Gotham 3×01/02: Better to Reign in Hell…/Burn The Witch

8
1082

O Penguin sempre come o peixe.

Com a crescente demanda de séries que adaptam alguma estória querida, o preludio de uma das cidades fictícias mais famosas tinha que ter seu espaço. A abundância de adaptações de comic books (HQs) exige uma ampla qualidade e criatividade de suas produções, se os roteiros falharem ao mostrar o famoso “mais do mesmo”, fica complicada uma longa vida pra tal produção. Então Gotham decide continuar com seus subtítulos tentando dar um twist – que tanto precisa – a cada novo ano que vai ao ar. Mad City é o foco da vez e promete restaurar a loucura dos cidadãos de Gotham sem usar Arkham pra isso.

“Keep feeding strays, one’s gonna follow you home.”

– Ivy

O pesadelo de Jim começa, sua idealização do dia em que Lee o aceita de braços abertos foi claramente apenas isso. Mais um policial do GCPD que sofre com as desilusões da vida, Gordon deixa a força para ser um caçador de recompensas usando Harvey e seu estilo de vida como parâmetros. Dos dois anos que conhecemos Gordon, ele foi instável e sua personalidade mudou de acordo com cada um dos subtítulos usados na série, de bom moço e oficial da lei exemplar ao típico policial de Gotham e agora apenas um bêbado que usa sua violência reprimida como meio de vida. Pode parecer um tanto dramático, todavia essas mudanças combinam com a cidade.

Eis que Fish Mooney é um dos fantasmas que mais assombram a cidade, especificamente Oswald. Mesmo todos rejeitando a ideia de que ela esteja de volta, Gordon fica balançado com Penguin e sua insistente intromissão sobre Fish. Obviamente Cobblepot é o ser mais temido da cidade, mas nem ele fica imune a um algoz, ainda mais se tratando de Fish. Em paralelo a esse pequeno problema de Oswald, temos Butch e seu amor não correspondido por Tabitha que agora é de Barbara, mas que ainda quer Jim; logicamente isso é digno de uma série do canal CW.

O plot Fish não foi dos mais interessantes, a impressão foi de que serviu para ambientar a cidade novamente e mostrar a que pé estava Gotham. A carreira de Jim como caçador de recompensas só se provou pífia e sem graça, o acordo que fez com Fish é um clássico resquício de sua aura policial e se persistirem em deixa-lo fora do GCPD por muito tempo pode ficar repetitivo e sem noção. Já a conclusão sentimental de Penguin em seu encontro com Mooney foi o melhor desfecho que poderiam dar a essa trama.

Nem tudo é fácil para o jovem Bruce Wayne. Sua curiosidade nata às vezes coloca em risco tudo que faz parte de sua vida, esse é um lado que ele sempre terá que lutar e debater contra. Alfred e Selina são preocupações constantes em sua busca pela verdade, porém dar o braço a torcer não é a melhor solução quando sua integridade pesa tanto quanto a lealdade pelos que ama. Ameaçar o infame grupo na board de sua empresa foi um passo compreensível, entretanto a forma como lidou com isso aceitando o acordo foi no mínimo estranho.

“I’ll remind you, you are no longer a police officer.”

– Cap. Barnes

Apesar de certos caminhos fáceis nesse retorno, Gotham conseguiu criar uma trama envolvente e apresentar a que veio. Esse ano nomeado como Mad City tem tudo para explorar o pior na cidade, a quantidade de possibilidades é realmente empolgante. Comparando a primeira temporada, a escalada da série vem sendo longa, mas eficaz. O recomeço parece promissor, as falhas ainda irão existir, resta não persistirem nos erros que cometerem.

Heads or Tails 1: as ações de Jim como caçador de recompensas, deixar Peabody ser pega e colocar a repórter em perigo, são ridículas. Fica patético no personagem.

Heads or Tails 2: sexualizar Ivy foi a pior coisa que fizeram, essa “decisão executiva” ficou tão escrachada que nem eles puderam explicar sem dizer o real motivo dessa mudança na personagem.

Heads or Tails 3: o clone de Wayne não tem uma função definida, mas ele pode ser bem útil se conseguirem roteirizar uma boa trama entre os dois agora que se encontraram.

  • Novamente dois episódios em uma crítica? Podiam trocar a reviewer por outro que faça um pra cada episódio, toda semana.

    • Clébio Cabral

      E uma critica meio porca para dizer a verdade…

  • Marcelo

    Muito corrida essa crítica hein, falar dos dois episódios de uma vez ok, agora dessa forma? Custa falar dos dois separados….

  • Marco A

    Achei a transformação da Ivy, bastante sem sentido e meio de graça. Manter ela numa idade próxima a de Bruce e Selina, era mais coerente.

  • nathitah

    Uma review bem ruim hein.

  • Juliano Guilherme

    Agora que admitiram que Jerome será mesmo o coringa não vejo a hora de seu retorno. Acho que ficará para o segundo arco de episódios!

  • Vitner Santos

    Review terrivel podiam trocar essa pessoa…

  • netohemp

    puta merda, umas das piores reviews que ja vi, q q isso… e infelizmente abandonaram de vez nessa 3 temporada! =(