MasterChef 7×03: Wolfgang Puck

4
63

Top 20 formado e a expectativa para a nova temporada é alta, em meio a alguns cozinheiros promissores e criativos, Christina Tosi e Gordon Ramsay tem a difícil tarefa de escolher quem será o próximo American Next MasterChef. A empolgação dos competidores parece a maior em anos de MasterChef US, entre ex-golfistas e college girls, a seleção foi bastante diversificada esse ano.

Com a saída de Graham Eliott, a produção de MasterChef US teve que pensar em alguma forma inteligente de substituí-lo. A possibilidade de fazer uma “rotação” de chefs renomados foi uma ideia audaciosa e que pode mudar a dinâmica do reality em vários níveis. Wolfgang Puck é o primeiro convidado, o chef austríaco que é conhecido na TV e até já foi premiado com um Emmy usou sua influência californiana e francesa – que o tornam versátil pra ser um excelente primeiro judge convidado – com destreza e simpatia.

O primeiro desafio de Mystery Box foi muito bem pensado. Com a já fadada “humilde” batata, poderiam ter saído inúmeras receitas para os candidatos elevarem com certa facilidade. Além da variedade de batatas, a pantry limitada tinha os complementos ideias para ajudarem a ressaltar a estrela do prato. Obviamente a produção também ofereceu ingredientes que sabotariam qualquer prato, onde o candidato que não sabia bem o que fazia logicamente ia cair na armadilha.

img1

Às vezes o incentivo de um grande chef pode ajudar na escolha da receita, porém a execução sempre vai ser diferente com a assinatura pessoal do candidato e isso pode dar errado. Com esse desafio da Mystery Box, não deu para deixar de relembrar o prato italiano de batatas do Luca na S04, aquela seria uma ótima receita para apresentar aos judges.

Barbara resolveu investir na receita do chef Puck, quando mostraram seu prato no processo parecia um front runner. Já a proposta de Nathan foi um pouco mais simples, mas que poderia funcionar extremamente bem, só que a falta de experiência do jovem candidato foi evidente na hora da execução do prato. O diferencial da couve flor no purê de batatas fez uma combinação interessante e fora do comum, o prato de Nathan era realmente promissor.

O gnocchi de Shaun foi uma ideia clássica com um twist que é a batata doce, mas a concepção que não é de difícil execução ou elevação foi uma escolha inteligente pra arriscar na prova; só que era evidente que ele não conhece o mínimo de comida italiana, porque seu gnocchi era mais um ravióli. A tortilha espanhola de Andrea também foi uma ideia clássica que poderia ter um turn interessante, sua criatividade em tentar três tipos de batata foi muito bem pensado.

Contrapondo as excelentes escolhas de certos candidatos, também tiveram falhas de alguns. Um exemplo foi a de Cassie que esqueceu da batata ao escolher um new york strip steak que com certeza ia ser o destaque do prato que era pra ter a batata como carro chefe. Outras escolhas foram péssimas, mas nenhuma superou em má ideia a dessa candidata.

Chegando nas avaliações, os três piores não surpreenderam porque estavam simplesmente péssimos no mise en place. O de Nathan apesar da ideia ter sido interessante, ele não fez uma boa execução e o resultado final foi medonho. Cassie mereceu o seu lugar no bottom, ela não soube valorizar o ingrediente e ainda por cima sequer pensou em um prato que harmonizava. Completando o bottom da Mystery Box, o competidor mais velho levou o prato mais comum entre eles. Bill e sua panqueca de batata doce com bacon conseguiu transformar a cozinha do MasterChef em um dinner de qualquer cidade americana. A eliminação de Cassie foi a mais coesa, as escolhas dela foram totalmente equivocadas.

