O Regresso

A vingança pode ser uma espécie de reparação brutalmente atraente?

61
104

Antes de mais nada, se você não assistiu o filme e está lendo por curiosidade, fique tranquilo. Não coloquei spoilers em respeito à isso, mas deixei claro minha análise da forma mais sucinta possível. Então, boa leitura!

O holocausto alemão não é nada comparado ao genocídio dos índios norte-americanos. Foram praticamente 500 anos de guerra entre tribos e “colonizadores” que eliminaram 114 milhões de habitantes indígenas no território hoje reconhecido como os EUA e Canadá. Não estou aqui comparando tragédias e colocando medidas para dizer qual delas foi a mais cruel, muito pelo contrário. Estou enfatizando os número para mostrar o impacto dessas mortes na história da América. Mas por qual motivo este período sangrento é silenciado para o público?

A resposta mais plausível seria de que existe um certo receio em tratar desse episódio como “genocídio”, principalmente quando o mesmo ocorreu dentro da nação mais poderosa do mundo. E o caminho mais rápido para esquecer tal fato seria, na pior hipótese possível, a taciturnidade deste evento. Seria o holocausto indígena um hábito construído na história norte americana? Uma paisagem fúnebre que acabou matando culturas simplesmente pelo fato de que o índio não deveria ser considerado um “ser humano” comum? Ou pior ainda, seria a extinção destas tribos uma forma de colocar para debaixo do tapete o fato de que elas nunca foram mencionadas na bíblia cristã? São inúmeras perguntas que só provam o quanto o silêncio pode gritar algumas verdades. E foi praticamente como forma de protesto silencioso que nasceu o novo filme que sucede o premiado Birdman (2014). Iñárritu toma como pano de fundo, em O Regresso, a recém América do século 19 e consegue de forma espetacular criar uma resolução do vazio histórico por trás deste capítulo desumano.

Baseado no livro The Revenant: A Novel Of Revenge a trama gira em torno do guarda de fronteira Hugh Glass (Leonardo DiCaprio), que enquanto partilhava de uma expedição foi atacado por um urso e por contextos de sobrevivência é abandonado por seus companheiros, ação liderada por John Fitzgerald (interpretado de forma magnífica por Tom Hardy). Acontece que Glass resiste à todas condições naturais e retorna em busca de vingança.  A palavra Revenant (nome original de O Regresso) se trata de um termo em inglês raramente usado em conversas coloquiais. Proveniente do latim revenans o adjetivo significa em contextos mais sombrios um ser que por intermédio desconhecido retornou ao mundo real. Uma assombração. DiCaprio, que realiza mais uma performance impetuosa de sua carreira, vive esse ser humano assombrado pela vingança, que retorna à vida depois de perder toda a razão de sua existência: a família.

Leonardo DiCaprio

A ironia é que após sofrer o ataque do urso, Glass se vê numa situação em que os monólogos são cada vez menos comuns para se comunicar. A peça chave aqui é que o ator teve que transmitir suas emoções num percurso silencioso. Muita coisa acontece, mas pouquíssimos diálogos são emitidos. Muitas verdades vão sendo expostas a cada cena, mas com um cuidado sigiloso em cada fala. O silêncio de DiCaprio seria então o silêncio daqueles que sofreram (e ainda sofrem) com uma perda brutal e selvagem? A diferença aqui é o que protagonista é americano, ou melhor, branco e descendente de escoceses-irlandeses. Entretanto, sua relação com uma nativa Pawnee trás a oportunidade de analisar o fato de que o objetivo primordial de O Regresso é ferir o preconceito contra os indígenas. Em outras palavras, o filme exibe de forma crua este evento histórico, e reverte a vingança de Glass como uma jornada de reparação.

Por todos esses aspectos, o diretor de Babel (2006) e Biutiful (2010), conseguiu desta ver criar um suspense kafkiano com doses de angústia, desespero e furor. A fotografia, marco estrutural do filme, abusa de planos sequências como uma criança desenhando com giz de cera, ilustrando com rapidez e sem muita preocupação a violência pura e sem censura. O figurino é outro detalhe igualmente acentuado, fiel ao contexto e espesso em sua concepção. No fim, o projeto é de certa forma exato e efetivo. Eu diria com tranquilidade que seria este um dos melhores trabalhos do diretor, entretanto há momentos na trama em que se perde um pouco da essência desse criticismo social e se abraça um formato enlatado e maçante, por assim dizer. Por outro lado, O Regresso é lindo, mas com uma hostilidade sem parâmetros. Sincero, mas levemente absurdo. É vingativo, como tantos outros trabalhos cinematográficos desse tema, porém frio. É de certo modo silencioso, mas vocifera algo que sem dúvida está faltando na história da humanidade: justiça.

