BoJack Horseman 3×11/12: That’s Too Much, Man!/That Went Well [Season Finale]

Dessa vez a tempestade bateu muito, mas muito forte

9
341

Chegamos ao eminente desastre da reta final do terceiro ano de BoJack Horseman. Eminente digo porque desde o início cada um de nós sabia que não há qualquer possibilidade de algo não dar errado na vida de BoJack. Resta sempre esperança depois da tempestade, mas a tempestade chega e ela destruiu muita coisa que o cavalo constrói ao longo da temporada. E dessa vez a tempestade bateu muito, mas muito forte. Talvez a pior coisa que já aconteceu ao cavalo, ou ao menos a pior coisa que nós já testemunhamos.

Sarah Lynn é aquela ferida que não cicatriza, aquele machucado mole que quando você cutuca, dói. Ela estava indo muito bem sem o BoJack. 9 meses sóbria até ele ligar para a casa dela e a convidar para festejar. Talvez tenham sido 9 meses ao estilo irreverente da garota, mas a simples ideia de ela conseguir se redimir e abandonar as drogas já aqueceu o meu peito. Ela sempre foi uma daquelas personagens que me deixam triste. Cheguei bem próximo de detestar o BoJack quando ele dormiu com ela lá atrás. Mas acontece que ter os dois contracenando é muito bom. Quando eles ficam bêbados e começam a escolher os episódios de Horsin Around que querem ver, você sente uma tristeza pela nostalgia deles e ao mesmo tempo abre um sorriso porque vê que no lugar e tempo certo, eles poderiam ter uma amizade belíssima. Mas quem acompanhou até aqui sabe que para o BoJack nunca vai ser o lugar ou o tempo certo. Não porque eles não existem, mas porque ele sempre vai fazer o máximo possível para se afastar deles.

A dupla se vê então numa cruzada de destruição. Visitando e perturbando as pessoas que BoJack magoou recentemente e pedindo perdão. Não realmente porque ele está o buscando, mas para poder viver consigo mesmo. De todas as desculpas que BoJack pediu em vão, a única que pareceu genuína foi a sua para Princess Carolyn. Já a sua conversa com Ana, que teve de ser repetida mil e uma vez porque ele continuava ficando inconsciente toda vez que ela começava a contar a sua história, foi a mais relacionável, já que ninguém quer saber dessa mulher chata. O crescimento da relação entre BoJack e Sarah Lynn nesses dois episódios foi a prova final (se já não tivemos o suficiente) de que a animação é um dos dramas mais bem escritos do momento.

Os dois acabam num planetário assistindo Cosmos e quando as coisas começam a parecer melhores para BoJack, quando ele talvez está finalmente vendo a luz, algo terrível acontece. Algo com que o episódio já tinha brincado e portanto nos feito sentir que não era uma possibilidade. Sarah Lynn morre. BoJack nunca esteve tão fundo no poço. É difícil imaginar uma saída para ele e um final feliz nunca pareceu mais distante. Ou melhor, qualquer final. Não dá pra acreditar que BoJack consiga alcançar qualquer sentimento de conclusão depois disso e é o que acontece mesmo. O próximo episódio trata a morte da garota da forma mais crua possível e nos lembra de que estamos falando de celebridades. E a verdade é que, no final do dia, BoJack matou Sarah Lynn.

O fim dessa temporada tocou num estágio completamente diferente da miséria e da melancolia. Quando BoJack vaga sem rumo e encontra o enorme grupo de cavalos correndo, cobertos de suor e com liberdade enterrados debaixo do cansaço e da dor, nós conseguimos ver no rosto dele algo inédito. Um gênero diferente de tristeza, quase como se ele estivesse olhando para o próprio futuro e não vendo nada. O mesmo olhar que veríamos nos olhos de BoJack se ele tivesse uma corda em volta do pescoço ou um revólver na boca. Um vazio.

Mas piora.

BoJack tem uma filha. Mais alguém para destruir. Mais uma vida para arruinar. Mais uma pessoa para perder. Outra coisa que já tinha sido sugerida antes, mas que parece muito mais aterrorizante agora que é real, porque uma filha não significa uma nova oportunidade ou um novo começo para BoJack. Ninguém consegue imaginar um final feliz pro BoJack, é. Isso todo mundo já está cansado de saber. O problema é que não dá pra imaginar um final feliz pra quem está ao redor dele também. Mas vamos continuar esperando que seja o caso, não é?

