How To Get Away With Murder 3×05: It’s About Frank

24
5566

É difícil escrever sobre “It’s About Frank”, um dos melhores e mais impactantes episódios de toda a história da série, por usar com tanta destreza toda a sua própria narrativa contada até agora. Bem, por isso já estou com o documento em branco aqui aberto há algum tempo, e não consigo delimitar em parágrafos como faço toda vez a história do episódio, então, acredito que esta será uma das menores reviews que farei, justamente porque o número de anotações que fiz durante o episódio foi bem menor, e o impacto e a emoção de um roteiro bem amarrado e a quantidade de personagens com camadas dramáticas é muito grande. Acho que fiquei tão maravilhado com as construções do roteiro, que me permiti escrever um texto mais livre que ponto a ponto do episódio. Tem um filósofo que diz que nunca um rio é o mesmo. A água que passa por ele não vai ser a mesma que passa no próximo segundo, e por causa dessa constante mudança das circunstâncias, as pessoas e as coisas vão adquirindo conhecimento e sabedoria de acordo com as experiências. Numa série, onde nossa expoente está dando show como uma advogada decadente que faz dancinhas bêbadas e joga garrafas de vodka no lixo para depois pegar e beber tudo de novo, seu samba de uma nota só dá espaço – por mais que pareça impossível pela grandeza da personagem em cena, mesmo em decadência – para os outros também brilharem.

E aos outros, a que mais se destaca neste quinto episódio é Bonnie. Como pode uma mulher ser tão sofrida assim na vida? Sofreu abuso do pai, depois foi enganada e manipulada pelo um amor que eu me recuso a acreditar que houve com o Sam, sofre na mão de sua chefa, foi trocada, mesmo depois de ajudar a esconder um homicídio, pelo personagem mais bobão da série, e agora para completar vem o balde de água fria que acontece neste episódio com ela? Seja a morte do pai e toda a sua frieza explicada (mas ninguém deve sair incólume de uma situação dessas) ao ver o pai morto, criar planos com Frank sobre uma nova vida, sem todas essas amarras que obstam sua felicidade, para depois ele fugir e abandoná-la ou ainda quando chega de volta para a sua cidade é recebida com a revelação de Laurel para Annalise. Ô, mulher que sofre. E que mesmo assim, parece estar por cima da situação com ligações misteriosas para alguém falando da gravidez de Laurel. É muita agonia para uma personagem só, haja banho frio.

A questão dos panfletos foi tão incrível mostrar como Annalise ainda sabe usar as informações a seu favor. Quando ela sabe que Drake está por trás disso, ela não se apavora nem mete os pés pelas mãos, ela simplesmente age de maneira fria e bem calculada, além de ficar feliz que apenas um garoto estúpido acha que ela é uma assassina e não a promotoria ou alguém mais influente. Com a informação ela consegue o resumo para seus pupilos, uma cena de debate – para mostrar quem está mandando de volta nessa faculdade para a diretora – e ainda a possibilidade de voltar a dar aula. Esperava talvez um pouco mais de toda essa ação dos panfletos, mas gostei que ele fora resolvido neste episódio, onde tudo parecia estar ali por uma motivação para demonstrar o lado pessoal de cada personagem. Como por exemplo a cena da professora com as cabeleireiras ou dos cuidados pessoais mostrando que essa mesma mulher que é ameaçada também é humana, ri e se cuida.

E é com esse mundaréu de flashbacks que usamos e abusamos das perucas da ABC seja para Annalise ou para Frank, e percebemos que este tem algum problema com a figura paterna em sua vida, e já matou dois pais, e tentou matar o seu próprio, que o levou desde os 13 anos para a cadeia e desmantelou uma estrutura familiar que irá ser reestabelecida – (pasmem!) – com a ajuda do casal mais não-modelo da série: Anna e Sam. Essa configuração narrativa e da edição do episódio de ser todo permeado pelos acontecimentos mostram que aquela Annalise que hoje bebe vodka escondida, mesmo se assumindo alcoólatra é a mesma que comemorava a casa nova com uma bebida ruim, ou aquela que hoje vê um filete de sangue reacende os fantasma do seu aborto espontâneo ou dos problemas de fertilidade que afetaram seu casamento. Ou Frank que se decepcionou quando duas pessoas confiaram nele novamente e ele leva a culpa de ter estragado tudo, ele parece não querer que Bonnie confie nele novamente para ele não magoar mais ninguém que ele realmente gosta. Como o rio, estes personagens não conseguem ser mais as mesmas pessoas que eram antes.

