Midwinter of the Spirit, sobre demônios humanos

0
685

Em Midwinter of the Spirit, Merrily Watkins e a filha Jane, se mudam para o interior, após a morte do marido para recomeçarem a vida. Lá, a mãe, que faz parte de um grupo de padres e vigários que estudam a prática do exorcismo, é escolhida pela polícia para auxiliá-la na investigação de um assassinato. A vítima em questão é Paul Sayer, um satanista da cidade. Depois que se desentende com os investigadores, incrédulos, ela é chamada a um hospital, já que se torna a responsável por certo tipo de assunto. Lá, encontra Denzil Joy, paciente do hospital que todos acreditam estar possuído por um espírito mal. A partir disso, ela começa a ser atormentada por pesadelos, estranhas sensações e a certeza de que está sendo perseguida.

Midwinter of the Spirit é uma minissérie do Reino Unido dividida em três episódios, com quase cinquenta minutos cada. Ela foi ao ar a partir de 23 de setembro do ano passado e teve seu último episódio exibido no dia 7 de outubro, o que a classifica para esse projeto. A produção foi ao ar pela ITV, e é baseada em um livro do autor britânico Phil Rickman, que inclusive colaborou com a série.

Da esquerda para a direita, os atores: Ben Bailey Smith, Anna Maxwell Martin e David Threlfall. Midwinter of the Spirit.
Da esquerda para a direita, os atores: Ben Bailey Smith, Anna Maxwell Martin e David Threlfall. Midwinter of the Spirit.

A série é estrelada por Anna Maxwell Martin, conhecida por mim por ter participado da também minissérie And Then There Were None do mesmo ano. Aqui, sua personagem é interessante e inteligente, mesmo que comece naquela saga de recomeço de histórias de horror que já saturaram o gênero. Merrily é corajosa e comprometida com os seus deveres, enquanto que Anna é convincente e muitas vezes sua atuação é o que mais se destaca na série. Tentando fugir do luto e dos fantasmas de seu passado, ela encontra mais fantasmas, dessa vez ainda mais perigosos e precisa desenterrar histórias macabras da cidade.

Enquanto Merrily é interessante de acompanhar — principalmente porque adoramos acompanhar personagens inteligentes e que se esforçam para desvendar os mistérios que as rodeiam —, não podemos dizer o mesmo de sua filha. Jane é interpretada por Sally Messham. Aqui não dá para culpar a atriz, a personagem é ruim mesmo. Jane é a adolescente chata que culpa a mãe por absolutamente tudo, se isola em amizades de escolhas duvidosas e só está na trama para ficar em perigo em algum momento.

Merrily Watkins, personagem de Anna Maxwell Martin, precisa lidar com um espírito e com os planos dele em Midwinter of the Spirit.
Merrily Watkins, personagem de Anna Maxwell Martin, precisa lidar com um espírito e com os planos dele em Midwinter of the Spirit.

Siobhan Finneran (Downton Abbey, Happy Valley), por sua vez, faz uma boa participação na série, como Angela Purefoy, uma mulher rica e misteriosa, que mostra certo interesse em se tornar amiga de Jane, e é capaz de se comunicar com espíritos. Outra boa adição ao elenco é Leila Mimmack, como Rowenna Napier, amiga de Jane, mas com um passado problemático e que aos poucos se mostra bem relacionado com os eventos atuais na cidade.

Midwinter consegue relacionar bem a concepção do mal sobrenatural que temos com o mal realizado pelas pessoas. Conforme descobrimos o passado da cidade, e nos assustamos no processo, percebemos que os homens dali são tão ou mais perversos que as entidades que circulam pela floresta. Além disso, quando descobrimos as razões dos antagonistas, chegamos a pensar que é quase perdoável as escolhas que tomam em busca de vingança.

No centro, a atriz Siobhan Finneran, que é uma ótima adição ao elenco. Midwinter of the Spirit.
No centro, a atriz Siobhan Finneran, que é uma ótima adição ao elenco. Midwinter of the Spirit.

Duas coisas não favorecem muito o roteiro: na metade da história já sabemos aonde estamos indo e o que vai acontecer. Pode não ser detalhe por detalhe, mas fica a sensação de que a reviravolta não tem seu efeito porque vimos aquilo chegamos. Outra coisa é o último episódio, cujo desfecho não me agrada muito. Gosto de grandes cenas, de grandes momentos para o final de histórias de horror, daquele clima caótico, clima de cataclismo, e aqui isso não acontece.

Mesmo assim, a história é bem escrita, o mistério foi bem criado, ficando mais evidente ter sido baseada em um livro de um autor que é familiarizado com o gênero. Gosto da ideia de que os humanos utilizam tanto os espíritos para seus planos quanto os vivos são usados, o que gera um estranho ciclo de possessão. Talvez funcione melhor como livro, mas não tive a oportunidade de ler para atestar. A ambientação é boa, há momentos em que a fotografia casa muito bem com a tensão. O ritmo às vezes cai e é preciso paciência, mas nada que o faça abandonar o episódio.

Em cena: as atrizes Anna Maxwell Martin, Merrily, e Sally Messham, Jane. (Os conflitos familiares são uma coisa a se relevar na série).
Em cena: as atrizes Anna Maxwell Martin, Merrily, e Sally Messham, Jane. (Os conflitos familiares são uma coisa a se relevar na série).

Contando pouco para não estragar a experiência de ninguém, recomendo Midwinter of the Spirit por diversos motivos, desde a interpretação da atriz protagonista à forma como o sobrenatural perturba as pessoas e como o comportamento das pessoas pode ser tão assustador quanto. O final pode deixar um gosto de decepção, por ser uma história simples com ares de grande produção. Resta avisar para não ir com muita sede ao pote, e saber muito bem o que está sendo proposto como bebida.

—-

#MêsDoHorror

Esse post faz parte do projeto #MêsDoHorror que tem como objetivo falar, durante outubro, de séries de horror/mistério/fantasia que não tiveram textos aqui no SM no período de 01/10/2015 a 30/10/2016.