Arrow 5×04: Penance

19
1904

Arrow mostrou em “Penance” que para crescer foi necessário diminuir bastante.

Pode parecer um pouco confusa a frase anterior, mas em se tratando da quinta temporada de Arrow e da trajetória da série após quase 100 episódios exibidos, é a mais pura verdade. A série do Arqueiro Verde nunca foi pequena. Desde seu primeiro episódio a produção vem sendo confrontada por assuntos maiores do que a própria ambientação e personagens explorados. Durante a primeira temporada tivemos um vilão treinado pela liga dos assassinos e com a missão de destruir parte de Starling City. Na segunda temporada um exército de soldados com superpoderes invadiu a cidade, liderados pelo terrível Exterminador. Já no terceiro ano da série, escolheram o próprio Ra’s Al Ghul para servir de antagonista, impondo uma mitologia maior do que a do próprio Arqueiro Verde. Não obstante, escolheram Damien Dahrk e o sobrenatural para desenvolver a temporada anterior da série.

O padrão sempre foi o de aumentar cada vez mais o nível da ameaça e do vilão, através da errada noção de que assim, a série estaria impondo qualidade e conquistando novos fãs. O peso de nomes e tramas rebuscadas não ajudou, já que o universo da produção e do próprio herói nunca foi grandioso. Oliver Queen sempre foi um homem com uma aljava abarrotada de flechas, não um super-herói com poderes de voo, ou super força. Vê-lo enfrentando inimigos cada vez mais poderosos até surtia certo efeito de antecipação, mas no final as saídas não condiziam realmente com o tom esperado.

Hoje, no seu quinto ano, Arrow já percebeu que a frase ‘menos é mais’ encaixou perfeitamente na trama recorrente da série. E fica fácil perceber quão melhor estruturada a produção está após o processo de diminuir o próprio mundo para mostrar a evolução de seus personagens. O primeiro e importante passo foi a transformação de Oliver em um mentor. Como professor tudo se torna mais difícil, desafiador, e se o público consegue perceber que existem barreiras, então a superação se transforma em um prêmio.

Tome como exemplo Penance, quarto episódio da atual temporada. Existiram ótimos momentos e tudo porque as cenas criadas não precisaram depender, exclusivamente, de um assunto grandioso e rebuscado. A missão foi bem simples e cheia de adrenalina, aspecto que a série havia deixado de lado ao tentar, com muita força, impor a ação sem limites. Este foi exatamente o problema da quarta temporada, a não constatação de que corridas frenéticas de moto, lutas e explosões, são apenas complementos e não o pacote completo. É preciso se preocupar com quem está na linha de batalha.

Arrow -- Penance
Arrow — Penance

Quando os recrutas estão em ação, qualquer investida que o Arqueiro resolveria facilmente, se torna instável. E instável em uma série de ação é bom. Vê-los errar é parte da diversão, porque neste momento tudo é possível. Qualquer confronto direto entre Oliver e Tobias, na mesma situação, poderia ter sido impedido, mas como o Sr. Queen estava resgatando o amigo da prisão militar, a responsabilidade ficou com os novos heróis de Star City. E as cenas funcionam muito bem, porque são cheias de tensão. A instabilidade de Wild Dog, a inocência de Curtis e Artemis, além da relutância de Retalho, são pontos que complementam a segurança do Arqueiro. Poder ter essa equipe em ação coloca o nível do episódio acima de seus antecessores e sem precisar “forçar a barra”.

Falando em Retalho, seu drama com a destruição de Havenrock e o papel de Felicity parece ter se resolvido. Ou melhor, parece ter começado a se resolver. Em Arrow é comum ver o roteiro se arrastando por alguns episódios até finalmente sanar problemas antigos. Por incrível que pareça, a discussão que eu pensei só ser possível após mais alguns capítulos, aconteceu neste. E é muito bom, porque aumenta o espectro sentimental dos personagens e garante que os coadjuvantes terão algum assunto para comentar que não sejam os treinamentos.

Obviamente não poderia deixar de falar do vilão da temporada, Tobias Church. Como mencionei acima, existe algo muito bom e novo em ter um antagonista sem um pano de fundo pesado para a série. Tobias é o típico “rei do crime”, um homem centralizado em conquistar uma cidade através da força. É a primeira vez, por exemplo, que um vilão não está desejando a destruição total de Star City, mas sim conquista-la. Claro que ainda temos o arqueiro misterioso, mas só de conseguir algumas cenas com um personagem que mantém em seus punhos e maquinações todo o seu poder, é refrescante.

Outro aspecto do episódio que trabalhou bem foi a divisão entre a vida de Oliver como prefeito e também como vigilante. Para que o núcleo da prefeitura funcione foi necessário retirar Thea do quartel general e inseri-la, ao lado de Quentin, em um ambiente também novo e não muito grandioso. Toda a preparação da personagem na temporada anterior fez efeito, assim como a junção do promotor. É um lado que não tira a graça do que está acontecendo paralelamente e impõe uma maturidade maior para a série.

E por falar em maturidade, até mesmo os flashbacks já estão impondo um ritmo que condiz com todo o clima da nova temporada. Utilizar um personagem bom e construir a história ao redor dele foi o grande trunfo de toda a história na Rússia. Anatoly é um bom personagem, interpretado por um ótimo ator, e mesmo que a série ainda esteja trabalhando as cenas no passado como um reflexo do presente, ver Oliver lidando com assuntos mais adultos e com personagens de apoio que realmente desempenham a função pretendida, é outro aspecto positivo.

