Justiça 1×11/12: Episódios #11 e #12

19
1816

“É a ordem natural. Deixar pra lá, não falar do assunto”

Atualmente nossa sociedade vive o debate da igualdade de gênero e da defesa dos direitos da mulher. Temos na história de Debora, uma história forte, carregada de nuances que nos fazem refletir sobre os traumas que uma pessoa que sofreu estupro tem de carregar por toda sua vida.

Por mais que vejamos o estupro como algo abominável, não temos, de fato, a dimensão do quão cruel ele é. Não é só questão do corpo violado, mas toda sua psique e aspecto social. E é isso que não entendemos. Como Debora disse para Marcelo, o certo a se fazer é enterrar o assunto, esquecer tudo aquilo, que tudo irá desaparecer uma hora ou outra, pois ninguém quer ouvir sobre. A fala de Marcelo da semana passada “tragédias acontecem”, querendo ou não, é o que no fundo muitos pensam, infelizmente, e isso acaba inibindo várias mulheres de falarem como se sente acerca desse ato tão cruel.

Debora deixa bem claro que não existe nada que a faça esquecer cada momento, que ela tem que conviver com aquilo todos os dias da sua vida. Mas levanto a questão: Será que fazendo a justiça, como ela diz que quer fazer, vai realmente consertar tudo?

Nessa busca por Justiça, vemos a vida de Debora afundar cada vez mais. Seu casamento começando a se desfazer, sua vida social e até mesmo seu emprego. E se antes eu tinha uma aversão a apatia de Marcelo, agora eu começo a questionar se ele não tem de fato razão.

Mesmo depois de tudo que aconteceu, será que vale a pena ir atrás do criminoso em busca de justiça? E quando achar, o que fazer? Não estou dizendo que não deveriam achar e prender quem comete tal crime, mas para Debora já está virando uma obsessão, de forma que até Rose está começando a questionar se realmente aquele é o melhor caminho.

A cena do espancamento foi muito gostosa de se ver, pois ali temos a questão da justiça com as próprias mãos, e vemos que é tão falha quanto a justiça de fato. Mas uma coisa que eu não entendo, é o fato de Debora levar um bandido para dormir em casa. Por mais que ela se sentisse culpada, a atitude, ao meu ver, foi um tanto quanto exagerada.

Já com Rose, temos a formação de um triângulo amoroso, entre ela, Celso e Kellen. Que ao meu ver, pode acabar de duas formas, ou sendo um romance “água com açúcar”, ou ter “tiro, porrada e bomba”.  As duas já deixaram bem claro que não vão desistir dele, ao passo que ele também já deixou claro que quer a Rose.

Kellen já mostrou que pode ser uma mulher perigosa, manipuladora, e Rose já se mostrou que tem peito para enfrentar qualquer situação, já anseio por um embate entre as duas.

Outra coisa que eu gostaria de saber como vai ser conduzida é a história da criança que Rose tirou da cadeia, pois ela está constantemente observando a criança. Se eu for dar um palpite, eu diria que no final das contas, Debora que irá adotar essa criança. Isso claro, se as histórias tiverem um final feliz.

justica12

“Tu quer justiça, ou prefere um cheque?”

Olhando os comentários das semanas anteriores, vi alguém comentar que Maurício era a Emily Thorne da série, e se formos olhar direito, tudo está quase virando um Revenge, só que sem o glamour do Hamptons e da Victoria.

Todos os personagens têm um quê de algum personagem da série supracitada. E pode ser impressão, mas é a história que eu vejo mais caricata e a que eu menos consigo sentir empatia.

Novamente a história focou em outro personagem, que não seja Maurício.  A história foi praticamente focada em Antenor e sua família, que só serviu para mostrar o quanto Antenor é egocêntrico, egoísta e sem escrúpulos. O que Fátima tem de caráter, Antenor não tem um grama.

Já ficou bem nítido que tudo o que importa para ele é vencer as eleições, mas ele não consegue ver que sua família é o problema por conta do patriarca. Ele julga e aponta o dedo para os outros, mas não percebe que todas as falhas que todos os outros personagens apresentam é por conta das atitudes que ele tem.

A cena dele com Vanessa foi de embrulhar o estômago. Eu não conseguia falar nada, apena ficar chocado com tudo que acontecia. Mesmo diante de todo estrago causado, ele ainda acreditou que poderia comprar Vanessa de alguma forma, de uma maneira que Teo sairia impune, e ela “tocasse a vida dela”. Ver tudo que aconteceu com Vanessa, e observar que tudo ficaria do mesmo jeito deu um sentimento de revolta, pois não foi uma simples brincadeira, já que ela poderia ter morrido e acabou perdendo um dos membros do seu corpo. E o mais revoltante não é tanto Antenor oferecer, mas sim Vanessa aceitar. Ou seja, tudo em nossas vidas pode se resolver com dinheiro (#sqn).

Outra coisa que me frustrou nesse episódio foi toda a trama de Kellen. Se na semana anterior ela dominou, essa semana ela se limitou a ser uma mulher dominada pelo ciúme. Por mais que isso possa render ainda mais na história, acabou tirando um pouco da força da personagem.