Esse ano de BoJack foi uma das melhores experiências que eu tive em algum tempo. Sem dúvidas a melhor temporada da série e um dos melhores lançamentos do ano inteiro. Daqui pra frente o desafio é tentar manter esse nível ou superá-lo, mas confesso que não consigo imaginar a próxima temporada sendo capaz de fazer qualquer um dos dois. Essa temporada pareceu um daqueles acontecimentos milenares, sabe? Seja como for, uma coisa é certa: BoJack provou de vez que não há nenhum drama na televisão que chegue perto de entender tão bem a condição humana e o que significa estar triste.

Gags mais charmosas do episódio

IMAGEM 1

“Animal Husbandry” e “Human Wifery”.

IMAGEM 2

Livros são os novos iPads mesmo.

IMAGEM 3

BoJack Horseman mais uma vez dando uma lição de como se ser sutil.

IMAGEM 4

Sabia que em algum momento as merdas de espião iam voltar. Não me decepcionei.

IMAGEM 5

Essa piadinha dos besouros foi tão infame que não deu para entender como os animadores conseguiram se controlar e deixaram ela tão bem escondida. Devem ter se coçado em agonia com vontade de deixar ela bem escancarada.

IMAGEM 6

A Sarah Lynn limpando a maquiagem com solvente de tinta foi mais um daqueles detalhes que disse muito sobre o que é ser uma celebridade.

IMAGEM 7

Esse garçom tentando endireitar a Torre de Pisa foi uma ótima piada recorrente.

IMAGEM 8

“Botões importantes”.

IMAGEM 9

Caraca, até BoJack dando alfinetadas no J. J. Abrams por causa dos lens flares.

IMAGEM 10

“Por favor, sem comida ou bêbados” e “Segure seus filhos pela coleira”. Daquelas piadinhas que te fazem sentir bem por ficar pausando o episódio o tempo todo.

IMAGEM 11

Não sei se mais alguém se sentiu assim, mas eu perdi um bom tempo rindo dessa imagem. A forma relaxa com que o gato tem as mãos nos bolsos e a cabeça levemente inclinada… não deu pra mim, gargalhei e gargalhei até doer. Paródia perfeita de pôsteres de comédias românticas. 

Outras coisas que eu adorei:

– A Sarah Lynn ligando o liquidificador toda vez que o BoJack começava a desabafar foi bem engraçado, mas foi uma piada que disse muito sobre relações também.

– Adorei a lesma Simon. Outro personagem que também é mais interessante que a Ana.

– Só nesse episódio que eu me lembrei que a Sarah Lynn é dublada pela Kristen Schaal. Ajudou um pouco a superar a tragédia, porque eu detesto essa atriz com cada célula do meu organismo.

– O BoJack destruindo a casinha do filho do suricati que trabalhava como contabilista do Mr. Peanutbutter foi uma das poucas vezes em que fiquei realmente furioso com o cavalo. E foi algo tão aleatório, provavelmente escrito para ser engraçado.

– O Raphael Bob-Waksberg tem uma aptidão para fazer paródias de narrativas tão alta quanto a do Dan Harmon. Vide a Sarah lynn dizendo ao BoJack que teve uma sequência em que eles foram ao shopping provar sobretudos.

– O flashback que o BoJack tem com o Cuddlywhiskers e a conversa metalinguística sobre metalinguagem já se tornaram clássicos.

– Todd é assexuado. Por essa eu não esperava… ou esperava? Sei lá, duvido que alguém alguma vez tenha se perguntado sobre a sexualidade do Todd. Em compensação, vou ficar até o fim da próxima temporada cheio de raiva por ele ter dado a gorjeta de 8 milhões de dólares. Imaginem que legal seria uma temporada com um Todd milionário e um Mr. Peanutbutter governador? O terceiro ano seria uma espécie de reboot.

