Class 1×07: The Metaphysical Engine, or What Quill Did

1
194

Miss Quill podia muito bem ser mais um daqueles personagens que se limitam a fazer parte do núcleo secundário de uma história e nunca alcançam um desenvolvimento digno. Na maior parte das vezes esses personagens acabam servindo como o alivio cômico dentro de uma narrativa e Quill vinha desempenhando esse papel desde o início de “Class”. Ela é a professora ranzinza e sarcástica que a todo o momento solta uma frase de efeito, com a finalidade de nos provocar alguns risos, e que vez ou outra ajuda a derrotar o monstro do dia.

Sua função na série quase se resume a isso, mas Quill já demonstrou em vários momentos que pode ser uma personagem muito mais profunda. Sua situação de submissão à Charlie e todo o sofrimento e dor que ela sente devido a perda de seu povo renderiam uma nova visão sobre a sua personalidade. E para que isso acontecesse Quill precisaria de um tempo maior para si, como já aconteceu com os outros personagens, para que ocorresse esse desenvolvimento. Esse episódio poderia ter sido o momento perfeito para isso, mas não foi.

Não estou dizendo que não houve um trabalho psicológico em cima da personagem, mas eu tenho a sensação que ela poderia ter sido explorada um pouco mais, que aquilo que foi feito tinha tudo para ser muito bom e não simplesmente OK. O drama de Quill, por si só, já renderia uma ótima história e a ideia de viagens através dos conceitos de paraíso/inferno poderia agregar muita coisa para uma personagem que parece ser tão descrente, mas parece que esse potencial não foi totalmente explorado.

 Quem não tem uma TARDIS viaja como pode. The Metaphysical Engine, or What Quill Did.
Quem não tem uma TARDIS viaja como pode. The Metaphysical Engine, or What Quill Did.

Ainda assim é bom vislumbrar as outras faces que nos são apresentadas. Para quem se denomina como a própria guerra em pessoa, Quill possui um lado bem mais frágil. Durante os momentos em que não está destilando sarcasmo para todos os lados (que é uma das melhores que ela possui, mas que nesse episódio poderia ter sido dosado um pouco mais), podemos perceber que ela sofre não somente pela perda do seu povo, mas também pela perda de alguém que ela amou e que essa dor não foi causada pelos Shadow Kin, mas pelo Rodhianos e isso é um mais um ponto negativo para o histórico deles, que parecem ser alvos de um ódio igual ou até maior do que aquele que ela sente pelas sombras assassinas.

“Eu não ofereço piedade. Eu ofereço uma dor compartilhada.”

Houve uma urgência em mostrar o procedimento da retirada do Arn, mas isso poderia demorar um pouco mais para acontecer, pois já sabíamos que tudo ocorreria bem e que Quill receberia um unlocked bem sucedido nas suas habilidades. Assim não precisaríamos presenciar toda a historinha da paixão repentina com o metamorfo. Eu entendo que foi um modo de acabar com a seca que ela estava vivendo, superar o trauma de ter se agarrado com um robô e dramatizar um pouco a luta por sobrevivência que eles tiveram para sair de dentro do Gabinete, mas poderíamos ter sido poupados disso, até porque química que é bom não teve.

 Como é que alguém consegue viver com uma criatura desse tamanho dentro da cabeça?  E como isso vai parar lá dentro? The Metaphysical Engine, or What Quill Did.
Como é que alguém consegue viver com uma criatura desse tamanho dentro da cabeça? E como isso vai parar lá dentro? The Metaphysical Engine, or What Quill Did.

Outra coisa que também ficou difícil de engolir foi a facilidade com a qual as almas mostraram a saída do Gabinete quando Quill pediu por isso. Se eu fosse ameaçado por alguém que pretende acabar com as pessoas da minha raça, eu jamais entregaria a saída de mão beijada como elas fizeram. O mais sensato seria deixa-la presa, vagando pelo deserto até que ela encontrasse um modo de sair dali por conta própria. E isso ajudaria a explicar melhor a aparência cansada com a qual ela surgiu no último episódio.

“The Metaphysical Engine, or What Quill Did” pode não ter sido da forma que eu esperava, mas ganha pontos comigo por trazer um pouco mais de Miss Quill, o que é sempre bem vindo. E a Season finale já está batendo nas nossas portas e ao que parece nem todo mundo vai sobreviver a ela. Quem vocês acham que vai morrer? Quem vai salvar o mundo? Comentem aí.

> Entrevista com o elenco de 3%!

Nota de um diário de classe: Quill está grávida?

Nota de um diário de classe nº2: Se a gravidez for realmente confirmada vamos torcer para que o bebê não seja adepto da tradição de comer a genitora logo após o nascimento. Não deve ser um momento muito agradável na vida desse povo.

  • Ronaldo

    Eu gostei muito do episódio apesar de ter sido apressado com o plots. Tomara que renovem a série!