Lucifer 2×08: Trip to Stabby Town

6
541

A paixão de Lucifer pela humanidade em Trip to Stabby Town.

A figura cristã do Diabo foi construída para causar pavor, pânico e aversão àqueles que por algum momento sentiram-se tentados a qualquer “pecado”. A imagem dele (em relação as facetas) foi constantemente alterada dentro do cristianismo. No início a cor de pele do Anjo da Morte era azul e não tinha chifres. Na bíblia judaica, por exemplo, ele é tratado como um subordinado de Deus, e não o seu verdadeiro adversário. Mas foi na Idade Média que a figura do Diabo ganhou representações mais tenebrosas, justamente para os seguidores refletirem e lembrarem que era perigoso pecar, pois no final da vida ele estaria lá no Inferno, esperando de braços abertos para os torturarem eternamente. Mas dentro de todos os cenários possíveis, o mais abordado (e aceito) é de que a figura de Lucifer resume-se apenas como um anjo rebelde. Ele teria – em palavras mais simples  – viciado no poder garantido por Deus e se imaginado no lugar Dele.

Agora vamos falar de Lucifer Morningstar: o rapaz que por alguma razão cansou de ser o Diabo e começou a viver uma vida ordinária em Los Angeles. Ele pode ser (dentro de todas essa figuras possíveis) apenas uma criatura que compreendeu a principal criação e apenas nos enxergou como parceiros, e não almas submissas… Seria isso o motivo da revolta divina? O engraçado é que a série consegue captar diversas questões dentro do cristianismo, e indagar todas da forma mais carismática possível.

Agora, é inegável que a segunda temporada de Lucifer está levemente acima do que foi apresentado no primeiro ano. Antes o roteiro explorava o conflito individual de Lucifer versus “A vida que ele renegou ter”. Agora a narrativa conseguiu ampliar esse leque para caminhos que se analisados brevemente são promissores perto das falhas que o show apresentou até agora. O que estou dizendo é que a série chegou num patamar que não importa se alguns erros apareçam, os detalhes que envolvem os personagens estão compensando demais e transformando a vida de Lucifer numa odisseia moderna e digna de aplausos. A começar pelo caso da semana que a cada episódio está cada vez mais conectado com o drama familiar de Lucifer e isso me anima e muito!

Tirando toda novela que envolve o nosso protagonista, “Trip to Stabby Town” foi divertido e trouxe ótimos momentos para enriquecer Ella e sua presença no elenco está sendo ótima para explorar ainda mais cenas de crime. Sem falar que é revigorante ver ele interagindo com outra pessoa cética mas com uma fé diferente de Chloe em relação ao mundo. A química foi tão boa que até mesmo a parceria profissional sentiu um ciúme involuntário…

Lucifer --- Trip to Stabby Town.
Ella e Lucifer, um possível triângulo amoroso? Lucifer — Trip to Stabby Town.

Querendo ou não o fato é que Lucifer está cada vez mais conectado com a imprevisibilidade da vida humana. E até que faz sentido. Expulso de casa (Paraíso) pelo Pai, levado para um lugar que nunca escolheu viver (Inferno), ele agora vê na Terra o lugar exato para chamar de casa. Foi refrescante analisar a vida do Diabo dessa forma, principalmente depois de vários episódios focando em bombas emocionais. Trip to Stabby Town acertou em colocar a Adaga (Lâmina?!) na mão de inocentes que por magia divina acabavam sedentos por ódio. E a partir daí construir todos os casos investigativos no qual Chloe tentava compreender, mas com Lucifer sempre um passo a frente. Essa dinâmica é algo que se mantido dessa forma pode render mais roteiros divertidos como foi com esse.

Resumindo, Trip to Stabby Town foi o tipo de episódio que anexou detalhes bem importantes para o desenvolvimento da temporada e seria um pecado enorme não citar pelo menos alguns deles: a equipe Maze/Amenadiel lavando roupa-suja no meio de uma investigação; a maior clareza da Dra. Linda com a terapia de Lucifer; as desconfortáveis conversas do protagonista com a mãe e por último o invisível romance entre Lucifer e Chloe. É até estranho concluir que para um seriado em que o Diabo trabalha como detetive civil tenha acumulado tantos pontos positivos até agora. Sem falar que o show conseguiu até agora manter certa expectativa sobre onde toda essa perambulação com eventos imprevistos irá levar. Assim como Lucifer está se apaixonando pela humanidade, cá estou eu – depois de tantos episódios –  apaixonado por ele.

> O futuro da Marvel depois de Doutor Estranho!

PS1: Fiquei totalmente perplexo com o papo sexual entre Lucifer e Charlotte. 

PS2: Dra. Linda louca para saber o que Lucifer fez com Hitler no Inferno. Quem nunca?

PS3: To amando essa fase compreendida da Dra. Linda. Quero mais. 

PS4: A série recebeu ordem de temporada completa pela FOX então já é um bom sinal. Ainda teremos Lucifer pelos menos até o início de 2017! o/

  • Márlon Cardoso

    Melhor review!! Amei…Concordei plenamente!! *________*

    • Natanael Lucas

      Obrigado!

  • Andre Ramos

    Eh a serie mais leve e divertida do momento!! A cena de Ella e Lucifer foi impagável. Nao conseguia parar de rir.

  • nathitah

    E a piada com o Trump? ele ainda não morreu, mas com certeza vai pra la!

  • Marcelo

    Dra Linda eu escolhi te amar <3

  • Carolina Alvarenga

    Nossa eu acho a doutora tão chata e desnecessária na série. De resto a química do ator com o personagem é excelente