Comic Con Experience 2016 – Dia 01

8
1167

O crescimento da CCXP nestes três primeiros anos de vida salta aos olhos. Não é à toa que a Convenção deve, já neste ano, ultrapassar San Diego e se tornar a Comic Con com o maior público do mundo (evidentemente, contabilizando somente as entradas do evento principal). E para receber um público tão volumoso foi necessário dobrar a estrutura física. Saltando de 55 para 115 mil metros quadrados, a Comic Con brasileira tornou-se (aí sim), a maior convenção nerd do planeta (Yes!).

O que melhorou muito foi a distribuição dos estandes. Deu até a impressão que contrataram um especialista em layout de Shopping Centers, que tem a obrigação de espalhar as “âncoras” nos polos do pavilhão, para forçar um fluxo em frente às lojas menores. Nos anos anteriores, a grande maioria dos estandes ficaram no centro do pavilhão, lugar agora ocupado pelo astro maior (deveria ser, pelo menos), o Artist’s Alley.

Logo neste primeiro dia, Alan Davis, um dos maiores desenhistas de quadrinhos de todos os tempos, estava autografando no Artist’s Alley, sem o menor tumulto e congestionamento. Claramente a mudança foi salutar para que isso fosse possível e a mesa do Omelete no setor deve ser o local oficial para os autógrafos dos astros dos quadrinhos.

Como o espaço total mais que dobrou, as ruas ficaram bem largas, acabando com os engarrafamentos das edições passadas. Isso melhorou demais a experiência dos visitantes, que puderam trafegar livremente de um lado ao outro. Infelizmente, houve um problema com o processo de credenciamento dos visitantes e boa parte das pessoas que não receberam as credenciais pelo correio, tiveram que amargar mais de 4 horas na fila.

Por fim, para tentar amenizar este problema, a organização liberou todos que estavam na fila, sem os protocolos de entrada. Esperamos que este infortúnio não se repita amanhã e tentaremos entender qual foi o problema para lhes informar.

E a Experiência, CCXP?

Já que o CCXP estava bem pouco movimentado nessas primeiras horas (muito provavelmente pelo problema acima), este foi o momento ideal para curtir as brincadeiras dos mega-estandes sem filas. A mais impressionante e concorrida foi “O Salto de Fé” (Assassin’s Creed) no estande da Fox Film, no qual os malucos podem subir numa estrutura de 6 metros e se jogar de costas num colchão de ar. Neste mesmo estande, é possível brincar de parkour sobre as muralhas, emulando as habilidades do personagem de Michael Fassbender.

Painel de letras dispostas na parede, como na série Stranger Things
Michel, cuidado com o Demogorgon!

A Netflix, pelo terceiro ano consecutivo, ganha o título de Rei das Gincanas (pelo menos, na quantidade). Cara a cara com personagens de suas séries originais, Quiz Game no telão/celular, Jogo de Letras de Stranger Things (uma espécie de Genius, da Estrela), Sala de Spoilers e a recriação da brincadeira dos cubos de 3%. Tudo com direito a prêmios (camisetas, bottons, posteres).

> Entrevista com o elenco de 3%!

CCXP: Ale completando os 9 cubos, assim como na série 3%
#Partiu Maralto

Outra evolução gigantesca aconteceu nas praças de alimentação. Além de mais que dobrar a quantidade de lojas, a praça foi descentralizada. Ao invés de uma enorme, elas foram construídas em 4 ou 5 pontos diferentes. Os preços, para o desespero da galera, continuam altos como ano passado e não existem opções econômicas.

Os Painéis

Ainda se aproveitando do baixo fluxo, acompanhamos quase todas as palestras do Auditório Cinemark (Didi não, sorry). Larry Ganem, executivo da DC, foi o host dos dois primeiros painéis do dia. No primeiro, foi tratado o principal evento da DC, o novo reboot, Rebirth. O prestígio dos desenhistas brasileiros nunca esteve tão em alta. Encabeçados por Ivan Reis e Rafael Albuquerque, eles se espalham pelos principais títulos da editora. E, se dependesse de Larry, esse número seria ainda maior.

