Agents of S.H.I.E.L.D. 4×06: The Good Samaritan

40
1593

Agents of S.H.I.E.L.D expõe a origem de seu Motorista Fantasma com The Good Samaritan, em um episódio abaixo da média.

Sempre que paro para analisar um episódio, penso antes em quão fácil é enumerar os pontos positivos e como eles sobrepõe os negativos – ou o oposto. A tarefa mais difícil, porém, é quando após alguns minutos ponderando, simplesmente não consigo chegar a uma conclusão. The Good Samaritan é exatamente o tipo de episódio em que cada feito, desmerece o anterior. Para o bem ou para o mal, Agents of S.H.I.E.L.D. está empenhada em construir uma história para seu personagem mais ambicioso desde a participação de Nick Fury na primeira temporada da série. Infelizmente o caminho não está compensando, apesar do resultado final estar sendo bem satisfatório.

Em seu sexto episódio, MAoS fez o que muitos já imaginavam, e mergulhou de vez nas origens de Robbie Reyes, o Motorista Fantasma. Contudo a história do personagem já estava praticamente desenhada, faltando apenas o fatídico momento. Este padrão de entregar fragmentos de informações forçou que The Good Samaritan expusesse também o passado de outro personagem. O resultado? Uma mistura de exposição com justificativas, que só compensaram de verdade, quando o episódio terminou, e isso não é a maneira mais inteligente de aprofundar o alicerce de seu tema principal.

O trabalho aqui foi o de pensar na história de origem de dois personagens ao mesmo tempo, Eli e Robbie. Utilizando flashbacks em sua narrativa, Agents trabalhou o passado de dois personagens importantes para o andamento da temporada. Claro que existiram problemas e o maior deles foi a sensação de que estávamos acompanhando uma constante repetição. Tudo o que acontecia no passado ganhava um eco no presente, utilizando um padrão que gosto de nomear como tratamento Arrow para recontar histórias. Não é algo bom e infelizmente prejudica o ritmo da série, que está um pouco estranha neste quarto ano.

agents-of-s-h-i-e-l-d-4-06-img1
Agents of S.H.I.E.L.D. — The Good Samaritan

Toda proposta do flashback, porém, foi a de desestabilizar o que a audiência achava que sabia, para o que realmente estava acontecendo. Foram repetições utilizadas pelo roteirista, Jeffrey Bell, para impor um ritmo e uma sensação de conexão com a história de Eli. Só que este recurso só funciona lá no final, quando finalmente temos todas as informações necessárias para tirar conclusões. Neste caso Eli é o grande vilão e Robbie ganhou seus poderes após morrer e ser trazido de volta por outro Motoqueiro Fantasma. São momentos que recompensam a boa paciência do telespectador, mas que não compensam a trajetória maçante.

Também é necessário falar um pouco dos efeitos da série, que mais uma vez quebraram qualquer barreira do que é possível para uma produção da TV aberta. Existiram momentos realmente cinematográficos no episódio, com especial destaque para a cena em que Robbie é catapultado do carro.

Entretanto existe uma compreensão falha do que o Motorista Fantasma realmente é, e por isso a série está aprofundando cada vez mais o personagem. O ritmo lento, porém, não está conseguindo segurar as pontas sozinho. É preciso mais do que pequenas informações, ou o fato do diretor Mace ter levado uns sopapos para compreender um panorama tão amplo. Estamos lidando com um espírito da vingança, e enquanto a série tenta desenvolver magia e tecnologia ao mesmo tempo, o resultado não está condizendo com o trabalho. A partir deste momento a série precisará tomar uma decisão rápida. Ou continua brincando com o conceito de ciência e magia, ou mergulha de vez no estranho terreno do sobrenatural. Fazer os dois não está mais compensando o esforço.

Resumindo, em seu sexto episódio Agents esqueceu seus coadjuvantes e focou, principalmente, em preparar o terreno para o seu grande vilão. Por enquanto ainda existem vários temas sendo desenvolvidos paralelamente ao do Ghost Rider, sendo poder o mais delimitador. Quer seja ao lado do diretor, que já demonstrou amar o poder, ou do Colson, que abriu mão dele pelo bem maior, existe uma noção muito forte de que no final, é tudo sobre poder – quem tem e como ele é utilizado. Eli já conquistou o que tanto desejava, e agora só resta a série aceitar o que tanto queria, a oportunidade de romper o véu que separa o mundo visível do invisível, abraçar o mistério e honrar, de uma vez por todas, o legado que está construindo para si mesma na televisão. Enquanto estiver preocupada em apenas jogar as peças e pouco movimentá-las, o jogo permanecerá parado, e bom, tubarão que não nada…

> Veredito da 3ª temporada de Black Mirror!

