Pokémon Generations 1×05-06: The Legacy/The Reawakening

6
557

Mais uma semana de Pokémon Generations e desta vez tivemos uma grata surpresa: dois curtas passados na região de Johto que fazem um bom trabalho em explorar a mitologia da série. O primeiro é sobre o chefão da quadrilha de ladrões mais famosa do mundo Pokémon, enquanto o segundo conta a origem das feras Suicine, Entei e Raikou. Agora, segura na mão de Arceus e vem ver as referências e easter eggs que encontramos!

Giovanni: um dos plot twists mais clássicos da história dos games

Baseado nos grandes chefões da máfia italiana, de onde foi inspirado seu nome, Giovanni sempre teve passagens controversas e cheias de mistério pela série Pokémon. Enquanto no anime suas aparições eram quase sempre restritas a Jessie, James e Meowth, o Giovanni dos jogos era mais sombrio e serviu como fonte de especulações dos fãs por muitos anos.

A começar, pelo plot twist que marcou uma geração: o ginásio de Viridian (aquele encontrado no comecinho do jogo, mas que permanecia fechado por algum motivo desconhecido) era liderado por ninguém menos que o vilão em pessoa. Ao ser derrotado, Giovanni não só decide acabar com a Equipe Rocket, como também desaparece pelo resto do jogo sem deixar vestígio algum.

Uma reviravolta dessas a internet não permite mais
Uma reviravolta dessas a internet não permite mais

Na segunda geração de games, descobrimos como ficou a equipe do mal depois do abandono de seu chefe: três anos após os acontecimentos de Red/Blue/Yellow, a organização ainda resistia e continuava infernizando a vida dos moradores de Kanto e Johto, porém sem seu líder, que definitivamente sumiu do mapa.

Mas o que aconteceu com Giovanni?

Foi somente na quarta geração, com os remakes HeartGold e SoulSilver, 10 anos após o lançamento de seus originais, que tivemos um desfecho digno para essa história. Não só descobrimos onde Giovanni esteve no intervalo de três anos entre Red/Blue/Yellow e Gold/Silver, mas tivemos o segundo grande plot twist envolvendo o vilão.

Como muitos fãs já especulavam, Silver, o rival de Johto, era filho de Giovanni, e muito da sua personalidade e, principalmente, do tratamento que dava aos Pokémons podia ser explicado pela educação que recebera do pai.

Além disso, nesses jogos, por meio de um evento especial, podemos usar um Celebi para viajar no tempo e encontrar o líder da Equipe Rocket em seu esconderijo em Tohjo Falls. O vilão ouve as súplicas dos seus antigos aliados para que retorne a ser o líder da quadrilha, mas ao ser derrotado numa batalha pelo jogador, manifesta sua frustração por sempre perder para crianças e desaparece mais uma vez, só que agora, para sempre.

Novamente derrotado por uma criança, não é à toa que o cara desistiu de tudo
Novamente derrotado por uma criança, não é à toa que o cara desistiu de tudo

Como não podia deixar de ser, muitos fãs especulam que Giovanni desapareceu de vez porque… ele se matou. Sim, estamos falando de suicídio num jogo de Pokémon. E o pior (ou melhor) é que faz sentido, já que o antagonista simplesmente caminha em direção a uma saída que dá para uma cachoeira e some. Ou seja, ele se matou, e o culpado foi você.

E o que isso tem a ver com Pokémon Generations?

Tudo! No quinto episódio da série de curtas, Looker questiona Silver a respeito do paradeiro do pai. O garoto não sabe de nada, porém podemos ver a última interação dos dois, que fez os pelos do corpo se arrepiarem de emoção.

No mesmo evento em que Giovanni é derrotado, vemos a última conversa entre ele e o filho
No mesmo evento em que Giovanni é derrotado, vemos a última conversa entre ele e o filho
Ainda tem mais?

Calma que não acabou ainda! Nesta semana tivemos não só um, mas dois episódios de Pokémon Generations, e tenho que dizer: foram os melhores até aqui. Enquanto o primeiro procurou dar mais profundidade e enriquecer as relações humanas, o segundo apostou na mitologia de uma das regiões mais ricas nesse quesito.

