Jane the Virgin 3×02: Chapter Forty-Six

3
636

Três temporadas depois, “Chapter Forty-Six” serve como um momento do início efetivo da trama de Jane the Virgin, onde começamos a construir o grande arco da temporada e a delimitar o contorno do que virá a ser o grande cliffhanger lá no finale da temporada. O interessante a se notar aqui é que a série começa a se envelopar em si mesma e de certa forma usar um padrão já estabelecido de um modo que se torna inédito com algumas sutis mudanças.

Piadas cósmicas em Chapter Forty-Six

Vamos ao exemplo principal que é a nossa protagonista, Jane. Se antes a preocupação principal era com o sequestro de Matelio (sim, só o chamarei assim daqui em diante) hoje em dia é com a vida de Michael após o atentado, que ironicamente também foi cometido por Rose/Sin Rostro. Os constantes pesadelos e a certeza plena da perda do policial deixam a mente já atribulada ainda mais atarefada. Ela é responsável por cuidar agora não de uma, mas de duas “crianças”, o que fica bem evidente no “mãe” que Michael solta equivocadamente num dos momentos “awkward” que a série sabe fazer tão bem. É aquela máxima de que criamos nossos filhos para o mundo e o nível de desprendimento necessário é quase sempre um esforço de proporções gigantescas, mas que o nosso casal consegue completar sempre de modo real e centrado, claro que com uma ajuda extra das Villanuevas.

Ainda nesse ramo da família, a relação Alba / Xo / Rogelio foi algo muito bonito de se acompanhar. Como planejado ela realizou o aborto e teve de lidar não com o ato, mas com a falta do “aparente” remorso que isso trouxe, na visão de Alba diga-se de passagem. O papo foi sobre a escolha de ter ou não um filho e a responsabilidade de cria-lo, mas a série construiu aquilo de tal maneira que se encaixaria em qualquer outra questão pertinente à um conflito familiar em qualquer esfera temática. Nessa mesma tarefa de se encaixar em um terreno desconhecido está Rogelio. Com toda sua família nos EUA é natural que alguém que é a mistura de Tom Cruise, Justin Bieber e Juanes (nas palavras do próprio) alcance o estrelato nas terras do Obama. Ou tente. A briga com Esteban pelo papel no arco de três episódios em Hawaii Five-0 (com direito a sotaque americano) foi o estopim para que ele invista em sua carreira de modo ostensivo e nada sutil que ele possui.

Jane the Virgin -- Chapter Forty-Six
Jane the Virgin — Chapter Forty-Six

No terceiro vértice narrativo temos o imbróglio de Rafael e a “falsa Petra”, Anezka. Gostei de ver que finalmente Rafael superou a paixão por Jane e começa a impor sua vontade perante a força de Jane e também a desconfiar de que há algo errado na atual estranheza de Petra. Anezka por sua vez começa a colocar o plano em prática, que descobrimos ser roubar uma bolada de Rafael através de chantagem com a guia da sempre trambiqueira-mor Magda. O problema é que além do prazo (duas semanas) a gêmea má (nem tão má assim) se apaixonou por Scott. O assistente de Rafael, no entanto pode ser uma arma valiosa, visto que acumula os podres do pessoal do hotel por eras… Mas eu só quero saber quando Petra vai sair do estado pétreo (ba dum tiss). Não aguento ver nossa musa agonizando numa cama de hospital e vendo sua imagem ser escorraçada por aí.

Pode ser a escolha da escola perfeita, o retorno a ação depois de um trauma profundo ou arrancar o papel de parede mais chamativo da história, Jane the Virgin sempre consegue criar conexões visuais em suas tramas, tratando de temas vigentes de modo tão inteligente e velado que acaba passando despercebido e isso é mais do que um ponto a favor da série. Os melhores livros são aqueles que ensinam sem que o leitor perceba a doutrina, de modo divertido, e JtV consegue realizar isto de modo magistral. Até a próxima semana com a possível perda da virgindade de Jane! Será que dessa vez acontece? Aguardemos.

> 5 novas séries imperdíveis! 

PS 1: Jane: a única pessoa casada, com um filho de um ano de idade e que ainda é virgem;

PS 2: Rogelio discursando sobre a entrada de imigrantes e como eles são a fundação da dita “América” e sua razão de existir… Tapa de pelica na cara de Trump. #Rogelio2016

PS 3: Mais metalinguagem, dessa vez com a piada da sequência de montagens para a passagem de tempo;

PS 4: Nada como sua filha ser casada com um detetive para lhe ajudar a mentir melhor….

PS 5: Como realizar uma DR numa pré-escola hippie: curso em duas partes ministrado por Jane Villanueva e Rafael Solano. Inscrições abertas!

  • ThaisFrede

    Mais uma vez JTV entrega um episodio de uma qualidade imensa.
    Adorei o tema do assunto do aborto, foi de forma leve, mas ao mesmo tempo deixa claro a opção que a mulher tem e apesar da Abuela “julgar”, não é esse objetivo da serie, mas sim realmente falar que td bem se essa for a sua escolha…
    E para continuar com o engajamento politico temos a frase do Rogelio que não hora não tem como não pensar no momento politico que o USA está passando… #notrump Sensacional…

    E para completar é tão divertido ver a atriz da Petra fazendo a irmã má, vc claramente consegue perceber a diferença, ela está interpretando muito bem e espero que logo a Petra saia deste estado pq está dando uma dó…

    E não pode deixar de rir com a cena do MOM, cena hilária…

    E por ultimo e por isso não seja menos importante, finalmente o Rafael superou a Jane e isso abre um leque tão legal para serie, para ser explorado…
    Opinião própria: quando ele diz que acordava todos os dias e falava que queria ver a Jane feliz e por isso concordava com suas escolhas é um dos motivos pelo casal não daria certo e fico ainda mais feliz com a escolha dela com o Michael…

  • Laís F.

    Apesar de eu ter comentado no episódio passado sobre os meus receios com a história da Xo, eu gostei da forma que foi lidada e tão estranho uma série lidar com aborto sem ser como um tabu ou como um tormento para a mulher. E foi lidado como um escolha.
    E eu gostei da reação do Michael depois que a ficha dele caiu, outra coisa que não se mostra muito em audiovisual é homem chorando, e eu gosto quando séries mostram essa vulnerabilidade.

  • Fernanda :)

    Que série, amiguinhos! Fico feliz de jtv retomar o tema aborto, novamente de forma pontual e bem-feita.