Easter eggs e outras informações

– Neste episódio foi possível ver outro Ghost Rider, que podemos assumir ser Johnny Blaze. Nas revistas em quadrinhos, porém, Robbie ganhou seus poderes após ser possuído pelo espírito do tio satanista, Eli.

– Na nona arte Robbie é assassinado porque em seu carro existiam pílulas que Calvin Zabo, o Sr. Hyde, precisava. Zabo é o pai de Daisy Johnson e já apareceu na série, interpretado por Kyle MacLachlan.

– Utilizando o padrão da série, tivemos mais uma menção a Star Wars, com direito a Império, Ackbar (É uma cilada) e Han Solo.

– Foram feitas conexões com Agent Carter também, com Isodyne, Roxxon e a Matéria Zero/Negra.

– Durante a segunda temporada da finada Agent Carter, Peggy precisou lidar com o laboratório Isodyne, que estava tentando replicar um experimento perigoso com a chamada matéria zero.

– Roxxon é o nome da empresa que surgiu em Agent Carter, mas que já apareceu em Homem de Ferro 3 e também na primeira temporada de Agents of S.H.I.E.L.D.

– Matéria Zero, ou Matéria Negra, é o nome da Darkforce, a energia negativa originária da dimensão de mesmo nome. Alguns mutantes conseguem atingir a dimensão e controlar a matéria negra, ao passo que humanos precisam aprender a invoca-la através de magia ou tecnologia. Entre os personagens da Casa das Ideias que conseguem usar este poder, temos Manto (que ganhará uma série ao lado de Adaga no canal Freeform – antigo ABC Family) e Coração Negro.

– Agents of S.H.I.E.L.D. fará uma pausa e retornará com episódios inéditos em 29 de Novembro.

  • Ricardo

    Pô. Pra mim esse foi um dos melhores episódios da temporada…
    Agora alguns adendos:
    -Roxxon também apareceu na segunda temporada de Demolidor;
    -O personagem Eli está bastante diferente dos quadrinhos e parece que na série ele será uma fusão entre Eli Morrow e o Homem Molecular, visto o que acontece com ele no fim do episódio:
    -Só eu acho que o Mace é o que mais tem razão por ali? O cara é o chefão, mas ninguém dá ouvidos a ele e ainda fazem missões por baixo dos panos. Não há chefe que suporte uma sacanagem dessas. Ele tá sendo até bem compreensivo com a equipe:
    -Por que vai ter esse intervalo de 3 semanas para o próximo episódio??? o.O

    • Flavio Batista

      Velhão, tb tive a mesma impressao, achei um dos melhores episodios, muuuuuito menos cansativos q outros da temporada passada.
      Só da Daisy nao ficar choramingando e fazendo so o q ela quer, de n ser focada nela na elevou em 1000% a qualidade.
      Sua opinião com relação ao Mace é identica a minha. Espero q nao façam dele um vilao ou algo do tipo. To gostando do personagem.
      E pessoal, qdo o outro motoqueiro apareceu eu quase endoidei.

      • Ricardo

        O chororô da Daisy tava chato mesmo! Quanto ao motoqueiro achei foda como ele foi mostrado de forma diferente do Robbie. Seu crânio era uma caveira normal em chamas como o Blaze. Já o Robbie tem uma cabeça estilizada igual a um capacete de metal… Ficou interessante essa diferença entre os visuais e já mostra uma certa fidelidade visual aos quadrinhos!

    • Gabriel

      “Por que vai ter esse intervalo de 3 semanas para o próximo episódio???”

      Tem que dar um tempo para as pessoas acalmarem os ânimos e absorverem a ideia que o Johnny existe neste universo.

  • Ronaldo

    Saudades Agent Carter!

    • Flavio Batista

      Muita Sdds

  • Flavio Batista

    Eu achei um dos melhores episodios, Diego… mas a review excelente como sempre!
    Fora a qualidade do episodio, eu concordo totalmente com a sua opiniao de q a serie tem q decidir sobre a dualidade magia/ciencia. Escancara logo isso, Dr. Strange ja estreou haha
    Esse coração negro q vc falou é o BlackHeart, filho do Mephisto?

  • Rafael Tietz

    Realmente foi um episódio estranho de MAoS, não consegui me conectar com as histórias sendo contadas.
    Maaaaaasss SHIELD é SHIELD e vou continuar amando, sempre.

  • Gabriel

    Bem… eu achei este um dos melhores episódios da série.

    “Este padrão de entregar fragmentos de informações forçou que The Good Samaritan expusesse também o passado de outro personagem. O resultado? Uma mistura de exposição com justificativas, que só compensaram de verdade, quando o episódio terminou, e isso não é a maneira mais inteligente de aprofundar o alicerce de seu tema principal”.

    Não faço ideia como alguém consegue achar isto ruim. Só mostra que os roteistas têm total controle de todos os elementos apresentados na temporada e que planejaram uma temporada consistente. Não é como se eles fossem jogados e depois fizessem uma ligação que soasse absurda.

