Fargo 2×10: Palindrome [Season Finale]

23
115

A cereja do bolo de uma temporada quase perfeita.

Depois da desoladora notícia de que Fargo só retornará para uma nova temporada em 2017 (ao que parece, está pegando a moda de uma temporada a cada quase dois anos), a season finale só poderia ter um sabor agridoce, pois ao mesmo tempo em que vemos o encerramento natural de um ciclo, agora teremos que esperar muito mais tempo para o início do próximo.

De forma geral, Palindrome teve um ritmo muito mais lento que os dois episódios anteriores, porém ele foi importante não só para “encerrar” a história, como para conectar com eventos da primeira, mostrando que elas estão interligadas de forma muito mais incisiva que apenas a repetição dos personagens Solverson. Contendo alguns easter eggs da primeira temporada, o título do episódio se mostra, novamente, bastante sagaz nesse sentido.

Mesmo tendo um ritmo um tanto arrastado na segunda metade do episódio, a primeira parte foi muito interessante, se mantendo no ritmo dos antecessores. Toda a sequência da perseguição ao som de Black Sabbath só coroa a ótima trilha sonora que a temporada apresentou, de longe uma das melhores dos últimos tempos. Um pouco antes disso, a sequência em que mostra toda a família Gerhardt morta (incluindo Simone, para quem ainda tinha dúvidas) dá um peso à temática da guerra das máfias, demonstrando o clima do episódio como um todo.

O encerramento do arco de Peggy e Ed também foi uma decisão mais do que acertada. Se Palindrome serve principalmente para conectar as duas temporadas, serve também para encerrar de forma bastante poética a vida do casal. Ed morre dentro daquilo que ele sempre mais quis: um açougue. A conversa tida entre o casal foi bastante providencial, pois desde o atropelamento de Rye eles ainda não tinham conversado de fato. É interessante também notar que Ed aponta uma característica muito peculiar de sua esposa, pedindo para ouvir o que ele tem a dizer a parar de falar um pouco. Achei até maldade da parte de alguns comentários que li na internet sobre a morte do açougueiro: que ele “largou os bets” porque a Peggy não calava a boca. Obviamente não foi isso, mas se vermos a cara dele quando ela começa a delirar, que parece, parece. E depois de tantos episódios falando, falando e falado, alguém finalmente conseguiu fazer ela se calar: parabéns pro Lou, que conseguiu colocar a moça no seu devido lugar. Sei que muitos irão discordar de mim, mas pra mim Peggy foi uma das melhores personagens da temporada. Se por um lado ela às vezes se mostra irritante, por outro é uma personagem muito bem construída, é muito mais complexa do que aparenta a princípio e o melhor de tudo, foi muito bem interpretada por Kirsten Dunst. Sério, ela tem que levar algum prêmio por sua atuação, será um pecado se isso não acontecer.

Outro ponto a se destacar foi Hanzee. Não só pelas cenas do índio, mas pelas consequências e revelações. Se alguém ainda estava achando forçado de alguma forma o capanga dos Gerhardt “tocar o f*#@” e sair matando meio mundo, cada vez mais tenho a certeza de que tudo foi planejado desde o começo. Além dos pontos discutidos na review passada, as dicas que a série foi nos colocando desde a première, temos mais alguns pontos interessantes. Caso alguém ainda não tenha se ligado, a nova identidade que Hanzee recebeu foi de Moses Tripoli, que na primeira temporada era o chefe da máfia de Fargo, e que é morto por Lorne Malvo em uma das cenas mais antológicas da primeira temporada (atrás apenas da cena do elevador, na minha opinião). Além disso, as crianças conversando por sinais no campo de baseball também não estão ali por acaso, se tratam de Mr. Wrench e Mr. Numbers, assassinos contratados por Moses para darem um jeito em Malvo.

Moses
Moses Tripoli na 1ª temporada de Fargo

E eis que me enganei sobre Betsy. Eu realmente achei que moça tinha batido as botas pelo câncer no episódio passado, mas ainda não foi dessa vez. Repito que mesmo as cenas que parecem mais desconexas há um motivo. Nesse episódio foi o sonho de Betsy, acompanhada de um pequeno monólogo. Trata-se, na verdade, de uma referência ao filme “Arizona Nunca Mais” com Nicolas Cage, filme de Joel Coen. Mesmo na season finale a série ainda nos entrega referências aos filmes e cenas para nos tirar do lugar comum e nos fazer perguntar o que exatamente estamos vendo em cena.