O encontro de Rose com Mayara foi outra coisa que me deixou com cara de “é só isso?”. Eu esperando uma aliança entre elas para acabar com Kellen, e acabou que não passou de uma cena onde Mayara queria saber um pouco mais sobre Rose. Eu não sei o que esperar dessas duas, já que uma quer tirar Kellen da jogada para ficar com Celso, e a outra quer destruir a sua “patroa”.

O grande destaque foi Maurício mudar os planos de vingança, que invés de matar Antenor, vai atacar onde lhe dói mais. Ele seduzindo Vânia para conseguir descobrir os segredos de Antenor foi bem inteligente, só me pergunto como foi que Vânia não o reconheceu, já que ele estava bem próximo de Antenor no dia do pronunciamento depois do acidente.

E por falar em Vânia, que personagem deliciosa. Por mais que o seu papel seja ser enganada por todo mundo, Drica consegue passar a imagem de uma mulher negligenciada, carente, que é amargurada e infeliz com seu casamento. E justamente por notar essa carência, que Maurício a usou para colocar seu plano em prática. E eu concordo com ele, a pessoa pode sofrer muito mais em vida do que com a morte.

PS1: Morri de rir com as garotas desejando Maurício.

PS2: Los Hermanos como trilha sonora oficial de Justiça

PS3: Diogo está voltando para assumir as reviews.

PS4: Obrigado pelo feedback, pessoal

  • Baárbara

    Acho que um dos principais motivos de a trama do Maurício fica bem prejudicada no desenvolvimento é ser a última. Toda semana, o capítulo de sexta é usado para fechar as pontas que ficaram soltas na semana e isso faz com que sobre menos tempo para a história dele.
    Exemplo: Mayara visitando a mãe e depois no quiosque. Pelo menos até agora, essas duas coisas não dizem nada na trama do Maurício.

    Quanto à Débora, eu só conseguia pensar que ela surtou. E ia ficando cada vez pior.
    Também me ocorreu que a história dela está ficando bem dramática, mas me dá a impressão de que a atriz não é tão expressiva quanto a Adriana.
    Adriana imprime tanta coisa só com o olhar que, qualquer bronca nos filhos vem com uma carga enorme de sentimentos e expressões.

    Outra que está me chamando a atenção pelo olhar é a Rose. Cada vez que ela se sente ameaçada, o olhar dela muda, o nariz empina, ela parece estar tentando se impor. Esse olhar só não aparece com Débora e Celso, mas o notei na conversa com Kellen, assim que a mãe da Débora mencionou o estupro e também quando Mayara começou a falar de Kellen. Quando o assunto entra em zonas que a ameaçam, ela muda de postura imediatamente.
    Ótima atuação da Jéssica Ellen (apesar de eu nem estar gostando do desenvolvimento da história delas).

    • Iury Viana

      Eu não acho que a questão da história de Maurício é pq ela é a última. Mas é a que se sustenta em uma premissa mais fraca. O roteiro parece meio preguiçoso, meio parado, desde primeiro dia foi assim. E é tão de um jeito, que tem muita coisa que poderia acontecer nas outras histórias, mas que acaba indo pra de Maurício porque ela não tem o que contar, no meu ponto de vista.

      Obrigado por comentar.

      • Baárbara

        Concordo que a história dele é mais simples e “preguiçosa”.
        Mas eu fiquei com essa pulga: será que foi proposital? Ou será que, na hora de escrever, depois de desenvolver tanta coisa, a de sexta ficou mais “fuén”, pq ela estava preocupada em fechar as outras e o Mauricio acabou ficando só como pano de fundo?
        Outra opção que me passou muito pela cabeça foi: inegavelmente, Cauã não está dando lá aquela carga dramática na coisa, neh?
        Será que, na hora da edição, foi o que deu para fazer com o que eles receberam?
        Sei lá… Essa serie me traz muitos questionamentos e nenhuma resposta rs.

  • Caio Vinicius Viana Lima

    Dar lanchinho pro cara que vc mandou espancar por engano tudo bem, agora deixar ele dormir na sua casa e com a porta do quarto aberta:
    Assim não tem como te defender amiga….

    Antenor, Kellen e Vânia salvaram o episódio de sexta, parece que todos são protagonistas menos o Maurício kkkkkkkk.

    Eu vi umas teorias muito lokas dizendo que a Rose tá secretamente se vingando da Débora e que a Elisa vai matar a filha do Vicente…..
    Tomara essas pirações não se concretizem!!!!!!

    • Flavio Batista

      seria muito doido se ela matasse ele, e incriminasse a mulher pra ficar com a filha pra ela?

      • Caio Vinicius Viana Lima

        Isso sim seria muuito massa!