Penance é exatamente o que Arrow estava precisando. Um episódio centralizado, com ótimos momentos e cenas bem feitas, além de uma noção de que fazer menos ajuda muito mais do que criar situações impossíveis. Não é necessário que a série exploda o mundo, ou retire cenas de perseguição dignas de Velozes e Furiosos para que os fãs continuem assistindo. Não, é preciso apenas qualidade. E não consigo negar, esta temporada está provando que pode fazer muito mais, quando pensa em menos.

> Teorias Bizarras de Westword

Easter eggs e outras informações em Penance

– Novamente tivemos a menção da Industria Kord. A empresa é controlada por Ted Kord, que nos quadrinhos atende pelo nome de Besouro Azul.

– O número da cela do John é 1138, que também é o nome do primeiro filme dirigido por George Lucas THX 1138.

– Durante o episódio Retalho diz que seu pai tinha uma loja de penhores em Havenrock. Bom, isso é saído das histórias em quadrinhos, em que o personagem realmente era dono de uma loja de penhores chamada ‘Rags N Tatters’, mas a localização era um pouco mais famosa, Gotham.

  • Markson Rennyer

    Excelente episódio. Excelente crítica. É bom ver que as críticas (e principalmente a baixa audiência) influenciaram no modo de pensar dos produtores da série. Vejo a cada novo episódio uma semelhança maior entre as duas primeiras temporadas. Uma série/herói mais pé no chão, sem exageros. As lutas melhoraram, a postura do Oliver melhorou, os dramas pessoais estão se resolvendo mais rápido… Enfim, Arrow respira, pessoal.

  • Gabriel

    Parece que não foi só o sexo do filho do Diggle que o Flashpoint Paradox mudou. O Flash conseguiu fazer Arrow voltar a ser boa.

  • Patrickzzz

    4 episódios melhores que a quarta temporada inteira.

    • João Paulo

      E metade da terceira.

  • Mari Martins

    Amei esse ep!

    Mt êxtase ao longo dele!

    Deixou um bom gancho pro ep que vem, como a questão do resgate do Cão Raivoso, o tiro que o prefeito, Oliver, leva, no trailer atual.

    Adorei Quent como Vice… Já adoro o Cão Raivoso. Church é um bom vilão. Só o fato de Damian ter dado o fora melhorou muito. Pra melhorar ainda mais, gostaria de ver alguns dos participantes que foram embora: MOIRA/ JUSTICEIRO/ TOMMY/ LAUREL/ ROY…

    <3

  • Juliano Guilherme

    Voltei a gostar de Arrow. Nem os flashbacks me incomodam esse ano. Achei a máxima menos é mais perfeito para o atual momento da série.

  • Só não entendi como é que o Retalho era capaz de bloquear uma explosão e parar inúmeras balas de metralhadoras, mas não era capaz de fazer frente a Church e salvar o MadDog.

    • RetardadoBoy

      bem nonsense mesmo. *WildDog

  • Caio Vinicius Viana Lima
  • Vitória Martins Souto

    Ainda há esperança Jeová, oremos irmãos, to feliz com a melhora da série, espero não me decepcionar!

  • Luana

    Esse início de temporada tá com um gostinho da 1ª e da 2ª… // Por favor, que esses produtores não se arrependam no meio do caminho!!!

  • João Paulo

    Arrow melhorou bastante mesmo, até o flashbacks, que foram totalmente descartáveis nos últimos dois anos se tornaram interessantes.

    Eu só fico me perguntando qual a função do Curtis no Team Arrow?
    Se ele ficasse como um apoio a Felicity eu até entenderia, mas o cara não sabe lutar, não tem experiência nas ruas, é um belo de um 0 à esquerda.
    E ainda por cima, não acho nem um pouco carismático, ele tentar trazer um ar mais leve com suas piadas, mas sempre soam forçadas e sem graça.

    • Leonardo dos Santos Silva

      Além do Curtis, a Evelyn Sharp. Os dois só prestam pra apanhar em campo, nada acrescentam e o Curtis como vc disse, é forçada as piadas, também não vejo graça, muito melhor a dinâmica dele com a Felicity, até porque ela está em um relacionamento com o Malone, “não pode dar tanta atenção” ao Team Arrow já que ele não sabe desse trabalho. E por falar em trabalho, como esse povo se sustenta? Só o Oliver e a Thea trabalham agora!!! Hahahaha, brincadeiras a parte, como disse o amigo ali embaixo, Flashpoint não mudou só o sexo do bebê Diggle, fez com que Arrow voltasse a ser boa.

  • Pedro Lucas

    Como sempre ,ótima review do Diego Antunes. Queria saber das reviews do Gotham ,a temporada está tão boa com o arco do Chapeleiro Louco quanto a segunda temporada , não entendi pq pararam com elas.

  • Raquel Cristina

    Não sei se alguém comentou, mas o título está errado, Arrow está na quinta temporada e não quarta 😉

    Ainda to com um pé bem lá atras com Arrow, me decepcionei mt nas ultimas temporadas então não estou criando mt expectativa para essa. Mas ta bem encaminhado, o passado do Oliver já não me faz dormir, o q é já é muito. Não gostei dos personagens novos, mas entendo o motivo.

    • Menina, 3 dias que a review tinha sido postado e ninguém tinha visto esse erro no título. Que absurdo. rs Acabei de corrigir, brigadão pelo toque.

      • Leonardo dos Santos Silva

        Continua errado cara! ahahah

        • Leonardo dos Santos Silva

          Mentira, é só o link que está 4×04 mesmo kkk