Apresentando um início de temporada irregular, mas conseguindo se manter nos eixos em toda a segunda metade, Fargo encerra seu segundo ano com muita qualidade e nos fazendo torcer para que venha logo a terceira temporada. Teremos mais de um ano de hiatus, mas se a qualidade se manter valerá a pena. Espero que tenham gostado da cobertura, e se tudo der certo, nos veremos novamente em 2017.

Em tempo 1: Foi explicado os símbolos que Betsy viu no escritório de seu pai, e nada tinha a ver com alienígenas, afinal de contas.

Em tempo 2: Ben Schimidt, o policial irresponsável que deveria ter cuidado de Ed e Peggy, também reaparece na temporada anterior: é o chefe meio babaca do Gus.

Em tempo 3: O mito de Sísifo foi novamente citado, dessa vez por Lou.

Em tempo 4: Indispensável fazer ao menos um comentário sobre a pequena, mas já nostálgica aparição dos personagens da temporada anterior: Molly, Gus, Lou e a filha do gus cujo nome não lembro.

Em tempo 5: Achei que a temporada mostraria como Lou acabou manco. Isso não aconteceu.

Em tempo 6: A frase que Hanzee fala para seu contato, sobre a cabeça num saco, matar e ser morto, é repetida por Moses na primeira temporada.

Em tempo 7: Assim como Hanzee, Moses, lá na primeira temporada, também usava cabelo comprido, num rabo de cavalo. Pode ser só uma coincidência, mas falem a verdade, se tratando de Fargo, que pensa em absolutamente todos os detalhes, vocês acreditam realmente nisso?

  • Roger

    Temporada sensacional! Realmente, alguns episódio da primeira temporada não estavam me empolgando tanto, mas a partir da segunda metade a série simplesmente ficou genial! Espero ver essa temporada levando vários prêmios nas premiações que estão por vir, principalmente a Kirsten Dunst que esteve sensacional interpretando a Peggy, um dos melhores personagens de série que eu já vi.

  • VALERIANA BARROS

    Vibrei com o final do Milligan. Ótimo castigo ser colocado atrás de uma mesa.kkkk
    Gostaria que a Peggy tivesse morrido mas acho que ficar sem liberdade tb foi um ótimo castigo.Ainda bem que o Lou falou: pessoas morreram!!! Ela só estava pensando nela mesma depois de toda a desgraça que aconteceu.
    Ótima temporada mas simpatizei mais com o pessoal da primeira.
    Dodd <3

    • Vine

      Cê curte os vilões, haha.

  • Izaias teodoro

    Temporada sensacional, Fargo pra mim é a melhor série da atualidade, o modo como eles conectaram as duas temporadas foi sensacional. Você se esqueceu de comentar sobre o final do Milligan, eu adorei esse final dele, e tenho certeza de que ele virou um excelente contador e deve ganhar um território pra ele, espero que em alguma outra temporada possam mostrar ele novamente.

  • Cesar

    Sinceramente, a serie que mais gostei no ano. Outlander tambem me deixou encantado, mas o clima de Fargo é o que eu mais amo, a neve opressora em cada cena, varias e varias cenas noturnas, o humor negro, fazia tempo que eu procurava por isso, e conhecer Fargo esse ano foi espetacular.

    Sobre a finale, normal ser mais lenta depois de 2 episodios fodas como o 8 e 9 foram. Peggy na cadeia, gostei, gostei ainda mais quando o Lou cortou o papo dela no carro, seco, adorei. Senti pena do Milligan pois obviamente viamos como ele tinha a “alma livre” e tambem sou assim, e nada pior que ficar trancado numa sala o dia todo, nao gostava dele, mas senti pena XD.

    Rapaz, é pra acreditar que o Hanzee virou aquele gordo escroto que comia feito um animal?

    * Não fizeram nem questao de mostrar o ultimo gerhardt vivo, o muleque tava na cadeia, achei que ia pegar a Noreen, mas nada XD

    • Adriano Cardoso

      Cara, eu achei que tivesse sido o único a lembrar do moleque na cadeia, será que pelo menos alguém foi lá avisar pro coitado que a família dele toda morreu. kkkk!!!

  • Cesar

    Como eu disse na review passada, vi a 2° temporada primeiro, e ontem acabei a 1°, e sinceramente a 2° é 1 milhão de vezes melhor, mais seria e sombria. Via todos dizendo da quantidade de sangue da 1° e que a primeira parte da primeira era mais interessante que a 2°, tudo convesra fiada, desde o piloto, essa 2° foi superior.

    Na primeira, tinha o otimo Malvo, o quase interessante Lester e a adoravel Molly, mas nessa segunda, o numero de personagens legais foi tão maior.