        • Andréa Broto

          Muito mais interessante se ela matasse a mulher e incriminasse ele, afinal “ele já tem histórico” kkkkk

      • Iury Viana

        que cruel…. Adorei

    • J.P

      Cara essa da rose até faz sentido .. não cheguei a pensar . Já na história da Elisa acho que ela vai se envolver com o Vicente e no final ele vai ser morto pelo reitor namorado dela (mais ou menos como ele matou a Isabela)

      • Caio Vinicius Viana Lima

        A história da Elisa é sem dúvidas a que mais tem possibilidades de desfecho, tudo pode acontecer! !!

    • Iury Viana

      De matar a criança, eu acho meio exagero, mas o de Rose se vingar de Debora, não acho tão viagem, e muito menos ruim. Seria um plot twist bem interessante.

      Kellen eu nem colocaria tanto, mas Vânia e Antenor brilharam no episódio de sexta. Só fico com pena do Maurício que tá cada vez mais apagado.

      Obrigado por comentar.

  • Bel Ribeiro

    Se menina Vanessa eu fosse, pegaria o cheque, descontaria, depois daria queixa e ainda daria entrevista pro Fantástico. Ele vai fazer o quê? Ir na polícia dar queixa pq eu recebi suborno e não cumpri o combinado? Seria um ataque nos lugares que mais doeria, o bolso e o orgulho.

    • Iury Viana

      Pior que eu sempre penso isso nessas horas, de receber o dinheiro e depois denunciar tudo, inclusive dizendo que tentou subornar.

      Obrigado por comentar.

  • Maria do bairro

    Sobre a Vânia não ter reconhecido o Maurício podemos colocar a culpa no álcool? Já que ela estava nitidamente bêbada cantando no bar! E gosto muito como a história se desenvolve! Uma cena que parece avulsa na história de segunda-feira é melhor explicada na história de sexta! Acho um máximo isso! E já li várias teorias sobre o final! Todos trágicos. Se acontecer mesmo tudo que andam dizendo eu vou adorar!

    • Iury Viana

      Mas mesmo ela bêbada, ela reconheceria, mas ok, podemos deixar isso de lado pra dar prosseguimento a história.

      E eu até hoje não soube dessas teoria e prefiro não saber, pra ser pego de surpresa. Por mais que eu já saiba o que vai acontecer, pelo menos em parte, na história de Elisa
      E eu não espero um final feliz pra nenhum personagem.

      Obrigado por comentar.

  • Marcos

    A Débora tá numa paranoia a respeito do estupro que não há como defender a personagem (Ok, é um dos crimes hediondos que deixam marcas para toda uma vida e justiça nenhuma vai sanar, porém a postura dela tá começando a ficar sem noção – levar o suspeito para a sua casa e deixar o cara dormir na sala sem ao menos proteger o seu lar, se proteger e proteger os que estão nele – Como assim ????? …).
    Interessante mostrar como funciona a mente de um estuprador: A menina trocando de roupa e o cara (literalmente) se satisfazendo apenas olhando-a pela janela do apartamento e depois a acompanhando (sem a mesma saber) até o ponto de ônibus. Poucas cenas de series me incomodaram como essa …
    A aproximação da Elisa com o Vicente começou a ficar interessante (soa incômodo ela querer matar o cara e, sem + nem – , se tornar (aos olhos do Vicente) a “melhor amiga da família” – Vejo tragédias futuras ….
    Pelas chamadas da série, a trama do Mauricio é a que parecia ser mais interessante e tá dando sono…. Zzzzzzz !!!!!
    A série foi resumida com a fala de Antenor para a Vanessa:
    – “Tu quer justiça, ou prefere um cheque?” – Afinal , como disse Aristóteles : O homem ( e todos Nós ) é um animal político …

    • Iury Viana

      A cena do estuprador realmente incomoda, e justamente por sabermos o perigo eminente, e por mostrar que qualquer um é vulnerável ao ataque deles.

      Maurício.. Bem, já dei uma chance, agora não vejo mais salvação pra ele. Mas vamos aguardar e vê se pelo menos encerram ele de forma digna.

      Obrigado por comentar.

  • Igor

    Sem desmerecer o sentimento de revolta da Débora eu consigo, em partes, entender o Marcelo, afinal quem gostaria de ver alguém que você ama está correndo tanto perigo? Quem não iria querer proteger a pessoa de viver alguma nova situação tão traumatica quanto a anterior?

    No mais adoro a personagem da Débora, a atriz é incrível e a história da quinta continua sendo a minha favorita juntamente com a de terça. O que foi a Débora colocar um cara que foi pego roubando uma moto pra dormir em sua casa assim? Achei o cúmulo do absurdo. E foi mais um momento onde dei razão ao Marcelo.

    A história de sexta continua bem aquém do resto da semana. Mais uma vez o Maurício ficou de coadjuvante no episódio que deveria ser protagonista, fazendo algo relevante somente no final do capítulo.

    • Iury Viana

      Maurício tá ali só para estar mesmo, pois não tá se destacando como os demais personagens.

      Eu realmente sentia muita pena de Debora por causa do estupro e tudo mais, mas agora tô começando a questionar a sanidade dela. Já vejo um final com a personagem enlouquecendo… Mas só imaginando.

      Obrigado por comentar.