse tipo de comédia acidentalmente.

“Você cavou do inferno até aqui?” “Não é tão longe”. Provavelmente as melhores linhas de diálogo da série até agora.

O discurso do Quincannon também foi muito divertido, sempre. Principalmente a parte dos capangas não serem escudos humanos mas tecnicamente serem humanos e estarem servindo como escudo.

A aparição do Fiore e do DeBlanc foi, mais uma vez, a melhor parte do episódio. Matem logo o Jesse e transformem eles nos protagonistas.

Ah, e Stranger Things saiu esse fim de semana. Eu sei que não tem nada a ver com Preacher, mas é a coisa mais positiva que tenho a dizer nessa review.

O Mau

Como já comecei a discutir lá em cima, El Valero é mais um dos episódios a adotar a política do coito interrompido. Eu ainda não entendi se a série tem sido propositalmente ruim. Talvez seja uma coisa bem experimental, sabe? É tudo porco porque a graça está em ser porco. O script é péssimo porque escrever algo decente é muito mainstream. Preacher vai contra uma das leis fundamentais de qualquer tipo de ficção: o seu protagonista não é ativo. As coisas acontecem à volta de Jesse Custer e não por consequência das suas decisões. Todo o arco da ascensão do Odin, por exemplo, no fim acabou não sendo relacionado a Jesse de qualquer modo (e ainda não nos deram uma explicação para a Palavra não ter funcionado nele).

Quando os anjos dizem que Jesse tem o Gênesis há semanas e ainda não fez nada de bom com ele, eles estão certos, mas ainda há mais. A coisa mais significante que o reverendo fez com os seus poderes até agora foi mandar o personagem mais compreensível da série para o inferno. E não porque ele tinha essa intenção, mas por acidente! As coisas vão acontecendo por acidente. Vejam bem, este tipo de gatilho narrativo funcionaria se Preacher fosse sobre um azarado que é vítima do impossível, mas não é essa a história. Até o momento Preacher tem sido sobre Jesse agindo como o típico fanático do Sul dos Estados Unidos e decidindo de vez em quando fazer algo com o seu poder, só pra depois mudar de ideia. E agora eles querem que nós acreditemos que a súbita mudança de espírito do imbecil, de cristão psicótico a “eu vou obrigar Deus a responder por seus crimes”, foi natural em qualquer nível. Err… não foi e só um idiota não conseguiria ver isso.

Esse tipo de coisa raramente acontece. As pessoas não vivem as suas vidas de um jeito até que um evento grandioso ocorre e elas têm uma epifania esclarecedora sobre tudo. Não é assim que funciona, certamente não para um humano. Mas o problema é esse: Jesse Custer não é humano. Tudo o que ele tem feito com a Palavra não é nem remotamente similar ao que um humano faria se ganhasse um poder tão absoluto. Nas últimas semanas tenho apontado, texto após texto, o quão porcamente tem sido a ‘construção’ do personagem. Acredito que já esteja provado que Jesse não é um personagem carismático (ninguém torce para ele aparecer em tela), relacionável (ninguém se vê fazendo as escolhas que ele faz) ou mesmo inteligível (nós não entendemos porque ele faz nada do que faz).

O problema se expandiu ainda mais essa semana: ele é artificial. A aura de proficiência e brutalidade que a série cria em torno dele não é real. Eu não teria medo do Jesse se passasse por ele na rua, porque quando a série tem a oportunidade perfeita de mostrar que ele é um soldado se vestindo de líder religioso, eles jogam ela fora. Nós não vemos Jesse chutando bundas, porque os seus feitos são transformados em comédia (o rapaz perdendo o pinto, por exemplo) e porque a série acha que é competente ao ponto de dizer mais não mostrando do que mostrando. Mas não é! Isso é gravíssimo: em 8 episódios nós ainda não entendemos porque Tulip amaria alguém assim e porque qualquer um na cidade teme o reverendo. Está bem, ele quebrou o braço do Donnie lá no piloto, mas aquele foi virtualmente a única vez que vimos Jesse se impondo. E há precedentes. Eu poderia passar o dia listando personagens que seguem o arquétipo do “pacifista badass”. Pô, o exemplo mais óbvio e recente é o Morgan nas últimas temporadas de The Walking Dead. Por mais que nós achemos o cara e a filosofia dele um saco, nós sabemos (porque já nos apresentaram evidências disso) que ele conseguiria se livrar de qualquer ameaça. Com o Jesse? Ele passou o episódio todo sendo um excelente sniper (supostamente, eu pelo menos não vi) só pra levar uma coronhada que até eu previ. Você não pode pintar o seu personagem como uma máquina de violência e matança só pra depois acabar com o frenesi todo e dizer que shit happens. É desonesto e preguiçoso.