    *Pontos negativos: Nao conseguir aceitar a morte do Dodd, da maneira que foi. E as coisas dos Aliens ter alterado os rumos da historia foi algo dificil de digerir tambem, so esses 2 pontos que me deixaram xateado e fizeram a temporada QUASE perfeita. Mas na 1° tambem teve aquela puta forcação de barra do Lester indo atras do Malvo, tipo nada haver, mas forçado que qualquer coisa dessa 2°

    Adeus Fargo, esperar 2 anos é surreal, nao vou lembrar de nada, sou assim…

  • Marco A

    Gostei da série num todo, esse último episódio achei meio nhe… mas tudo bem, só acho que Fargo não precisa de alienígenas…

  • LUIS HEBER

    Ultimo episódio destoou do nível da série…mas mesmo assim a temporada foi incrível.

  • Pryh Carvalho

    Só um toque: quem viu os símbolos foi Betsy e não Molly. O nome da filha de Gus é Greta, ainda não esqueci. Parabéns pela cobertura. Foi excelente!

    • Thiago Pereira

      Realmente. Na empolgação de escrever a review acabei confundindo os nomes. Já pedi pro Michel corrigir ?

  • Paulo Cesar Toledo

    Lou ficou manco por causa do nervo ciático. Betsy fala no final: “Só falta o Lou reclamar da Ciática.”

  • Karllos Silva

    Esse ultimo epi deu uma esfriada na ação, mas de qualquer forma, foi uma temporada muito boa, mantiveram o nível da serie. Espero q tenho uma próxima temporada.

  • Fabiano

    Apenas, batendo palmas pra Fargo.

  • Pedro

    eu sempre achei a personagem da Kirsten Dunst genial e não irritante, pra mim uma das personagens mais complexas das 2 temporadas de fargo só perdendo pro Lorne Malvo. Genial para mim as 2 temporadas, não gosto de ficar comparando elas pq as duas com o que propuseram foram muito boas, não precisa comparação para mim, apesar de entender que comparações são inevitáveis.

  • Pedro

    p.s: faltou falar da grande crítica que foi o final do milligan ein? depois de acabar com toda uma família ele “sobe” de cargo e vira contador, achei genial essa crítica!!!

  • João Paulo

    Gostei bastante dessa Finale de Fargo, principalmente da primeira parte do episódio.
    De fato aquela sequência da Betsy sonhando e logo em seguida a som de Black Sabbath foi sensacional.

    O destino do Mike Milligan foi muito legal, e ao mesmo tempo irônico e engraçado devido a tudo que o personagem fez.

    Muito legal as referências que o reviewer trouxe, não lembrava do Moses.

    Enfim ainda que eu tenha gostado mais da primeira temporada, Fargo fez um segunda temporada excelente, manteve o nível da primeira, tanto é que foi uma das melhores coisas do ano, mesmo com uma primeira parte da temporada apenas boa, que não empolgou muito, a segunda parte foi excepcional e de tirar o fôlego em vários episódios.

  • Tito Lima

    Uma curiosidade interessante dessa segunda temporada é que o posto de gasolina onde se passam várias ações, aparece no primeiro filme dos irmãos Coen (Blood Simple). – nessa cena, logo após cometer um assassinato, um dos personagens estaciona naquele posto para fazer uma ligação. É uma cena feita num plano bem aberto, e dá pra ver claramente q é o mesmo lugar.

    • losk

      A cabana tbm não é a mesma do filme?

  • edujakel

    não achei ninguém que fizesse uma ligação interessante com o nome do episódio. Palindrome é aquela frase que lida de tras pra frente é a mesma coisa.
    E eu só consigo pensar que a temporada começou assim devagar e esquentou. e esse episódio foi o inverso.
    Sensacional essa temporada de Fargo. Como muita gente já disse, o pessoal de True Detective tem q aprender com isso e fazer uma 3° q preste, pq Fargo deu aula.
    Eu não consegui fazer essas ligações com a season 1 e gostei muito. Mas o Hanzee virar o gordão da foto é um pouco forcado. Mas Fargo tem créditos.
    Alias, o Hanzee tava com a cara toda queimada, e eu não lembro onde ele se machucou tanto. Só lembro dele tomar uma tesourada nas costas.

    • Mro Ldsma

      a peggy joga a agua quente do cha nele, quando eles escapam do quarto, antes do ovni aparecer

      • edujakel

        ah tah…não lembrava dessa cena.

  • Keila Sparrow

    Temporada sensacional. Amei amei amei tudo do começo ao fim!! Na minha opinião, a atriz que interpretou a Floyd Gerhardt merece uma carrada de prêmios por melhor atriz coadjuvante. Uma das melhores personagens da série, sem dúvidas. Senti falta do Charlie nesse ultimo episódio. Acho que ele foi o único sobrevivente dos Gerhardt.