How To Get Away With Murder --- It’s About Frank
How To Get Away With Murder — It’s About Frank

Não é a diretora, nem Eve, naquela maca. É um homem! E apesar de eu achar agora que Annalise e a diretora ainda dividem mais segredos como ir no AA, elas poderiam se entregar à tensão sexual que eu acho que rola na cena das duas (bem como eu achava que existia com Wes – não sou tarado, mas acho que Annalise é uma personagem extremamente sexy). Quem está debaixo daquele lençol? Acho que o roteiro está querendo nos fazer acreditar que seja Connor, por vários motivos, primeiro por Oliver ser um dos sobreviventes logo apresentados e também por causa do celular agora perdido de Connor na casa de Michaela (e de quebra já conhecemos sua mãe adotiva – história que, mais uma vez, dá as caras na série, e pode ser a redenção da personagem nessa terceira temporada, em prol da atriz). Ainda me recuso a achar que seja o queridinho da maioria dos fãs de HTGAWM. Mas, faltam três semanas para o veredito e tudo pode acontecer, até mesmo, diante dos acontecimentos do episódio dessa semana, Drake virou um suspeito também. E se junta a Wes, Frank, Nate e Asher.

Entre cenas de montagem de cabelo e cuidado pessoal, que já vimos que Viola Davis dá um show, entre mentiras sem fim de Wes num jantar com o pai de sua namorada que ninguém dá a mínima, entre cenas de um passado que trazem Sam de volta e todo o passado de Frank à tona, para entendermos aquele guarda-costas tão misterioso do começo a série, que ainda não deixou de ser, entre mistérios resolvidos, outros prestes a serem, nós tivemos um episódio fabuloso com a essência da série, e mais: coroando os fãs que gostam do roteiro bem escrito, das atuações com maestria e de passar quarenta minutos sem fôlego. Não sabemos quem está morto, não sabemos quem é o pai do bebê de Laurel, não sabemos porque Annalise vai ser presa, mesmo com tantas dúvidas, uma não paira sobre a mesa dos produtores dessa série: eles sabem onde querem chegar, e assim chegarão com qualidade. E veremos tudo isso com um prazer inenarrável, que me limitou a escrever mais por hoje deste episódio que ainda estou digerindo, e que por resultado de muita oração, fez subir os números da audiência americana.

> Quem o Negan Vai Matar em The Walking Dead

Vida longa à narrativa precisa, ao roteiro coeso e aos detalhes que existem por um motivo certo e determinado. E se não entendemos de pronto, em alguma temporada, vamos entender.

  • Arya Ibelin

    Realmente foi um baita episodio. Creio que a cena de Frank e Bonie foi a mais intensa vi as personagens com uma cumplicidade , sem a mascara de fortes e durões.Bom viola Davis faz o de sempre , destrói a cena com seu talento.

    ps: Dançar com a garrafa de vodca , quem nunca.

    • Pytter

      Gente, que cena maravilhosa foi aquela dança com a garrafa e aquela música. Eu ri <3.

  • Bia

    Eu acho que o Wes embaixo do lençol…
    E acho que foi o Frank que incendiou a casa.
    Não acredito que seja o Nate pq ele, aparentemente, não teria nenhum motivo para ser assassinado…

    • Azeneu

      Não nesses episodios que acompanhamos até agora, quem assisti semana a semana essa série sabe que em apenas um episodio um personagem queridinha pode cair por terra se os produtores realmente quiserem.

  • Mattews HeatNation

    Tô achando essa temporada bem mais suave que as anteriores porém sem deixar de lado a essência de HTGAWM. Creio que não seja nenhum dos alunos ali debaixo do lençol. Ainda acredito q ser o Nate mas enfim veremos….
    Tomara que a audiência melhore um pouco pois pegar uma série antecessora dando 0.9 é dose….

  • Allan Fábio Carnaúba

    Que episódio meus amigos, que roteiro… ficou sem acreditar a qualidade desse roteiro, a série não deixa uma breha. Acredito que é o Asher na maca.

  • Mariana Rocha

    QUE EPISÓDIO 👏👏👏👏👏
    Terminei ele sem palavras, mt me espanta vc ter conseguido escrever algo sobre…. Acho q palavra nenhuma pode relatar tão bem o q aconteceu. Muito bom!

    • Mariana Rocha

      Acho que a Laurel da grávida do Wes

      • Pytter

        Também acho.

      • Raquel Vitta

        NÃÃÃÃOOOOOOO 😱😱😱😷😷😷

  • Leonardo

    Asher melhor personagem, não podem matar ele 🙁

  • #MarcoosHenryque

    Vamos combinar que numa série que Shonda esta envolvida, QUALQUER pessoa pode morrer. Por tanto, já to aqui temendo pelo Connor. E meu deus, que atuações foram essas nesse episodio?! Impossível não chorar e sofrer junto com Bonnie e Annalise…

  • Robertson Maxwell

    Fico me perguntando como pode esta série trazer episódios tão fantásticos, ser megapopular e ainda assim não ter números agradáveis a emissora? É de se estranhar.