– Só para que fique claro: eu disse lá atrás que o Mr. Peanutbutter e os seus escorredores de macarrão iriam salvar o dia. Só não ri mais disso do que dele ouvindo as 98 mensagens. 

Falas que me fizeram uivar:

– “Foi tão difícil. Eu estava preso num ciclo aterrorizante de beber e levantar a minha cabeça. Beber e levantar a minha cabeça. Beber e levantar a minha cabeça.” 

– “Sabe o que mais? Isso podem ser os sais de banho falando, mas eu quero snifar mais sais de banho.” 

– “É o que dá juntar o apetite de um cavalo com o apetite de uma pessoa com um buraco dentro de si que precisa ser constantemente enchido com atenção, comida e sexo.” 

– “Espera, a minha personagem diria isso? Qual é a parada da Diane mesmo? Ela é tipo uma Daria asiática?” “Ela é um pouco mais complexa que isso.” “Mas ela é basicamente uma Daria asiática, né? Com os óculos e a jaqueta e toda a coisa do ‘blah’.” 

–  “Essa estrela do cinema realmente se interessou pelo nosso filho. Você acha que essa é a nossa grande oportunidade?” “Você não acha que ele está interessado de uma forma inapropriada, né?” “Quê? Não. Mas se ele estiver, ainda podia ser a nossa grande oportunidade… tô só falando.” 

– “Quer levar o Todd pra uma festa de pijama?” 

“Esparguete ou não, aqui vou eu!” 

“Os egípcios sabem mesmo como tratar um gato.” 

– “Sempre quis ser uma arquiteta. Mas uma daquelas arquitetas que é acompanhante de luxo à noite e depois de dia uma superespiã internacional.” “Então quando é que ela é uma arquiteta?”

“Sei lá, na era das descobertas?” “Não, eu não quis dizer que era. Se ela é uma acompanhante de noite e espiã de dia…” 

– “Eu sinto que todos meus amigos só gostam de mim porque eu sou a Sarah Lynn, sabe? Ninguém quer saber da Sarah Lipschitz.” “Quem é Sarah Lipschitz?” “A advogada que me ajudou a mudar o nome de Sarah Helmulfarb.” 

– “Ei, aquela é a atriz de personagem Margo Martindale? Ela está na lista de mais procurados do FBI… e na lista de 20 atrizes que fazem tudo melhor do AV Club!”. 

– “Oh não! A massa está cozinhando!” “Se ao menos tivessemos azeite para impedir a massa de ficar grudenta…” “Mas azeite não impede massa de grudar. É só um mito.” “Nãoooo! Perdi tanto tempo da minha vida colocando azeite na massa!”

  • Arya Ibelin

    Realmente, que temporada magnifica.

  • Arya Ibelin

    Realmente, que temporada magnifica.

  • Marcos Bastos

    Eu fiquei com um vazio enorme dentro de mim depois desses episódios. A série vai ficando mais obscura a cada ano (e eu espero que pare por aí, afinal já estamos no fundo do poço, não pode ficar pior).
    Quanto ao Todd, na minha opinião ele deu toda a fortuna de propósito. O modo como ele falou “pense como isso mudaria as coisas” me fez pensar que ele não queria ser rico e independente.

    Só com esses dois episódios que eu percebi o quanto BoJack Horseman gosta de colocar coisas que não parecem importantes e fazê-las ter significado depois (Chekov’s Gun).
    No 1×03, a jovem Sarah Lynn diz que queria ser arquiteta e nesse episódio quando o carro do BoJack destrói a casa de brinquedo ela fala exatamente como o pai deveria ter construído, mostrando que apesar de tudo ela se interessava por engenharia. Ela também fala que gosta de domos, e por isso queria ir no observatório. “Eu queria ser uma arquiteta” acaba sendo as ultimas palavras dela.
    No inicio desse ep, aparece um quadro que é uma parodia da pintura Ophelia na casa da Sarah, e claro, tem a droga BoJack (BoJack Kills é, inclusive, o titulo de um dos episódios dessa temporada). Tava tudo na minha cara. Droga BoJack.

    No episódio do aborto, o BoJack fala que ele deu dinheiro pra aborto a todas as mulheres com quem ele dormiu e esperava que elas não tivessem ficado com o dinheiro, e nesse episódio descobrimos a filha dele.

