Agents of S.H.I.E.L.D. 4×01: The Ghost [Season Premiere]

66
3128

Tudo novo em Agents of S.H.I.E.L.D., mais uma vez.

Se tem uma coisa que a série dos agentes da S.H.I.E.L.D. sabe fazer, é se renovar. Desde que os eventos de Soldado Invernal se desenrolaram e tiveram grande impacto na série ainda durante a sua primeira temporada, nada permaneceu o mesmo por muito tempo. A agência caiu, foi renovada, inumanos surgiram e agora, após três anos de histórias contadas, tudo mudou, de novo. Coulson não é mais diretor, Daisy não age como aliada e todo o grupo está dividido. Mas o mais importante de tudo, um tom mais maduro tomou conta da produção, aproximando-a mais de suas irmãs da Netflix do que dos filmes da casa. Aquela última linha que faltava cruzar para finalmente acabar com a ilusão de que este universo unificado realmente é unificado – não para as séries.

Seguindo a regra já adotada anteriormente, a influência dos filmes é grande, mas geralmente bem mais centralizada do que nós gostaríamos. Ao invés da participação ou reconhecimento de algum personagem, o que temos é a mudança direta de domínio. Com a chegada do Acordo de Sokovia a S.H.I.E.L.D. conseguiu sair das sombras, mas com uma exceção, Coulson permanece morto para os Vingadores e o restante do mundo. Então, um novo rosto precisou ser contratado para representar aquela que antes foi a maior agência de proteção do planeta. Manchada pelos acontecimentos de Soldado Invernal e a revelação de que a Hydra estava, desde a fundação da agência, infiltrada e mexendo alguns “pauzinhos”, a antiga equipe foi dissolvida e quase nada permanece como era antes.

Desmantelar o time de Coulson e mantê-lo separado foi a jogada mais previsível para o novo diretor, algo que tivemos uma ideia lá no final da temporada passada. Enquanto juntos a equipe não apenas era uma máquina bem ordenada e preparada para lidar com ameaças comuns, mas competente o suficiente para impedir ameaças alienígenas e lidar com inumanos, recrutando-os até. Por isso, isolar cada um em diversas áreas diferentes e impor um novo sistema de segurança é um movimento inteligente e pensado para evitar que uma nova S.H.I.E.L.D. surja, seguindo os moldes do que já testemunhamos durante a segunda temporada. Mas não se iluda, o novo diretor é muito mais do que apenas o novo rosto da agência.

Claro que como todo primeiro episódio este é cheio de exposição e vários assuntos se intercalam sem grandes explicações. Considerando como um retorno de temporada eu julgo que este tenha sido o mais morno, mesmo com a participação flamejante de certo motorista fantasma. A quantidade de assuntos sobrepostos não permitiu um impacto maior, infelizmente. Contudo, imagino que este problema será sanado logo no próximo episódio, com a oportunidade de poder desenvolver com mais calma o que foi proposto nesta espécie de piloto – uma tentativa de também conseguir mais audiência de quem, por algum motivo, abandonou o barco durante o terceiro ano. É um problema gerado pela característica mais marcante da série, a renovação anual que ela propõe. O espaço de tempo transcorrido entre a morte do Lincoln e a nova versão da S.H.I.E.L.D. desenvolveu vários assuntos que não tivemos a oportunidade de testemunhar. Por isso The Ghost demonstrou um texto abarrotado, mas um mal necessário.

agents-of-s-h-i-e-l-d-4-01-img1

O novo horário permite algo mais sério e até mesmo sexy (como prometido pelos produtores), mas com exceção do close na calcinha da Daisy, ou a AIDA quase nua aparecendo na tela, nada realmente ousado pipocou. Essa nova possibilidade, porém, deverá ser maior explorada nos próximos episódios. O que a mudança permite, contudo, é uma aproximação maior ao clima de séries como Demolidor e Jessica Jones, que mesmo pegando a característica marcante da Marvel, seu humor mais leve, ainda conseguiu imprimir um tom bem mais sombrio neste retorno.