Todo o drama no episódio só mostrou que essa série NÃO sabe fazer drama. A origem trágica do Quincannon foi mais engraçada do que triste; o Cara de Cu voltando como uma alucinação foi estúpido, inútil e previsível; o arco da Tulip se resumiu a ela adotando um cachorro pra alimentar o Cassidy (que poderia muito bem se alimentar de uma das vacas do Quincannon, mas a série quis ser edgy novamente) e chegamos ao preocupante ponto em que a storyline com que mais me importo é a do Donnie.

e o Feio

Será que esse painel de controle fica no céu? Bem que a série podia começar a dar pistas. Não é mistério se não derem pistas, é só mais uma forma de desperdiçar tempo de episódio. 

… e a sentença é…

Este tribunal declara o episódio culpadíssimo e o condena a 8-2+16:3-5 décadas vendo o Eugene imaginário beber água. Se vocês estão imaginando porque eu escrevi a pena em forma de expressão aritmética, é porque eu quis seguir a série e complicar coisas simples por nenhuma razão. Nenhuma razão mesmo. Eu diria que temos de torcer pro próximo episódio ser melhor, mas aprendi a minha lição.

  • NowSilva

    Preacher com certeza é daquelas séries em que assistimos ao ep. e nos perguntamos “O que acabamos de ver mesmo…?”

    • Sr. Hericles

      HAHAHAHAHAHAHA.

      Palavras mais verdadeiras jamais foram ditas.

  • NowSilva

    Preacher com certeza é daquelas séries em que assistimos ao ep. e nos perguntamos “O que acabamos de ver mesmo…?”

    • Sr. Hericles

      HAHAHAHAHAHAHA.

      Palavras mais verdadeiras jamais foram ditas.

  • Ivan182

    Concordo com o texto, tbm to meio derrrrrrr com Preacher mas continuando na esperança de no fim da season o personagem vire algo … ah e sobre o Quincannon, eu entendi que ele ta servindo Deus, mas é o deus da carne, ou seja, o diabo.

    • Sr. Hericles

      Bem, a esperança é a última que morre. Só não reclame depois se a sua morrer uma morte lenta e dolorosa. x)

      Isso aí eu também entendi, mas continuou bem porco e forçado.

  • Ivan182

    Concordo com o texto, tbm to meio derrrrrrr com Preacher mas continuando na esperança de no fim da season o personagem vire algo … ah e sobre o Quincannon, eu entendi que ele ta servindo Deus, mas é o deus da carne, ou seja, o diabo.

    • Sr. Hericles

      Bem, a esperança é a última que morre. Só não reclame depois se a sua morrer uma morte lenta e dolorosa. x)

      Isso aí eu também entendi, mas continuou bem porco e forçado.

  • leo liçarassa

    Eles tem que botar o pé na estrada logo e sair dessa porra de cidade chata!!!

    • Sr. Hericles

      Possivelmente no final da temporada.

      • Guto Alves

        Possivelmente no final da 5 temporada, se tiver!!!

    • Rafael

      Eles vão sair da cidade, eventualmente. E a série vai continuar chata…

  • leo liçarassa

    Eles tem que botar o pé na estrada logo e sair dessa porra de cidade chata!!!

    • Sr. Hericles

      Possivelmente no final da temporada.

      • Guto Alves

        Possivelmente no final da 5 temporada, se tiver!!!

