Luke Cage 1×12: Soliloquy of Chaos

8
1180

O começo do fim da temporada vem morno, quase frio, torna-se redundante dizer que as ações dos vilões da série transparecem mais coerência do que as escolhas do protagonista. O que também prejudicou bastante a dinâmica de Luke Cage é a forma como o penúltimo episódio é dirigido e roteirizado. O rap do amor à prova-de-balas a esta altura do campeonato cria uma pausa desnecessária na trama que ilude a motivação do telespectador na narrativa.

O tributo ao grupo Wu-Tang Clan com a participação especial de Method Man durou 7 minutos, mas não se encaixou como deveria em “Soliloquy of chaos”, parecendo aquelas cenas deletadas que vêm com o box da série. É interessante a crítica social presente na letra do rapper Johnny Blaze, assim como o argumento de que Luke ser à prova-de-balas vem em segundo lugar, antes disso ele é negro. A composição ainda coloca Luke Cage como o herói de aluguel que cuida dos problemas do bairro e o compara aos vingadores, especificamente ao Homem de Ferro, que lidam com ameaças em grande escala.

Não é tarde demais para Luke Cage descer a porrada
A vingança é minha!
A vingança é minha!

O tiroteio em Harlem’s Paradise fez Kid Cascavel se afastar de todos os seus parceiros comerciais, porém o vilão tem um Straight Flush na manga. É incrível que todos os planos de Willis dão errado, Mariah, Shades, Turk e até os mexicanos contrariam as intenções do irmão perturbado de Luke. A surpresa para nós, é Stryker aparecer vestido de “stormtrooper cafetão” para o embate final e para desespero geral de Harlem, Diamondback também é à prova-de-balas. Tirando o capacete, o estranho traje é semelhante a vestimenta setentista do vilão presente nas duas primeiras HQs de “Luke Cage, Hero for Hire”.

Se em “Now you’re mine” Claire chamou a atenção com sua coragem e postura, dessa vez quem tem um desempenho digno de aplausos é o antagonista, Shades. Theo Rossi detonou com uma interpretação serena e maléfica. Haja sangue frio para passar por um interrogatório, uma tentativa de estrangulamento e ainda ter tempo de articular ao lado de Mariah a contratação de Luke Cage para um trabalho que beneficiaria a todos. Sem dúvida, Shades é um dos personagens mais marcantes desta primeira temporada.

Sweet sister!
Sweet sister!

A fuga de Luke do camburão foi grotesca e ressaltou os clichês do personagem, que Claire sempre fala, desde a conversa dos condutores até a vista grossa do policial que enxerga os heróis como uma evolução positiva para a sociedade. No entanto, o protagonista tem sobre si o peso de se firmar como escudo de Harlem e para isso, precisa passar por cima dos criminosos que desejam eliminá-lo e das acusações que têm sobre si. A lição de casa ficou para a season finale.

O balanço para o final da temporada de Luke Cage não é dos mais otimistas. Diferente de Jessica Jones que começou devagar e engatou na metade final da temporada uma boa dinâmica narrativa, Luke Cage iniciou sua jornada com vitalidade e aspectos inovadores para o universo urbano da Marvel, porém as irregularidades verificadas a partir do oitavo episódio podem comprometer a finalização. A carruagem ainda está andando, vamos ver como o vento vai soprar.

Até Stan Lee aparece para ver se Luke Cage melhora na reta final
Viu um crime? Relate para o gênio dos quadrinhos. Stan Lee!
Viu um crime? Relate para o gênio dos quadrinhos. Stan Lee!
  • carla machado

    Pena da barbearia que tinha acabado de ser reformada…

  • fbiocampos

    Esse Kid Cascavel estragou a série preferia o Boca de Algodão, bem mais carismático que ele.

  • Leonardo Rozzetto

    Sinceramente, não consigo vislumbrar os inúmeros defeitos apontados pelo ilustre responsável pelo review da série. Mesmo não concordando com alguns rumos que a série tomou a partir do sétimo episódio, a segunda metade da temporada está longe, muito longe de ser a bosta que o reviewer insiste em alardear… inferior à primeira metade, sim, mas de forma alguma ruim; ao contrário, achei o season finale bastante satisfatório e condizente com o enfoque narrativo da série…

  • Helio CJ

    Eu realmente aprecio entrar no site e ler as inúmeras reviews das várias séries ao que o site se dispõe a vislumbrar, mas esta review do Luke Cage está um pouco aquém do esperado.

    A primeira impressão que tenho do reviewer é que este está meio por fora da história de Luke Cage nos gibis. Luke não é um herói, no significado literal da palavra. Assim como a série mostrou, Luke era um cara normal, que só queria seguir sua vida normalmente. Alguém que é “colocado” no meio de tanta coisa, sem passar por nenhum tipo de treinamento, acaba por fazer coisas clichês (diga-se óbvias). Com o passar do tempo, ele vai adquirindo experiência e os clichês vão sendo deixados de lado, mas alguns, ainda sim, se tornam marca registrada de Luke Cage.