Prosseguindo com o ganhador do desafio, Andrea mereceu demais com o seu three way de batatas que foi elevado e realmente celebrou o ingrediente principal. A decisão de Andrea com sua vantagem foi curiosa, mas só tem como realmente saber se foi estrategicamente interessante mais para frente.

img2

A segunda prova foi uma surpresa, logo no começo da temporada Gordon e Christina vão degustar uma réplica de um dish do grande chef escocês. A demonstração foi empolgante, o prato para a réplica foi a escolha perfeita pra filtrar os candidatos e mostrar quem consegue trabalhar bem os ingredientes e harmonizar o sabor com a organização e o tempo para servir o resultado final.

Em um desafio onde o paladar foi o fundamental, muitos candidatos já erraram ao selecionar os ingredientes. Alguns escolheram o robalo que tem uma consistência diferente do halibute, outros escolheram cenouras que tem o gosto totalmente diferente da batata doce. No geral ficou bem dividido, com performances boas e ruins, o highlight foi com Terry, enquanto Dan apresentou um prato lamentável.

O top 2 com Terry e Nathan não pareceu tão justo. Com certeza Terry deveria ter sido o winning dish, mas resolveram começar cedo com o favorecimento do underdog e não teve como não premiar Nathan. Já o bottom com Bill e D’Andre foi previsível, a falta de paladar de Bill foi uma completa desvantagem com ele entregando aquele prato sem vida que passou longe da concepção de Gordon ao criar esse dish premiado. D’Andre entregou um prato absolutamente mal feito, apesar disso Bill foi pior por errar ao esquecer de certos ingredientes chaves para a composição do prato.

Por enquanto nada pode ser considerado absurdo, as eliminações foram merecidas; apesar de que D’Andre e Nathan seriam facilmente equivalentes aos eliminados. Já é interessante observar Andrea que venceu o primeiro desafio, isso é sempre um bom presságio, vide Courtney. As ideias para as novas provas nunca ficam cansativas, as duas foram excelentes e conseguiram mostrar um pouco mais da habilidade – ou falta dela – de cada um dos candidatos. Os chefs Ramsay e Tosi têm muito a decidir pela frente, mas certamente boas opções não faltam.

White Apron 1: a atitude de Dan é irritante, se fosse pra julgar por personalidade ele não iria longe. Pela culinária também.

  • Gleibson Acácio

    Dan vai levar muita mijada do Ramsay ainda kkkk.. epi foi bem legal, quem dera a edição brasileira fosse dinamica assim… adorei os reviews com fotos, espero que continue!

  • Gleibson Acácio

    Dan vai levar muita mijada do Ramsay ainda kkkk.. epi foi bem legal, quem dera a edição brasileira fosse dinamica assim… adorei os reviews com fotos, espero que continue!

  • O Dan pede pra tomar traulitada….nem preciso torcer muito pra sair porque vai cair uma hora ou outra.
    Sem enrolações Cassie e Bill dão adeus. E como a primeira fase pode enganar né?! Bill com esses dois pratos claramente está no lugar errado! Desastre! Você nem devia estar aqui, querido!
    Adorei a participação de Puck e gosto que o MasterChef muda a dinâmica já na sua sétima temporada. É necessário e crucial para o show.
    Ramsay cozinhando é sempre fantástico. E o mais legal é que ao invés da técnica e a velocidade serem os problemas para os participantes, temos ainda o dilema dos ingredientes hahahhaha Como não amar?!
    Já quero Tosi destruindo nas desserts.

  • O Dan pede pra tomar traulitada….nem preciso torcer muito pra sair porque vai cair uma hora ou outra.
    Sem enrolações Cassie e Bill dão adeus. E como a primeira fase pode enganar né?! Bill com esses dois pratos claramente está no lugar errado! Desastre! Você nem devia estar aqui, querido!
    Adorei a participação de Puck e gosto que o MasterChef muda a dinâmica já na sua sétima temporada. É necessário e crucial para o show.
    Ramsay cozinhando é sempre fantástico. E o mais legal é que ao invés da técnica e a velocidade serem os problemas para os participantes, temos ainda o dilema dos ingredientes hahahhaha Como não amar?!
    Já quero Tosi destruindo nas desserts.