    E tem, claro, os escorredores de macarrão. (E mais uma vez o dia foi salvo pelo Mr. Peanutbutter)

    Essa série é genial. Me faz pensar no que a Diane fala sobre “não terá ninguém perto de vc quando vc morrer” e o fato de Secretariat, ídolo do BoJack, ter se suicidado. A série vai acabar com ele sozinho, se matando.

    E foi muito bom ver como a temporada foi ousada ao termos um episódio completamente passado em flashback (2007) com flashbacks dentro dele; um episódio em que quase não há diálogos (o episódio debaixo d’água); um episódio contado do ponto de vista dos “vilões” em que eles vencem no final; um episódio sobre aborto com uma musica que fala sobre matar fetos; e um episódio todo cheio de apagões (o 11).
    BoJack Horseman é uma das melhores coisas que já assisti.
    p.s: A mansão dele, na abertura, está cada vez mais vazia.

  • Marcos Bastos

    Eu fiquei com um vazio enorme dentro de mim depois desses episódios. A série vai ficando mais obscura a cada ano (e eu espero que pare por aí, afinal já estamos no fundo do poço, não pode ficar pior).
    Quanto ao Todd, na minha opinião ele deu toda a fortuna de propósito. O modo como ele falou “pense como isso mudaria as coisas” me fez pensar que ele não queria ser rico e independente.

    Só com esses dois episódios que eu percebi o quanto BoJack Horseman gosta de colocar coisas que não parecem importantes e fazê-las ter significado depois (Chekov’s Gun).
    No 1×03, a jovem Sarah Lynn diz que queria ser arquiteta e nesse episódio quando o carro do BoJack destrói a casa de brinquedo ela fala exatamente como o pai deveria ter construído, mostrando que apesar de tudo ela se interessava por engenharia. Ela também fala que gosta de domos, e por isso queria ir no observatório. “Eu queria ser uma arquiteta” acaba sendo as ultimas palavras dela.
    No inicio desse ep, aparece um quadro que é uma parodia da pintura Ophelia na casa da Sarah, e claro, tem a droga BoJack (BoJack Kills é, inclusive, o titulo de um dos episódios dessa temporada). Tava tudo na minha cara. Droga BoJack.

    No episódio do aborto, o BoJack fala que ele deu dinheiro pra aborto a todas as mulheres com quem ele dormiu e esperava que elas não tivessem ficado com o dinheiro, e nesse episódio descobrimos a filha dele.

    E tem, claro, os escorredores de macarrão. (E mais uma vez o dia foi salvo pelo Mr. Peanutbutter)

    Essa série é genial. Me faz pensar no que a Diane fala sobre “não terá ninguém perto de vc quando vc morrer” e o fato de Secretariat, ídolo do BoJack, ter se suicidado. A série vai acabar com ele sozinho, se matando.

    E foi muito bom ver como a temporada foi ousada ao termos um episódio completamente passado em flashback (2007) com flashbacks dentro dele; um episódio em que quase não há diálogos (o episódio debaixo d’água); um episódio contado do ponto de vista dos “vilões” em que eles vencem no final; um episódio sobre aborto com uma musica que fala sobre matar fetos; e um episódio todo cheio de apagões (o 11).
    BoJack Horseman é uma das melhores coisas que já assisti.
    p.s: A mansão dele, na abertura, está cada vez mais vazia.

  • Foi incrível! E suas reviews são excelentes, parabéns. E obrigado por fazê-las. 😀

  • Foi incrível! E suas reviews são excelentes, parabéns. E obrigado por fazê-las. 😀

  • Parabéns pelas reviews.
    Final chocante e já é um dos melhores episódio do ano sem dúvida. Impressionante o que essa série fez nessa temporada. Só espero que a próxima temporada não demore tanto.

  • Parabéns pelas reviews.
    Final chocante e já é um dos melhores episódio do ano sem dúvida. Impressionante o que essa série fez nessa temporada. Só espero que a próxima temporada não demore tanto.

  • Pablo Meireles da Rosa

    Filha??? Bojack tem uma filha? Onde? Eu perdi isso…