PS1: A cena do urso já entrou no meu hall da fama como um dos momentos mais assustadores e realistas da história do cinema.

PS2: Tom Hardy foi espetacular na construção de um Fitzgerald ríspido e insensível. Não me impressionaria ser indicado à Ator Coadjuvante pela Academia. 

PS3: Precisamos falar de DiCaprio. Será que a estatueta finalmente será entregue à ele por culpa de um personagem que se privou de diálogos durante todo o filme (o que favoreceu seu jogo de corpo), ou por causa do desafio de interpretar emoções por um viés totalmente inesperado? Deixo a resposta com vocês. 

PS4: Estou nesse exato momento na Irlanda e por aqui The Revenant já foi exibido em algumas salas, antes da estreia oficial no dia 15 de janeiro.

  • Ana

    Olha, essa cena do urso me deu uma agonia sem igual. Fiquei sem folego.
    Esse filme inteiro me deixou embasbacada, primeiro que a fotografia é LINDA , e depois que as atuações estavam expetaculares (gostei do quanto o Dicaprio “falava” com o corpo, só depois do filme terminar me toquei que ele não disse quase nada verbalmente, mas mesmo assim eu conseguia sentir o que se passava com o Glass), e caramba não consegui desgrudar o olho da tela, adoro quando um filme me deixa assim.
    Não sei nada sobre cinema, mas o jeito que o diretor filmou os enquadramentos ficou bem legal.
    Ps: Aquele ator ruivo está em todas hein? Acho que assisti uns 3 filmes com ele esse ano.

  • João Victor

    Achei espetacular. A direção e a fotografia fizeram o filme desde a primeira cena estar em um nível bem superior aos “filmes comuns de premiações”.

  • Alan

    Esta entre os três melhores filmes de 2015. DiCaprio e Hardy estão fenomenais, estão um pouco à frente do seus concorrentes nas premiações. A direção também é a favorita.

    O filme é um espetáculo, uma obra de arte.

    A cena do urso é indescritível de tão bem feita

  • lcp21

    Se ele não ganhar o Oscar, tem marmelada.

    • Alan

      Eu acho que ganha o Oscar, mas Spotlight e Big Short eu também excelentes filmes e não acho que se um dos dois ganharem seria marmelada

      • Exatamente. Antes de falar algo, é importante ver todos os indicados para ter mais propriedade de falar o que seria injusto. E ano passado o Oscar foi perfeito nas premiações. Vamos ver esse ano.

    • Alex DAvila

      mas vc ja viu todos os outros filmes dos atores possiveis indicados lcp21?

  • lcp21

    Depois de filmes de super heróis, guerras nas estrelas, dai aparece um filme desses, a gente fica de queixo caído, dai entende o significado de cinema.

  • Jackson Douglas

    Esse tem quem ser do Leo, ele passa toda a emoção só com o rosto, sem palavras!

  • A cena do urso tbm me marcou demais. Chocante!
    Sobre a estatueta indo pro DiCaprio vou precisar ver os outros indicados. Mas a atuação dele foi espetacular…..mas veremos.

    • Bruno Cantuária

      Fiquei com a cena do Urso uma semana na minha cabeça, é sensacional !! Quanto ao Oscar, já desisti. #somostodosDiCaprio kkkkk

    • Guilherme Henrique

      E a cena em que ele entra dentro do cavalo?

      • nusss tem essa tbm hahahahaha FODAAAAAAAAAAA

        • Guilherme Henrique

          Foda demais!

    • Alex DAvila

      eh isso q eu falo as pessoas dizem q ele tem q ganhar mas nao viu as outras atuacoes….

  • Renan Rossi

    Esse filme é um primor visual e técnico. Deve concorrer a, pelo menos, umas 7 categorias no Oscar.