    • Matheus Carneiro

      É porque a série é muito boa, mas antes dela eles passam duas séries: Grey’s Anatomy, que tem a maior audiência da ABC, e Notorious, que veio pra cagar em HTGAWM. A audiência de HTGAWM caiu grandemente.

  • Tiago Brugnera

    Ninguém considera ser o Nate?? Eu acho que é ele.

    • Raquel Vitta

      Também acho

  • Marcelo

    Morri no final mas duvido muito que seja o Connor.

  • Eduardo

    Olha, eu não dava nada pela Liza Weil em Gilmore Girls, mas a sua Bonnie é tão foda quanto a Annalise de Viola Davis. A menina abusada pelo pai, a jovem carente de um amor “verdadeiro”, a advogada que tem que se provar o tempo todo pra chefe, a assassina latente… Toda essa pressão pra segurar o 5K e controlar suas próprias emoções. Bonnie é, pra mim, uma personagem mais crível e carismática que Frank. E tudo bem que não vejo a loira dançando na boca da garrafa, mas ela também merece um alívio cômico – e não é o Asher…
    E apesar de Connor estar bem apagado nesta temporada, não acho que ele tenha morrido – senão o próprio Oliver vai ficar sem função (não é um Keating 6). Aposto no Asher, ou então vai surgir um novo personagem – este será parecido com o Frank (que vai matar o homem no incêndio de modo a garantir sua fuga; Laurel foi no escritório pra encontrar o amante e ficou presa).

  • DarkAngelblue

    frank é o hipster da federal.

  • Raquel Vitta

    Olha, essa série vem detonando cada vez mais as nossas estruturas. São tantas perguntas!
    Eu particularmente achei muitíssimo creepy a transa dos dois, depois de 2 temporadas com os mostrando bastante cumplicidade e irmandade, foi muito estranho os dois se tocando (MY OPINION), Bonnie sabia que Laurel ama Frank, que ela está desesperada para encontrá-lo, e quando ela o encontra vai direto nos braços dele 😷 Finalmente vimos mais sobre a história do Frank, eu pensava que não poderia me simpatizar com ele ainda mais, me enganei, eita rapaz sofrido.
    Quem está debaixo do lençol?
    Com quem Bonnie estava conversando no telefone?
    Onde está Connor??
    Quem é o pai do bebê da Laurel??
    Minhas alternativas são:
    1) Nate, Wes ou Eve
    3) Frank, Wes ou Connor
    4) Não acredito que Connor está debaixo do lençol, mas a minha teoria é que ele estava por lá e provavelmente presenciou algo e está escondido.
    5) Eu realmente espero que o pai do bebê da Laurel seja o Frank

  • Raquel Vitta

    Sobre o baby da Laurel 💙
    Pra mim, se for pra pesar na balança entre Wes e Frank, iria ser muito mais interessante ver o Frank lidando com o fato de ser pai e ter um bebê nos braços por motivos de:
    1) Como ele iria se sentir sabendo que tirou o bebê da Annalise e o bebê da Lila e sentir que o dele iria acabar pagando por isso.
    2) Como a Annalise iria reagir sabendo que ele tirou o bebê dela, e o dele ter a chance de viver e como os dois iriam acertar essa coisa de “filho por filho”.
    3) A personalidade do Frank é bem perturbada, ele não acha que é uma boa pessoa, ele realmente não é nenhum modelo perfeito como o Wes, mas também não é o pior, então com esse bebê, com esse filho, ele poderia dar um salto enorme de crescimento, ele provavelmente iria mudar muito por ela, iria ser um outro nível de Frank, e iria ser tão lindo ver ele lidando com isso, alguém tão perturbado receber uma coisa tão boa e lutar pra ser o melhor.
    Já o Wes, sei lá, ele iria ser um pai normal, fofinho, bom exemplo e etc, sem muita coisa pra acrescentar além da surpresa.

  • Matheus

    Que ep., depois da 2 temp. mediana essa veio pra quebrar estruturas, são tantas coisas que faz a sua mente explodir. Estou muito ansioso para descobrir que morreu, se for o Connor eu não vou conseguir superar, o Wes pra mim tanto faz tanto fez, o Ash até que está sendo legal ver ele com a Michaela (que a cada dia se parece mais com a Annalise), o Frank seria um desperdício matá-lo agr, ainda mais se ele for o pai do bb da Laurel, teríamos muita trama pra ser desenvolvida, mas não me preocupo com a decisão dos roteiristas, pq até agr HTGAWM vêm agradando e muito…

  • Luciana Beltrão

    Só eu percebi que Mary J Blige estava como a cabeleireira da Annalise?

  • Maurício

    Só não entendi porque de tanto empenho do Sam em libertar o Frank da cadeia. Que motivo foi esse?