    O foco da “fuga do camburão” só demonstra o quanto Luke é, obviamente, inexperiente e assim como um recém-herói-em-formação, acaba por agir no impulso e sem analisar o que o cerca. Aliás essa falha, que acompanha o Luke em várias edições, acaba por se tornar uma de suas principais qualidades.

    A série é perfeita? Claro que não. Mas eu penso que escrever uma review ou algum tipo de crítica sobre qualquer assunto, seja boa ou ruim, exija que o escritor tenha um pouco mais de conhecimento do que as várias pessoas que vão ler o texto. Deve-se imaginar que várias pessoas nunca viram a história de Luke Cage. Os que conhecem a história, simplesmente vão ignorar a review, mas vários outros, como já vi em outras reviews, preferem ler o que o site “seriemaniacos.tv” achou da série, pois eles nunca ouviram falar, antes de assistir.

    Escrever uma review de uma série como estas da Marvel/Netflix é uma tarefa um pouco mais exigente. Portanto se inteirar sobre o assunto é essencial nesse caso.

    Luke Cage trouxe para as telas, a essência do que está nas primeiras edições do gibi. Afinal esta primeira temporada só mostrou o nascimento do herói que iremos conhecer como Luke Cage no futuro. A produção está com a qualidade que todos já conhecem da Netflix. Se tem falhas? Claro que sim. Mas se você procura por diversão, prepare uma pipoca e um refrigerante para maratonar esta série, vai valer cada minuto! Várias citações vindas diretamente dos gibis, várias conversas e dicas já abrindo espaço para a introdução dos Defensores, assim como uma breve indicação sobre o Punho de Ferro (não vou falar nada para não dar expoiler).

    Espero que as próximas reviews das séries da Marvel, que estão por vir, tenham um pouco mais de experiência na escrita (vide a excelência das reviews de Arrow). Acredito que o leitor queira se divertir ao ler as reviews e não se desanimar.

    • Leonardo Rozzetto

      Concordo em gênero, número e grau. É visível a má vontade do reviewer com a série e com o personagem, super-dimensionando os (poucos) defeitos em detrimento das (inúmeras) qualidades da série.

    • Luiza Mota

      Por mais que seja interessante a visão de um crítico que conheça o material original, esse conhecimento não é imprescindível nem para críticos nem para espectadores. Independente do que veio das HQs, o que está sendo analisado é o que a série está nos apresentando. Na verdade, acho isso positivo, já que muitos tem dificuldade de diferenciar a adaptação do conteúdo adaptado — me incluo nisso quando tenho esse tipo de conhecimento. Não falo especificamente de quem tem feito as reviews de Luke Cage, mesmo porque Tiago Vaz fez inúmeros apontamentos aos quadrinhos em outras reviews da série.

      Tenho tido problemas com Luke Cage desde o início por diversos motivos e cheguei ao fim da temporada me arrastando. Vejo menos méritos ainda na série do que o Tiago Vaz, mesmo que eu tenha assistido de coração aberto e pronta pra amar essa série. Mesmo assim, entendo que outros tenham gostado dela seja porque tinham diferentes expectativas ou porque têm gostos diferentes. Enfim, não acredito em uma crítica que seja ruim apenas por ir contra ao que eu penso.

    • carla machado

      Helio, eu gostei de Luke, mas a série tem defeitos gigantes e é super clichê, sim. Quando se aponta defeitos que particularmente lhe desagradaram , não significa que vc não gostou da série/episódio.
      Acho que vc não tem lido as reviews anteriores do mesmo reviewer, ne? O reviewer já demonstrou que gostou muito da série E QUE CONHECE as HQs.
      É exatamente por gostarmos tanto que criticamos pra melhorar.
      E mais uma vez: a review lida não tem que ser o que você acha, é apenas uma opinião de uma pessoa.

    • Discordo totalmente, Hélio. A review do episódio precisa ser unica e exclusivamente do episódio. O escritor não precisa ter nenhum conhecimento prévio do personagem, assim como o telespectador também não. O tipo de informação que você procura é mais adequada a um fã site do que a um site de críticas de várias séries de gêneros diferentes. O Tiago só tem um único compromisso: analisar o episódio e pontuar as suas impressões. Se o Luke da série é idêntico ao dos quadrinhos, ou se ele faz uma alusão a primeira fase do personagem, isso não faz diferença nenhuma. O que está sendo analisado aqui é o episódio da primeira temporada de Luke Cage. Simples assim. Você como leitor pode encontrar diversas justificativas para determinados assuntos do episódio, mas isso é para você que é leitor. Quem está interessado apenas no episódio, vai se ater apenas ao que está acontecendo na série e quem quiser conhecer mais, irá procurar uma revista para ler.