    A fotografia do Emmanuel Lubezki é uma das coisas mais espetaculares dos últimos anos, até mais que Birdman e Gravidade (seus dois últimos grandes trabalhos).

    Leonardo Dicaprio deve ganhar dessa vez, caso não ganhe, eu desisto primeiro que ele. rsrs

    • Bruno Cantuária

      Se eu fosse o DiCaprio eu faria minha própria Academia e me daria o premio. É sacanagem o que fazem com ele. Esse cidadão merecia ter ganho umas 3 estatuetas no mínimo.

      • Alex DAvila

        mas vamos lá… das vezes q ele concorreu eh que eu nao me recordo quem venceu? as vezes a outra pessoa naquele ano merecia mais ueh…

  • Rafa Silveira

    É um filme cheio de antíteses como a review expôs. Isso, na minha visão foi o melhor e o pior do filme ao mesmo tempo. Beirou o absurdo ao mesmo tempo em q foi extremamente cru e pé no chão, mas n nas horas q o espectador queria (o final poderia ter se valido mais da explosão de fúria e ter sido menos realista/contido).

    Gostei demais desse filme, DiCaprio foi visceral e mesmo sem falar muito com a boca disse muito com a expressão corporal. Só n vou torcer pra levar o Oscar de melhor filme pq gostei mais de The Hateful Eight. A briga pelo de diretor é que vai ser bonita esse ano.

  • Lucas

    Quem vocês acham que ganha Melhor Diretor? Acho que fica entre George Miller e Iñarritu.

    • Alan

      Dos que vi, Iñárritu foi o melhor diretor.

    • Natanael Lucas

      A disputa é acirrada entre os dois, mas eu escolheria Miller por ser fã do mesmo. Mas não tenho ideia do que pode acontecer na premiação.

      • Alex DAvila

        torcendo para Miller tb …

  • Bruno Cantuária

    Não adianta, DiCarprio nunca vencerá o Oscar. Ele já fez trabalhos majestosos, já demonstrou seu talento para a comédia, drama, papéis tão difíceis quanto este e mesmo assim não venceu. Mesmo a Academia premiando papéis com uma conotação física, como o do último premiado, será mais uma derrota deste brilhante ator. Tomará que esteja errado, ele merece muito mais que os vários atores que venceram com papéis como este, não por este filme ( executado perfeitamente por ele) mas por sua carreira que até este momento está intacta.

  • Raquel Alves

    DiCaprio interpreta Joseph Climber!

    • Barbosa Silvaa

      vi achei fraco,bom ator ,mas….. precisa se doar mais,uma indicação talvez…ou sei lá
      ,talvez não. filme confuso,não dá nem pra comparar com MAD MAX né
      vai levar com certeza.

      • Raquel Alves

        Não entendi o motivo do reply o.O

        • Barbosa Silvaa

          SÓ PRA TE CONHECER MESMO. rs
          tudo bem?

      • Alex DAvila

        tb nao achei esse filme tao bom qto estao falando… o filme eh bom e soh ! Oscar soh pra fotografia !

    • Natanael Lucas

      Boa referência! hahaha

  • João

    Oi Natanael Lucas como que esta a Irlanda , ja foi a Belfast ?

    • Natanael Lucas

      Oi João, já fui sim. É uma cidade linda, bem diferente de Dublin. Aliás, eu prefiro Belfest e o clima londrino do que a Big Smoke. hahaha

  • LunaB

    Como curiosidade, essa não é uma versão original.
    Há um filme de 1971 chamado Man in the Wilderness (Fúria Selvagem no Brasil), com Richard Harris, que conta a mesma história do homem ferido por urso e abandonado pelos companheiros, caçadores de pele, que fogem temendo a chegada do inverno. Aliás, essa versão antiga é ótima. Tentem encontrar e comparar com a recente.

    • Natanael Lucas

      Bem lembrado! Eu tinha visto que tinha essa opção mas ainda não assisti.

    • Alex DAvila

      LunaB… tb assisti este filme de 1971 mas achei nada ver o lance do personagem principal querer vingança! Seu pessoal nao tinha mto o que fazer , na verdade ateh tinha, poderia ter colocado ele em cima daquele barco neh rs … mas na boa, diferentemente do Regresso que realmente o Di caprio tinha motivos para se vingar do cara lá neste filme de 1971 nao tinha rs….