Ballers 2×09: Million Bucks in a Bag

2
232

Que reviravolta, hein Spencer? Depois de almejar voos mais altos e ter as asinhas cortadas pelo seu chefe, no drama que se repete novamente pela segunda temporada consecutiva (demissão do protagonista), o mundo de Spencer realmente sofreu grandes abalos. Apesar de a notícia ter se tornado pública em uma situação longe do ideal, o ex-jogador parece não ter sofrido tanto com isso, e recebeu inclusive certa solidariedade de seus jogadores.  Vernon por exemplo, se dispôs imediatamente a ajudar o amigo, e a forma como ele e mesmo Reggie lidaram com isso, foi passando uma mensagem clara de “a gente colhe o que planta”.

Não dá pra negar que ele causou uma excelente impressão em Anderson, com sua proposta. O problema é que o empresário se vê encurralado por Andre, que de fato tem um ponto muito forte: Spencer é o grande chamariz da empresa! Andre foi realmente um antagonista inteligentíssimo ao longo dessa temporada, se mostrando sempre dois ou três passos à frente de seus rivais. Ele armou uma situação perfeita para demitir Spencer, o que dá a ele a oportunidade de contratar o carismático ex-jogador, ao mesmo tempo em que compra a ASM bem mais barato do que o previsto! Basicamente, na PIOR das hipóteses, ele ainda se dá muito bem. Clap, clap, clap, palmas, Andre.

Aliás, o interesse do empresário por Spencer já parecia estar latente, e agora está mais do que óbvio que eram os planos dele desde o início. O maior atrativo da ASM É Spencer, e os relacionamentos que ele traz entre os jogadores. De certa forma algumas coisas que ele fez ao longo dessa temporada foram quase testes para ver como ele reagiria, e mesmo em momentos difíceis, como ao perder Ndamukong Suh para seu arquirrival, Spencer agiu de forma calma, minimizando prejuízos, aceitando a troca em prol da diplomacia.

A questão agora é mais com Spencer e o seu desejo de se tornar dono. Ele parece cansado de ter que lidar com interesses de outras pessoas. A vida toda como jogador ele teve que agradar a seu técnico, a seu GM, ao dono do time, à torcida; agora ele precisa mostrar resultado a seu chefe, e mesmo com toda a autonomia do mundo, ele sabe que Andre também pode mudar de ideia a qualquer momento. Spencer está mirando muito mais alto, arriscando muito.

Enquanto isso, Ricky pensa no que é melhor para sua carreira, e percebe que mais importante do que dinheiro – e ao longo da série toda já ficou mais do que estabelecido que o jogador tem muito dinheiro e pode ter uma vida maravilhosa pelo resto de sua vida – o importante é encontrar algum lugar que lhe dê relevância, que lhe dê chances reais de ingressar no seleto Hall da Fama, se igualando a grandes recebedores como Jerry Rice, Lynn Swan ou Raymond Berry. E existe um time que faz grandes feitos com WR veteranos: New England Patriots. Ricky jogará com o marido de Gisele no ano que vem, no caminho para Canton.

O que dizer então de Charles, que, de pretenso jogador, virou um olheiro? Aparentemente o jogador que ele foi conhecer nesse episódio será um projeto interessante para a próxima temporada, mais ou menos como Travis Mach ou Vernon na temporada passada. Vale ficar de olho.

  • Fabio Junior

    Essa série ta ótima e o The Rock demonstra cada vez mais o quão talentoso é. Essa temporada melhorou demais focando mais nas histórias e menos na putaria, por mais que elas sejam muito ativas nesse mundo. Só permaneço sentido falta de uma Maria chuteira pra dar dor de cabeça ao Spencer.

  • Rafa Silveira

    Andre foi um gênio. Tão gênio que após a conversa dele com o Spencer, eu fiquei irritado pra caramba com o grandão.
    Andre jogou limpo, deixou as cartas na mesa e ainda deu um puta conselho que deveria ser seguido pra evitar merdas futuras.
    Se o Spencer fosse um pouco menos teimoso e orgulhoso, ele teria dado ouvidos e ido trabalhar pro Andre. Juntava a própria grana e depois abria o próprio negócio já com know how. Mas se o cara é assim com a própria saúde, que dirá com a carreira