    • Rafael

      Eles vão sair da cidade, eventualmente. E a série vai continuar chata…

  • Nelson Alexandre Renner Soares

    com certeza eu não volto na Segunda Temporada

    • Sr. Hericles

      [Inserir aqui alguma razão para o Nelson não abandonar Preacher]

      • Nelson Alexandre Renner Soares

        kkkkkkkkkk

  • Nelson Alexandre Renner Soares

    com certeza eu não volto na Segunda Temporada

    • Sr. Hericles

      [Inserir aqui alguma razão para o Nelson não abandonar Preacher]

      • Nelson Alexandre Renner Soares

        kkkkkkkkkk

  • Rafael

    Já desisti faz uns três ou quatro episódios. Não dá pra se iludir com série da AMC: se a série não te pegar até o 2° ou (no máximo) 3° episódio, desista porque a série vai de enganar com aquela sensação de “agora Vai”, e tu vai ficar se torturando pelos próximos 2, 3 anos assistindo algo que ruim e chato na esperança daquele potencial que tu enxerga que a série tem mas nunca alcança de verdade. E os fãs fica acreditando que “na próxima temporada tem o Governador e a Michone, portanto vai ser massa” ou “eles vão cair na estrada em busca de Deus e aí vai bombar”. E vai continuar sendo a mesma bosta de sempre…

    • Sr. Hericles

      É bem isso que você disse, Rafael. Do ponto de vista do planejamento narrativo, a AMC é um PÉSSIMO canal, além de um dos mais gananciosos da TV americana. Você tem exceções como Mad Men e Breaking Bad, mas no geral, você só tem decisões criativas imbecis como o cliffhanger ofensivo de The Walking Dead na temporada passada. Eles vão cair na estrada e vai, de fato, continuar a mesma B-O-S-T-A.

  • Rafael

    Já desisti faz uns três ou quatro episódios. Não dá pra se iludir com série da AMC: se a série não te pegar até o 2° ou (no máximo) 3° episódio, desista porque a série vai de enganar com aquela sensação de “agora Vai”, e tu vai ficar se torturando pelos próximos 2, 3 anos assistindo algo que ruim e chato na esperança daquele potencial que tu enxerga que a série tem mas nunca alcança de verdade. E os fãs fica acreditando que “na próxima temporada tem o Governador e a Michone, portanto vai ser massa” ou “eles vão cair na estrada em busca de Deus e aí vai bombar”. E vai continuar sendo a mesma bosta de sempre…

    • Sr. Hericles

      É bem isso que você disse, Rafael. Do ponto de vista do planejamento narrativo, a AMC é um PÉSSIMO canal, além de um dos mais gananciosos da TV americana. Você tem exceções como Mad Men e Breaking Bad, mas no geral, você só tem decisões criativas imbecis como o cliffhanger ofensivo de The Walking Dead na temporada passada. Eles vão cair na estrada e vai, de fato, continuar a mesma B-O-S-T-A.

  • Marcos Bastos

    “Ah, e Stranger Things saiu esse fim de semana. Eu sei que não tem nada a ver com Preacher, mas é a coisa mais positiva que tenho a dizer nessa review.” Kkkk quando a série tá ruim a ponto de a melhor coisa na review ser outra série, é hora de parar. Eu ia até o finale (pelo Cassidy), mas não dá não. A vida é curta demais pra passar 40 minutos vendo um episódio que aparenta ter umas 2 horas (toda hora olhava pro celular e o episódio não passava, achei que tava acabando e ainda tava na abertura). Adeus, Preacher.

    • Sr. Hericles

      Ah, já investiu 8 episódios, aproveita e vê os dois últimos logo antes de dropar.

      • Marcos Bastos

        Sério? Mais 1h e 20 minutos das caras e bocas de Dominic Cooper? haha ok, vou só até o season finale então. Quem sabe não me surpreendo como no 1×06

  • Marcos Bastos

    “Ah, e Stranger Things saiu esse fim de semana. Eu sei que não tem nada a ver com Preacher, mas é a coisa mais positiva que tenho a dizer nessa review.” Kkkk quando a série tá ruim a ponto de a melhor coisa na review ser outra série, é hora de parar. Eu ia até o finale (pelo Cassidy), mas não dá não. A vida é curta demais pra passar 40 minutos vendo um episódio que aparenta ter umas 2 horas (toda hora olhava pro celular e o episódio não passava, achei que tava acabando e ainda tava na abertura). Adeus, Preacher.

    • Sr. Hericles

      Ah, já investiu 8 episódios, aproveita e vê os dois últimos logo antes de dropar.

