[Flashback] Freaks and Geeks 1×08: Girlfriends and Boyfriends

3
58

Como o próprio título sugere, Freaks and Geeks, série que consegue conversar sobre diversos assuntos, muitas vezes misturando-os, decide focar em relacionamentos. Desde a primeira cena, quando assistimos a uma Lindsay confusa e de passos quase entorpecidos a andar pelo colégio, sabemos que o clima do episódio será mais delicado que os outros. Não menos engraçado e não menos constrangedor, mas no nível certo de sensibilidade que algumas comédias conseguem alcançar. O roteiro, mais uma vez, assume o ar de seriedade e caos que a adolescência tem, tornando os dramas das personagens graves e emergenciais, mesmo debochando de tudo no processo. Não só honesta conosco e com as lembranças dos norte-americanos da época, a produção é honesta com as subtramas que cria e com a responsabilidade de não se levar a sério na medida certa.

A sutilidade do roteiro cria uma aflição muito grande entre o público e a situação, porque não sabemos de fato os motivos do incômodo de Lindsay. Se em um momento pensamos que seus receios são por não gostar do suposto namorado e somente ter lhe dado um beijo para amparar sua crise emocional, em outro acreditamos que a sua virgindade é a real causa dos medos. De qualquer forma, ela não se sente confortável com esse ambiente romântico instalado entre ela e Nick. Sempre colocando o dedo na ferida, os momentos estranhos entre o novo casal serão responsáveis por muitas memórias nos telespectadores, tendo vivido a história no lugar dela como quem não sabe dar fim àquilo que nem sabe se quer dar fim, ou no lugar dele, vítima de paixão exagerada e pouco comedida na hora de demonstrá-la.

Estou gostando bastante de Nick e do uso de sua personagem. É bom ver que cada Freak tem um papel diferente na trama, e ele, o romântico sonhador, se destaca bastante quando o roteiro decide lhe reservar as cenas com a garota, por mais complicadas que elas sejam. Destaque para a cena de declamação da música, que assisti atrás de vários dedos de tanta vergonha. Além disso, é uma boa forma de descobrirmos mais informações sobre ele, o que contribui em seu desenvolvimento dentro da série. Kim, que tanto me irritava antes, teve seu tom ajustado e agora contribui de forma positiva sempre que aparece, por mais que suas participações sejam pequenas. O mesmo equivale para o orientador da escola e as suas reuniões estranhas com a protagonista. Como bônus, temos Lindsay e Daniel se esbarrando às vezes, e é divertida de tão óbvia a atração que a garota tem por ele.

No que diz respeito aos Geeks, temos mais uma trama com Sam no centro e os amigos palpitando em volta. Gostaria de ver alguns episódios lidando com os problemas e conflitos dos outros garotos também, mas não há reclamações sobre as subtramas dos nerds. Os diálogos envolvendo garotas são sempre engraçados e afiados, enquanto os atores têm o conforto de pertencer a idade certa para interpretarem suas personagens com mais convicção.

O episódio brincou com o senso de realidade dos dois irmãos. Aquilo que eles esperavam que acontecesse não aconteceu, tanto para o bem quanto para o mal. Enquanto Lindsay não precisou se preocupar com as investidas sexuais de Nick, que inesperadamente não aconteceram (algo até bonito de assistir, por mais inacreditável que possa ser), no que foi uma ótima resolução da série para seu conflito, Sam percebeu que seus amigos estão pouco preocupados com Cindy, sua paixão platônica. A aproximação dos dois, levando-os para a amizade, construída já há alguns episódios conduziu bem a história entre eles e foi a parte mais crível entre os irmãos.

Não só a participação de Cindy trouxe contribuição positiva para a série, como Gordon, personagem inserida somente aqui. Não é o tipo de personagem que ganha destaque em outras séries, então foi bom ver seu bom aproveitamento e cenas que nos deram mais do que a zona de conforto ofensiva, muitas vezes disfarçada de crítica, da qual tantas outras produções não conseguem sair.

A partir do próximo episódio a contagem é regressiva, e já começa a sensação agridoce de acompanhar a série. Com dez episódios restantes, entretanto, ainda dá tempo de aproveitar bastante a companhia dos esquisitos e dos nerds na torcida para que os namoros se estabeleçam antes do fim chegar — ou não: é divertido de qualquer forma.

  • Ximena

    Tinha esquecido das reviews aqui. Comecei a ver a série ao mesmo tempo que você postou a review do piloto. Infelizmente terminei super rápido. Deveria ter economizado!

  • Ximena

    Tinha esquecido das reviews aqui. Comecei a ver a série ao mesmo tempo que você postou a review do piloto. Infelizmente terminei super rápido. Deveria ter economizado!

  • Leonardo Martins

    Muito boa a crítica. Tô vendo bem devagar. Um por dia sabendo q não vai ter mais…