Dentro do que foi o primeiro episódio da temporada, o texto não se segurou em nenhum momento, entregando o máximo de explicações para situar o telespectador em 40 minutos. Outra grande revelação foi a de que os inumanos não trabalham mais lado a lado da agência. O que também ajuda a explicar a saída de Daisy, mas só tem um reflexo imediato ao vermos YoYo fazendo o seu check-in com Mack. Todo o desafio proposto no ano anterior de unificar a causa inumana ao governo parece ter desmoronado e temos Talbot para agradecer por essa mudança.

E essa nova temporada está mais sombria. Quer tenha sido pelas cenas mais apagadas, e a mudança no tom visual, ou pelo fato de termos, pela primeira vez, um dos anti-heróis mais complexos da Casa das Ideias, o clima está diferente. Tudo soou bem mais emergencial e imediatista, apesar de ser uma trama que está se arrastando por alguns meses. Gradativamente Agents of S.H.I.E.L.D. deverá se abrir para novos caminhos, incluindo a tal magia que Doutor Estranho trará para o universo integrado da Marvel em alguns meses.

O tema, aparentemente neste primeiro momento, é o de expiação pelos pecados cometidos. Essa é a função primordial do Ghost Rider, a de te fazer pagar pelos seus pecados. Daisy está procurando a maneira mais extrema, e nobre, em sua visão. Ela não está apenas procurando trazer justiça ao desmantelar as operações dos Watch Dogs, fechando assim uma porta aberta durante sua parceria com Hive, mas sim impor o maior tipo de autoflagelação possível. Sem os estabilizadores de punho e utilizando excessivamente seus poderes, os seus ossos estão se partindo, um lembrete bem vivo de seus “crimes”.

Claro que mesmo bem cheio de assuntos The Ghost ainda precisou deixar pequenas pontas soltas para desenvolver nos próximos episódios. O futuro deverá ficar centralizado na relação entre os agentes e a nova gestão da S.H.I.E.L.D., além do surgimento do misterioso fantasma que agora assombra May e a relação entre Daysi e o Robbie Reyes aka Ghost Rider. Novamente, como pontapé inicial do quarto ano da série, eu não julgo The Ghost como o mais forte possível, mas necessário devido ao pulo de alguns meses. Gostei de ver a interação entre Jemma e May, algo que reflete exatamente o tipo de agente que Simmons sempre foi – escolheram ela para infiltrar a Hydra, lembra? Além da nova dinâmica exposta para todos. AIDA ainda é um grande mistério, e um que me preocupa bastante, mas por enquanto estou bem satisfeito com o que foi apresentado para a quarta temporada de Agents of S.H.I.E.L.D., mesmo que a audiência continue decepcionante.

Easter eggs e outras informações

– Existem dois Ghost Riders principais na mitologia da Marvel. O primeiro a maioria conhece através dos filmes estrelados por Nicholas Cage, Johnny Blaze. O segundo surgiu tem pouco tempo e foi o escolhido para integrar a quarta temporada de MAoS, Robbie Reyes.

– Robbie teve seu debut em All New Ghost Rider, de 2014, e durou pouquíssimo tempo. Tirando a idade do personagem e talvez sua origem, tudo é bem similar ao que a série mostrou, incluindo seu irmão mais novo – aqui um pouco mais velho. Esta versão do Motorista Fantasma durou apenas 12 números e apenas os seis primeiros realmente são bons, incluindo até uma participação de Calvin Zabo, o pai da Daisy Johnson aka Quake.

– Falando nele, o Ghost Rider de Robbie irá ganhar uma nova chance nos quadrinhos, em novembro deste ano.

– AIDA ou Artificial Intelligence Data Analyser é um sistema de computador criado por Thomas Thompson do Esquadrão Supremo. Ela apareceu pela primeira vez em Squadron Supreme #1 de 1985.

