Luke Cage 1×05: Just to Get a Rep

20
1322

“Guerras se lutam com armas, mas são vencidas com homens”

– Steve Rogers

A temporada de Luke Cage cresce a cada episódio e a pausa para contar a origem do personagem se fez necessária tanto para os fãs do herói como para o simples telespectador que tem a possibilidade de imergir na mente do protagonista. A partir de agora, a narrativa tende a nadar de braçada ou pode afundar de vez no oceano estafante da criatividade, mas oxigenado ou submerso, creio que aportar é questão de honra como série maníaco.

E fica menos cansativo maratonar a série com a qualidade da trilha sonora que a acompanha. Jidenna salvou o início do episódio com o “ensaio” no Harlem’s Paradise. “Long live the chief” é a canção perfeita para retratar o atual momento de Boca de Algodão, o vilão está falido e não está afim de ouvir os conselhos de Shades. A forte canção acompanha um momento mega forçado da busca de Luke pelo pote do palavrão do Pop entre os escombros do restaurante chinês e de quebra, Misty encontra a foto de Reva.

Em meio a detetives e sargentos corruptos, o retrato evidente é de uma Harlem abandonada e bem diferente dos sonhos do falecido Henry. A partir das decisões apressadas de Cornell para levantar dinheiro, assistimos a repaginada no visual que faz Lemond Bishop se aproximar do Herói de Aluguel dos quadrinhos.

Marvel's Luke Cage
Marvel’s Luke Cage

Zip, para o alto e avante!

Agora, a população local conhece a fama de Luke Cage e sabe onde encontrá-lo. Isso, ao mesmo tempo o transforma em um amigo da vizinhança, mas involuntariamente afasta o personagem do estereótipo de super-herói ao qual nós, como telespectadores, estamos acostumados, sem a proximidade de se encontrar na barbearia da esquina. Apesar de vazia, a construção das cenas em que o povo clama pela ajuda de Cage mesmo sabendo que foram afetados pelos capangas de Boca de Algodão, ressalta o senso de justiça do protagonista e dá oportunidade de Luke nocautear alguns inimigos.

A Bala de Judas pode parar nas mãos de Boca de Algodão e isso me deixa mais aflito do que Zip se sentiu estando a alguns metros do chão. Kid Cascavel é citado novamente para ajudar Cornell, mas Shades deixou claro que na situação econômica de Boca de Algodão, Harlem teria um novo dono. O fato do novo armamento possuir um material alienígena do “Incidente” é uma ameaça não somente a Luke Cage, mas a todos os defensores, vingadores, inumanos e demais grupos de super-heróis.

A guerra decretada contra Luke Cage nos leva ao funeral de Henry Hunter, onde a luta entre o protagonista e o seu rival se torna ideologicamente pública. Os discursos foram coerentes e assim como a interpretação de Mahershala Ali e Mike Colter, dispensam críticas. Porém, Drummond já dizia que lutar com palavras é a luta mais vã e afirmo que os aplausos de pé que Luke recebeu ao final de seu discurso fizeram Pop se revirar do caixão. Assim como o episódio, este epitáfio não foi merecedor de tantos elogios. Long live the chief!

Marvel's Luke Cage
Marvel’s Luke Cage

Harlem não é à prova de balas, será que Luke ainda é?

  • Ricardo

    Esse episódio teve uma citação a Johnny Blaze, o Motoqueiro Fantasma original.

    • Flavio Batista

      onde? passei batido dessa…

      • Ricardo

        Na cena em que o Zip está com os capangas organizando as armas e o Cage
        chega e eles saem correndo. Zip diz que pegou as armas de um cara
        chamado Johnny Blaze

        • Flavio Batista

          Caracas, eu achei q tinha ouvido um nome familiar mas nao me liguei haha

        • Flavio Batista

          Valeu, mano!

    • Tiago Vaz

      Sério? Não reparei nessa referência, mas gostei de ver Claire abrindo o coração pra Sonia Braga sobre ajudar os heróis. Ela será o Fury que vai unir os Defensores.

      • Ricardo

        Na cena em que o Zip está com os capangas organizando as armas e o Cage chega e eles saem correndo. Zip diz que pegou as armas de um cara chamado Johnny Blaze!

        • Tiago Vaz

          Isso acontece apenas no início do episódio 7.

    • Clark Jornalista

      A citação na verdade é de John Blaze, uma música de Fat Joe.
      Também me empolguei na hora, mas fui pesquisar.
      Ele diz “Nível John Blaze”, querendo dizer que é da melhor qualidade.
      Até porque Johnny Blaze JAMAIS traficaria armas.

      • Tiago Vaz

        Nada como o jornalismo investigativo. Obrigado.

      • Ricardo

        Putz. Então foi uma citação perdida! :'(

  • carla machado

    Achei o discurso na igreja meio forçado demais..Acho que eu queria mais ação mesmo!!
    Eu estou gostando muito de Mike Colter, que neste episódio, ele de terno lindo, matamos a saudade de Lemond Bishop!!

    • Tiago Vaz

      Também queria mais porrada e menos blablabla. Bishop is back!

  • Raquel Alves

    To super envolvida com a série, a cada episódio me ganha mais. No início não tava gostando nada do vilão, mas do 3 em di3 deu uma boa melhorada. Melhorou também, e muito,a atuação do Mike Colter. As expressões dele que pareciam forçadas, se tornaram mais naturais.
    Ele lindo de terno lembrou Lemon Bishop. Sdd

    • Tiago Vaz

      Verdade, a artificialidade de Colter foi sumindo no decorrer da temporada.

  • Helon Ferreira Souza

    Nossa a série é legal.. mais tem muitas brechas..
    tem hora que dá raiva ver a série … ela tenta brincar com a minha inteligência.. as vezes ficar dificil sentir a empatia e me entregar..

    tem hora que eu vejo umas cagadas .. que me faz sentir raiva de história de super herói.
    hora que tem hora que parece novela mexicana de tanto Melodrama.

    netflix ajuda a gente coloque um pouco mais de seriedade e mostre o lado mais negro dos heróis pq, todo mundo tem um lado negro até mesmo os heróis.

    me comprometi a ver até o fim, espero que ela melhore.. é só a primeira temporada.

  • André

    Gostei do episodio principalmente pelas cenas do Luke recuperando os objetos roubados e claro a chegada da Claire < 3
    Acho o Shade muito foda,nâo sei se é o personagem,o ator ou como ele se veste aha
    To gostando muito mais dessa temporada do que a primeira de Daredevil

  • Rafael Martins

    Mike Colter não convence como Luke Cage — sorry! É um ator fraco, mediano e sem camadas emocionais; é raso nas expressões (desse Jessica Jones). Se não fossem os antagonistas e os amigos do herói, a série seria um completo fracasso. Os melhores personagens são a doida da Mariah — que parece ter roubado a peruca da Annalise Keating –, a Claire Temple, Shades, Diamondback e Cottonmouth.

  • Daniel Tartaglia

    Gostei dos discursos na igreja.

  • Gabriel

    O q me deu raiva é q o Luke tava frente a frente com os vilões que mataram/tentaram matar várias pessoas q ele conhecia, e ele n dá nem um soquinho neles. Td bem q matar pode ir contra o código dele, mas custava nada dá umas porradas