      • Marcos Bastos

        Sério? Mais 1h e 20 minutos das caras e bocas de Dominic Cooper? haha ok, vou só até o season finale então. Quem sabe não me surpreendo como no 1×06

  • Gabriel

    Eu estava gostando da série até então mas achei este episódio tão ruim que me fez questionar se vale a pena continuar. O único momento que gostei foi quando Eugene diz que o Inferno não era tão longe dali. Foi um humor ácido e completamente diferente do restante do episódio. As cenas com o cara que perdeu o pênis pareceram tiradas de um filme de Adan Sandler. Só sentia vergonha e vontade que acabassem logo. E ainda tive que aturá-las sendo repetidas como se Preacher fosse uma comédia stand up. Me lembro teve uma cena onde algumas pessoas que estavam acompanhando o cerco resolveram fazer um churrasco e um deles diz “Look at us! We’re tailgating!”… Na hora pensei comigo mesmo “Preacher, eu não sou cego”.

    O discurso de Quincannon foi estúpido mas não tanto quanto o Donny Schenck perdendo a audição para capturar Custer. Me recuso a acreditar que não havia outra opção mais viável.

    “(…) e ainda não nos deram uma explicação para a Palavra não ter funcionado nele”. Já deram. A palavra funcionou mas ao invés de se tornar fiel do deus cristão se tornou fiel do deus que ele criou.

    • Sr. Hericles

      O episódio foi terrível mesmo. Quanto aos pontos que você levanta:

      – A fala do Eugene foi realmente fantástica, apesar de eu não ter enxergado o tom cômico que você enxergou nela.
      – Eu adorei as cenas com o cara que perdeu o pênis. Adorei justamente por ser uma quebra de expectativa tão grande. É uma série da AMC, que tem essa ideia imbecil de que é um canal classe A em fazer drama. Preacher se leva ridiculamente a sério e quando o cara perdeu o pinto e começou a falar aquelas baboseiras eu me lembrei um pouco do quão idiota os quadrinhos eram às vezes também.
      – Tudo envolvendo o churrasco foi vergonha alheia pra caramba.
      – Donnie se ensurdecendo foi COMPLETAMENTE imbecil. O cara preferiu danificar talvez permanentemente a própria audição a tirar 20 minutos pra ir comprar uns fones de ouvido e um MP3? O Jesse podia esperar.
      – Como já disse num outro comentário, essa desculpa do deus da carne foi forçadíssima, então pra mim não é nem um motivo concreto não. O Jesse disse coisas tão banais e abertas quanto “abra o seu coração” e “vá para o inferno” e os resultados foram ações tão estritamente literais e quando ele manda o cara servir Deus, os caras tentam nos convencer que “ah, mas é que o Odin é ateu, daí ele criou na mente dele o próprio deus dele porquê…” Ah, nem a pau que eu aceito essa porcaria.

      Enfim, valeu pelo comentário, Gabriel. Abração. :’)

  • Gabriel

    Eu estava gostando da série até então mas achei este episódio tão ruim que me fez questionar se vale a pena continuar. O único momento que gostei foi quando Eugene diz que o Inferno não era tão longe dali. Foi um humor ácido e completamente diferente do restante do episódio. As cenas com o cara que perdeu o pênis pareceram tiradas de um filme de Adan Sandler. Só sentia vergonha e vontade que acabassem logo. E ainda tive que aturá-las sendo repetidas como se Preacher fosse uma comédia stand up. Me lembro teve uma cena onde algumas pessoas que estavam acompanhando o cerco resolveram fazer um churrasco e um deles diz “Look at us! We’re tailgating!”… Na hora pensei comigo mesmo “Preacher, eu não sou cego”.

    O discurso de Quincannon foi estúpido mas não tanto quanto o Donny Schenck perdendo a audição para capturar Custer. Me recuso a acreditar que não havia outra opção mais viável.

    “(…) e ainda não nos deram uma explicação para a Palavra não ter funcionado nele”. Já deram. A palavra funcionou mas ao invés de se tornar fiel do deus cristão se tornou fiel do deus que ele criou.