– Aquela caixa que aparentemente libertou o espírito que está assombrando a May, pode ter uma conexão com Mephisto. Mephisto tem como prática favorita a transformação de demônios em espíritos que se assemelham a seres humanos em estado de putrefação. Ele também já foi um inimigo do Ghost Rider – Johnny Blaze.

– Os efeitos especiais deste primeiro episódio pareceram muito bons. Preocupante, já que orçamento de TV aberta não é lá essas coisas.

– Bem vindos a mais um ano de cobertura semanal de Marvel’s Agents of S.H.I.E.L.D. Espero que nesta quarta temporada o foco não se perca e torço para que certa série do Seth McFarlane não dê certo para termos uma tal Harpia de volta.

  • Braiam

    Gostei bastante do episódio, nos situa no novo status da agência ao mesmo tempo que apresenta o Ghos Rider.

    Tô curioso pra saber quem é o novo Diretor, mas nenhum personagem me vem a cabeça, Gyrich talvez?

    Não sei se vão gastar a bala do Mephisto na série, acho que devem guardar pro cinema mesmo.

    Diego, o Robbie Reyes é na verdade o terceiro Ghost Rider principal da Marvel, tem o Danny Ketch nessa conta.

    • Gabriel

      Acho que os filmes investirão no Dormammu e deixarão o Mephisto livre para ser usado na série.

    • Olha, quanto ao novo Diretor eles meio que falaram que seria alguém com peso nas HQs, mas também não arrisco nenhum nome.

  • Kelly

    Achei o episódio bem confuso e não gostei nada desse “upgrade de classificação indicativa”. Mas vamos ver no que vai dar…

    • Bem amontoado mesmo, Kelly. Acho que tentaram meio que criar um novo piloto, aproveitando o horário para trazer quem abandonou e novos telespectadores.

  • Havok_Mat

    Achei meio corrido e fiquei um pouquinho perdido. Mas amei esse episodio e o Ghost Rider achei incrível, tanto transformado como ele normal. Minha serie favorita da Marvel. Estava com saudades das suas reviews. Agora episódios quase toda semana *-*

    • Valeu, Havok! Também estava com saudades de escrever para Agents.

  • Ricardo

    Você comentou sobre os dois Ghost riders principais da Marvel. Robbie não é nem de longe um dos principais. Danny Ketch sim é o segundo motoqueiro mais conhecido. Acho que em fama e reconhecimento Robbie perde até para Caleb, o Ghost Rider do velho oeste!

    • Principais em referência a reconhecimento do público geral, Ricardo. Não estava me referindo aos amantes de quadrinhos. Para quem nunca pegou uma HQ na vida, só existem dois, o do Nicholas Cage e agora o Robbie, por causa da série.

      • Ricardo

        Ah tá!

      • Leandro

        Então escreva direito a sentença, pq vc quis dizer q ele é o segundo mais conhecido sim, não disse q eh pra quem nunca pegou HQ..

        • “Existem dois Ghost Riders principais na mitologia da Marvel. O primeiro a maioria conhece através dos filmes estrelados por Nicholas Cage, Johnny Blaze. O segundo surgiu tem pouco tempo e foi o escolhido para integrar a quarta temporada de MAoS, Robbie Reyes”.

          Então eu preciso melhorar minha escrita e você a sua interpretação, amigo.

  • Gabriel

    Acho que o único problema deste episódio é que ele foi um pouco corrido. Também achei estranho que o Motoqueiro …, digo, Motorista Fantasma era conhecido naquele bairro mas a Skye nunca ouviu falar dele. Prefiro acreditar que isto se deve a sua saída da SHIELD e que pelo menos o novo diretor tenha ouvido falar dele.

    Gostei de terem trocado aquela “máscara” que usava nos quadrinhos por um crânio flamejante e por, pelo que se comenta, modificarem sua origem para ele também ter sido possuído por um espírito da vingança como aconteceu com os Motoqueiros Fantasmas. Só espero que isto não impeça uma participação especial do Johnny Blaze. O acharia legal até em flashbacks.

