3% 1×06: Vidro

4
835

3% entra em sua reta final apresentando um episódio mediano com Vidro.

Faltando apenas dois episódios para o final da sua primeira temporada, 3% apresentou um episódio mediano em comparação com Água, o seu antecessor. Vidro não trouxe provas de resistência física ou cruéis, como as anteriores. O sexto capítulo inovou mais uma vez ao mexer com o emocional e, consequentemente, as lembranças dos candidatos do Processo. O cerco se fecha cada vez mais e a presença de uma grande revolta da Causa se aproxima.

Os protagonistas Michele, Fernando, Joana e Rafael estão cada vez mais evoluindo com o desenrolar das provas. Da mesma forma que Marco mostrou-se surpreendentemente como um monstro, os outros revelam lados nunca antes visto. Michele e Rafael revelaram seus lados revolucionários (e vingativo, no caso da protagonista) e explosivos, enquanto Fernando e Joana venceram seus próprios medos e desabrocharam suas capacidades mais escondidas.

3% - Vidro
3% – Vidro

Michele e Rafael, dois lados de uma moeda e duas forças da Causa. Qual será o papel deles ali dentro? Michele claramente só pensa em sua própria vingança, enquanto Rafael aparentemente quer quebrar o Processo. Será que ao final ambos estarão dispostos a abdicar da vida prometida pelo Maralto pelo passado e pela injustiça que já viram no mundo? Ou eles seguirão em frente ao saberem que passaram?

E Joana e Fernando? Bem, os dois são os personagens mais bem desenvolvidos até o momento. Fernando acredita no Processo, mas como vimos no episódio ele estava disposto a largar tudo pelo pai, sem nem pensar em voltar a andar no Maralto. E que consequências a revelação de Rafael trará para Fernando? O relacionamento do personagem com Michele está por um fio, principalmente se levarmos em conta o prazer que ele teve em criar uma nova prova.

Isso sim foi surreal: um candidato que sofreu nas mãos do Processo e na vida que lhes tiraram criando (com um baita sorriso no rosto) mais uma proposta cruel para outros adolescentes no ano seguinte. A que ponto o ser humano chega, não é mesmo? Algo me diz, inclusive, que ele irá se rebelar contra Michele e o seu ideal da Causa.

Já Joana… Bem, Joana continua sendo a Rainha da série, a estrela que até mesmo o Ezequiel prefere, revelando que agora ela de fato almeja a vida do outro lado, não apenas mais fugindo do seu passado. Qual papel os quatro terão daqui pra frente? Estarão todos destinados ao Maralto ou, mesmo sem intenção, ambos ficarão no fogo cruzado da Causa e do Processo? Que venha essa explosão!

Ezequiel, um personagem peculiar em Vidro…

Ah o Ezequiel, o grande “vilão” da série. Ou eu usei a palavra errada? Ezequiel continua sendo o personagem mais peculiar e indecifrável. O episódio anterior revelou o suicídio de sua esposa e que o menino que ele cuidava era, na realidade, filho dela. O que a trama nos deu a entender é que o atual “líder” do Processo apenas continua ali para certificar-se que o garoto irá passar. Mas então no fundo ele não é um vilão? Bem, não é por aí…

Ezequiel é um sujeito mesquinho, frio e calculista, mas, infelizmente, ainda não me conquistou, principalmente se ele de fato for o vilão de 3%. Ainda torço por uma maior participação dos membros do Conselho, dos atores de peso da série, com a revelação de que eles e, é claro, a Aline, são a verdadeira ameaça ali dentro, apesar de tudo que eles aparentam se opor. O que falta pra 3% é apenas um maior cuidado em apresentar sua trama, organizar seu roteiro e “pôr os devidos pingos nos is”, principalmente nesse núcleo e o da Causa.

Curiosidades

Vocês sabiam que vários atores da série (da atual Netflix) fazem parte do elenco da websérie original (vale muito a pena dar uma checada!) do Youtube? Luciana Paes, Cesar Gouvea e Luciana Schwinden faziam parte da equipe de entrevistadores do Processo. Hoje Luciana e Cesar repetiram o papel, fazendo companhia a Rita Batata que antes era apenas mais uma candidata. Luciana fez o papel da mãe da Bruna em Vidro, já Geraldo Rodrigues, o Rafael, protagonista da websérie, foi um dos aplicadores da prova desse episódio. Interessante vê-los novamente, não?

Luciana Schwinden em 3% - Vidro
Luciana Schwinden em 3% – Vidro
E o podemos esperar dos episódios finais?

O que será que Michele tirou da barriga? Seria uma espécie de veneno? Uma bala (apesar de não fazer o menor sentido sem uma arma)? A imagem não nos deixou muitas pistas, a única certeza que temos é que vem chumbo grosso por aí e que tem algo a ver com a Causa e a vingança da protagonista. E o Rafael, onde será que o personagem entra nessa trama da revolução contra o Processo?

Por mais certeza que ele tenha passado na conversa com Fernando eu ainda não acredito que ele retornou com a intenção de um bom samaritano. Rafael pensa apenas em si mesmo, como ele já deixou bem claro diversas vezes, mas se analisarmos o desenrolar da história do Marco, um dos personagens “bonzinhos” do início que se tornou um monstro, toda mudança de personalidade nessa luta por uma vida melhor e por justiça é possível.

Mas onde que a Causa e o Conselho, dois núcleos essenciais da trama, a dicotomia de 3%, entram nessa história toda? Essa ausência de representatividade de ambos os grupos é o que mais me incomoda na série, muito além de todos os comentários negativos que vejo outros tecerem acerca dos figurinos e atuações. Os dois últimos pontos são importantíssimos para o desenvolvimento de um bom produto televisivo, eu concordo plenamente.

Mas, como eu disse no review de Corredor, nós estamos diante de uma série brasileira, a primeira da Netflix no país. Então é óbvio que não veremos um show de atuações magníficas e roupas bem produzidas e condizentes com a época/momento como, respectivamente, o vemos, por exemplo, em How to Get Away with Murder e Outlander. 3% teve um bom resultado e é digna de ser elogiada não só por ser do nosso país, mas principalmente pelo esforço conjunto de todos os envolvidos no processo.

Que mais talentos brasileiros sejam reconhecidos, que mais e mais séries brasileiras tenham a chance de brilhar tal como as americanas… Vamos com tudo, pois agora é a chance do nosso Brasil deixar a sua marca no mundo das séries!

  • Bom episódio, interessante que muitos sites de review estão apostando na série também. Muitos elogios para a primeira Sci-Fi distópica brasileira a alcançar o mundo, em sites de review do mundo inteiro, todos apontam para Joana como a grande interprete.

  • João Carlos

    3% veio para ficar. Não é flop não. Tem coisas para melhoras? Sim, nenhuma serie é perfeita.
    Mas criticar ate as vestimentos que eu ja vi pessoas fazendo é tudo mimimi.

    • Jean Michell

      Pra ser mediana a série tem que melhorar muito.

    • Jean Michell

      Síndrome de vira-lata é feio, mas passar a mão na cabeça só pra valorizar o cenário nacional também é.