    Desde o último episódio que imaginava que seria interessante o Blaze aparecendo na estória como um mentor para o Robbie mas me pegou de surpresa que ele tenha participado na origem do Motorista. Antes estava convicto que seria um acordo com Mephisto e uniriam a mitologia de ambos os “Fantasmas” numa versão definitiva. Sabiamente optaram por não ignorar o seu antecessor.

    Também gostei que uniram a trama desta temporada com a de Agent Carter. E os poderes do Eli são basicamente os mesmos da Whitney.

    E minha confiança no Jeff ficou um pouco abalada. Pode ser que não tenha feito algo necessariamente ruim mas não posso me esquecer que o Motorista Fantasma tentou matá-lo. Logo, inteiramente inocente ele não é.

    Já estou curioso para saber como ele conseguiu esta marca de tiro. E gostei que conciliaram as marcas no crânio do Motorista com as fraturas que Robbie deve ter sofrido no acidente.

    https://media.giphy.com/media/PV685oZSzSfbq/giphy.gif

    • Não comentei quanto a parte técnica, mas sim ao tom arrastado e que só compensou com a revelação final.

      • Flavio Batista

        Eu nao consegui achar arrastado. Enquanto eles conversavam, tinha tanta coisa acontecendo la fora… não consegui achar ruim, velhao, me permita discordar rs

        • Pode discordar sempre, Flavio. hehe. Arrastada foi a história paralela, que só acrescentou alguma coisa, porque o final foi bom. Sem o desfecho do Eli como vilão, aquela interação com a Lucy é basicamente tudo o que já sabíamos.

          • Flavio Batista

            POxa, entao eu acho q fui só eu q fiquei achando q o Tio ele era bonzinho e fui pego de surpresa perto do fim? haha
            Acho q como vc ja tinha sacado entao ficou arrastada. Agora saquei

          • Não, é o oposto, Flávio. Arrastada porque só acrescentou alguma coisa por causa da resolução do Eli como vilão. Se não fosse isso, teria sido totalmente arrastada, como teve a surpresa, o resultado final foi bom, mas não a trajetória para chegar lá – como disse na review.

          • Flavio Batista

            Pra vc ver como to sacando bem as coisas. Primeiro nao entendi, dai qdo achei q tinha entendido, nao tinha. haha ta dificil
            pelo menos no final foi bom. Mas fala q vc nao ficou surpreso qdo apareceu o Blaze? foi demais

          • Fiquei sim, por isso que o sofrimento com a história compensou hahahahaha

          • Flavio Batista

            E o mais legal: a aparição de um personagem mainstream assim atrai atenção do grande publico pra serie.
            É incrivel o numero de amigos q tenho q curte muito quadrinhos e filmes de herois e nao assiste ou nem conhece AoS

    • Gabriel

      E ainda estou rindo do Robbie dizendo “Não. Eu sou o outro”.

  • Guilherme Moysés

    Diego, vai fazer uma review do Dr. Strange?

    • Vou não, Guilherme.

      • Guilherme Moysés

        que pena!! =/

  • Octavio Dorta Amorim

    Diego tenho uma duvida: No episodio passado mostra o casal de cientista encontrando o livro e no mesmo porão mostra a moto, jaqueta e corrente do Blaze. Então o livro estava com o motoqueiro fantasma certo? E agora o Robbie sentiu que tinha que ir atras deste livro. Este livro pertence ao espirito de vingança? Você sabe se mostrará o motoqueiro na série ou numa futura serie do Motorista fantasma?

    • Então, é difícil porque a série incluiu tudo como um tipo de easter egg, sem confirmar que aqueles objetos realmente pertenciam ao Motoqueiro. Fica difícil porque se o livro realmente estava com ele, e o Motoqueiro estava andando pela mesma cidade que os cientistas moravam, faria mais sentido ter o Motoqueiro que salvou Robbie perseguindo os fantasmas e procurando o livro, coisa que não aconteceu – não abertamente, já que a Lucy não tinha cruzado com alguém com os mesmos poderes que o Robbie antes de The Good Samarian. Nas revistas em quadrinhos o livro não pertence ao Motoqueiro. E por enquanto os produtores da Marvel, incluindo o chefe da divisão de televisão, não confirmou uma série solo dele.

      • Octavio Dorta Amorim

        É por isso que eu fiquei na duvida, pois na hora que o Robbie é transformado, parece que o espirito foi transferido para o corpo do Robbie, caso seja o mesmo espirito só em corpos diferente faz sentido o Blaze não ter ido atras dos fantasmas, já que o espirito da Vingança não esta no corpo dele.

        Espero que a série mostre o que aconteceu com o Blaze, para sanar nossas duvidas kkkk.