    Adorei a cena da luta entre Tremor e Motorista Fantasma. Além disto gostei bastante do debate entre eles. Ficou claro que Agents of SHIELD se inspirará no conflito entre Demolidor e Justiceiro nesta temporada. E foi ótimo ver o Motorista julgando Skye inocente pelos seus supostos crimes.

    • Ricardo

      Acho melhor deixarem o Blaze para uma possível série na Netflix

      • Gabriel

        Nah, prefiro em Agents of SHIELD. Não duvido da excelência que o roteiro do Motoqueiro teria na Netflix mas ela nunca deu um investimento muito alto para efeitos especiais e isto seria imprescindível na adaptação.

    • Aquela máscara era horrível e também espero que os outros Ghost Riders apareçam, de alguma forma.

  • Lucas Andrade

    Este não chega perto de ser o segundo mais famoso, Danny Ketch que é.

    • Me expressei errado, Lucas. Queria dizer principal para a Marvel, a ponto de ser adaptado. Em termos de notoriedade para quem lê as histórias, sim, o Danny ganha.

  • Andre Ramos

    Fui fazer a besteira de ver o episódio tarde e cochilei varias vezes. Vou ter que rever porque soh peguei a May vendo coisas estranhas e pela review vi que isso foi influenciado por uma tal magia. Me pareceu mais arrastada que o normal e precisam definir um rumo pra Skye. Ela boa, má, rebelde e etc já deu.

    • Gabriel

      Já definiram o rumo da Skye. Ela se arrepende dos atos que tomou sob influência do Hive e iniciou uma jornada auto-destrutiva de redenção.

    • Realmente, fizeram um episódio mais morno sim, mas isso eu imagino que tenha sido causado pela necessidade de abrir um “piloto” para esse novo horário. Jogaram muito assunto e não deixaram nada “respirar”. Imagino que os próximos serão melhores. Confio em MAoS.

  • Carcosa, the Yellow

    “Existem dois Ghost Riders principais na mitologia da Marvel. O primeiro a maioria conhece através dos filmes estrelados por Nicholas Cage, Johnny Blaze. O segundo surgiu tem pouco tempo e foi o escolhido para integrar a quarta temporada de MAoS, Robbie Reyes.”

    Realmente existem dois Motoqueiros Fantasmas na mitologia da Marvel. Um é o Johnny Blaze e o outro é DANNY KETCH.
    Mané porcaria de Robbie Reyes. “Piloto” Fantasma pra geração leite e pêra.

    • Eu me expressei errado, Carcosa. Quando falei principais, eu queria dizer: principais a ponto de ganharem uma adaptação Live Action. hahahahaha mas também não vejo muita coisa no Robbie não, viu? Na verdade, em um episódio na série ele já me convenceu mais do que em 12 números nos quadrinhos.

  • Magnosama

    Estreia quando aqui no Br essa 4ª temporada???

    • Junito Hartley

      2018

    • Não sei, Magnosama, mas deve ser ano que vem..

  • carla machado

    Gostei muito da review. A premiere achei morno e sombrio mesmo, bem nota C. Se se aproximar ainda mais da vibe das da Netflix, adorarei.
    Mas tenho certeza que será uma grande temporada. Só espero que Daisy e Ghost não se apaixonem e que Daisy para de dar na série.

    Bolão pra novo Diretor(a)?

    • Gabriel

      Nah, considerando o passado da Skye com parceiros românticos seria interessante se eles se apaixonassem. Daí teríamos a chance de ter Johnny Blaze como Motoqueiro Fantasma.

    • Ricardo

      “que Daisy para de dar na série”. Hahahahahahah… Melhor comentário!

    • Valeu, Carla. O diretor já revelaram quem é, só não falaram em qual personagem ele é inspirado, apesar de também terem soltado algumas informações de que era baseado em alguém dos quadrinhos. Quanto a Daisy, vamos ver se alguém sobrevive a maldição kkkkkk

  • Junito Hartley

    Nao entendi quando vc diz que os efeitos especiais foram bons e depois vc diz que é preocupante?!!