Ao contrário dos primeiros jogos da série, os games passados em Johto buscaram estabelecer que os Pokémons são criaturas naturais, não consequências de experiências científicas ou algo do tipo, e para isso tiveram grande influência do folclore japonês. Percebam como Johto é uma região mais rural quando comparada a Kanto e que os Pokémons aqui são quase todos baseados em animais, o que foi pensado justamente para transmitir essa ideia de fantasia em oposição à temática de ficção científica.

Ecruteak City: o apogeu das influências japonesas nos jogos de Johto
Ecruteak City: o apogeu das influências japonesas nos jogos de Johto

Assim, pela primeira vez, tivemos Pokémons lendários estampando as capas dos jogos, e suas histórias de origem são riquíssimas de referências a folclore (tanto ocidental quanto oriental) e lendas, o que é um dos motivos de eu amar tanto essa franquia.

A história dos Pokémons que renasceram das cinzas (literalmente)

O curta traz a história de origem dos Cães Lendários (que estão mais para Gatos Lendários, mas tudo bem), e é tudo tão mastigadinho, como num documentário, que não preciso esclarecer ponto algum. Ao invés disso, vamos falar da inspiração por trás.

A Brass Tower, onde essa história aconteceu, foi diretamente inspirada pelo templo budista Kinkaku-ji, localizado em Kyoto, no Japão. No ano de 1950, o templo entrou em chamas por um acidente causado pelo monge de 22 anos Hayashi Yoken. Após ver as consequências de suas ações, o rapaz tentou suicidar-se ao pular de um morro atrás do templo. O monge, porém, sobrevive, sendo em seguida condenado a sete anos de prisão, da qual foi liberado em 1955 por conta de doenças mentais. Não muito depois, terminou morrendo de tuberculose.

Imagem do templo real, tirada após o incêndio de 1950
Imagem do templo real, tirada após o incêndio de 1950

Diferentemente da história contado nos jogos, o templo de Kinkaku-ji foi restaurado cinco anos após o incêndio. O curioso é que o templo conta com uma estátua de uma fênix dourada no topo, que serviu de inspiração para Ho-Oh, o criador dos Cães Lendários.

img6
Está aí um dos motivos pelo qual o jogo se chama Pokémon Gold

*

E vocês? Gostaram dos curtas? O que acham que o futuro de Pokémon Generations reserva? Já vimos quase tudo divulgado no trailer promocional. Então mandem ver nos comentários e continuem acompanhando as reviews!

  • Paulo Frank

    Nossa, que trágica a história desse monge…

  • Outsider

    Ótimo texto. Gostei muito que você trouxe referências para aprofundar os curtas. E esses curtas sempre deixam um gostinho de quero mais. Mas eu também achei que esses dois curtas foram uns dos melhores. Fiquei muito feliz por ver o Silver ele é um dos meus personagens favoritos da franquia. Agora é esperar que pontos de vista e partes de Hoenn eles vão mostrar.

  • Ednilson Junior

    Os jogos Gold & Silver continuam sendo os melhores pra mim. História bem rica e que faz você se importar com os personagens. Fiquei bem satisfeito com esses dois episódios ainda em Johto.
    Eu, e muita gente, pensava que os cães lendários eram de alguma forma modificações das primeiras eeveelutions. Teoria reforçada pelo fato de haver na cidade uma casa onde a gente enfrenta as 5 eeveelutions existentes até a 2ª geração.

  • Ronaldo

    Parabéns pela review, muito rica em informações! Nem imaginava essa profundidade na estória do Silver. A origem dos cães lendários é o meu curta favorito até o momento.

  • Anderson Luis

    Gostei bastante desses últimos curtas focado na 2ª geração. Era o que mais queria.
    Até agora esse dos cães lendários foi o melhor pra mim.

  • Bruno

    Parabéns pela review. Eu tô adorando os vídeos. Alguém sabe quantos serão?