The Middle 8×05: Road Kill

4
408

Como unir tradição e inovação? Road Kill ensina.

Após a semana eleitoral, The Middle retorna com mais um episódio sensacional, onde todos os personagens foram muito bem aproveitados e antigos hábitos foram revisitados e repaginados com maestria. A forma como a série se apropria da sua história e utiliza de sua “mitologia” para seguir em frente, é quase que uma aula para a TV mundial, onde o tema lecionado é bem claro: assim sem faz programação de qualidade.

Novamente tivemos Axl e Brick no plot central, onde o caçula dos Hecks começa a aprender a dirigir. A sequência de Mike a Frankie desesperados com o filho a mil por hora, mesmo que curta, foi daquelas de rir alto e deixar qualquer um suando, mesmo após doze horas do ocorrido (obrigado por essa, Frankie!). Mas nada superou a derrubada da maior vaca de poliuretano do mundo, após o acidente. O estilo relaxado de Axl somado ao desespero de Brick rendeu ótimos momentos, culminando na melhor investigação já vista na TV, tudo isso graças a Nancy Donahue, sua equipe de ajudantes e, obviamente, o apropriadíssimo uniforme desenvolvido especialmente para a ocasião.

Tudo funcionou muito bem, e os elementos tradicionais que foram incluídos na trama deram o toque especial que faz desta série um achado no meio de tanto trabalho desleixado que existe por aí. O esquecimento do aniversário, a tentativa frustrada de Brick em aprender algo fora dos livros, a volta dos Glossners, a vaca, a união da comunidade por um mesmo fim (liderados por uma Nancy doce, porém, firme), tudo isso já foi visto, mas The Middle consegue transformar em algo inovador um plot que, tranquilamente, poderia ter sido repetitivo. São estes detalhes, aliados a um texto extremamente inteligente, que fazem da série um show diferenciado.

The Middle --- Road Kill
The Middle — Road Kill

Do outro lado de Roadkill, tivemos Sue, mais uma vez, na dúvida em que carreira seguir. E óbvio que a decisão teria que vir faltando apenas dois dias para a escolha e, ainda para piorar, tendo várias opções inviáveis. Num mesmo episódio, Sue foi desde a menina insegura que aprendemos a amar há anos, até atos de uma maturidade tão bem trabalhada nas últimas temporadas. A conversa com Mike foi de uma entrega ímpar e, confesso, me deixou com os olhos marejados. É incrível como uma comédia supostamente despretensiosa consegue nos mover de maneira tão forte, utilizando-se apenas de um diálogo franco entre pai e filha.

O abraço final de Sue com os pais foi daqueles que todos nós, fãs da série, queríamos estar junto, e transformar num “abração” coletivo, de tanta ternura que escorria pela tela enquanto a cena acontecia. E apesar de Frankie e Mike terem sido quase que coadjuvantes dos filhos nesta semana, suas participações e interações foram muito convenientes para estabelecer o clima necessário para Road Kill. Aliás, já nem dá mais para apontar um ou outro personagem principal me The Middle, pois os cinco Hecks são grandes protagonistas de tamanho gigantesco para a série.

> O futuro da Marvel depois de Doutor Estranho!

(In)felizmente não veremos Brick correndo pelas ruas de Orson tão cedo, mas Road Kill nos apresentou conteúdo suficiente para lembrarmos por um bom tempo. O equilíbrio entre aspectos cômicos e momentos fofos que esta semana nos presenteou, transformou um episódio que poderia ser totalmente filler em um especial. The Middle nunca teve a intenção de mudar os rumos da TV ou de ser uma comédia genial, mas, ainda assim, consegue dar aulas de como ser competente num mundo de propostas vazias e recicladas que as emissoras americanas estão acostumadas a entregar para sua audiência.

  • VALERIANA BARROS

    Adorei rever o reverendo Timtom. <3

    • João Carlos

      Foi muito bom ve-lo

  • Hélen Ívina

    Eu e meu irmão, na recepção para consulta médica, nos acabávamos de rir, estávamos nem aí se as risadas e a série estavam na maior altura, só sei que esse episódio é o clássico onde consegue rir do começo ao fim e terminar o epi emocionada pela maturidade apresentada.
    #vidalongaathemiddle

  • João Carlos

    A música que toca quando Brick e Axl estavam dirigindo foi excelente. Todo esse plot de ajudar Brick a dirgir foi sensacional.
    Deu para rir e se emocinar com esse episódio. The Middle dando lição em mutas comédias por ai.