    • Gabriel

      Os efeitos especiais usados neste episódio podem comprometer o orçamento para efeitos especiais no resto da série.

    • Nina Ribeiro

      Pq se gastam todo o orçamento no primeiro episódio, como ficará os outros?
      rsrs

      • Junito Hartley

        Acho que nao vai aconter, se fosse serie da CW ate poderia ser possivel, mais AOS tem histórico de bons efeitos especiais.

    • Isso mesmo que a galera falou, Junito, mas principalmente porque o Ghost Rider e seu carro demandam um trabalho pesado. O que geralmente fazem é optar por tudo mais escuro, ou então fora de foco. Como já mostraram bastante coisa nesse primeiro episódio, imagino que os próximos serão menos elaborados sim. Afinal, são 22 e ainda temos outros eventos como o mid-season e o season finale.

  • Duh

    Fazia tempo que não via essa série, por motivos de ruindade uma das piores já feitas, e vendo esse ep. só cheguei a conclusão que continua tão ruim quanto antes, um porre sem tamanho. O Ghost Rider parecia ser interessante pena ter sido colocado nessa bomba, podia ter uma série adulta só pra ele.

  • Rafa Silveira

    Curti muito não.
    Jemma tá um porre, Daisy idem com essa atitude emo-rebelde-me-excluo-de-propósito-porém-me-preocupo. A equipe desmantelada. Fora o Rider, um personagem do qual nunca fui muito fã, mas que nessa versão genericona de ANAD me brocha ainda mais.

    Eu sei que vai melhorar, até pq n mostraram qual vai ser o objetivo da temporada ainda, mas essa foi a premiere desde que a série se encontrou com o vínculo com Winter Soldier. N que eu esperasse algo muito diferente, visto que essa temporada é um reinicio e n uma continuação como foi com a segunda e terceira

    • Para mim Jemma boa é Jemma sacana. Tipo quando ela estava lá destilando veneno pros inumanos. Gosto dela assim, melhor que todo mundo feliz sempre. Acho que essa premiere foi mais fraca porque quase funcionou como um piloto.

  • Douglas Damacena

    essa Daisy tem que morrer logo,ela era uma das personagens mais legais da série,agora ta um porre,insuportável,ta parecendo que ta em série da CW,onde ela é a diferentona em busca de redenção aváa,quanto ao piloto fantasma,vamos ver ja que o negocio tem que ser violento mesmo.

    • Gabriel
      • Douglas Damacena

        amigo não estou reclamando por ela ter profundidade demais,cara, ela ja foi muito explorada na série,ja sabemos quem ela é,essa é a hora de dar espaço para nos aprofundar em outros personagens,e não ficar focando no mesmo como no caso dela,que agora ta pagando de Badass quando realmente ta chata demais,ou vocês acham que ela não vai virar par romântico do piloto? ai me diz se isso não é o jeito CW de ser …

    • Quanto ódio nesse coração, Douglas. hahahaha

  • Felype

    Ta preocupado com efeitos especiais da temporada??? Alguem andou assistindo muito Once Upon a Time,tudo bem que as duas sao da abc, mas shield nunca deixa a peteca cair nesse quesito!!

    • MAoS nunca deixou cair a peteca, mas é a primeira vez que ela trabalha um personagem tão pesado em efeitos. É preocupante sim, ainda mais vendo a audiência que nem tá tão boa para justificar um gasto maior.

      • Felype

        Se formos esperar audiência que compense os gastos na serie ta difícil, Agent Carter ta ai pra comprovar que serie da marvel na abc dificilmente vai ter uma boa audiência!

        • Mas é assim que eles lidam com essa matemática, Felype. Precisa ter retorno e a de Agents está caindo anualmente, diferente de AC que já começou bem abaixo e tinha um número reduzido.

  • Popoto13

    Espero que um dia façam um bom filme com o Johnny Blaze. Robbie Reyes é um personagem maneiro, como você disse as 6 primeiras edições dele na HQ são boas, mas sei lá ele não passa aquela vibe de “Ghost Rider” porém ainda assim acho ele melhor que o Danny Ketch, tomara que Robbie seja bem utilizado na série.