        Outra duvida, se tem alguma noção da missão da Jemma? kkkk

    • Gabriel

      No episódio anterior já diz que o atual dono do livro matou o anterior e o escondeu na casa da família. Para mim ficou bem claro que estavam falando do Blaze. Quando ele se deu conta que haviam furtado o livro saiu em busca dele e acabou encontrando o Robbie.

      • É uma possibilidade, mas não justifica ele não ter aparecido mais.

        • Gabriel

          Provavelmente perdeu os poderes quando transferiu o espírito da vingança para Robbie. O que faria do Johnny uma figura de mentor quando se encontrar com o Reyes.

          • Explica ele não ter aparecido como Motoqueiro Fantasma, mas não explica ele ter desaparecido. Ele passa os poderes para o Robbie, perde os dele, não explica nada e a missão de ter ido atrás do Darkhold fica em espera por 4 meses? Sei lá.

          • Gabriel

            Do grupo que estava em posse do livro apenas dois sobrevivem e um deles é enviado para a prisão. Joseph devolve o Darkhold para a casa dos Blaze de modo queJohnny pode ter se dado conta disto e dada a missão como cumprida. E vale ressaltar que nunca mostraram o que motivou Joseph a devolver o livro. Pode ter recebido alguma… influência.

          • É uma boa teoria e abre precedentes para mais história do Motorista com o Motoqueiro, mas ainda acho um pouco distante do que a série passou, especialmente se levarmos em consideração que ele “transferiu” o espírito para o Robbie e simplesmente voltou para casa e encontrou o livro lá hehe

  • Eric Jones Leuthier

    Mesmo sendo um episódio abaixo do nível da temporada, foi um episódio bom. Me impressionou os efeitos!
    Outra coisa, toda vez que Simmons confronta o diretor eu fico penando com medo dele tramar algo contra ela.

  • Após questionar a utilidade do episódio, cheguei a conclusão que “The Good Samaritan”, foi um bom episódio, apesar da inconstância no ritmo narrativo. Os flashback picotados comprometeram o ritmo da narrativa, porém, foi um episódio que agregou a série, pois fez ela andar. Amarrou pontas soltas, e em apenas 6 episódios revelou a origem do Ghost Rider, Lucy Bauer, e Eli Morrow. Em outras séries o mistério sobre a origem desses personagens seria arrastado por pelo menos, meia temporada. Não foi genial, mas foi ok, cumpriu com seu propósito.

    Esse episódio deu uma boa amostra da extensão dos poderes do Ghost Rider, mostrou que ele está bem próximo aos quadrinhos, onde ele já conseguiu fazer frente ao Hulk.

    • Clark Jornalista

      Não é o Robbie que faz frente com o Hulk, é o Blaze.
      O Motorista Fantasma não faz frente nem com o Thor direito, imagine.

      • Sim, sim. Mas eu deduzo que o Robbie tenha potencial para ter os mesmo poderes que o Johnny. Pelo menos esse Motorista Fantasma da série, demonstrou uma grande extensão de seus motores.

  • Vitner Santos

    WTF!? O epísódio foi foda e a temporada ta muito foda e vem falar que o resultado não ta compensando o trabalho? Ta vendo a mesma série que eu?

    • carpev

      Pensei a mesma coisa!

    • Eu falei exatamente o oposto. =)
      Mas para deixar mais claro – “Infelizmente o caminho não está compensando, apesar do resultado final estar sendo bem satisfatório.”

  • Havok_Mat

    A Roxxon também já foi mencionada na segunda temporada de Demolidor.
    Estou amando tudo em AoS, estou achando que está indo super bem , estou adorando os novos personagens e com certeza vem coisa boa pra frente.

  • Jhonas Rodrigo

    Episódio incrível. Série foda. Temporada sensacional. Ponto. 🙂 (minha opinião)

  • Murilo Henrique

    Essa serie <333 to adorando o caminho que fizeram ate agora, essa 4 temp ta muito boa, mudou o tom mas a qualidade SHIELD ta sempre ali (como os detalhes da diferença da caveira do Johnny pro Robbie, seguindo as hqs). Confesso que foi uma baita surpresa do Motoqueiro aparecer (não tão surpresa assim pq vi sites e pessoas ja comentando isso a semana td mas tava sem tempo pra ver o ep) e foi AMAZING

    Porem entendi o que você quis dizer no review, tbm achei meio sla como o tio dele se tornou o vilão de tudo, fiquei surpreso, mas a execução n foi das melhores, mas nada tbm muito negativo, o ep em geral de tudo foi ótimo.

    Uma pena que muitos ainda n vejam essa serie.. com ctz uma das melhores disparado do gênero (se por acaso cancelarem acho q eu morro meu). E que esse hiato passe logo, to muito curioso sobre a Simmons 😲