Carrie, filha de Bruce Wayne, escoltada e acorrentada
Segundo Frank Miller, na CCXP, as mulheres vão ter papel fundamental nesta reta final de Dark Knight III

O segundo painel foi era um dos mais mais aguardados do evento: Frank Miller is back. Quando ele anunciou ano passado que pretendia retornar para a CCXP deste ano, todos ficaram incrédulos, mas ele voltou mesmo! Ano passado, boa parte do seu painel havia sido para discutir o que esperar de Dark Knight III. Este ano, já foram lançados 5 edições desta minissérie (de um total de 9) e a discussão girou em torno dos acontecimentos recentes da história. Frank dividiu o palco com Brian Azzarello (o criador de 100 Balas), coescritor da revista, e ambos protagonizaram uma troca de farpas divertidíssima:

“Eu não gostava dele, mas agora que trabalhamos juntos, gosto menos ainda” – soltou Brian.

Outro tema recorrente nestes painéis da DC foi o crescimento das super heroínas femininas. Com o filme Wonder Woman às vésperas de ser lançado, a personagem ganhará muito mais destaque no Rebirth e, em Dark Knight III, ela também se envolverá mais a partir da sexta edição. CarrieLara, filhas de Bruce e Clark, respectivamente, neste universo DK, também tiveram grande destaque no debate.

A Paramount e os Blockbusters

No melhor painel do dia, a rainha das blockbusters, exibiu trailers de suas principais franquias Transformers, Missão Impossível e a recém-ressuscitada Triplo X. Esta última, inclusive, podemos acompanhar os primeiros 20 minutos. A qualidade de imagem e som do auditório Cinemark impressionam e pôde ser melhor apreciada neste começo do longa.

Depois destas cenas, os astros Vin Diesel, Nina Dobrev e o lutador de UFC Michael Bisping subiram no palco para os delírio dos fãs. Curiosamente, a Nina causou muito mais histeria que o Vin. Isso demonstra o quanto as séries estão tomando o lugar do cinema em popularidade.

Scarlet Johanson de perfil
O olhar de quem sabe que fez um filme sensacional

Enfim, a Paramount usou a mesma estratégia da Netflix da CCXP 2015, exibindo uma mensagem da Scarlet Johanson personalizada para os brasileiros, divulgando Ghost in the Shell. Tivemos acesso à maravilhosa cena inicial do filme e aos relatos do pessoal do Omelete que visitou o set há um ano atrás e estava sob embargo até hoje. A expectativa é que esse seja um dos melhores filmes de 2017.

O Carisma Sedutor de Natalie Dormer

O painel de Game of Thrones, último do dia, foi o mais cansativo. Apesar de dois assuntos interessantes – Concept Art e Animação 3D – foram extremamente técnicas. Assim, depois de quase 5 horas de painéis, os bocejos foram inevitáveis.

Natalie Dormer no painel de Game of Thrones
Estamos esperando ansiosas a Natalie em mais uma série.

Finalmente, a deslumbrante Rainha Margaery sobe ao palco para contar como foi a sua trágica separação com GoT. Ela contou o quanto ficou surpresa com a morte precoce de sua personagem, projetos futuros, empoderamento feminino e, até mesmo, sobre o Trump.

Para terminar a noite, podemos assistir uma preview exclusiva do Season Finale de Westworld, que serviu para aumentar ainda mais a expectativa para o episódio de domingo.

Depois de um dia corrido, vamos dormir que amanhã tem mais.

  • Walber Lima

    Po que bacana, não sabia que a ComicCon Brasil tinha se tornado tão gigante quanto a de San Diego, brasileiro é foda para essas coisas.

    Tirando alguns sites de entretenimento, como esse site, acho esse evento pouco divulgado pelo Brasil, talvez em Sampa tenha mts propagandas obviamente mas Brasil afora, nem no Rio, ou na TV, você vê essa propaganda maior para o tamanho do evento, mostrando a força da internet no publico jovem.

    A cobertura do site tá ótima como sempre, Alê parece uma criança que ganhou um brinquedo novo.

  • Bundalelê

    Rainha Marjorie? MARJORIE?
    Só se for Marjorie Estiano!

    • Fábio Santos

      Natalie foi rainha ano passado, já a Marjorie Estiano.
      #badumtss

      • Bundalelê

        LOL

      • Vitor RC

        AAAAAAHHHHHAHAHAHA

  • Matheus Machado

    Parabéns Ale, ótimos relatos!!! Aguardo os do segundo dia.

  • VALERIANA BARROS

    Alê é pura felicidade.rs

  • Letícia Menezes

    Muito legal, sinto muita inveja hahaha