    Sobre os efeitos especiais, é o que o Borbs escreveu no Judão: “Eventualmente o Espírito da Vingança vai aparecer de novo, mas ou com menos detalhes, ou mais afastado. Sabe como é, televisão aberta, né? :D”

    No mais premiere bacana, e eu continuo não conseguindo me importar com a Daisy.

    • Acho que nem deu tempo de conseguirem atingir esse ponto com Robbie nas HQs. Agora em Novembro eu imagino que eles tentarão corrigir esse erro. Os efeitos me preocupam, mas vai que, né?

      • Popoto13

        Acho que devem acertar o Robbie agora. Quanto aos efeitos, também to preocupado.

  • Matheus

    MAOS é uma ótima série, comparada às outras series de heróis ela está muito superior, tanto em roteiro como em qualidade, mas infelizmente não possui todo o reconhecimento que merece, todo ano a série se renova com um bom roteiro, enquanto outras parece que ainda não saíram da primeira temporada com os personagens com o desenvolvimento muito fraco, um exemplo é Arrow.
    Mas enfim, espero que esse ano de MAOS continue com a leva de bons eps e que com o novo horário a trama evolua ainda mais.

    • É o karma das boas séries, Matheus. Nunca recebem o reconhecimento merecido da audiência.

      • Matheus

        Exatamente, e pelo jeito MAOS está indo pelo mesmo caminho, por mais que a série se inove a cada temp. a audiência está caindo, parece que os americanos gostam da mesmice de sempre

    • Alex DAvila

      eqto todo mundo fala de Jessica Jones eu prefiro mil vezes MAOS.

  • Achei um bom começo, não foi a melhor premiere da série mas foi empolgante, e as sequências de ação com o Motorista Fantasma já entraram no meu top de melhores momentos de MAoS, os efeitos visuais foram muito bons. Mas espero que aproveitem melhor a liberdade do novo horário, não acho que ser sombrio e mais adulto, seja apenas fotografia noturna e close na calcinha da Daisy, e por falar nela, desnecessária aquela maquiagem grunge, acredito que o público de MAoS seja capaz de perceber o estado emocional dela sem precisar que ela se pinte e vista-se de preto.

    • HAHAHAHA acho que o look da Daisy vai além do estado emocional, acho que é mais pensando em não ser reconhecida por tecnologias de reconhecimento facial. Só um chute…

      • HAHAHA pode ser, embora seria uma contradição com o universo da série, em um mundo tecnológico tão avançado como o de MAoS o reconhecimento fácil ser engano por rímel e lápis de olho seria bizarro hahahah.

        • Mas não tem outra explicação para o fato deles nunca conseguirem encontrar ela com o tanto de câmera de trânsito que existe espalhada por Los Angeles.

  • joanalia ferreira

    Depois de Grant Douglas Ward, não sei se vou conseguir gostar mais da série. Não só era um personagem bom, como fazia os outros ficarem melhores. Tudo girava em torno do ódio ou do amor que se tinha por ele. Estou um pouco desanimada.

    • Grant Ward foi um ótimo personagem, mas teve seu prazo de vida esgotado. Não consigo imaginar mais histórias para ele depois de tudo o que aconteceu.

  • Breno

    Essa foi pra aqueles q criticavam o Ward, ele é que fazia a serie rodar… O combustivel dos mocinhos, agora quero só ver como a serie vai se virar pra arranjar um vilao em um ator tão bom como ele

    • Acho um pouco exagerado dizer que Ward era o combustível, ou fazia a série rodar. Ele foi importante sim, mas longe de ser insubstituível.

  • Flavio Batista

    Diego, a serie q vc ta falando é Most Wanted? mas ja nao foi engavetada de novo?

    • A da Adrianne Palicki? Ela foi confirmada no piloto de outra série, do Seth Macfarlane, para a FOX.

      • Flavio Batista

        nao tava sabendo… uma pena. Gostava muito dela e do Hunter