    • Sr. Hericles

      O episódio foi terrível mesmo. Quanto aos pontos que você levanta:

      – A fala do Eugene foi realmente fantástica, apesar de eu não ter enxergado o tom cômico que você enxergou nela.
      – Eu adorei as cenas com o cara que perdeu o pênis. Adorei justamente por ser uma quebra de expectativa tão grande. É uma série da AMC, que tem essa ideia imbecil de que é um canal classe A em fazer drama. Preacher se leva ridiculamente a sério e quando o cara perdeu o pinto e começou a falar aquelas baboseiras eu me lembrei um pouco do quão idiota os quadrinhos eram às vezes também.
      – Tudo envolvendo o churrasco foi vergonha alheia pra caramba.
      – Donnie se ensurdecendo foi COMPLETAMENTE imbecil. O cara preferiu danificar talvez permanentemente a própria audição a tirar 20 minutos pra ir comprar uns fones de ouvido e um MP3? O Jesse podia esperar.
      – Como já disse num outro comentário, essa desculpa do deus da carne foi forçadíssima, então pra mim não é nem um motivo concreto não. O Jesse disse coisas tão banais e abertas quanto “abra o seu coração” e “vá para o inferno” e os resultados foram ações tão estritamente literais e quando ele manda o cara servir Deus, os caras tentam nos convencer que “ah, mas é que o Odin é ateu, daí ele criou na mente dele o próprio deus dele porquê…” Ah, nem a pau que eu aceito essa porcaria.

      Enfim, valeu pelo comentário, Gabriel. Abração. :’)

  • Ricardo

    Sobre a palavra não funcionar com Quincannon, acho que foi explicada no último diálogo com Jesse, quando Odin disse que servia a Deus, mas ao Deus da Carne. E Jesse disss apenas para servir a Deus e não explicou qual deus. Foi uma resolução pífia, mas acho que por isso não funcionou com ele! Agora uma dúvida: quem eram aquelas pessoas no teleférico no início do episódio?

    • Gabriel

      A família do Quincannon. Morreram e seus corpos foram entregues para ele.

      • Ricardo

        Ah sim. Devo confessar que em alguns momentos do episódio eu ficava batendo papo. Então devo ter perdido a parte onde eles explicam isso! Hahah…

  • Ricardo

    Sobre a palavra não funcionar com Quincannon, acho que foi explicada no último diálogo com Jesse, quando Odin disse que servia a Deus, mas ao Deus da Carne. E Jesse disss apenas para servir a Deus e não explicou qual deus. Foi uma resolução pífia, mas acho que por isso não funcionou com ele! Agora uma dúvida: quem eram aquelas pessoas no teleférico no início do episódio?

    • Gabriel

      A família do Quincannon. Morreram e seus corpos foram entregues para ele.

      • Ricardo

        Ah sim. Devo confessar que em alguns momentos do episódio eu ficava batendo papo. Então devo ter perdido a parte onde eles explicam isso! Hahah…

  • netohemp

    Quando vi essa série, meu hype subiu, tinha grandes expectativas em volta da sinopse, já que nunca li os quadrinhos…

    Outcast é 1000x superior a Preacher, e um dos comentários que me levou a Preacher foi que era do mesmo nivel que Outcast ou até melhor, engano meu, Preacher está sem condições de ser acompanhado por mim.

    O jeito é esperar Exorcismo, para de juntar a Outcast =)

  • netohemp

    Quando vi essa série, meu hype subiu, tinha grandes expectativas em volta da sinopse, já que nunca li os quadrinhos…

    Outcast é 1000x superior a Preacher, e um dos comentários que me levou a Preacher foi que era do mesmo nivel que Outcast ou até melhor, engano meu, Preacher está sem condições de ser acompanhado por mim.

    O jeito é esperar Exorcismo, para de juntar a Outcast =)

  • Marcio Formiga

    Cada vez que eu assisto um episódio (e fico triste), dá mais e mais saudade das HQs. Nunca torci tanto pelo reboot de uma série como eu torço nesse caso.

  • Marcio Formiga

    Cada vez que eu assisto um episódio (e fico triste), dá mais e mais saudade das HQs. Nunca torci tanto pelo reboot de uma série como eu torço nesse caso.

  • ROGER JANSEN BASCHI

    Deixando de assistir em 3..2..1..

  • ROGER JANSEN BASCHI

    Deixando de assistir em 3..2..1..